• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Saiba como proceder durante o tratamento para ajudar seu pet doente a se recuperar mais rápido. Consulta Para começar a ajudar um cão ou gato doente é preciso saber exatamente o que está errado com ele e qual seu estado geral de saúde. Pode acontecer de voltarmos de uma consulta sem um diagnóstico fechado, então é bom você saber o que foi feito, que exames foram pedidos, quais as suspeitas e quais os próximos passos para se chegar a um diagnóstico. Peça que o veterinário escreva tudo o que for relevante. Assim você mantém um histórico que pode ser útil para informar a situação a outros profissionais que atendam seu animalzinho posteriormente. Dúvidas Tire todas as dúvidas com o médico veterinário e anote as respostas. Caso a consulta não tenha sido de emergência e esteja marcada com antecedência, vá para o consultório com uma lista escrita de perguntas. Continue a ler clicando aqui.

    Como se comportar durante e após uma consulta veterinária?

    Muitas doenças não apresentam sintomas até estarem em estágio avançado. Em outras situações, a ajuda deve ser precisa e imediata. Por essas e outras razões, é extremamente importante consultar bons veterinários para diagnosticar males em nossos pets. Veterinários Por ter uma forte presença na internet com meu blog, o Mãe de Cachorro Também é Mãe, e por meio de suas redes sociais […] Leia mais clicando aqui.

    Seu pet está doente ou estranho? Procure um veterinário, não a Internet ou um atendente de loja.

    E mais: Ao procurar um veterinário, seja ativo na consulta e insista para que ele examine minuciosamente o animal e peça exames para chegar a um diagnóstico preciso. Focinhos É verdade que há alguma relação entre um focinho geladinho e úmido e um cão saudável. Na média, cães costumam ter o focinho assim, mas não necessariamente um focinho mais quente e seco demonstra que o cachorro está doente. Alguns peludos simplesmente não produzem tanta secreção nasal. A chave para saber se há algo errado é monitorar cada animal. Se um cachorro que sempre teve o focinho mais gelado e úmido passar a tê-lo morno ou quente e seco, é um indício de que está com febre ou desidratado. Lenda Mas focinho seco não é certeza absoluta de febre. Este é só mais um dos mitos sobre cães. A única maneira de saber se o animal está febril é medindo sua temperatura corretamente. As secreções nasais dos cães podem variar, seja ao longo de um dia ou semana ou mesmo ao longo da vida. Embora um focinho úmido e geladinho seja normal, o oposto não é necessariamente anormal. Sintomas Se o cão não está exibindo desconforto, não está espirrando nem lambendo o focinho excessivamente, não está letárgico, não apresenta perda de apetite e se o focinho não está descascando ou sangrando, só exames poderão indicar se há mesmo algo errado. Como sempre, consultar o veterinário e pedir que ele investigue é o mais recomendado, pois é melhor prevenir do que remediar. Continue a ler a coluna clicando na ilustração ou aqui.

    Fique de olho no focinho do seu cão. Ele pode dar dicas sobre a saúde do animal.

    O super Cachorro Verde tem tratado de outros assuntos além da nutrição de cães e gatos, como excesso de vacinação, homeopatia, comedouros e bebedouros etc. O post que divulgo hoje pra gente traz um pouco sobre a acupuntura em cães, uma terapia milenar tida como “alternativa”, mas que aqui em casa – seja eu o paciente ou um filho peludo – é uma das primeiras opções antes da “tradicional” alopatia, só ficando atrás da homeopatia (a campeã da preferência para peludos e pelados em nosso lar). Um pedacinho deste post delícia segue abaixo pra gente e a íntegra vocês conferem clicando aqui. Boa leitura e um fim de semana excelente a todos! C.V. Em que circunstâncias as pessoas geralmente buscam um médico-veterinário acupunturista? Ricardo Henrique Muitas vezes contamos com a indicação de colegas médicos veterinários e com clientes que nos buscam espontaneamente por já terem sido tratados de forma bem sucedida pela acupuntura. Outros clientes, curiosos e fascinados por verem resultados em outros animais, procuram a terapia com bastante entusiasmo. Há alguns anos, o acupunturista era tido como o “realizador de milagres”, que entraria em ação depois de tudo que o clínico ou o cirurgião pudesse tentar fazer. Hoje essa visão está mudando. A acupuntura, assim como outras formas de terapia, está deixando de ser rotulada como uma MEDICINA ALTERNATIVA, e está conquistando o título de MEDICINA COMPLEMENTAR. A diferença na designação é essencial para que ela deixe de ser a última alternativa e seja um tratamento a ser integrado a todos os outros tratamentos de que o paciente necessite. (post de 2010)

    Acupuntura… Entrevista com um veterinário especialista!

    Não tenho palavras para expressar minha gratidão, apreço, carinho, reconhecimento, agradecimento e afeto pelos médicos veterinários verdadeiramente comprometidos com a saúde dos pacientes. Que a vida lhes dê em dobro tudo que dedicam a seus pacientes peludos. PARABÉNS, pelos profissionais e pelos seres humanos que vocês são!   

    Feliz Dia do Veterinário!

    9 de setembro de 2013Veterinários

    Ai, gente… Como o tempo voa! Na correria da vida, vou salvando alguns assuntos pra postar depois e… Bem, este assunto eu já deveria ter tratado em 2011, que horror! Mas como o assunto não tem validade, aí vai ele. Antes tarde do que nunca… Quem lê o blog desde o início deve lembrar do Dogo, recolhido das ruas em Floripa e adotado pela minha amiga Emiliana (Mili). Um tempo depois de ser adotado ele começou a ter convulsões e, por conta delas, toma remédios controlados que só podem ser vendidos com receita. Mas a Mili tinha uma dúvida sobre as receitas, já que mesmo o Dogo estando bem de saúde e com a doença controlada, ela precisa pagar consulta para receber as receitas, ao invés do veterinário já deixar algumas assinadas até o próximo check-up. Procurei então o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina e fui prontamente respondida. Peço desculpas pelo assunto ter ficado quase dois anos parado na minha caixa de e-mails (ao menos pra minha amiga eu repassei a resposta do CRMV-SC assim que a recebi)! No site da Anvisa lemos que: > Cap V – Da receita – Art 59: Parágrafo único. No caso de prescrição de substâncias ou medicamentos antiparkinsonianos e anticonvulsivantes, a quantidade ficará limitada até 6 (seis) meses de tratamento. Para vocês entenderem, a Mili me mandou o trecho acima e o repassei ao CRMV-SC com o seguinte questionamento: “Quero fazer um texto sobre a seguinte situação: a pessoa tem um cão que toma um medicamento controlado – como o gardenal, por ex. – e a dosagem é fixa. Ela precisa pagar uma consulta todos os meses para ganhar a receita? Ou cada vet/clínica decide como proceder?” Segue a resposta e acho importantíssimo ressaltar o seguinte: se o veterinário vai cobrar consulta […]

    Receitas para medicamentos controlados de doenças crônicas: é preciso pagar consulta sempre?

    22 de abril de 2013Saúde, Veterinários

    Muita gente me procura com dúvidas sobre problemas de saúde de seus cães e gatos que pedem uma única resposta: LARGUE O COMPUTADOR E PROCURE UM VETERINÁRIO COM URGÊNCIA!!! Tudo bem que devemos estudar e nos informar, mas há situações em que isto deve acontecer após a consulta veterinária, caso você queira mais informações sobre o diagnóstico e tratamento feitos pelo veterinário ou esteja com dúvidas. Mas mesmo assim, meu conselho é e sempre será: procure outro médico veterinário caso não esteja seguro com o anteriormente escolhido. Gente, alguém descobre que está com câncer e vai em um médico só? Bom, eu não faria isso! Com nossos peludos deveria ser é igual. Corra com seu cão ou gato para o consultório veterinário se ele: Estiver comendo menos do que o normal Estiver bebendo mais água do que o normal Estiver com mau-hálito (doenças periodontais podem matar, não é apenas pelo odor do hálito) Perder peso sem estar de dieta ou ganhar peso sem motivo aparente Estiver com mancando ou com rigidez em algum membro/tecido Estiver com dificuldade para pular e/ou subir em locais onde antes subia sem problemas Apresentar caroços, principalmente se estiverem crescendo rapidamente Ficar cansado ao sair para passear Estiver com tosse (pode ser até problema de coração!!) Apresentar problemas para urinar/defecar Estiver com incontinência urinária Ficar desorientado, quieto demais, se arrastando nas paredes Com coceiras excessivas Balançar muito a cabeça e coçar os ouvidos (principalmente se gemer ao fazer isto) Apresentar secreção nasal (no caso das fêmeas) Estiver com secreção vaginal Estiver com feridas, machucados, bicheiras ou bernes (nunca devemos matar um berne deixando pedaços dele no animal) Apresentar vômitos ou diarreia constantes Estiver com sangue nas fezes Estiver com secreções purulentas nos olhos

    Quando devemos procurar um veterinário?

    28 de janeiro de 2013Saúde, Veterinários

    Hoje é dia do médico que mais admiro neste mundo: o veterinário! Mas apesar da imensa alegria que me invade a alma quando penso nos médicos veterinários realmente comprometidos com a saúde de seus pacientes, meu coração anda pesado há semanas por conta da postura de vários praticantes da profissão. E o que mais impressiona é a perseguição promovida por entidades de classe e veterinários a ONGs, protetores e veterinários com postura socialmente consciente e participativa! Os péssimos exemplos sobram pelo país: veterinários matando cães a paulada em CCZ e perseguindo os protetores que os denunciaram (nordeste), denúncias infundadas e coação de ONGs que promovem castrações (sul) por parte do Conselho Regional de Medicina Veterinária, perseguição a ações de vacinação de cães e gatos a valores sociais (sudeste) etc. etc. etc. Os Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária foram criados pela lei federal n° 5.517/68, tendo como finalidade,  "além de fiscalisar o exercício profissional, orientar, supervisionar e disciplinar as atividades relativas à profissão de médico-veterinário em todo o território nacional, diretamente ou através dos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária (CRMV)"  (art. 8°). Entretanto, a praxe na atuação dos CRMVs tem sido questionar os "preços sociais" cobrados por veterinários engajados na causa animal, bem como impor que se inscrevam no órgão e contratem responsável técnico setores da economia  que não exercem atividades exclusivas de médico-veterinário como, por exemplo, agropecuárias e pet shops. A Justiça Federal tem decidido que pet shops e agropecuárias (e todas as demais empresas e associações que não exerçam, com exclusividade, atividades médico-veterinárias) não estão obrigadas a contratar responsável técnico, nem a se inscrever nos CRMVs. Nota-se, por tudo isso, um grande desvirtuamento na atuação dos CRMVs, que têm se voltado muito mais a questões meramente arrecadatórias e de defesa de interesses corporativos de uma classe profissional […]

    Dia do Veterinário!!

    9 de setembro de 2012Veterinários

    Atenção:  Este texto foi publicado originalmente em 15 de fevereiro de 2007, mas como, mais de 5 anos depois, ainda vemos as mutilações de rabos e orelhas acontecendo, achei pertinente republicá-lo, já que muita gente é nova no blog e acaba não lendo os textos antigos. Deixei tudo como primeiramente postado, inclusive o texto colorido, algo que não uso há anos. Ontem estive numa pet e vi uma filhote de pitt bull com as orelhas amputadas… A carinha de triteza dela era algo de cortar o coração. Hoje, surge a tirinha do Níquel Náusea nas minhas mãos, tratando justamente de um assunto que eu não poderia deixar de lado: a mutilação estética ‘autorizada’ de animais. Poucos consideram o corte de rabos e orelhas como mutilação. Para falar a verdade, até eu ler sobre o assunto há uns 3 anos atrás, nem eu mesma havia parado para pensar no assunto. Infelizmente, não tenho como recuperar o artigo que li, que dizia que os padrões de todas as raças serão modificados de modo a nenhum animal com corte de rabo e orelhas poder ganhar prêmios em competições que considerem os padrões das raças. Claro que essa movimentação toda começou lá na Europa e vai levar anos até que vejamos seus efeitos. Entretanto, pesquisando na net, achei um artigo do Bruno Tausz, muito interessante que fala exatamente dessa questão. Por favor, vale a pena lê-lo (é só clicar no título deste post para ser direcionado ao artigo). Para quem achar o começo do texto muito técnico, vá descendo até ele começar a falar da história de algumas das raças que têm orelhas decepadas e dos argumentos (furados) utilizados para defender tão dolorosa operação. O fato é que um dia todas as raças que têm partes do corpo extirpadas por estética só serão consideradas ‘padrão’ […]

    Passa a faca!!!!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados