• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Que música mais delíciaaaaaa!!!! Recebi da Raquel Moren lá no Facebook e sou obrigada a compartilhar com vocês! O Ron-Ron do Gatinho Adriana CalcanhottoComposição : Adriana Calcanhotto/Ferreira Gullar O gato é uma maquininha que a natureza inventou; tem pêlo, bigode, unhas e dentro tem um motor.Mas um motor diferente desses que tem nos bonecos porque o motor do gato não é um motor elétrico.É um motor afetivo que bate em seu coração por isso ele faz ron-ron para mostrar gratidão.No passado se dizia que esse ron-ron tão doce era causa de alergia pra quem sofria de tosse.Tudo bobagem, despeito, calúnias contra o bichinho: esse ron-ron em seu peito não é doença – é carinho Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    O ron-ron dos gatinhos =o]

    9 de maio de 2011Gatos, Mãe de Gato, Vídeos

    Você é uma mãe? De cachorro, de gato, de planta, de pessoas? E ainda por cima é mãe de blog também? E fez um post de Dia das Mães? Então mande o link pra mim que ele será publicado aqui no Mãe de Cachorro em mais um post de homenagem a nós, MÃES!!!  E os 5 primeiros textos publicados em blogs e enviados nos comentários deste post ganharão dois adesivos do blog Mãe de Cachorro* cada, um para a mamãe que escreveu o texto e outro para ela presentear outra mãe! Já deixo aqui indicados dois lindos posts que as queridas Otávia Mello, do Amor e Miados, e Andréia, do Universo em Cores, escreveram em homenagem ao nosso dia! Feliz Dia das Mães 🙂 (blog Amor e Miados) Mãe de cachorro também é mãe! (blog Universo em Cores) *Mães de Gato amadas, por enquanto só tenho o adesivo do blog, mas a$$im que der ($$$), vocês também terão o adesivo de vocês, ok? Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Papo de Mãe – Promoção relâmpago: Quer ganhar 2 adesivos Mãe de Cachorro Também é Mãe? Seu post de Dia das Mães no Mãe de Cachorro!

    Minhas amadas MÃES de cachorro, de gato, de pessoas e de outras formas de vida… Depois do sucesso do post “Mas eu já tenho um bebê” – que entre outras manifestações de carinho e reconhecimento com o meu sentimento, lotou minha caixa de e-mails a ponto de eu ainda não ter conseguido responder a todos e ter que ficar catando os pedidos de ajuda urgente entre eles – já teve gente comentando que no fim das contas eu deveria ter postado aquele texto hoje e não na terça-feira passada, afinal, ele é 100% sentimento de mãe de cachorro (e de gato, e do que mais for tabu ser mãe!). Também pensei nisso. Mas dia das mães é todo dia, e naquele eu estava particularmente tomada pelo sentimento de declarar, mais uma vez, meu amor pelos cães e meu direito de me sentir mãe, com todas as três letrinhas desta palavra curta, mas tão cheia de significados e interpretações… Hoje, na verdade, queria mais era contar um pouco como cada uma de vocês que participam da minha de tão diferentes maneiras, seja assinando para receber e-mails do blog, curtindo a Página do Facebook, seguindo pelo Twitter, me escrevendo diretamente etc., influenciam a minha vida, minha energia e a minha relação com a palavra MÃE. Quem acompanha meus textos há um tempo já deve ter lido aqui ou ali que sou órfã de mãe. E tive o azar de passar por esta triste experiência com apenas dez anos de idade. E mais azar ainda de ter tido uma madrasta mais “madrasta” do que a outra… Então a palavra mãe ficou esquecida dentro de mim junto com meus sentimentos pela minha própria mãe, recalcados por algum mecanismo de defesa infantil que me deixou com um sério problema de memória até hoje (e que […]

    Papo de Mãe – Comportamento: Feliz dia das Mães (de cachorro, de gato, de gente…)

    Shoyo no meu colo na rede, em janeiro de 2010. Desde que voltei de viagem, tenho levado o Shoyo comigo a todos os lugares que posso, até mesmo para incentivar a cultura de ter os cães por todos os lugares que não sejam ruins para eles. Depois de 22 dias longe do meu pequeno, minha saudade ainda não passou. Pois dia desses fui fazer depilação com a mesma profissional onde vou há anos e levei o Shoyo junto porque só ia lá e voltava pra casa em seguida pra continuar trabalhando e queria, inclusive, mostrá-lo pra minha depiladora. O Shoyo é o típico “cachorro almofada”; onde eu o colocar, ele fica quietinho. Principalmente se for no meu colo ou perto de mim. Daí que estou lá na recepção no maior chamego com ele, esperando a depiladora me chamar, e quando ela chega e me vê com ele no colo ganhando carinho, diz “Ana, Ana, vai arrumar um bebê!”. E eu, na mesma hora, “Mas eu já tenho um bebê!”. Ah, gente, que chatice isso! Tem horas em que tenho vontade de ter filho só para ter desculpa de amar tanto os cães. Porque a perguntinha clássica sempre vem, mais minuto, menos minuto, quando alguém percebe que gosto demais de cães “E filho, você tem?”. Tenho, ué! Preciso ter filho gente para ter o direito de gostar do meu filho cachorro? Povo chato! Que não entende que amor é amor e que crianças e cachorros não são concorrência e nem que ser mãe de gente é atestado de bom caráter ou alvará para amar outras criaturas!  Pode ser que um dia eu seja mãe de gente, pode ser que eu não seja nunca. Só acho um abuso quem opta em não ter filhos ser encarado como um ser meio anormal, incompleto […]

    Mas eu já tenho um bebê!!

    Não sei se sou só eu, que de uns anos pra cá troquei o nome para Trabalho e o sobrenome para Hora Extra, ou se vocês também têm tido o mesmo sentimento… Mas vocês não acham que a vida da mulher – ao menos a da mulher “padrão”, que precisa batalhar para ganhar seu dinheiro além de todo o resto que já faz – é sinônimo de trabalho? Então o Dia do Trabalho seria assim quase que um 8 de março, o famoso dia internacional das mulheres… Ou um Dia das Mães, que no fundo é todo santo dia também… Que mulher não é mãe, ainda que não tenha filhos gerados de seu ventre, e que mãe não é uma eterna trabalhadora? Por enquanto, sou “apenas” uma mãe de cachorro e mãe de blog, mas no fim das contas, termino sendo meio madrinha, ou talvez um pouco mãe, de todos os peludos que ajudo direta ou indiretamente. E já chequei na idade de virar mãe do próprio pai (que por sua vez virou criança total!) e ainda também sou mãe do marido, lógico! Porque estou para conhecer o homem que seja 100% marido e ZERO por cento filho, na boa! E olha que não posso nem reclamar do meu, que acabou de me dar uma viagem maravilhosa com tudo pago (com ajuda das milhas aéreas e dos amigos queridos que nos hospedaram por onde passamos, hehehe) e que cozinha e muitas vezes cuida bastante de mim. Mas sempre há os momentos “filho”, inclusive o filho que traz amiguinhos pra brincar em casa… Já disseram muito bem por aí, o que difere homens de meninos é o preço dos brinquedos. E o meu está tirando o trauma de não ter tido muitos brinquedos na infância… Então, na verdade, mesmo hoje a […]

    Papo de Mãe – Opinião: Toda mulher é mãe? E toda mãe é supermulher?

    O texto da veterinária Alice Ribeiro, Síndrome do ovário remanescente , lá do Tudo Gato, fala especificamente das gatinhas, mas o mesmo acontece com cadelas. Engraçado como há alguns assuntos super sérios e infelizmente comuns, como este, que termino esquecendo de comentar com vocês. Ainda bem que há tantos outros blogs bons e competentes por aí para me lembrar deles! Boa leitura! Abaixo, um trecho pra gente, como sempre e clicando aqui você lê o texto da Alice na íntegra. Infelizmente essa ocorrência é comum sim e é conhecida como a Síndrome do Ovário Remanescente (SOR). Após a castração, a fêmea vai apresentar sintomas de cio como secreção vulvar sanguinolenta, mudança no comportamento e atração de machos. É muito embarçoso para o veterinário que realizou a cirrugia se deparar com esses casos. Em 1970, Shemwell e Weed realizaram um estudo com a implantação de fragmentos da córtex de ovários no peritôneo (camada que reveste internamente o abdomen e órgãos abdominais) em gatas que tiveram seus ovários removidos. Após quatro meses algumas gatas do estudo apresentaram cio, o que mostrou que, se for deixado um fragmento do ovário durante o procedimento, ou se o mesmo acidentalmente cair no abdomen, pode haver revascularização e este se tornar funcional. Em mulheres a incidência de SOR é ainda maior que em cães e gatos. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Minha peluda foi castrada e continua a entrar no cio, por quê?

    14 de fevereiro de 2011Castração, Gatos, Mãe de Gato

    A querida Malu, mãe de gato assumidíssima, achou que faltava uma representante das mães dos felinos por aqui e mandou foto declarando seu amor! Adorei, querida, muito obrigada! Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    A Mãe de Gato também quis…

    4 de janeiro de 2011Gatos, Mãe de Gato
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados