• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Especialistas recomendam que os pais sejam honestos com as crianças e que usem uma linguagem clara e apropriada à faixa etária para explicar o acontecimento. Respeito Os laços de amizade entre crianças e animais de estimação podem ser muito fortes e quando são quebrados pela realidade do ciclo natural da vida, que culmina na morte, o rompimento pode ser especialmente dramático para as crianças. Muitas vezes, é o primeiro contato de uma criança com a morte, podendo ser doloroso e confuso. Continue a ler clicando aqui.

    Como ajudar as crianças a lidar com a morte do animal de estimação da família?

    Ok, sei que hoje é dia de Natal, mas a vida é isso aí, encarar a realidade e tudo que ela nos traz. E há beleza mesmo na tristeza. Para os que acreditam, Lobão agora finalmente terminou sua espera. Para os que não creem em nada, ainda assim é uma bela história. Feliz Natal e que nosso amigo Lobão esteja feliz e faceiro brincando com seu humano de estimação, lá do outro lado da ponte do arco-íris! Para saber quem é o Lobão: “Sempre ao seu lado” em Floripa: a história de Lobão. Se existe o céu dos cachorros, Lobão não vai para lá. O akita deverá encontrar seu dono, morto num acidente de carro, em outro céu depois de 14 anos de espera. É o que os moradores da servidão Vilmar Sotero de Farias, no Rio Tavares, falarão para suas famílias ao redor da mesa de Natal. A lealdade incomum nos homens tornou célebre o cão. Lobão, com sua pelagem de neve e cara de boa praça, conquistou muitas amizades no bairro – seladas com um prato de carne. Dificilmente alguém não se comovia com a história. Noite após noite esperava. Muitos tentaram adotá-lo. Sem êxito. A viúva do seu proprietário tentou carregá-lo com a mudança, mas Lobão saltou do caminhão. Há muito tempo ele pertenceu a um homem, que teve o nome esquecido pela vizinhança, não por ele, que guardou mais que isso. Dormia na porta da casa que morou. Se convidado para entrar, recusava. Não queria abrigo, queria reencontro, que não aconteceu (não em vida, dizem por lá). Continue a ler clicando aqui.

    Morre Lobão, o “Hachiko” de Floripa, que esperava pelo retorno do seu humano de estimação há 14 anos!

    Quem lê o blog desde o início já conhecia a história de adoção do Dogo. E é com muita tristeza que compartilho sua passagem com vocês. Mas como a mãe dele escreveu uma homenagem tão bonita, que bem ilustra o papel que estas criaturas divinas representam em nossas vidas, resolvi postar, pois sei que vocês têm a sensibilidade necessária para se emocionar com as palavras da Emiliana. Posts sobre o Dogão: Dogo: uma história com final pra lá de feliz! Vejam a quantas anda nosso querido Dogo… Dia 11 de outubro de 2013 enterrei meu grandão Com o coração apertado, um sabor de impotência e de quero mais, enterramos o Dogão com seus 7 anos. É difícil deixar imperar o sentimento de gratidão para que ele faça uma passagem tranquila, pois foi um acidente trágico e perdê-lo assim, faz a tristeza tomar conta.  Em pouco mais de 6 anos juntos, muitas aventuras, travessuras e real amizade foram partilhadas. Ele sempre encantou pelo porte, beleza e, principalmente, por sua docilidade em estar presente. Era um cachorro extremamente agradecido por ter encontrado sua família e nos demonstrava essa gratidão diariamente. Essas perdas nos fazem refletir quanto um ser pode nos potencializar virtudes durante essa convivência. Mais do que educar, me preocupar com saúde, desde a epilepsia, até uma boca inchada com picada de vespas, ele me ensinou a ser mais tolerante, onde as travessuras de cão davam lugar a um amor que se desenvolve por saber que a arte e a travessura eram oportunidades de nos tornarmos mais próximos e desenvolvermos um profundo amor. O Dogão me ensinou a ser mais generosa, mas não apenas no sentido de querer dar pra ele a melhor comida (alimentação natural), o melhor veterinário, remédios e tratamentos apropriados. Com ele eu perdia minhas madrugadas de sono, […]

    Dogão, uma homenagem.

    20 de novembro de 2013Ponte do arco-íris

    A cantora Fiona Apple escreveu uma longa e linda carta aos fãs da América do Sul explicando os motivos para ficar ao lado de sua cadela Janet e cancelar turnê. No emocionante relato ela conta como a pitbull foi encontrada machucada e abandonada após ser usada como isca para aumentar a confiança de cães usados em rinha e fala de sua personalidade doce e pacífica. Janet tem 14 anos e está morrendo. E sua humana querida simplesmente quer estar ao seu lado cantando quando o momento final chegar. “Ela é minha melhor amiga, minha mãe, minha filha, minha benfeitora, foi ela quem me ensinou o que é amor. Não posso ir à América do Sul. Não agora. Quando voltei da última parte da turnê dos Estados Unidos havia uma grande diferença. Ela não queria nem mais sair para passear. (…) Não serei a mulher que coloca a carreira à frente do amor e da amizade. Sou a mulher que fica em casa e cozinha tilápia para minha amiga mais antiga e querida. E a ajuda a ficar confortável e confortada, e segura e importante.” Não vou traduzir a carta inteira, mas taí o Google Translator pra quem não sabe ler em inglês, ok? Vale a pena, é lindo de doer…   Íntegra da carta: It’s 6pm on Friday, and I’m writing to a few thousand friends I have not met yet. I am writing to ask them to change our plans and meet a little while later. Here’s the thing. I have a dog Janet, and she’s been ill for almost two years now, as a tumor has been idling in her chest, growing ever so slowly. She’s almost 14 years old now. I got her when she was 4 months old. I was 21 then, an adult officially – […]

    Cantora adia turnê na América do Sul para ficar com sua cadela com câncer!

    Hoje é dia dos mortos. Ponto. Simples assim. Podemos chamar de finados para ficar menos chocante, mas é impossível não sentir as saudades apertando um laço a mais em nossos corações na data de hoje e nos jogando a realidade na cara, quer queiramos ou não… Falecer, desencarnar, passar, fazer a travessia, cruzar a ponte do arco-íris: podemos inventar mil expressões e sinônimos, mas a dor e a certeza da Morte são as mesmas… Como este ano a data está sendo particularmente difícil, resolvi apenas indicar para vocês alguns posts aqui do Mãe de Cachorro que já trataram do tema da separação de corpos que a morte traz. Sim, separação física, por que a espiritual, a de almas que se amam, nada pode provocar! Espero que os textos abaixo consolem um pouco a todos que sentem a dor da saudade, seja ela de quem for. março de 2007: Coincidências da vida? dezembro de 2007: Saudade, amor e gratidão junho de 2008: Na esperança de rever meus amigos peludos que fizeram a travessia antes de mim… dezembro de 2008: Cães após a morte… junho de 2009: Animais e a espiritualidade fevereiro de 2010: Porque nunca deixamos de sentir saudades… julho de 2010: A todos os peludos que já fizeram a travessia… A lenda da Ponte do Arco-íris…

    Nós que aqui estamos, por vós esperamos…

    Neste último mês minha querida amiga Mariana Siebert perdeu dois de seus filhos peludos, o Jet, nosso conhecido de alguns posts aqui no blog, e o Gato. E ontem ela postou no Facebook um trecho desse meu post de 4 de maio de 2010, de uma saudade tão grande que ainda hoje está simplesmente igual há dois anos, quando foi expressa em palavras. Fico feliz pelo texto ter sido relembrado pela Mari, então o reposto, pois ele pode trazer um segundinho de consolo a outras mães e suas saudades… “Parcele a saudade. Ela é insuportável quando deixamos para lembrar tudo num só dia.” Fabrício Carpinejar Hoje li e repassei a frase acima e embora pudesse ser mais um repasse de algo que eu havia achado legal ou interesse e que desejasse compartilhar com meus leitores, algo havia mudado. Passei o dia repensando este sentimento que simplesmente desde muito cedo em minha vida se faz tão presente. Pequenas coisas aconteceram ao longo dos últimos dias, a descoberta do belo trabalho Vira-Latas e toda a memória do Tóto que me acometeu, a proximidade do dia das mães, a frase do Carpinejar no meu Twitter hoje etc. E de repente me dou conta de que conheci o que é sentir saudade quando meus pais se separaram e minha mãe voltou pra Floripa me trazendo junto e tudo que eu mais queria era saber se o meu amado Tóto estava bem e meus dias eram cheios de lembranças do meu melhor amigo, do meu irmão de patas. E então minha mãe cruzou a ponte do arco-íris, se é que os humanos têm esta honra, e voltei a morar com meu Tóto tão amado e de lá para cá minha vida tem sido um sem fim de saudades enquanto assisto pessoas e animais que amei, […]

    Quando a saudade é demais…

    Não, recentemente nenhum peludo em minha vida morreu, mas como hoje é dia de Finados, acho que um lutinho em respeito a todos os que já partiram e aos tantos que sofrem mundo afora não faz mal a ninguém, não é mesmo? Quando digo luto, é no sentido de ficar mais quietinha, de mandar boas energias e agradecer pelos momentos vividos ao lado dos meus amores de patas que fizeram a travessia. As saudades são imensas, eternas e diárias, mas pelo tema de hoje, o dia termina levando nosso pensamento ainda para mais perto dos amores que partiram antes de nós. Acho que não existe figura neste mundão que traduza melhor o sentimento que nos acomete quando um peludo parte do que essa que a querida Olga Gonorovsky criou e que usei para ilustrar o post… Porque um filho que parte é um pedaço que falta no coração de um pai ou mãe que verdadeiramente ama, seja este filho quem for, peludo ou pelado, cada um deixa uma marca eterna à sua maneira. Um bom dia de Finados a todos e que possamos focar nos bons momentos vividos e não nas possíveis culpas e arrependimentos, estes a gente usa para aprender com os erros e não repeti-los. Leia também: Posts ilndos e cheios de emoção do marcador Ponte do Arco-Íris  EXCLUSIVO: Entrevista com Olga Gonorovsky, a mãe de cachorro russa que pinta Frenchies de maneira linda, linda…

    Hoje estou de luto!

    2 de novembro de 2011Ponte do arco-íris

    Acabei de descobrir uma artista russa que desenha bulldogues franceses e que fez uma sequência linda de desenhos em homenagem a Zhuzha, que morreu no fim de março de 2010, de câncer. Seu nome é Olga Gonorovsky e a achei por acaso no perfil do facebook da amiga Cecília Amodeo, autora do blog Cachorros Especiais e Muito Felizes. Felizmente a Olga deixa suas ilustrações abertas no Facebook, ou eu não teria como conhecê-las e nem como mostrá-las a vocês. Um beijo grande a todos que já sentiram essa dor, tão aguda, profunda e infindável… Dedico este post aos cães da minha vida que já fizeram a Travessia e espero demorar um longo tempo antes de passar por outra Despedida.   Para ver as outras lindíssimas imagens de Olga Gonorovsky, visite seu perfil no facebook clicando aqui. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Só quem já perdeu um filho peludo entende essa dor…

    27 de junho de 2011Ponte do arco-íris

    Acreditar não é preciso, respeitar é! Se você não partilha das mesmas crenças tratadas neste e em outros posts do marcador “Ponte do arco-íris“, simplesmente ignore-os ;-D Recebi a dica da Associação Espírita Amigos dos Animais (Asseama) do Mauro Goedert, um leitor da coluna no Notícias do Dia que passou a me escrever. A Asseama é o “primeiro e único Centro Espírita no mundo totalmente voltado para a espiritualidade dos animais” e possui várias atividades interessantes tanto em sua sede, como à distância. Para quem quiser saber mais sobre atendimento para animais à distância da Asseama, clique aqui. Continuando no mesmo assunto… Há alguns dias recebi e estava guardando os links dos vídeos abaixo que meu querido amigo Halem, do Instituto Ecosul, passou com o recadinho “A Profª. Irvênia DeSantis Prada é Médica Veterinária, Psicóloga, professora da USP e Kardecista. Já abrilhantou por 3 vezes nossos seminários com suas palestras sobre a espiritualidade dos animais. Vale a pena assistir.“, agora chegou a hora deles irem ao ar aqui pra gente! Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Tudo que vive é teu próximo: um pouco sobre animais, espiritualidade, vegetarianismo e muito mais!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados