• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Turma, hoje eu quero voltar a um assunto que já vem sendo tratado mais a fundo aqui no blog desde 2010 e do qual não falo há um bom tempo: a realidade da Leishmaniose no Brasil. São dois os tipos da doença, a tegumentar, ou cutânea, mais comum no Brasil,  e a visceral, ou calazar. A primeira apresenta feridas na pele, nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Já a variedade visceral ataca vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea e acomete essencialmente crianças de até dez anos; sendo menos frequente após esta idade. A grande maioria das pessoas que contrai a doença é imunodeficiente, ou seja, não está em condições normais de saúde. De acordo com o Ministério da Saúde, “a leishmaniose visceral, primariamente, era caracterizada como uma doença de caráter eminentemente rural. Mais recentemente, vem se expandindo para áreas urbanas de médio e grande porte e se tornou um problema crescente em saúde pública no país e em outras áreas do continente americano, sendo uma endemia em franca expansão geográfica.” O inseto cuja fêmea infectada transmite as duas variações da leishmaniose é o flebótomo, popularmente conhecido como mosquito palha, e nos dois casos os reservatórios podem ser tanto cachorros quanto pessoas. O bichinho mede de 1 a 3 milímetros, é menor do que qualquer coisa que você considere minúscula, mal pode ser visto a olho nu e apresenta cor amarelada ou acinzentada. Suas asas permanecem abertas quando está pousado. Ele não consegue voar livremente como um mosquito e dá pequenos saltos baixos. Mas não se iluda, porque ele é eficiente mesmo assim etc. Ao telar suas portas e janelas use a tela com espaçamento inferior ou igual a 1 milímetro para evitar que os flebótomos tenham acesso ao interior da sua casa. Estudiosos da leishmaniose visceral garantem: é questão de tempo para que ela esteja […]

    A Prevenção é a melhor proteção contra a Leishmaniose.

    23 de junho de 2015Destaques, Leishmaniose

      Já falei sobre leishmaniose em outras oportunidades aqui no blog (links no fim deste post), mas como as autoridades continuam insistindo em matar cães e não mosquitos, precisamos fazer o que as autoridades não fazem: educar a população para a prevenção e ensinar maneiras de impedir abusos de autoridade e extermínio de animais! Repasso três informações importantes que o advogado Vinícius Ouriques Ribeiro deixou em um post meu no Facebook falando sobre a doença: 1 – Delegado de Polícia ou policiais militares NÃO podem entrar na sua residência para apreender seu animal sem mandado de busca e apreensão; 2 – O Mandado de Busca e Apreensão deve estar datado, assinado pelo juiz, indicando o seu endereço completo, seu nome, etc. Tudo especificado… O mandado não pode ser genérico; 3 – A vigilância sanitária TAMBÉM NÃO PODE entrar na sua residência sem a sua autorização; O poder fiscalizador da autoridade pública não é maior do que o seu direito de intimidade. Abaixo, o trecho de um post da Camilli sobre prevenção a ser feita em nossas casas, ruas etc. (…) devemos proteger os nossos lares para não permitir que eles se tornem maternidades dos mosquitos. O mosquito da leishmaniose possui um ciclo de reprodução diferente do mosquito da dengue. O mosquito fêmea da dengue precisa dá água para colocar seus ovos. O mosquito fêmea da leishmaniose coloca seus ovos em área rica de matéria orgânica. Leia o ciclo de vida do mosquito da leishmaniose aqui. Portanto, é essencial: – manter o jardim capinado, – manter a cerca viva muito bem aparada, – manter o galinheiro limpo, – manter o lixo em lixeiras tampadas, dentro dentro de sacos de lixo, – manter o lote vago (aquele que você está juntando dinheiro para construir um dia) limpo e capinado, – recolher o […]

    Leishmaniose visceral canina: dicas naturebas de prevenção!

    2 de julho de 2013Leishmaniose, Saúde

    Estava com esta matéria esquecida aqui há algum tempo. Peço desculpas, pois o assunto é pertinente e muito interessante. Não apenas veterinários que querem tratar a leishmaniose visceral são perseguidos, mas também os que optam em trabalhar com mutirões de castração a preços sociais ou gratuitas, ainda que estejam sendo patrocinadas por alguém, veterinários que estudam e praticam protocolos personalizados de vacinação de cães e gatos e também os que estudam e recomendam alternativas de alimentação. Ou seja, resumindo, todo mundo que está trabalhando pela saúde real dos peludos acaba sendo “perseguido” ou estigmatizado. E refletindo mais um pouco, todo mundo que trabalha seriamente com alternativas baratas, sem encher os bolsos das farmacêuticas e das empresas de ração de mais dinheiro. Com conhecimento, estudo e o apoio de veterinários holísticos, posso afirmar: gasto pouquíssimo para sustentar meus cães com vida de rei e proporciando a eles saúde de verdade. Todos podem fazer o mesmo. Aqui em Florianópolis chega a ser nojento ver o empenho de colegas e do Conselho em atrapalhar a vida e impedir o trabalho dos médicos veterinários que trabalham com castrações a valores sociais. Inclusive, vale lembrar que o Conselho NÃO pode estipular valores para a prática da medicina veterinária. Ou seja, se um veterinário decidir que cobrará R$10,00 para operar tumores, o problema é dele e só dele. Acessem o link http://www.semanaonline.com.br/semanaonline.php?edicao=55#page=16 para ler a matéria “A Inquisição – Conselho Federal de Medicina Veterinária persegue profissionais de defendem o tratamento da leishmaniose”.

    Perseguição a veterinários que querem tratar cães com leishmaniose visceral.

    11 de março de 2013Leishmaniose

      Vacina contra doença do carrapato e tratamento de cães com leishmaniose visceral autorizado no Brasil? MEU DEUS, sou uma pessoa FELIZ e com esperanças renovadas. Colo a íntegra da matéria do site Campo Grande News abaixo. Aproveito para dar PARABÉNS a todos os envolvidos nesta luta contra a IGNORÂNCIA do CRMV e contra o assassinato de cães, em especial aos amigos André Luis Fonseca, Vivi Vieri e Fowler Braga. Decisão do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) desta quarta-feira (16) derrubou a portaria do Ministério da Agricultura que proibia o tratamento de cães com leishmaniose visceral. A ação foi movida pela ONG (Organização Não Governamental) Abrigo dos Bichos e é válida para todo o País. Por dois votos a um, o Tribunal autorizou o tratamento dos cães com o entendimento de que proibindo a utilização de medicamento humano para tratamento, automaticamente é incentivado o extermínio dos animais. Em Campo Grande, a polêmica reacendeu após o caso do cão Scooby, que sofreu maus tratos, teve a doença diagnosticada, foi tratado, depois voltou ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), de onde foi retirado ontem, pela Abrigo dos Bichos, graças a uma decisão da Justiça. Havia o temor de que ele fosse submetido a eutanásia. “A matança de animais é inconstitucional e vai contra as Leis de proteção ambiental, convenção de Bruxelas e todas as leis de preservação dos animais”, explicou o advogado responsável pelo processo que teve liminar deferida pela Justiça Federal, Wagner Leão. À medida ainda cabe recurso junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) e STJ (Superior Tribunal de Justiça), que pode manter ou não a decisão da instância anterior, mas até um novo julgamento o tratamento está autorizado. O tratamento é proibido pelo CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária), que inclusive pune os profissionais que o praticam, […]

    Mais uma notícia maravilhosa: Justiça Federal autoriza tratamento de cães com leishmaniose NO BRASIL TODO!

    18 de janeiro de 2013Leis, Leishmaniose, Notícias

    Até o dia de hoje, contando com este, temos 46 post sobre leishmaniose visceral aqui no Blog. Sinceramente? Talvez seja pouco, muito pouco. Por enquanto, vivemos uma realidade em que poucos Estados brasileiros sofrem realmente com o problema (aproveite e clique na imagem acima), mas é uma questão de tempo para que a doença esteja presente e todo o País. Sim. Aí, na sua cidade, no seu bairro, na sua rua, na sua casa também. E, esperamos que não, mas talvez no seu cachorro. Só então você parará para pensar no assunto? Espero que não! Aproveito para destacar a parte mais importante do texto abaixo: Eliminar um cão portador dos protozoários não resolve o problema, pois o homem, após ter sido contaminado, será também um reservatório de protozoários. Devemos cobrar do governo um tratamento humanitário e eficaz aos cães, visto que eles NÃO são transmissores de Leishmaniose,são tão vítimas quantos os seres humanos. Por favor, leiam o texto da petição e acessem o link http://www.avaaz.org/po/petition/Controle_Humanitario_da_Leishmaniose_em_caes_no_Brasil/ para assiná-la e divulgá-la ao máximo! Para quem quiser ler os posts sobre leishmaniose aqui no blog, eles estão no link http://www.maedecachorro.com.br/category/leishmaniose Esse pedido é importante, pois no Brasil não é feito o controle da Leishmaniose, apenas sacrificam os cães com suspeita da doença, não se faz a prevenção com vacinas e coleiras repelentes, tão pouco o controle do mosquito palha, que é o único transmissor da doença. Aqui os animais com suspeita de Leishmaniose, mesmo sem confirmação por exame, são sacrificados de forma brutal, na câmara de gás, com eletrocussão, entre outras formas bárbaras de sacrifício, sem contar a a maneira truculenta com que os funcionários dos Centros de Zoonoses tratam os animais, com o uso do cambão. Essa doença é grave, e vem se espalhando pelo Brasil. Com desmatamento o mosquito está migrando […]

    Por favor, assine esta petição: Controle e tratamento humanitário da Leishmaniose em cães no Brasil.

    19 de dezembro de 2012Leishmaniose

    Políticas públicas de educação e prevenção farão a diferença na configuração desta nova realidade. Mas também podemos fazer nossa parte. Clique na imagem para ler a coluna de hoje.

    Coluna de hoje: Estudiosos garantem: é questão de tempo para que a leishmaniose esteja presente em todo o país.

      SUPER DICA: A querida Vivi Vieri está mantendo uma página no Facebook lotada de informações sobre Leishmaniose Visceral: curta e acompanhe –> https://www.facebook.com/pages/Vivi-Vieri/322861197789550 Para acessar todos os posts sobre a Leishmaniose visceral no Mãe de Cachorro, clique aqui. Atenção: há diversas alternativas de prevenção. Algumas exigem bastante cuidado porque são tóxicas (coleira de deltametrina, gotas de cipermetrina, gotas de produtos para cães contra pulgas etc.) e outras são naturais, mas exigem aplicação diária. *************************************************************************** Por favor, estudem com atenção todo o material disponibilizado nos posts abaixo! Lembrando: NÃO use nenhum medicamento sem orientação médico-veterinária! Tudo que cito aqui no blog serve de referência para que os leitores conversem com veterinários de confiança. NÃO façam “consultas” com balconistas, vendedores ou qualquer outra pessoa que não esteja inscrita no CRMV de seu Estado como um médico veterinário formado. Remédios específicos para cães usados como repelente do inseto transmissor da LV Cuidados a tomar com o uso dos repelentes em cães Cartaz educativo sobre leishmaniose visceral (com link para versão para impressão) Coluna de ontem: mais sobre leishmaniose Matéria sobre Leishmaniose Visceral em cães na revista Cães & Cia de setembro/2010 (+ vídeo) Dicas sobre prevenção da Leismaniose Visceral e tratamentos. Coluna de hoje: especial leishmaniose visceral Leishmaniose visceral canina: dicas naturebas de prevenção! Leishmaniose: sobre tratamentos e prevenção. Leishmaniose: matar cães não resolve! –> atualizado com vídeo em 3 de junho Leishmaniose e nossos cães: o Brasil escolheu MATAR! Leishmaniose: prevenção é a solução! Assunto sério e pertinente. Leia com atenção e repasse! NÃO DEIXE de ler este texto: http://www.maedecachorro.com.br/2010/11/como-foi-pra-mim-o-ii-seminario-de-atualizacao-tecnica-em-leishmaniose-visceral-americana-em-sp.html

    LEISHMANIOSE visceral: índice de posts importantes sobre o assunto

    14 de junho de 2012Leishmaniose

    Está sendo organizada uma campanha que pretende ser NACIONAL contra o absurdo do tratamento – leia-se assassinato – que o Brasil dá a cães julgados portadores de leishmaniose visceral. Sim, digo “julgados” por que o número de resultados errados é enorme e a maioria dos cães mortos na verdade NÃO tinha leishmaniose visceral e sim outras doenças que atrapalham o diagnóstico (como sarna demodécica, erliquiose etc.). VOCÊ pode organizar a manifestação em sua cidade! Leia o cartaz e faça contato de acordo com as informações nele contidas. Lembrando: o Brasil é o ÚNICO país do MUNDO que mata cães como prevenção (visivelmente FURADA) da leishmaniose visceral. Para ler outros posts sobre leishmaniose visceral aqui no blog, clique aqui. Para acessar o Índice dos principais posts sobre leishmaniose visceral clique aqui. NÃO DEIXE de ler este texto: http://www.maedecachorro.com.br/2010/11/como-foi-pra-mim-o-ii-seminario-de-atualizacao-tecnica-em-leishmaniose-visceral-americana-em-sp.html Campanha  “Diga não à Leishmaniose, o cão não é o vilão!” O Brasil  adota como forma de controle da Leishmaniose Visceral, a matança de cachorros, tendo por base apenas exames epidemiológicos falhos. Além disso, dificulta o tratamento do animal doente. O que deve ser feito é o controle do vetor, conhecido popularmente por mosquito-palha. [e que na verdade NÃO é um mosquito e sim um INSETO, o FLEBÓTOMO, cujo ciclo de procriação acontece em matéria orgânica em decomposição e não na água, como é o caso dos mosquitos] A estratégia de eliminar cães supostamente doentes tem sido questionada por vários estudos e não tem demonstrado impacto na redução de casos humanos, até porque existem outros reservatórios, como ratos, gambás, e mesmo os humanos. O cão é o reservatório mais estudado, por isso a culpa recai sobre ele. Matá-los é uma medida anti-ética e ineficaz, como podemos comprovar ao observar a franca expansão da doença no país. A sociedade civil quer mudanças urgente na maneira […]

    O cão NÃO é o vilão! – Campanha Nacional: Diga Não à Leishmaniose!

    16 de abril de 2012Campanhas, Leishmaniose

    Recebi da Vivi Vieri e repasso! Clique nos cartazes para visualizá-los ampliados! Dias 29 e 30 de outubro de 2011 Plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte, MG Das 8:00 às 18:00 Inscrições e Informações: primor@primoreventos.com.br   Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    8º Simpósio Internacional de Leishmaniose Visceral em cães – Outubro, em Belo Horizonte!

    1 de outubro de 2011Eventos, Leishmaniose
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados