• Receba os posts por e-mail:

    Gente, ano passado usei a auto-hemoterapia para salvar um cão que estava com hematócrito 10% e que já tinha feito 3 transfusões de sangue. Ele tinha todos os cuidados possíveis e impossíveis e só depois da auto-hemo. Fez 7 semanas e hoje está com a saúde 100%. Recomendo ontem, hoje e sempre.  O post é de  2 de junho de 2011, mas acho fundamental dar meu novo depoimento sobre a técnica. Boa leitura (leiam também os comentários) e boa sorte.   *************** Ouvi falar do assunto ao levar uma cadela com sarna demodécica na Dra. Carmen Cocca. A cadela ficou ótima (foi tratada com alimentação natural, própolis, alho cru, cápsulas de ômega 3, homeopatia e auto-hemoterapia) e esqueci do assunto. Só que de repente comecei a ouvir aqui e ali relatos de outras pessoas usando a auto-hemoterapia em cães para combater de erliquiose, a sarna demodécica e cinomose. Opa, hora de pedir um texto para quem conhece o assunto. Espero que seja útil e que ajude muitos de vocês a tratar seus peludos. Gostaria de deixar claro que não recomendo nenhum tipo de tratamento sem o acompanhamento de um bom médico-veterinário. Peço especial atenção para a introdução do texto da Dra. Carmen, onde ela fala sobre a questão das pesquisas científicas. Abaixo alguns trechos, para conferir a íntegra do post do blog HomeoPatas basta clicar no título “Autohemoterapia em animais: pouco uso e muita controvérsia”. “A autohemoterapia é um recurso terapêutico de baixo custo e de simples aplicação, composto da retirada de sangue venoso do paciente, seguido de sua inoculação muscular, no mesmo paciente, momentos depois através de injeção.” –> Ou seja, o sangue é retirado da veia e injetado no músculo do animal, logo em seguida. NÃO é transfusão de sangue! E só pode ser usado com o sangue do […]

    Auto-hemoterapia: A cura através do sangue!

    Sookie: melhoras incríveis e rápidas usando apenas alimentação natural e homeopatia. Clique na imagem! Conheci a sarna demodécica em 2003 e desde então vejo as manifestações da doença aumentando, tanto que o post “Manu e o Monstro da Sarna Demodécica” é o mais lido desde que o blog existe. De lá para cá, de uma maneira ou de outra, a sarna demodécica nunca mais saiu de cena na minha vida, seja através deste ou daquele animal e também virtualmente, já que são inúmeros e-mails, mensagens e comentários respondidos sobre o assunto, vários deles de pessoas desesperadas a ponto de considerar sacrificar cães que atingiram o grau máximo da doença. Quando o Mãe de Cachorro nasceu, em janeiro de 2007, eu, obviamente, era outra pessoa, vivendo outra vida. De lá para cá, minha vida foi se transformando em estudar, estudar e estudar mais um pouco sobre assuntos “caninos”. E com tanta pesquisa e estudo terminei caindo em alternativas naturais que promovem a saúde real de nossos cães (e gatos). Nos primeiros comentários e e-mails que respondia sobre sarna demodécica, tudo que eu conhecia sobre a doença era o tradicional: amitraz, ivermectina, cydectin e outros venenos (literalmente) que não são usados em nossos animais sem prejuízo para a saúde deles, por mais que inicialmente pareçam resolver o problema. Conforme fui avançando em meus estudos, conversas com veterinários e tratamentos bem sucedidos de cães com a doença, aprendi que sarna demodécica a gente trata de dentro para fora. Ao fazermos isto ela toma a proporção que deveria ter: é um ácaro presente na pele de todos os cães, que só vai se manifestar com consequências nefastas se a imunidade cair. E cachorro que usa amitraz, ivermectina, cydectin e outras bombas com frequência, jamais terá uma imunidade decente. Tais remédios abafam a doença e, se […]

    Sarna demodécica: dicas naturais para vencer a doença

    Dia desses o Maurício, um leitor pai de cachorro [do Joe!], deixou uma pergunta inusitada no post mais comentado do blog, o “Manu e o Monstro da Sarna Demodécica… (com final feliz!)“. Adivinhem o que ele queria saber? “ESTOU ESCREVENDO PARA SABER NOTÍCIAS MAIS ATUAIS DA MANU (A SUA AFILHADA, DA ORIGEM DESTE POST). O QUE TEM ACONTECIDO COM ELA DE 2007 PRA CÁ? AFINAL SÃO QUASE 4 ANOS…” Pois bem, Maurício, aí vai um relato em fotos pra todo mundo acompanhar como vai a Manu belezuca! Em resumo, ela tem sido feliz e vivido muito bem, obrigada! hehe Nunca mais teve nenhuma manifestação da sarna demodécica e é muito amada por toda família da Luciana. Este ano a moça até desfilou no 7 de setembro, vê se pode! De roupa cívica e tudo! À Lu, querida mãe da Manu, obrigada pelas fotos e por partilhar suas experiências conosco!  ;-D    

    A quantas anda a dona Manu, aquela que domou o monstro da sarna demodécica?

    11 de novembro de 2010Filhos, Sarna Demodécica, Saúde

    Preciso comentar o relato abaixo? Provavelmente não, mas a “pessoinha” aqui não resiste: fico pensando em quantos anos de luta por uma condição real de saúde em que não só o Jet sofreu, mas também a Mariana, ao vê-lo mal. Felizmente esta é uma história com final feliz.Leia também: Sarna demodécica: dicas naturais para vencer a doença  Manu e o Monstro da Sarna Demodécica… (com final feliz!) Após ler um post no Mãe de Cachorro sobre sarna demodécica e sua repercursão, resolvi falar um pouco do meu Jet e seu sofrimento com a doença e a mudança com a alimentação natural e tratamento homeopático!! O Jet é um cãozinho da raça Jack Russell Terrier, de 9 anos, com pedigree, nascido em Seatlle, USA, e com sarna demodécica. Morei na Califórnia por quase 3 anos e o adotei lá, após ele ser meu “cliente” em meu trabalho de dog walker. A dona, que o comprou em Seattle, voou ele até a Califórnia e teve ele por 4 anos, não o queria mais, pois era agressivo, com problemas de saúde e latia muito, além do marido o odiar. Ou seja, nos termos que eu conhecia os abrigos de cães da minha cidade e da maioria dos EUA, ele ia ser eutanasiado, principalmente pela agressividade, que nada mais era do que medo. Tinha diagnóstico de alergia e depressão, tomava prozac e anti-histamínicos todos os dias, os quais fui retirando aos poucos. A agressividade praticamente acabou em cerca de 3, 4 meses e ele se tornou cada vez mais social. Quando o levei pra casa, desconfiava até da própria sombra… Quanto aos anti-histamínicos, não estavam fazendo efeito algum, somente prejudicando ele com tanta química para melhora nenhuma! Bom, viemos para o Brasil e aqui piorou ainda mais sua pele. Lá vamos nós pro vet de […]

    Diário de um cão com sarna demodécica

    Estou muito feliz por que em 3 dias já arrecadei dinheiro suficiente para comprar 115kg de ração, que foram doadas e ganhei mais 8kg que recebi em ração mesmo, para uma protetora do norte da ilha e que está passando por sérias dificuldades, inclusive de saúde. Também estou muito feliz por que na última Cão Terapia, passeando com o Palmito, vi que em um quintal havia uma fêmea buldogue francês linda, mas COMIDA DE SARNA DEMODÉCICA. Ela está super mal, muito sofrida, toda cheia de feridas. Bati palmas e a tutora dela veio falar comigo. Resumindo: ela já tentou de tudo, inclusive tratamentos caros, mas nada fez efeito. Como eu sei que é fundamental castrar um animal com sarna demodécica, perguntei se ela faria isso. Disse que não tem dinheiro mas que a cadelinha está na lista de castração gratuita em não sei qual clínica lá de Barreiros. Só que a coitada não pode esperar! Ela disse que já pensou até em sacrificá-la por que a sarna não regride. foto: Pity, a cadelinha que minha amiga vai ajudar! Vejam como ela está mal…  Pedi a ela que melhorasse a alimentação da cadelinha, que desse ovos crus, ao menos um por semana e que desse carne crua para aumentar a imunidade dela. Fiquei de voltar para ver como ela estava e, tchau. Só que fiquei pensando em como ajudar a buldogue. Como não poderia arrumar castração gratuita através da Prefeitura de Floripa por que o animal é de São José, lembrei da minha amiga Lu, mãe querida da Manu, que também já lutou, e venceu, o monstro da sarna demodécica! Escrevi pra Lu contando a situação e… ELA VAI PAGAR A CASTRAÇÃO da cadelinha!!!! Viva, viva, viva!!! Não é para estar muito feliz? Gente, eu conto isso tudo aqui para as […]

    Estou muito feliz parte II ou O monstro da sarna demodécica ataca novamente!

    31 de maio de 2007Sarna Demodécica, Saúde

    ATENÇÃO!POR FAVOR NÃO MEDIQUE SEUS ANIMAIS COM BASE EM NADA LIDO NO BLOG: SEMPRE consulte um veterinário. Aqui trocamos experiências, podemos até pegar indicações para discutir com os veterinários que tratam nossos filhos amados, mas auto-medicação, jamais!   Leia também: Diário de um cão com sarna demodécica Sarna demodécica: dicas naturais para vencer a doença O que é ‘Sarna Demodécica’? Como não sou veterinária e o assunto é polêmico, peguei trechos do texto de um veterinário, que retirei do site Território Selvagem. Leia todo o texto clicando aqui.  A sarna demodécica é causada por um parasita e ácaro chamado Demodex Canis e afeta somente mamíferos, com exceção do homem. São imperceptíveis a olho nu, podendo somente ser identificados através de microscópio óptico. Este ácaro é um habitante normal da pele do cão onde se encontra em pouca quantidade nos folículos pilosos, glândulas sebáceas e sudoríparas e apócrinas, a transmissão do ácaro se produz por contágio direto durante as primeiras setenta e duas horas depois do nascimento dos filhotes por um contato extremamente íntimo entre os filhotes e a mãe, o ácaro da demodex canis é um hóspede da pele e seu ciclo vital não se faz fora dela, ou seja este ácaro fora da pele morre rapidamente dessecado. Por isto muitos estudiosos não admitem a hipótese de transmissão por contato e ambiental. O problema ocorre quando os parasitas se multiplicam devido à queda da imunidade do animal, por diferentes fatores. Esse parasita faz parte da fauna normal da pele dos animais, e em pequena quantidade não provoca lesões na pele. A sarna demodécica pode ocorrer em animais jovens, antes dos 18 meses de vida. Estes adquirem os parasitas da pele da mãe e de acordo com o estado imunológico, isto é, se estiver imunossuprimido, ocorrerá a multiplicação dos ácaros. No caso, o início das lesões […]

    Manu e o Monstro da Sarna Demodécica… (com final feliz!)

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados