• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Recebi o texto abaixo da Karla, presidente do Instituto É o Bicho! Achei importante mostrar a vocês também. AUbraços!;o) André Trigueiro: pós-graduado em meio ambiente, jornalista, redator e apresentador do Jornal das 10, da Globonews, desde 1996. “Creio que um dos primeiros presentes que recebi de meus sogros em Viena foram 2 bolsas de algodão para ir ao Supermercado. Depois compreendi”. No Brasil os supermercados, farmácias e boa parte do comércio varejista embalam em saquinhos tudo o que passa pela caixa registradora. Não importa o tamanho do produto que se tenha à mão, aguarde a sua vez porque ele será embalado num saquinho plástico.O pior é que isso já foi incorporado na nossa rotina como algo normal, como se o destino de cada produto comprado fosse mesmo um saco plástico. Nossa dependência é tamanha que quando ele não está disponível costumamos reagir com reclamações indignadas. Quem recusa a embalagem de plástico é considerado, no mínimo, exótico. Outro dia fui comprar lâminas de barbear numa farmácia e me deparei com uma situação curiosa: a caixinha com as lâminas cabia perfeitamente na minha pochete. Meu plano era levar para casa assim mesmo. Mas num gesto automático,a funcionária registrou a compra e enfiou rapidamente a mísera caixinha num saco onde caberiam seguramente outras dez. Pelas razões que explicarei abaixo, recusei gentilmente a embalagem. A plasticomania vem tomando conta do planeta desde que o inglês Alexander Parkes inventou o primeiro plástico, em 1862. O novo material sintético reduziu os custos dos comerciantes e incrementou a sanha consumista da civilização moderna.Mas os estragos causados pelo derrame indiscriminado de plásticos na natureza tornou o consumidor um colaborador passivo de um desastre ambiental de grandes proporções. Feitos de resinas sintéticas originadas do petróleo, esses sacos não são biodegradáveis e levam séculos para se decompor na natureza. Usando […]

    A farra dos sacos plásticos

    19 de junho de 2007Denúncias, Leis, Notícias

    Estava lendo o site da Folha Online e descobri o caso abaixo. Coitadinho do yorkie… Sobrevivente O yorkshire terrier Junior, 10, escapou da morte. Quando tinha 2 meses, ele foi colocado dentro do microondas ligado por uma criança de sete anos, o irmão mais novo de sua dona, a estudante Rita Feodrippe, 18, que mora em Niterói (RJ). “Vi o Juninho rodando dentro do microondas, com a luz amarela interior da máquina ligada. Retirei-o imediatamente. Desde então, ele não late. Nunca latiu a partir do episódio nem chorou, mesmo quando se machucava, e tem sérios problemas respiratórios”, conta Rita. foto: arquivo pessoal dos donos A estudante também comenta a controvertida reação dos seus vizinhos. “Eles agradecem esse incidente, pois o Juninho não incomoda. Mas eu dou graças a Deus que consegui tirá-lo a tempo.” Embora o drama de Juninho tenha sido provocado por uma travessura infantil, vale lembrar que os defensores dos direitos dos animais condenam qualquer técnica para silenciar os bichanos. No mês passado, o Rio aprovou lei que proíbe a realização de cirurgias que impeçam cães de latir e gatos de miar. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Botaram um yorkie no microondas…

    13 de junho de 2007Leis, Notícias

    Olááááá! Seguinte: muita coisa para escrever e pouco tempo para ficar na net. Mas tenho tentado fazer uma comparação da vida que levam nossos queridos “perros” nos países em que estamos passando e depois conto tudo em detalhes e boto fotos. Estamos no Chile há uns dois dias, viemos pela estrada velha que liga Mendoza ao Chile e que é M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A. e deserta! Mas vi vários bichos típicos pelo caminho. Infelizmente apesar de o Chile ser um país relativamente rico, a situação dos cães aqui é bastante parecida com a dos cães brasileiros… Vi váriossss, inúmeros, pelas ruas, vi cadelas prenhas, cães doentes e ainda hoje mesmo demos um calzonão de carne (que não era um calzone e sim uma empanada chilena gigante) para um cachorro grande que estava cheio de sarna demodécica… Tadinho. Reparei que dos três países que percorremos até agora, o Uruguai é o que trata melhor os cães e que em todos os países a maioria dos cães é bem grande. São cães enormes vagando pelas ruas, com ou sem tutor. A preferência nacional do Uruguai, ao menos em Punta del Leste e em Montevidéo eram os labradores e golden retriviers, depois dos “mestiços”, claro, que é como eles chamam os peludos sem raça definida. Outra coisa que chama a atenção é a quantidade de cães fora da coleira, sejam grandes, médios ou pequenos. Em nenhum dos lugares visitados vi pessoas desviando dos cães ou demonstrando medo. E olha que vi cães realmente enormes soltos. Eles parecem bem integrados à vida das cidades. Tenho procurado conversar com as pessoas sobre a relação delas com os cães e quando posso, entro numa petshop para bater papo. Em Buenos Aires, em uma pet de um bairro nobre a vendedora me explicou que antes era impensável a idéia de […]

    Notícias chilenas!

    22 de Abril de 2007Leis, Mãe de Cachorro, Viagens

    Fonte: Revista Veja de 7 de março de 2007. Edição 1.998 – ano 40 – nº9 Ai, ai, ai…Pois e agora. Na verdade, eu já havia lido sobre o assunto há umas duas semanas no blog da Lígia, o post que ela intitulou “Cachorros com design“, mas então eu tive que catar uma Veja para ler a besteira toda na íntegra… E cá estou para comentar tudo. Sim… agora existem ‘designers de cães‘. Pessoas que estão fazendo o desfavor de criarem mais ‘raças’, agora chamadas de ‘híbridas’. É o vira-lata mudando de nome… A moda por enquanto só pegou em países como Estados Unidos, Austrália, Canadá e Inglaterra, que já protegem cães e gatos com rígidas leis e onde é muito difícil encontrar animais vagando pelas ruas seja por haverem inúmeros abrigos para cães abandonados ou uma política eficiente de recolhimento e encaminhamento dos mesmos. Mas o Brasil, como boa colônia que nunca deixou de ser, com certeza daqui a pouco já vai entrar na onda. Resumindo, os tais vira-latas ‘autorizados’ são caros e estão virando febre… Os que defendem as raças puras estão de cabelos em pé, os que defendem os híbridos com pedigree já criaram até um “Clube de Cães Híbridos Americanos” que, de acordo com a reportagem na Veja, “já registrou 400 raças de design, número que ultrapassa as 338 raças puras aceitas pela Federação Cinológica Internacional (FCI)”. Olha, depois de haver visitado no sábado último a casa da Kátia, uma protetora independente que cuida de tantos cães e gatos abandonados que nem sei precisar quantos, é no mínimo revoltante tratar de um assunto como este. Estive lá com a Mili, minha amiga querida e super mãe de cachorro, para adotar um cão que a Lucía, protetora independente já diversas vezes citada aqui no blog, recolheu nas […]

    Vira-latas de grife x cães abandonados

    Dear Ana,Cara Ana,Let me help you ensure the safety of the animals in your own home in light of the Menu Foods dog and cat food recall and tell you what PETA is doing to hold the dog and cat food industry accountable.Deixe-me ajudá-la a garantir a segurança dos animais em sua própria casa em vista do recall da Menu Food Alimentos para Cães e Gatos e contar a você o que a PETA está fazenod para responsabilizar a indústria de alimentos para cães e gatos.You must know that dog and cat food manufacturer Menu Foods is recalling some 90 name brands of canned wet food, including Iams and Eukanuba, that have been linked to renal failure and more than a dozen animal deaths.Você sabe que a fabricante de alimentos para cães e gatos Menu Food está fazendo um recall de algumas das 90 marcas de alimento molhado enlatada, incluindo Iams e Eukanuba, que estão ligadas à morte por insuficiência renal e outros problemas em mais de uma dúzia de mortes de animais. How to Keep Your Animals SafeComo manter seu animal saudávelMake sure you are not feeding your animal companion any of the recalled foods. You can find the full list of products that are being recalled by Menu Foods here.Certifique-se de que você não está alimentando seu animal com nenhum dos produtos do recall. Você pode achar a lista completa dos produtos que estão no recall da Menu Food aqui. If you believe that your animal companion has fallen ill from eating a product manufactured by Menu Foods, immediately take the animal to your veterinarian. Symptoms of kidney failure include lack of appetite, listlessness, increased thirst, increased urination, vomiting, and diarrhea.Se você acredita que seu animal de companhia ficou doente por comer um produto fabricado pela Menu Foods, […]

    Carta da PETA (fiz uma tradução abaixo de cada parágrafo)

    27 de Março de 2007Alimentação, Denúncias, Leis

    Quem freqüenta o Livro de Visitas já sabe que temos falado muito sobre a relação entre violência contra animais e contra humanos. Como o Universo é sábio de conspira de várias maneiras, literalmente surgiu em minhas mãos um texto muito interessante. Para quem quiser acessá-lo na íntegra, é só clicar aqui. A seguir, dois trechos que ilustram os debates no Livro de Visitas: “Existe uma Conexão entre Crueldade contra Animais e Violência Humana? Quase um quarto de todos os casos de crueldade proposital contra animais , envolve alguma forma de violência familiar. Violência doméstica foi a forma mais reportada, seguida por abusos contra crianças e pessoas idosas. 21% dos casos de crueldade contra animais intencional também envolvem alguma forma de violência familiar. 13% envolvem violência doméstica. Nesses caso, o culpado abusa do parceiro ou cônjuge, forçando a vítima a testemunhar atos de crueldade contra animais. 7% diz respeito a abusos contra criancas.Nesses caso o culpado abusa de suas crianças e (ou) forca a vítima a testemunhar atos de crueldade contra animais. 1% envolve abuso de idosos. Nesses casos, o culpado abusa do idoso e ou força a vítima a testemunhar atos de crueldade contra animais.” “(…)os resultados do estudo nos dão um melhor entendimento de como a crueldade contra animais se encaixa dentro de problemas maiores da comunidadde e da violência em família. A alta porcentagem do envolvimento de adolescentes em atos intencionais de crueldade e a prevalência da violência em família em muitos dos casos de crueldade contra animais, sugerem a necessidade de leis e soluções na comunidade, para crueldade contra animais e violência humana.”

    A Conexão: Violência Contra Animais e Violência Contra Humanos

    19 de Fevereiro de 2007Animais e nós, Denúncias, Leis

    Texto retirado do site da Coordenadoria do Bem Estar Animal – PMF (http://www.pmf.sc.gov.br/bemestaranimal/parepense.htm) A decisão de esterilizar ou castrar nosso animal indica o nível de responsabilidade que assumimos para com ele. Porém, existem tantos mitos e “crendices” sobre este assunto que vale a pena ler este artigo, onde são respondidas as perguntas mais freqüentes sobre o tema. O que é esterilizar? É um procedimento cirúrgico para impedir a reprodução do animal, e pode ser realizado em machos (vasectomia) e em fêmeas (ligadura de trompas). Em ambos os casos os órgãos sexuais permanecem, e o animal mantém sua conduta sexual, já que o processo hormonal não se modifica (as fêmeas continuam tendo o período do cio). O que é castrar? É a retirada cirúrgica dos órgãos sexuais. Machos: testículos (castração); fêmeas: ovários (ovarioctomia), ou ovários e útero (ovariohisterectomia). Os processos hormonais desaparecem e o caráter do animal não sofre alteração. Nos machos agressivos por domínio sexual, esta tendência pode atenuar ou desaparecer. As fêmeas não tem o período de cio. Qual recomendamos? A Coordenadoria do Bem Estar Animal recomenda, sem dúvida, a castração pelas razões que exporemos a seguir. Por quê privar o animal de desfrutar sua vida sexual? Não podemos privar do que não existe. Os animais não vivem a sexualidade como os humanos. Para um animal o sexo é apenas o processo físico da reprodução. Se comer e beber é a garantia da sua sobrevivência individual, o sexo é a garantia da sobrevivência da sua espécie. Para o homem o sexo é uma finalidade em si mesma, para o animal é apenas a concepção de outros indivíduos. A prova é que a fêmea só aceita ser montada quando está no cio, ou seja, quando seu corpo apresenta uma exigência hormonal. Fora deste período, rejeita o macho de forma agressiva, […]

    Desmistificando a Castração

    12 de Janeiro de 2007Castração, Leis, Piometra, Saúde
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados