• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Listas de veterinários

  • Receba os posts por e-mail:

    É possível ensinar um cão a ter noção da força de sua mordida ao interagir com pessoas ou outros animais. Mordidas É possível ensinar um cachorro a ter noção da força de sua mordida ao interagir com pessoas ou outros animais. Cães deveriam ficar com a mãe e irmãos por pelo menos de 8 a 12 semanas de vida, ou seja, algo bem diferente do que acontece, pois são raras as pessoas que ficam com filhotes mais de 45 dias. Só que é justamente neste período que os pequenos aprendem valiosas lições em ninhada, entre elas, a não morder com força. Suave Não se trata de não usar a boca para interagir de maneira alguma, mas de “saber morder”, já que cães brincam usando mordidas gentis e sem intenção de machucar. Um cão que sabe usar a boca sem morder para ferir também pode avisar quando algo não o está agradando, como quando está com dor e mexemos nele, por exemplo. A ideia aqui não é ensinar o cachorro a morder, mas a saber usar e a controlar a força da boca ao interagir conosco. Para continuar a ler, clique na imagem acima ou aqui.

    Como ensinar um filhote de cachorro a controlar a força da mordida?

    Recebi a dúvida abaixo e a repassei à Emmanuelle Moraes, mas na época ela estava em viagem e só conseguiu me responder depois, mas agora não lembro por onde a pessoa me pediu ajuda (se pelo Facebook, e-mail ou blog). Então posto tudo na esperança não só dela ler, mas de ajudar outras pessoas e animais em situação parecida. A dúvida: adotei um pitbul em pele de poodle, ele passou por várias casas e foi expulso de todas ate que “simpatizou” comigo; só que tenho mais dois cães, um macho e uma fêmea. e o “pit bul” é meio de lua, tem horas que do nada ele avança em qualquer coisa que se move,ou tem ataque de fúria dentro da casinha dele com o cobertor. se a gente faz carinho ele aceita e fica todo mansinho, deita de patas pra cima balançando,parece um verdadeiro poodle. ai do nada ele começa a rosnar e se nao tirar a mão imediatamente e se afastar ele crava os dentes na gente;;;é loco loco.pra dar banho precisa de focinheira.tudo tem de ser do jeito que ele quer.quero impor limites mas não sei como; ele pede carinho, a gente da e ele morde! não entendo!outro dia cheguei do serviço e ele veio com a bolinha na boca pra brincar; quando fui pegar a bolinha da boca dele; ele soltou a bolinha e rosnou; mas achei que a gente já tava amigos e não liguei; continuei pedindo a bolinha ;e ele me avançou. não mordeu porque consegui me esquivar e fechar a porta. depois ele vem andando tortinho balançando aquele cotoco, com uma cara de quem aprontou feio. todo dia é a mesma coisa! alguém sabe o que fazer? não tenho como pagar para adestrar. algumas dicas iriam me ajudar muito! A resposta da especialista: Olá! […]

    Dúvida do leitor: Como lidar com um cão que morde!

    A dúvida da leitora Débora Müller é bem grande, mas graças ao relato detalhado a querida Emmanuelle Moraes, do blog Educação Canina, conseguiu ser bem precisa na resposta (que prontamente enviei à Débora). Relutei um pouco em publicar a pergunta na íntegra com medo de vocês não lerem tudo, mas o material está bem rico, então segue tudo como recebi, pergunta e resposta. Leiam tudo com atenção, pois vale a pena! Olá, achei seu blog ao procurar dicas de adestramento, e me encantei com o texto sobre dominancia, pois tenho uma cadela que é uma mistura de pastor alemao com holandes, de 3 anos que tem sérios problemas de comportamento, e todos os adestradores que ja contratei com que conversei, falam sobre ela ser dominante, e ate hoje NINGUEM conseguiu nos ensinar a mudar o comportamento ruim que ela apresenta. Gostaria muito de poder passar a vc e sua equipe a situação que passo com a minha cadelinha, pois eu a amo muito, mas ela tem problemas terriveis de comportamento…mas nao consigo desistir de pesquisar a tentar novas tecnicas para ajudá-la. Ja passamos por 3 adestradores, ja comprei todos os tipos de coleiras, livros… tudo! nada funciona com ela. Voces se interessam em saber qual a situação dela para de repente, tentar me ajudar? vejo q vcs tem uma visao diferente da dos outros adestradores em geral, por isso me interesso muito em saber a sua opiniao. Então, a situação é a seguinte: Eu comprei ela com 45 dias de uma pessoa que se diz adestrador, aqui na minha cidade. E quando fez 4 meses pensei em adestrá-la, pois ela é um cão pastor e cresceria, e temos uma criança em casa, e eu queria um cão calmo e obediente. Daí contratei o mesmo rapaz que me vendeu a cadelinha. […]

    Dúvida do leitor: Fui vítima de um péssimo adestrador e meu cão ficou agressivo. E agora?

    Essa é a típica dúvida que exemplifica o que praticamente todo mundo que já lidou com um filhote de cachorro passa durante um período. Filhotes mordem, mordiscam, experimentam o mundo com o boca. Piora entre os 4 e 6 meses, quando trocam os dentes de leite pelos definitivos. E pode continuar a vida toda caso o comportamento não seja devidamente tratado. Acontece que cães são geralmente separados MUITO cedo da mãe e irmãos, o que NUNCA deveria acontecer antes de 8 semanas de vida (sim, dois MESES e não os absurdos 45 dias que todo mundo segue). Estar com as mães e irmãos até no mínimo 2 meses de vida ensina muita coisa aos filhotes, inclusive etiqueta básica, que passa por não morder os outros. Filhote ou cão adulto muito mordedor? Pode apostar, foi tirado da ninhada cedo demais. Como sempre, a dica básica para quem tem filhote canino em casa e frequenta o Mãe de Cachorro, é ler os posts da Série Filhotes, pois muita coisa é respondida só com o material que já tem lá (assim como o Guia de Raças, a Série Filhotes ainda está longe de terminar, então eventualmente há post novo, fiquem sempre de olho!). Para ajudar a Taiane e sua Lisa, pedi à querida amiga e adestradora Fúlvia Andrade, do blog Canto dos Bichos para dar uma mão. Eu adotei a Lisa faz quase um mês, a veterinária disse que ela tinha aproximadamente dois meses. ela foi jogada no pátio de uma casa e o dono então deixou ela num pet. como todo filhote ela adora bagunçar, não destrói muitos objetos ainda, mas ela não pode ver um pé ou uma mão que já morde. o que me preocupa é que ela é muito agressiva quando está brincando. se eu tiro algo dela e […]

    Dúvida do leitor: meu filhote só quer saber de morder, e agora?

    EXCLUSIVO – Creio que o X da questão aqui seja a frase “ele é super amado,é o bebê da casa”. Resolvendo tanto mimo, as chances deste cão voltar a ser equilibrado são grandes. O que me faz pensar em todos os relatos de cães grandes que “dormiam na cama” e eram “tratados como filhos” e que as pessoas, no seu profundo desconhecimento sobre comportamento animal, logo rotulam como sendo problema “da raça”. Seguem a dúvida da leitora Ana Martins e a resposta da educadora canina, Emmanuelle Moraes! Olá, Meu Bichon é adoravel… Usa as caminhadas para suas necessidades. Ele está com seis anos e agora começou a manifestar agressividade.morde as pessoas, chega até a avançar.To preocupada,afinal ele é super amado,é o bebê da casa. Nunca o deixamos sozinho.não consigo entender. Me ajudem. Tenho deixado de ir a lugares…..pelo comportamento dele. Obrigada e aguardo um retorno Ana Martins Leia também: Sintomas de dor! Fique ligado! Guia de raças no Mãe de Cachorro: Bichon Frisé Dúvida do Leitor: Meu cão avança para morder se tentamos tirar algo dele, e agora? “Oi Ana Martins, Se antes o seu peludo nunca havia sido agressivo e agora passou a demonstrar tal comportamento é preciso estar atenta a alguns fatores. Inicialmente certifique-se de que ele não esta com algum problema de saúde, pois se está sentindo dor é possível que reaja com agressividade, mas isto apenas um veterinário poderá constatar. Infelizmente o seu relato está muito deficiente de informação e dificulta a orientação a respeito do caso. Entretanto, se não aconteceu nenhum evento traumático com o seu cão durante os passeios, é possível que ele já demonstre agressividade em outras situações e agora passou a ser agressivo também na rua. Geralmente os cães antes de serem agressivos de fato (o que é percebido pelos tutores) já demonstram […]

    Dúvida do leitor: Meu cão passou a ser agressivo depois de adulto, e agora?

    EXCLUSIVO –  Recebi o contato abaixo e mandei a resposta que meu pouco conhecimento permitia. Corri então a pedir ajuda à super Cássia Santos, do blog Cão Amor. Segue a resposta dela para que todos nós possamos aprender com a situação. Boa leitura! A dúvida: boa tarde, ganhei uma cachorrinha já com 7 meses (“salsichinha”). logo que chegou íamos fazer carinho nela, ela rosnava e queria morder, tudo bem achei que faltava se adaptar conosco. Somos 4 em casa, todos apaixonados por Nina, mas só que a Nina hoje já tem um mês em casa e ainda tem esse comportamento, sempre que alguém vai fazer carinho nela, ela rosna e quer morder, o que faço? fico muito triste com isso Minha resposta: Querida, Você adotou um cão filhote de uma raça bastante inteligente. Ela está SÓ HÁ UM MÊS na sua casa (é POUQUÍSSIMO TEMPO)… Você sabe como era a vida dela antes? Apanhava? Morava em um lugar com muita gente fazendo barulho, gritando, brigando? Havia crianças a maltratando? Ou ela era MUITO mimada e ganhava colo e beijos cada vez que rosnava para alguém? Tudo isso pode fazer dela um animal ressabiado. O importante agora é conquistá-la e mudar este comportamento. Com TEMPO e amor vocês conquistarão a Nina aos poucos, mas é preciso PACIÊNCIA. As dicas deste texto podem te ajudar: http://www.maedecachorro.com.br/2011/05/duvida-do-leitor-como-resgatar-um-cao-que-esta-arisco-e-fugindo.html De qualquer maneira, achei interessante a situação de vocês e vou pedir a uma educadora canina para fazer um post a respeito, ok? Fique de olho no blog. A resposta da profissional: A situação narrada pela leitora do Mãe de Cachorro, que adotou uma cadelinha com 7 meses que se mostra arredia e dá sinais de agressividade mesmo com um mês de convivência, é uma realidade para muita gente. Apesar de ainda ser filhote esta cadelinha […]

    Dúvida do leitor: Como ganhar a confiança de um cão?

    Quando recebi o e-mail da Vera, respondi imediatamente dando algumas dicas mesmo sem ainda não tendo sequer pensando em quem eu pediria que comentasse o caso. Acontece que tivemos uma situação aqui em Floripa exatamente igual. Um cão comunitário estava ameaçado de morte por defender seu “território”. Felizmente ele foi colocado em uma hospedagem e hoje está feliz da vida, adotado e com uma famíllia para chamar de sua, mas até isto acontecer a situação estava bastante crítica para o lado dele. Para todos os que possam passar por algo parecido, aí vai a questão da leitora Vera e a resposta da amiga Cássia, educadora canina do Cão Amor. Minha resposta para a Vera, antes de eu ter a opinião profissional da Cássia, foi no sentido de que eles retirem o Fucinho de lá imediatamente, colocando-o em um lar de apoio ou hospedagem paga, que os moradores da rua que ele tanto cuida podem ajudar a pagar, ao menos até que a situação tenha uma outra solução. Bom, vamos ao relato da Vera:Bom dia, gostaria de uma orientação, pois estamos com um pequeno problema o qual não estamos conseguindo resolver.Cuidamos de um cachorro, o chamamos de Fucinho, cujo companheiro foi atropelado, inclusive quando esse morreu, o Fucinho não queria sair de perto do corpo do amigo, nem deixava que ninguém mexesse nele. Com paciência, conseguimos pegá-lo para enterrar, e a partir desse dia estamos cuidando dele, inclusive uma veterinária se prontificou a castrá-lo, e o restabelecimento do cão foi em minha casa, onde tenho mais 4 animais, dos quais um é bem pequeno, dois grandes, e um gato, e meu hóspede não se entendeu com nenhum deles, muito pelo contrário, tive que mantê-lo preso o tempo todo e era horrível .Agora estamos cuidando dele na rua, e algumas vezes durante […]

    Dúvida do leitor: Como ajudar um cão comunitário que avança em vendedores ambulantes e estranhos, defendendo sua rua e moradores?

    O texto abaixo foi escrito para o blog Canto dos Bichos pela minha queridíssima amiga Fúlvia. Quando a avisei sobre a minha ausência temporária, pedi que me indicasse alguns textos dela para eu deixar programados para vocês. Este é um deles! ps: Este texto já foi recomendado no post Estresse não é exclusividade humana! Sinais de estresse Estou lendo um livro muito legal da Pat Miller e resolvi que algumas coisa são muito importantes para que fiquem só comigo: é bom compartilhar com vocês todos. Pelo bem de nossos cães e da gente também! Sinais de Estresse Aprenda a reconhecer os sinais de estresse em seu cão Donos conscientes estão sempre prestando atenção aos possíveis sinais de estresse em seu cão, aliviando a tensão quando estes ocorrerem. Aqueles cujos cães se estressam facilmente geralmente se tornam super vigilantes, prestando atenção aos mínimos sinais que antecipam os comportamentos relacionados ao estresse mais óbvios para impedir reações desagradáveis. Se mais donos se conscientizassem dos sinais sutis de estresse, menos cães morderiam. Isso seria ótimo. Porque desestressar ajuda Existem muitas razões que tornam importante o fato de procurar por sinais de estresse, incluindo: O estresse é a principal causa universal de agressão. O estresse pode ter um impacto negativo na saúde do cão. A habilidade do cão de aprender é prejudicada quando ele está estressado. O cão responde mal aos comandos quando estressado. Condicionamento negativo clássico pode ocorrer como resultado de estresse. Por todas estas razões, e outras mais, vale a pena verificar se seu cão demonstra algum sinal de estresse e fazer o melhor para tornar-lhe a vida mais fácil. Abaixo estão listados alguns comportamentos que indicam estresse, mas que muitos deixam passar. Em cada um deles, o curso de ação imediata e apropriada é identificar o causador do estresse e descobrir […]

    Como reconhecer sinais de estresse no seu peludo!

    15 de abril de 2011Mordidas, Saúde
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados