• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Preciso comentar o relato abaixo? Provavelmente não, mas a “pessoinha” aqui não resiste: fico pensando em quantos anos de luta por uma condição real de saúde em que não só o Jet sofreu, mas também a Mariana, ao vê-lo mal. Felizmente esta é uma história com final feliz.Leia também: Sarna demodécica: dicas naturais para vencer a doença  Manu e o Monstro da Sarna Demodécica… (com final feliz!) Após ler um post no Mãe de Cachorro sobre sarna demodécica e sua repercursão, resolvi falar um pouco do meu Jet e seu sofrimento com a doença e a mudança com a alimentação natural e tratamento homeopático!! O Jet é um cãozinho da raça Jack Russell Terrier, de 9 anos, com pedigree, nascido em Seatlle, USA, e com sarna demodécica. Morei na Califórnia por quase 3 anos e o adotei lá, após ele ser meu “cliente” em meu trabalho de dog walker. A dona, que o comprou em Seattle, voou ele até a Califórnia e teve ele por 4 anos, não o queria mais, pois era agressivo, com problemas de saúde e latia muito, além do marido o odiar. Ou seja, nos termos que eu conhecia os abrigos de cães da minha cidade e da maioria dos EUA, ele ia ser eutanasiado, principalmente pela agressividade, que nada mais era do que medo. Tinha diagnóstico de alergia e depressão, tomava prozac e anti-histamínicos todos os dias, os quais fui retirando aos poucos. A agressividade praticamente acabou em cerca de 3, 4 meses e ele se tornou cada vez mais social. Quando o levei pra casa, desconfiava até da própria sombra… Quanto aos anti-histamínicos, não estavam fazendo efeito algum, somente prejudicando ele com tanta química para melhora nenhuma! Bom, viemos para o Brasil e aqui piorou ainda mais sua pele. Lá vamos nós pro vet de […]

    Diário de um cão com sarna demodécica

    Quer baixar o guia em .pdf? Então clique aqui! Dieta aprovada e recomendada pelo Shoyo! Antes de postar o Guia, a Sylvia tweetou: Desafio do dia: será que conseguimos reunir o básico da Alimentação Natural em uma única folha? Isso é o que você verá daqui a pouco! 😉 E de brincadeira respondi pra ela: @cachorro_verde Eu consigo num tweet: ossos sempre crus, qto maior o cão, maior o osso, sirva ao longo da semana o equivalente a uma caçada. Posto a minha resposta porque pra quem ainda não pratica a Alimentação Natural, a dieta pode parecer complicada, mas depois que a estudamos [ahhh, quer cuidar bem dos peludos e não estudar nada? fala sério!] melhor, tudo fica muito simples e prático. Eu nãoooo sou assim caprichosa como a Sylvia ensina a ser e suplemento muito pouco porque sigo mais a dieta crua e natural apresentada pelo veterinário australiano Tom Lonsdale, que você conhece melhor lendo seu livro “Raw Meaty Bones” traduzido para português. Por conta disso, realmente minha resposta resume perfeitamente a alimentação do Shoyo, composta de tudo que existe em um bicho que ele caçaria, inclusive nas proporções: pele, carne, ossos, músculos, órgãos, vísceras etc. Fica a dica de uma opção 100% natural e saudável. Mas você é quem manda e escolhe como alimentar seu peludo!

    Guia prático de Alimentação Natural do Cachorro Verde

    Clique na imagem para ampliá-la. Vejam que boa notícia para Floripa!!! Lembrando que toda pessoa que apresentar comprovante de renda de até três salários mínimos e de residência no município de Florianópolis tem seus cães e gatos atendidos e castrados gratuitamente na Diretoria de Bem-Estar Animal. Informações e agendamentos das consultas homeopáticas: (48) 3237-6890, de 2ª a 6ª em horário comercial. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Consultas homeopáticas gratuitas na Diretoria de Bem-Estar Animal, em Floripa. Toda quarta-feira!

    8 de maio de 2010Saúde, Veterinários

    Engraçado como as coisas são… Hoje de tarde uma amiga minha ligou para desabafar e contar que sua cadela amanheceu com uma ferida no meio do olho e que ao procurar um veterinário desesperada foi tratada com imensa frieza e tudo que o “profissional” queria (um dos poucos veterinários com especialização em oftalmologia aqui em Florianópolis) era dinheiro, dinheiro e mais um pouco de dinheiro. Além de não conseguir explicar o que poderia ter acontecido com o olho de sua cadelinha, tampouco foi capaz de explicar a minha amiga como trataria do problema e só se preocupou em insistir que a peluda deveria ficar para fazer a cirurgia que, obviamente, custaria uma banana de dinheiro. Minha amiga pediu uma hora para pensar e saiu de lá direto para uma veterinária sua conhecida, mas sem especialização em oftalmologia. Chegou lá aos prantos e a “simples veterinária” fez mil exames na cadelinha, explicou tudo que minha amiga precisava/queria saber, medicou a peluda e agendou a cirurgia para hoje, sem condenar a visão da pobre pequena e sem querer arrancar o olho como o “veterinário especializado” queria fazer e sem querer, acima de tudo, tratar de dinheiro e mais dinheiro numa hora tão sofrida! Desabafando chocada e muito indignada, estas foram as palavras da minha amiga “Ana, além de dinheirista e mau-caráter o veterinário ainda foi burro, porque se ele ao menos tivesse tipo competência e paciência para me explicar o que estava acontecendo e como pretendia curar minha peluda, ainda que ele estivesse falando um monte de besteiras e ainda sendo um incompetente, eu teria me acalmado e pagaria quanto ele pedisse, desde que tivesse me passado confiança, ainda que estivesse blefando“. Sim, amiga, ainda bem que para cada “profissional” desse tipo, há outros que agem e tratam de seus pacientes com […]

    Seria um gato ou um rato? E quando nossos peludos perdem a visão?

    22 de fevereiro de 2010Saúde, Veterinários, Vídeos

    Fotos das ‘acomodações’ de um comerciante explorador de gatos persa que foi denunciado através de Boletim de Ocorrência à Diretoria do Bem-Estar Animal de Florianópolis.22 gatos persas, entre adultos e filhotes, e uma cadela pinscher foram resgatados, serão castrados esta semana e estarão disponíveis para adoção.Para adotar os gatos, ligue em horário comercial para (48) 3237-6890 A foto que ilustra o cartaz abaixo é do mesmo local das fotos acima. Clique nas imagens para ampliá-las.Copie o cartaz e o divulgue, muito! Sabe quando você passa em frente à vitrine daquela petshop linda, colorida e que sempre tem filhotes fofos de cães e gatos à venda?Sabe quando você abre os classificados dos jornais ou acessa sites de vendas de produtos e encontra anúncios e mais anúncios de venda de animais e outros nojentos, do tipo “Compro ninhadas de filhotes de cães e gatos”?Sabe quando você vai a feiras de filhotes, tão bem montadas, com veterinário presente, com alvará municipal para funcionamento etc.?Sabe quando você sai para passear com a família e encontra aquele casal simpático, e articulado vendendo filhotes de cães no porta malas do carro ou em caixas e grades sobre a grama? Então agora olhe bem as fotos e o cartaz que ilustram este post, pois eles mostram apenas um dos inúmeros casos de exploração de animais de estimação, subjugados e tratados como verdadeiras fábricas de dinheiro e tenha absoluta certeza de que por trás de tanta fofurice, de tanta pretensão de estar fazendo um ‘bom negócio’, há crueldade, desrespeito e muiiiito, muito sofrimento animal. Quer comprar um cão ou gato? Então, antes de mais nada, vá pesquisar sobre a raça para poder saber se a pessoa que a cria realmente a conhece, estuda e aprimora, vá pesquisar depois com muito critério os que se dizem criadores da mesma, […]

    Fazendas de filhotes: elas estão mais perto do que você imagina

    Vocês lembram do post “Dicas de comportamento no Consultório Veterinário“? Pois bem, seguindo esta mesma linha de raciocínio, achei um post super educativo no site da queridíssima Camila Sanches, veterinária e mãe de cachorro (não, não basta ser formado em medicina para sequer amar os animais… tem muita gente que estuda só para trabalhar com reprodução de animais de grande porte, por exemplo, e encher os bolsos de dinheiro, pouco se lixando para os bichos em geral). Fiquem com um pedacinho do texto dela e continuem a lê-lo clicando aqui. “Você sabe como “funciona” uma consulta médica quando você leva seu pet ao vet? Nunca reparou? Ou já, e não entendeu o porquê foram feitas tantas perguntas sendo que seu pet só tinha uma “feridinha” na pata? Pois agora você vai ler neste post os passos-a-passos da consulta médica sem mitos, sem preconceitos! Boa leitura! Uma consulta é dividida, basicamente, em: resenha, anamnese, histórico, exame físico, exames complementares, lista de diagnósticos diferenciais, diagnóstico (propriamente dito), prognóstico e tratamento. “ Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Consulta veterinária: que bicho é esse?

    1 de dezembro de 2009Saúde, Veterinários

    Eu já tinha lido na net que um gato nos EUA foi diagnosticado com a gripe H1N1, tão ‘na moda’ este ano e, pra mim, um grande (enorme, gigante) golpe pra fazer dinheiro, já que só em julho do ano passado morreram mais pessoas no Brasil com a gripe comum do que a gripe ‘suína’ já matou no mundo desde que ‘surgiu’. Mas, enfim, esta semana que passou, descobri um blog delicioso de uma veterinária e quero recomendá-lo pra vocês: http://dracamilasanches.com.br Vejam o que achei no blog dela: “Perguntas Frequentes sobre o Vírus H1N1 – 2009 da Gripe e os Animais de Estimação Atualizado em 6 de Novembro de 2009. Essas perguntas e respostas são baseadas no que se tem conhecimento atual sobre o vírus, e serão atualizadas conforme nós obtivermos novas informações. P: Quais são os sinais clínicos da infecção do vírus H1N1-2009 em pets? R: Até agora, os sinais clínicos observados em ferrets e em um gato foram problemas respiratórios, tais como tosse, espirro, secreção nasal/ocular, e possivelmente febre, letargia, anorexia, e anormalidades respiratórias (isto é, dispnéia, taquipnéia). Em outras palavras, ele se assemelha a maioria das outras infecções respiratórias virais. Tenha em mente que cães já possuem seus próprios vírus de gripe, o vírus da influenza H3N8 (influenza canina), circulando. Até então, esse vírus só foi espalhado de cão para cão. Cães infectados com o vírus da influenza canina apresentam os mesmos sintomas que cães com a tosse dos canis – febre, letargia, perda de apetite, tosse, e às vezes secreção nasal. Para maiores informações sobre a influenza canine, veja nosso Guia sobre influenza Canina (site em inglês).” Achei muito interessante (aliás, o blog todo é!). Para continuar a ler sobre a gripe e os animais de estimação, clique aqui. E também vale assistir ao vídeo abaixo, […]

    Gato com gripe H1N1 ( ou, para quem é mais desligado, gato com gripe suína…)

    10 de novembro de 2009Gatos, Saúde, Veterinários, Vídeos

    Atenção galerinha do Rio de Janeiro! Em Aracaju a campanha de vacinação foi um sucesso, agora é a vez de vocês! “A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio deu início neste sábado à campanha de vacinação animal “Rio sem raiva 2009!”. Ao todo, mais de 1.100 postos estarão à disposição da população, em cinco sábados, de 3 de outubro a 28 de novembro, das 8h às 17h, para vacinar cães e gatos contra a doença, controlada há 24 anos na cidade. A expectativa da prefeitura é imunizar mais de 600 mil animais. A campanha será realizada em cinco etapas e a primeira, neste sábado, acontece nos bairros da Zona Portuária, Centro, Rio Comprido, Botafogo, Copacabana, Lagoa, Rocinha, São Cristóvão, Tijuca, lha do Governador, Santa Teresa e Vila Isabel. Durante cinco sábados, 3 mil profissionais de saúde e voluntários atuarão na vacinação dos bichos. A abertura da campanha, às 10h deste sábado, na Praça do Lido, em Copacabana, conta com tenda com vacinadores, distribuição de folhetos sobre a raiva e medidas de controle e prevenção.” Continue lendo na fonte. Clique aqui. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Rio sem raiva! Campanha de vacinação de 3 de outubro a 28 de novembro

    5 de outubro de 2009Campanhas, Veterinários

    Em janeiro de 2007, bem no começo do blog, fiz um post com algumas dicas que considero fundamentais para não entrar em roubada e cair na mão de algum veterinário mequetrefe. Dia desses ainda, conversei em diferentes ocasiões com duas veterinárias sobre a postura de vários colegas da profissão que não têm a menor consciência social e elas acham a mesma coisa. Não estamos falando em desvalorizar a profissão e sim do papel que os profissionais da saúde veterinária têm para contribuir com uma realidade muito melhor para os animais a quem juraram defender em sua formatura. Várias amigas minhas que moram em apartamento, e que por conta disso frequentam praças e outros locais cheios de outras pessoas passeando com seus cães, contam um caso pior do que o outro, é de arrepiar. Gente, tem clínica aqui em Floripa cobrando R$400,00 pra castrar yorkshire. Nada justifica um preço desses e só demonstra a falta de responsabilidade social de muitos veterinários. Se um yorkie, que é geralmente um cão com menos de 5kg custa tudo isso pra castrar, vocês podem imaginar a dificuldade de alguém que retirou um cão das ruas, ou que comprou e que quer castrá-lo. Sobre o mesmo tema, confiram as dicas da Revista Época. I. Esteja presente Nada de preguiça! O proprietário do cão tem que ir às consultas. Só assim você pode conferir de pertinho o resultado dos exames e compreender como medicar seu bicho. No caso de internação, é importante consultar o veterinário para saber se o cachorro pode receber visitas. “Dependendo da doença, não é recomendável”, diz o Dr. Mário Marcondes dos Santos, diretor clínico do Hospital Veterinário Sena Madureira. “Mas há casos em que a presença é importante para o emocional do animal.” II. Não tema o veterinário O diálogo é fundamental para […]

    Dicas de como se comportar no consultório veterinário

    29 de setembro de 2009Veterinários
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados