• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Cresce o número de locais que aceitam a presença de cachorros, mas é preciso educá-los para conviver em sociedade. Aprenda como na coluna de hoje. Parques caninos Por iniciativa dos moradores e de associações de bairro, Florianópolis já tem alguns espaços específicos onde cães podem brincar soltos. Alguns locais já são inclusive cercados e contam como bebedouros, lixeiras, sacolas para recolhimento de fezes e bancos. Para que tais espaços, cada vez mais necessários, cresçam em número e sejam finalmente incorporados à vida da cidade, é preciso que seus frequentadores – pessoas e animais – sejam educados e saibam conviver em sociedade. Para os cães, o processo de educação para o convívio em sociedade é chamado de socialização. Continue a ler clicando aqui.

    Como socializar cães para o convívio em sociedade?

    Esse post do Blog Bigodes eu já tinha linkado em outro texto meu, mas acho que ele merece post próprio, pois o assunto é importante e o texto está bem didático. Abaixo um trecho, o texto inteiro vocês leem clicando aqui. Fazendo uma social Apesar do nome sério, socialização nada mais é do que acostumar um animal a certas situações. Na natureza os animais, por instinto, se mantêm afastados e então se aproximam com muita cautela de algo diferente, porque o desconhecido pode ser algo muito ruim, então preferem se manter longe por precaução. Se formos pensar o mesmo ocorre conosco. Por exemplo: Não vemos nada de errado quando um estranho fica colado na gente em um elevador cheio, mas se só você e o estranho estiverem no elevador e ele continuar muito perto, com certeza vai estranhar. Humanos, como qualquer animal, estranham serem tocados por pessoas que não conhecem. Na Teoria No reino animal excesso de curiosidade pode levar a exposição ao perigo e consequentemente a lesões e morte, por isso é mais sensato sair correndo quando algo inesperado acontece, mesmo que possa vir a ser inofensivo, do que se aproximar correr o risco de ser algo perigoso. Mas como os animais não podem passar suas vidas se assustando com qualquer pedra ou árvore que encontrem pelo caminho, eles vêm ao mundo com um mecanismo que permite que se habituem ao ambiente em que vivem. Este é o período de socialização, um período em que os filhotes são muito mais curiosos, destemidos e se aventuram com mais facilidade. Nos cães este período termina entre 3 e 5 meses de idade, é possível habituar um cão mais velho a coisas novas mas demorará muito mais tempo. Após este período eles vão provavelmente atacar, se distanciar ou fugir de qualquer coisa […]

    Mais um texto sobre socialização.

    29 de abril de 2013Adestramento, Socialização

    Como garantir que um filhote seja bem socializado? Idealmente, na fase correta (de oito a 12 semanas de vida) e ainda junto à mãe e irmãos. Clique na imagem acima para ler a coluna ou acesse o link http://cachor.ro/sw2.

    Coluna: Socialização de cães: o que é, qual sua importância e como fazê-la de maneira correta e eficaz.

    Assim como sempre digo que “quem ama, castra”, digo também que “quem ama, educa”. E educar um cão passa por socializá-lo corretamente. Fico a.p.a.v.o.r.a.d.a. quando alguém me diz que tem um cachorro que nunca sai de casa. Cães precisam interagir, ser expostos a tudo e a todos, enfim, viver! E viver passa por conviver em sociedade com equilíbrio e boa educação. Praticamente todos os pedidos de socorro que recebo relacionados a “adestramento” acontecem por culpa dos humanos envolvidos e de sua quase absoluta falta de conhecimento sobre comportamento canino e suas necessidades especiais. Se você quer conviver com um cão psicologicamente saudável, precisa estudar e conhecer princípios básicos de comportamento canino, não há outro modo. A socialização é o mais importante de todos. Mais um texto exclusivo da Emmanuelle Moraes para o Mãe de Cachorro. Boa leitura! Outros textos da Emmanuelle no blog: http://www.maedecachorro.com.br/category/emmanuelle-moraes Existe uma regra de ouro na educação canina, chama-se: SOCIALIZAÇÃO. Invistam em socialização! Normalmente, as pessoas querem saber como melhorar o comportamento do seu cão, como resolver certo problema, ou como educá-lo corretamente diante de determinada situação. O ideal não é trabalhar na resolução de problemas comportamentais, mas na prevenção. Se desejar que a relação com o seu cão seja como sempre sonhou, terá que prepará-lo para isto. Por muito tempo, associou-se a ideia de que para se ter um bom cachorro era necessário adestrá-lo. O animal poderia ser enviado a uma “escola” ou ser treinado por um adestrador e, ao fim, ambos iriam entregá-lo “pronto” com os “comandos de adestramento”. A ideia era quase como ter um “robô programado”. O adestramento tradicional ocupou-se de ensinar os famosos “comandos” ao cão. Ensiná-lo a andar junto do condutor, a “dar a pata”, a rolar, a fingir estar morto e à usual posição de “cumprimentar”, sempre foram o […]

    A receita para o cão perfeito: socialização!

    A dúvida da leitora Débora Müller é bem grande, mas graças ao relato detalhado a querida Emmanuelle Moraes, do blog Educação Canina, conseguiu ser bem precisa na resposta (que prontamente enviei à Débora). Relutei um pouco em publicar a pergunta na íntegra com medo de vocês não lerem tudo, mas o material está bem rico, então segue tudo como recebi, pergunta e resposta. Leiam tudo com atenção, pois vale a pena! Olá, achei seu blog ao procurar dicas de adestramento, e me encantei com o texto sobre dominancia, pois tenho uma cadela que é uma mistura de pastor alemao com holandes, de 3 anos que tem sérios problemas de comportamento, e todos os adestradores que ja contratei com que conversei, falam sobre ela ser dominante, e ate hoje NINGUEM conseguiu nos ensinar a mudar o comportamento ruim que ela apresenta. Gostaria muito de poder passar a vc e sua equipe a situação que passo com a minha cadelinha, pois eu a amo muito, mas ela tem problemas terriveis de comportamento…mas nao consigo desistir de pesquisar a tentar novas tecnicas para ajudá-la. Ja passamos por 3 adestradores, ja comprei todos os tipos de coleiras, livros… tudo! nada funciona com ela. Voces se interessam em saber qual a situação dela para de repente, tentar me ajudar? vejo q vcs tem uma visao diferente da dos outros adestradores em geral, por isso me interesso muito em saber a sua opiniao. Então, a situação é a seguinte: Eu comprei ela com 45 dias de uma pessoa que se diz adestrador, aqui na minha cidade. E quando fez 4 meses pensei em adestrá-la, pois ela é um cão pastor e cresceria, e temos uma criança em casa, e eu queria um cão calmo e obediente. Daí contratei o mesmo rapaz que me vendeu a cadelinha. […]

    Dúvida do leitor: Fui vítima de um péssimo adestrador e meu cão ficou agressivo. E agora?

    EXCLUSIVO – A leitora Daiane Ouvernay escreveu com uma dúvida (abaixo) que também serviu para o leitor Jorge Lerche, que adotou um gato que não está se ambientando bem com o outro felino da família. Pedi à querida amiga educadora canina Emmanuelle, da Cão em Casa – Treino e Comportamento Animal. Leia também: Distraia seu bichano!! Alternativas para manter seu gatinho ocupado, feliz e seguro, dentro de casa. Boa noite Em primeiro lugar, gostaria de mencionar que sou visitante assídua do site “Mãe de Cachorro”. Tenho um gato que é a felicidade da casa, um membro da família. Ele está comigo há um ano e vive dentro de casa (nunca saiu) e é filho único e, como tal, é extremamente mimado. Tentei adotar outro gato, mas tive problemas pois o Julian simplesmente ficou agressivo comigo, chegando a me arranhar ferozmente, além de não usar a liteira. Resultado, tive que devolver o novo gato. Procurei em diversos sites posts sobre o assunto “ciume” e o que encontrei foi insuficiente e superficial. Procurei no site de vocês, mas não encontrei nada relacionado. Gostaria de saber se há algum post sobre o assunto e se há, poderiam me mandar o link? Gostaria de saber sobre os “sintomas” do gato quando está com ciúmes, principalmente p mamães de primeira viagem como eu. Desde já agradeço. Daiane. Aí vai a resposta da Emmanuelle! Esperamos que seja útil para mais mamães e papais de gato. Oi Daiane, abaixo deixo algumas considerações sobre o teu caso: A agressão entre felinos pode ter uma variedade de motivos, dentre elas a territorial. Como você mesma menciona acima, o Julian é filho único e nunca saiu de casa. Imagino que ele também não deva ter sido socializado com outros gatos, muito menos que isso deva ter sido feito na fase ideal […]

    Dúvida do leitor: Como apresentar e socializar gatos estranhos?

    EXCLUSIVO – Recebi o comentário abaixo no Facebook e achei interessante demais. Pedi então que a Cássia Santos do Cão Amor, a Sara Favinha da Tudo de Cão e a Emmanuelle do Cão em Casa o comentassem, para que pudesse ter um post super completo sobre o assunto. Aproveitem! Enviado em 20/01/2012 as 10:39 am Bom dia, gostaria de saber o que faço com meu cão, pois ele já está com 2 anos e como trabalho fora de casa não tive tempo de socializá-lo com outras pessoas e animais, todo final do dia brinco com ele mas sem contato com outras pessoas/animais. Agora ele é bastante agressivo com visitas e na rua também é dificil passear com ele, porque quer atacar tudo e todos, quando foca em algo é muito difícil conseguir a atenção dele, nem petisco atrai. É um macho SRD de porte pequeno, pesa em torno de 7 kg. Agradeço se puder me orientar. Resposta da Cássia: O comentário recebido no Mãe de Cachorro comprova, de forma bastante clara, o quão importante é um bom trabalho de socialização com o filhote de cão. Os cachorros são animais sociais por natureza e, instintivamente precisam viver em grupo. Mas, hoje em dia, muitas pessoas acabam descuidando da socialização na tenra idade, na fase em que o filhote está em formação e não se preocupam em apresentá-lo ao maior número possível de situações, pessoas e outros animais (da mesma espécie ou não). Assim, o ambiente seguro, para ele, será somente aquele onde estejam pessoas conhecidas. O chamado período de socialização, que vai do 50º ao 85º dia de vida, corresponde à fase em que o cérebro do filhote está neurologicamente mais apto ao aprendizado de novas experiências. Assim, o pequeno cãozinho, durante este período, deve ser apresentado ao maior número possível de […]

    Dúvida do leitor: A importância da socialização dos cães!

    A leitora Márcia Freitas deixou uma dúvida lá na página do blog no Facebook que pode não parecer séria se levarmos em consideração que o cão envolvido é um pequeno yorkshire. Mas troque o cão por qualquer um maior e o estrago está feito. Este é daqueles posts que chamo de “utilidade pública”. Por favor, o divulguem bastante porque muitos animais são abandonados, surrados ou mortos todos os anos no mundo inteiro porque as pessoas deixaram que eles ficassem descontrolados. Quem ama, educa! E pouca gente faz como a Márcia e vai atrás de ajuda, a maioria tenta resolver sozinho, deixa o assunto pra lá e fica convivendo com o perigo ou simplesmente se livra do animal. Márcia Freitas Oi Ana Tenho uma grande dúvida: montei um brinquedinho feito com garrafa pet e ração que sai por furinhos na garrafa para a yorkshire da minha avó, que se chama Pitty e fez 7 meses agora. O problema é que ela nos ataca sempre que tentamos brincar com a “garrafa de rações” ou quando chegamos a uma certa distância da sua vasilha de comida. E ataca para machucar mesmo (apesar de ainda ser filhote)! Não sabemos mais o que fazer, tento ensiná-la comandos básicos e até espantá-la na hora do ataque com spray de água, mas não adianta muito (tenho domínio sobre condicionamento operante, mas nada tem resolvido…). Fico preocupada porque minha avó já é uma pessoa de idade, não tem muita paciência nem energia para lidar com filhotes… Alguém poderia me dar alguma dica sobre o que fazer com a Pitty?! Até pensamos num adestrador, mas aqui na minha cidade eles cobram muito caro e não temos condição de pagar. Agradeço desde já! Quem responde a dúvida de hoje é a queridíssima Sara Favinha da equipe Tudo de Cão, a […]

    Dúvida do Leitor: Meu cão avança para morder se tentamos tirar algo dele, e agora?

    Esta dúvida que recebi da Rogéria Thompson no Facebook com certeza ajudará outras pessoas na mesma situação. Quem a respondeu foi o querido educador canino, Gustavo Campelo. A Rogéria achou a Shakira abandonada e a adotou, mas agora precisa ajustá-la na realidade da família. “Ana, qual a melhor forma de eu socializar o Mike Tyson(labrador 2 anos) com a Shakira (gatinha sem idade certa)?Tds os dias eu coloco a Sha perto dele,q lambe,cheira dá uma mordidinha, ela no começo se irritava agora fica calma…” EXCLUSIVO: “Oi, Primeiro eu sugiro que troque o nome do seu labrador, pois com esse nome seu gato corre o risco de ficar sem orelha! rs… Quando o assunto é aproximar dois animais de espécies diferentes nós, humanos podemos ajudar somente até certo ponto. E desse ponto em diante eles vão progredir sozinhos. Em outras palavras, podemos fazer com que os dois se tolerem e vivam bem no mesmo ambiente, mas não podemos fazer com que eles sejam os melhores amigos. O primeiro passo é dar bastante exercício ao cão. Quanto mais baixa a energia de seu cão estiver, menos chances de querer atacar o bichano. Ponha seu cão na guia, e deixe o gato à vontade pela casa. Sempre que o gato aparecer, mesmo que de longe, elogie seu cão. Dê carinho e um pedaço de petisco que ele goste. Faça isso por uns dias, até você perceber que o cão está tranquilo e até gostando quando o gato aparece. Um segundo estágio é mostrar para o gato que o cão também traz coisas prazerosas. Pegue a Shakira no colo e dê petisco de gato sempre que o cão se aproximar. Conforme forem passando os dias eles vão ficando cada vez mais tranquilos. Deixe então o cão na guia e o gato solto, no mesmo […]

    Dúvida do leitor: Como socializar cães e gatos?

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados