• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Tosses caninas Irritações na traqueia canina causam uma tosse seca, alta, que lembra um barulho de gansos e que normalmente acontece em série. Após os episódios de tosse o cão pode vomitar um material branco parecido com espuma e que nada mais é do que saliva. Os fatores causadores podem ser vários e acontecer combinados: a inalação de produtos químicos ou de alergênicos, doença cardíaca que aumenta o tamanho do coração a ponto dele comprimir a traqueia, infecções bacterianas (como a “tosse dos canis”), bronquite alérgica, obesidade, colapso de traqueia etc. Cães com traqueias irritadas tendem a tossir quando estão agitados ou quando têm suas gargantas pressionadas (coleiras, batidas, toque etc.). Qualquer fator que estimule a traqueia, como a entrada rápida de ar, ou pressão física externa, pode iniciar a tosse. Colapso A doença popularizada como “gripe canina”, ou “tosse dos canis”, geralmente é oportunista, breve e raramente leva a complicações mais sérias em animais bem cuidados. Já o colapso de traqueia é uma síndrome mais comum, ainda assim, na maioria dos casos, manter o cão com o peso ideal e monitorar atividade física, agitação e exposição ao calor é suficiente para ajudar o animal a lidar com o problema. Cães das raças Yorkshire Terrier, Poodle, Pug, Buldogue (todos) e outros de focinho achatado ou encurtado, costumam ser os mais afetados, principalmente por serem todos vítimas de deformações causadas pelos humanos na criação de suas raças e na diminuição de seus focinhos ou de seu porte (tamanho). Diagnóstico Um diagnóstico definitivo só é possível com exames de imagem (raio-x ou endoscopia). Mas o raio-x pode não mostrar o problema caso a colapso da traqueia não esteja ocorrendo. Alguns veterinários diagnosticam baseados na apalpação e no histórico de saúde do cão. Continue a ler clicando aqui.

    Tosse de cachorro?

    A doença não tem cura, mas pode ser prevenida e controlada. Diabetes felina O número de casos de diabete em gatos está aumentando, especialmente adiabetes mellitus do tipo 2, a mais comum entre os bichanos. A doença não tem cura, mas pode ser prevenida, ou controlada. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que ajuda a converter comida em energia, a ser absorvida e usada pelas células. Na diabetes do tipo 1, o pâncreas não produz insulina suficiente. Na do tipo 2, o corpo é incapaz de usar a insulina produzida. Quando não tratada, oo tipo 2 pode desenvolver para o tipo 1, muito mais arriscado. Magreza Um gato diabético pode ser bem alimentado e cuidado e ainda assim parecer que passa fome, pois a comida que ingere não é convertida na energia que seu corpo precisa. Embora qualquer gato possa ficar diabético, os machos com sobrepeso/obesos e mais velhos são os mais propensos a desenvolver a doença. Sobrepeso Independentemente do gênero, gatos obesos ou com sobrepeso correm mais risco de desenvolver diabetes.  O excesso de peso em si não causa a diabetes, mas cria as condições em que a digestão e os sistemas de filtragem do corpo são sobrecarregados. A pancreatite (inflamação do pâncreas) em gatos pode limitar ou inibir a produção de insulina e é ainda mais comum nos animais gordinhos, ou obesos. Sintomas Mudanças no apetite, urina frequente, aumento da sede e variações de peso são os sintomas mais evidentes. Não importa quanto ou quão bem o gato coma, quando o nível de insulina não está adequado, o corpo não obtém a energia necessária. Em estágios iniciais da doença o animal tenta compensar a falta de energia comendo mais, mas com o tempo, o corpo começa a converter músculo e gordura na energia que não está […]

    Aumentam os casos de diabetes em gatos.

    O material de comedouros e bebedouros pode intoxicar água e alimentos, além de propiciar a proliferação de bactérias e fungos. Recipientes Comedouros e bebedouros para cães e gatos são geralmente escolhidos pelo preço, tamanho e beleza. Mas é bom saber que os diferentes materiais disponíveis à venda escondem perigos que podem afetar a saúde do peludo. As opções de plástico são de longe as mais comuns e justamente os menos indicadas. Estudos que pesquisam os efeitos do plástico na saúde (de todos, inclusive na humana) demonstram que ele libera petroquímicos na água e em outros líquidos. Bactérias e outros microorganismos fazem a festa em seus poros e ranhuras, podendo transmitir falhas de pelo e dermatites em focinhos e bocas. Nos gatos, o plástico pode provocar nos queixos uma doença inflamatória específica. Tóxicos Quando aquecido ou lavado com água quente o plástico libera Bisfenol A, um composto orgânico associado ao diabetes, câncer de mama e a outras doenças crônicas. Potes de alumínio são sabidamente tóxicos por liberar alumínio na água e comida, intoxicando em longo prazo. Os dois materiais apresentam a desvantagem de juntar bactérias e outros micro-organismos quando sofrem arranhões ou mordeduras, muito comuns no caso de serem usados para cães, principalmente filhotes. Poucas pessoas lavam comedouros com a frequência necessária e de maneira correta. Continue a ler clicando na imagem, ou aqui.

    De plástico, vidro, inox ou cerâmica: qual o melhor material para comedouros e bebedouros pet?

    Seu cachorro tem caspa? Então a coluna de hoje é perfeita para você saber como lidar com este problema. Clique na imagem para continuar ler o texto, ou neste link. A caspa pode ser um problema também para os cães e pode ter várias causas, desde pele seca a infestações de parasitas. Causas Troca de estações do ano, mudanças bruscas na temperatura, redução da umidade do ar e exposição a substâncias alergênicas ou a produtos de limpeza são alguns dos fatores ambientais. Desidratação e falta de gorduras saudáveis na alimentação estão ligados à dieta. Na manutenção da pelagem os fatores seriam: escovar pouco os pelos, dar banho em excesso ou deixar o cão em más condições gerais de higiene. Pele seca ou descamando pode ser o resultado de banhos em excesso. Para que a oleosidade natural da pele seja preservada, o ideal é dar um ou dois banhos por mês. Parasitas Causas menos comuns são as infestações por fungos ou ácaros. A seborreia é um exemplo e ocorre quando a pele produz óleo em excesso. O fungo comumente associado à caspa canina relacionada com a seborreia é o da Malassezia. Já o parasita associado à caspa é o ácaro Cheyletiella, que afeta especialmente os filhotes e cães com baixa imunidade. Assim como os ácaros que causam sarna, o Cheyletiella está presente naturalmente na pele dos cachorros, mas quando alguns fatores saem do controle, a imunidade do animal não consegue impedir a reprodução excessiva dos ácaros, que podem sobreviver por vários dias longe de um hospedeiro. Seus ovos podem permanecer muito mais tempo na cama, em roupas e panos dos cães, um exemplo da importância do animal viver em um ambiente limpo. É melhor lavar o enxoval do que os cães toda semana! Sintomas Conhecer os sintomas pode ajudar a prevenção. O sintoma mais […]

    Tudo sobre caspa em cães.

    Todos os posts sobre cuidados contra Fogos de Artifício você confere no link http://www.maedecachorro.com.br/category/fogos-de-artificio Como no “Especial de fim de ano“, deixo pra gente mais um post com dicas de como amenizar o sofrimento e os efeitos indesejados (fugas e acidentes) de uma das épocas mais barulhentas que os cães enfrentam… O que fazer com os fogos de artifício da Copa do Mundo no Brasil Terapia para enfrentar o medo de barulhos (com vídeo dando dicas de dessensibilização) Fogos de artifício x Animais: atenção redobrada na Copa do Mundo (com receitas de florais) A Copa está chegando. E os fogos também! (com receitas de florais) Cuidados com fogos de artifício e animais domésticos. O que fazer se meu cão tem fobia de fogos de artifício? Danos causados aos animais pelos fogos (com receitas de florais) Placa de identificação: não é frescura, é necessidade! (post de 28 de maio de 2010 – atualizado em 11 de junho de 2014)

    Especial Copa do mundo (fogos de artifício = fugas e acidentes por medo de barulhos!)

    E mais: Ao procurar um veterinário, seja ativo na consulta e insista para que ele examine minuciosamente o animal e peça exames para chegar a um diagnóstico preciso. Focinhos É verdade que há alguma relação entre um focinho geladinho e úmido e um cão saudável. Na média, cães costumam ter o focinho assim, mas não necessariamente um focinho mais quente e seco demonstra que o cachorro está doente. Alguns peludos simplesmente não produzem tanta secreção nasal. A chave para saber se há algo errado é monitorar cada animal. Se um cachorro que sempre teve o focinho mais gelado e úmido passar a tê-lo morno ou quente e seco, é um indício de que está com febre ou desidratado. Lenda Mas focinho seco não é certeza absoluta de febre. Este é só mais um dos mitos sobre cães. A única maneira de saber se o animal está febril é medindo sua temperatura corretamente. As secreções nasais dos cães podem variar, seja ao longo de um dia ou semana ou mesmo ao longo da vida. Embora um focinho úmido e geladinho seja normal, o oposto não é necessariamente anormal. Sintomas Se o cão não está exibindo desconforto, não está espirrando nem lambendo o focinho excessivamente, não está letárgico, não apresenta perda de apetite e se o focinho não está descascando ou sangrando, só exames poderão indicar se há mesmo algo errado. Como sempre, consultar o veterinário e pedir que ele investigue é o mais recomendado, pois é melhor prevenir do que remediar. Continue a ler a coluna clicando na ilustração ou aqui.

    Fique de olho no focinho do seu cão. Ele pode dar dicas sobre a saúde do animal.

    A coluna de hoje trata de uma condição séria de saúde e será continuada na semana que vem. O glaucoma é uma doença grave e um desafio para a oftalmologia até mesmo em pessoas. Fique por dentro do assunto e cuide da saúde do seu melhor amigo de patas! Glaucoma O glaucoma em cães é um grave problema de saúde ocular que frequentemente causa cegueira no olho afetado. Basicamente, acontece quando os fluidos do olho não circulam ou não são drenados corretamente, ficando então acumulados e causando pressão dentro do globo ocular. Mais da metade dos cães que desenvolve glaucoma em um dos olhos, mesmo quando tratados correta e eficazmente, tende a desenvolver sintomas no outro olho. Como afeta os cães Em condições normais de funcionamento ocular, o fluido, chamado de humor aquoso, escorre lentamente entre a íris (a parte colorida) e a córnea (a capa transparente que cobre a íris e a pupila) e é quem dá aos olhos a aparência arredondada. O humor aquoso também regula e mantém estável a pressão intraocular. Quando ele é produzido mais rápido do que o olho consegue circular ou drenar, aumenta de volume e gera um grande aumento de pressão intraocular, afetando a retina (a parte do olho que processa a luz) e também podendo desgastar o nervo ótico. Dois tipos Existem dois tipos de glaucoma em cães: o primário e o secundário. O primário pode ser mais fácil de prever, já que é majoritariamente uma condição de herança genética (por isso também é chamado de glaucoma congênito). Embora o glaucoma primário em cães possa ser encontrado em quase todas as raças, afeta a algumas mais do que a outras. Alguns exemplos são os akitas, pugs, basset hounds, beagles, bullmastiffs, chow chows, dálmatas, dogue alemães, poodles, schnauzers, shar peis, shih tzus, huskies […]

    Glaucoma em cães: conheça melhor a doença para saber como manter saudáveis os olhos do seu cão

    Recebi da assessoria de marketing da Pet Center e achei interessante repassar. Este post não é um publieditorial. Texto: Dra. Natalie Rodrigues/Pet Center Marginal Narinas ressecadas, olhos vermelhos e excesso de secreção no globo ocular dos cães pode ser um sinal de conjuntivite seca Capaz de causar sérios danos à córnea dos animais, problema é um dos mais frequentes entre as doenças oculares que acometem cães no país; especialista da Pet Center Marginal alerta que a conjuntivite seca pode comprometer a córnea do animal perpetuamente e até levá-lo à cegueira, caso não seja tratada Nem sempre os cães conseguem comunicar com clareza o que sentem, quando passam a conviver com alguma dor ou incomodo físico. Por isso, a chamada ceratoconjuntivite seca, ou simplesmente conjuntivite seca, pode causar danos irreversíveis à visão dos animais, caso não seja diagnosticada a tempo. “Como aparece sem ser notada e também se desenvolve muito rápido, a doença pode comprometer perpetuamente a córnea do animal e levá-lo à cegueira se não for tratada com rapidez. Por isso, é fundamental que os donos conheçam os seus sintomas para que possam procurar um veterinário, antes que o problema ganhe maiores proporções”, diz a oftalmologista veterinária da Pet Center Marginal, Dra. Natalie Rodrigues. Situada entre as doenças oculares mais frequentes entre cães no país, a conjuntivite seca é provocada por uma diminuição da porção aquosa da lágrima. Isso faz com que o globo ocular fique cada vez mais seco e comece a produzir um tipo espesso de secreção que se acumula por toda a circunferência dos olhos do animal. “Nesse processo, o cão perde o brilho natural dos olhos e passa a sofrer com dores e muita coceira – o que pode agravar a situação, caso ele machuque o globo ocular com as unhas”, afirma a veterinária da Pet Center […]

    Conjuntivite seca em cães

    9 de abril de 2014Destaques, Saúde

    Estimule seu bichano a beber mais água! A falta de hidratação do organismo pode trazer sérias consequências para a saúde dos felinos, principalmente para os que se alimentam e exclusivamente de ração seca, que contém apenas 10% de umidade. Água de beber! A maioria dos gatos não bebe água suficiente. E porque eles são tão (aparentemente) independentes, acabamos achando que sabem sozinhos o que é melhor para sua saúde, como beber bastante água, por exemplo. Mas a falta de hidratação do organismo pode trazer sérias consequências para a saúde dos felinos, principalmente para os que se alimentam exclusivamente de ração seca, que contém apenas 10% de umidade. Doenças Infecções urinárias, cálculos renais e outros problemas nos rins, uretra e bexiga são, infelizmente, cada vez mais comuns nos gatos, resultado de um estilo de alimentação bem longe do ideal para o que nossos bichanos são: carnívoros estritos (animais que deveriam alimentar-se exclusivamente de proteína animal). Mais água Se você alimenta seu gato com rações secas, por favor, adote o máximo possível de medidas para fazer com que ele beba mais água diariamente. Ajudar a aumentar o consumo de água trará vários benefícios: mais água resulta em mais xixi e o gato fica mais saudável, ou seja, todo mundo fica feliz! Estratégias   – Dieta mais rica em água Ração em lata contém mais água e pode ser a maneira mais fácil de fazer seu gato consumir mais água. Se seu gato alimenta-se exclusivamente de ração seca, tente adicionar água ou caldos naturais de carnes. Mas esta opção não vale para quem deixa ração à vontade o dia inteiro, hábito, aliás, não recomendado. Gatos, como os cães, podem e devem comer toda a porção assim que for servida. Continue a leitura clicando na imagem ou aqui.

    Sete dicas para fazer seu gato beber mais água diariamente!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados