• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Listas de veterinários

  • Receba os posts por e-mail:

    É preciso ter cuidados especiais com animais recém-adotados, mas as dicas também servem para os fujões natos, que querem explorar o mundo. Clique na imagem para ler a coluna ou aqui.

    Coluna de hoje: Muitos cães fogem pouco tempo depois da adoção. Entenda o motivo e como minimizar as fugas.

    Recebi o texto abaixo do pessoal do Olhar Animal. Espero que ajude! Lembrando que a prevenção é sempre o melhor: castre seus animais, mantenha-os em quintais seguros contra fugas e use coleiras com identificador e/ou microchip. O link direto para a seção onde é feito o cadastramento dos animais é o http://www.olharanimal.net/animal-desaparecido O formulário Animal desaparecido está disponível no site Olhar Animal! Por meio dele é possível registrar informações sobre cães e gatos que serão encaminhadas às listas da defesa animal e aos protetores da cidade onde o animal desapareceu. Para cadastrar um animal, acesse o site http://www.olharanimal.net e clique em “Animal desaparecido” no menu à esquerda. Equipe do Olhar Animal “Ser ético não é apenas se abster de fazer o mal. É também agir para promover o bem.”

    Central nacional para registrar animais desaparecidos

    Todos os posts sobre cuidados contra Fogos de Artifício você confere no link http://www.maedecachorro.com.br/category/fogos-de-artificio Turma, correria monstra e material muito bom já existente no blog, então aí vai um repeteco do Especial de Cuidados de Verão, ok? As novidades deste ano são os ÓTEEEMOS posts do Barbas e Bigodes: Raios, trovões e fogos de artifício e do Esquadrão Pet: Sol é vida. Mas, calor intenso pode matar. Atenção especial também para o Resumão do combate a pulgas e carrapatos usando alternativas saudáveis de controle e prevenção! Segue o “requentado”: Mais um ano ficando pra trás em nossas vidas… E já está mais do que na hora de colocar no ar outro Especial Cuidados de Fim de Ano do Mãe de Cachorro, porque não só temos que prestar atenção à exposição ao Sol, tosas, parasitas, frequência de banhos e outros assuntos “quentes”, mas também precisamos estar atentos aos cuidados com fogos de artifício e acidentes com comidas e situações típicas desta época do ano. Verão é época de alegrias e, para muitos, de descanso, certo? Mas para os peludos é época de identificação reforçada 100% do tempo, cuidados na escolha de hospedagens e muito mais! Vamos lá, leia as dicas e curta as férias numa boa! E não esqueça de ler também sobre a leishmaniose visceral, afinal, você não quer sair de férias e voltar com esta doença chata na mala, não é mesmo?! Seja solidário(a): Mantenha água fresca para os animais de rua! Até os passarinhos te agradecerão ;-D Aproveitei grande parte do material do Especial do ano passado, mudei o vídeo natalino (ouça com seu cão e depois me conte!) e acrescentei novidades nos textos indicados, ok? Ótimas férias e um excelente fim de ano a todos! Textos úteis: Raios, trovões e fogos de artifício Sol é vida. Mas, calor intenso pode matar Resumão […]

    Especial fim de ano: cuidados com nossos peludos nas férias e festas!

    Este post, escrito pela ótima Cassia Santos do blog Cão Amor, é dedicado a todos os que trabalham com doação responsável de cães e que, ainda assim, eventualmente são supreendidos pela péssima notícia de que este ou aquele cão fugiu do novo lar. EXCLUSIVO: Quando a amiga Ana Corina me pediu para escrever sobre o grande número de relatos de fuga de cães recém-adotados, fiquei pensando, antes de refletir sobre como evitar, nos motivos para tantas ocorrências como esta. O que os poderia deixar os peludos tão fascinados pela rua? Antes da adoção Antes de mais nada, é preciso lembrar que cães adotados (especialmente os adultos), possuem um histórico de vida próprio. Já vivenciaram inúmeras experiências e, muitas vezes, seu novo tutor não tem como saber tudo que aconteceu na vida deste cãozinho antes de conhecê-lo. Imagine-se na situação de um peludo que vivia perambulando pelas ruas antes de ser resgatado. Afora as situações de risco vividas neste período (surras, brigas com outros cães, sustos ou acidentes ao atravessar a rua), não podemos esquecer que o cão era livre para explorar todo e qualquer ambiente que lhe interessasse. Cheiros atrativos, como fêmeas no cio ou comida, eram prontamente investigados. Ambientes acolhedores eram explorados e farejados antes de se tornarem um cantinho para dormir à noite. E o caminhar livremente pelas ruas era uma constante. Cães têm em seu DNA um forte instinto exploratório. São curiosos por natureza e exploram tudo, utilizando seu olfato apuradíssimo. Qualquer um que convive com um peludo sabe e constata este fato o tempo todo. Mesmo considerando a realidade de um cão que vivia em um abrigo antes de ser adotado, apesar de muitas vezes as condições de vida não serem ideais, em geral ele convivia com vários outros cães. A interação existe e, com ela, […]

    Como evitar que um cão recém-adotado queira fugir de casa!

    29 de agosto de 2011Adestramento, Fugas

    Todos os posts sobre cuidados contra Fogos de Artifício você confere no link http://www.maedecachorro.com.br/category/fogos-de-artificio Estas dicas eu tinha postado na última Copa do Mundo e são válidas na verdade para toda e qualque situação onde os humanos insistem com essa mania idiota de soltar fogos de artifício barulhentos. Como é tempo de São João, tá na mão! Terapia para enfrentar o medo de barulhos (com vídeo dando dicas de dessensibilização) Cuidados com o cão torcedor Fogos de artifício x Animais: atenção redobrada na Copa do Mundo (com receitas de florais) A Copa está chegando. E os fogos também! (com receitas de florais) Fogos: animais a beira de um ataque de nervos (com receitas de florais) Cuidados com fogos de artifício e animais domésticos. O que fazer se meu cão tem fobia de fogos de artifício? Danos causados aos animais pelos fogos (com receitas de florais) Barulhos que provocam terror nos peludos Placas de identificação: não é frescura, é necessidade! Central nacional para registrar animais desaparecidos

    Especial: Proteja seu peludos dos fogos de artifício!

    13 de junho de 2011Fogos de Artifício, Fugas, Saúde

    Coleira do cão de Charles Dickens, leiloada por US$11.590,00 Estou simplesmente apavorada com a quantidade de animais desaparecidos ultimamente. São casos e mais casos de cães e gatos sumidos, mas em sua maioria tenho recebido notícias de cães que fugiram de suas casas. Em comum quase todos têm duas coisas: não são castrados e nem estão devidamente identificados, o que torna menores suas chances de voltar pra casa. Então, gente, dois apelos (e farei a coluna no jornal de amanhã sobre isto, porque está demais): Castrem seus animais para, entre outras coisas, evitar fugas & Identifiquem seus peludos. Vale tudo: coleira com mais de uma placa de identificação (uma pode cair, daí ao menos tem outra), microchip, mais de uma coleira se for o caso! Aqui em casa o Shoyo tem dois identificadores. Um deles é pequeno, tem um cãozinho na frente o o verso diz “Cão doente” e dá dois números de telefone. O outro, maior, diz “Tenho chip, me leve ao veterinário” e no verso botei “Recompen$a – Ligue a cobrar” e quatro números de telefone, dois fixos e dois móveis. Na placa da Tita, a minha ‘irmã’, botei até mais coisa porque a placa dela é maior, então escrevi “Me devolva e ganhe dinheiro!” e no verso o mesmo texto do identificador do Shoyo. Acho desnecessário botar o nome do animal, o importante é botar tudo que possa ajudar em sua devolução. O tal “Cão doente” é papo meu, mas acho que pode sensibilizar, fora que quem vai querer cachorro doente? Outra frase que pode ser interessante, até mesmo para evitar roubos, é “Sou castrado(a)“, assim quem achar/roubar o animal já sabe que não poderá usá-lo para ganhar dinheiro (a menos que seja para ser trocado por drogas, mas daí o “Cão doente” talvez ajude”). Ainda hoje […]

    Placa de identificação: não é frescura, é necessidade!

    18 de fevereiro de 2010Fugas, Guarda responsável

    Missy, a robo-cat. foto: Telegraph Missy é uma gatinha inglesa de 8 anos que foi atropelada, ficou dois dias sumida e foi encontrada gravemente ferida em uma moita. Até aí, nada de ‘anormal’ já que infelizmente pessoas e animais são atropelados todos os dias mundo afora (inclusive o fofonildo Gaspar, que pegava ônibus sozinho, também lá na Inglaterra, e que infelizmente não sobreviveu…). Mas Missy é agora o primeiro felino do mundo a usar uma prótese artificial de joelho. Pra quem acha pouca coisa, vou traduzir um trecho da matéria que conta detalhes da cirurgia no Telegraph. Implante já dentro da Missy. foto: Daily Mail “Exclusivo, o implante foi produzido baseado em um exame de imagem do joelho de Missy e tem todas as medidas de Missy, tanto em termos de tamanho de seus ossos quanto de limites de movimento das juntas do seu joelho.” É mole? A operação foi um sucesso e Missy já está livre para receber todos os mimos a que tem direito. Quer ler mais sobre o assunto em português? Clique aqui. Está com o inglês em dia e quer ler a matéria do Telegraph, então clique aqui. Ou aqui para lê-la no Daily Mail. Continuando com os peludos, mas mudando agora para os cães… Assista os vídeos abaixo sobre o resgate de um pastor alemão em Los Angelos, EUA. O primeiro vídeo tem narração em português, mas se você quiser ler mais sobre o resgate em inglês, inclusive a declaração do bombeiro mordido que desceu para buscar Vernon, clique aqui. E para ver o fofonildo apelidado de Vernon seco, descansando e já com fila de espera de adotantes (será doado caso sua família não apareça – não tinha identificador nem microchip), assista a matéria abaixo: Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. […]

    Robo-cat: Missy, a gatinha biônica e Vernon, o resgatado!

    27 de janeiro de 2010Fugas, Gatos, Notícias

    Brindle fofo, num “antes e depois”… De acordo com a Humane Society um em cada três cães termina perdido! Um em cada três! Uau! Me admira que num país com tradição de microchipagem bastante grande e antiga como os Estados Unidos ninguém teve a boa ideia de levar o peludo amado num veterinário para descobrir se ele era chipado ou não nestes dez anos em que ele ficou perdido! Mas isso mudou quando uma pequena com grande coração cruzou o caminho de Brindle, o cão perdido! Bom, resumindo: uma meninha amada de 8 anos, Tristan Rohde, achou o velhinho Brindle na rua e achou até que ele estivesse morto. “Se eu não o recolhesse, ele estaria lá neste momento, sem família, sem amigos, sem nada.”, ela informou à repórter! Coisa amadaaaa! Depois que a família dela o levou a veterinário que tinha a leitora de microchips e descobriu que ele era de outro estado! Acharam então seu tutor através do site de relacionamentos Facebook e agora Brindle espera alta médica para poder finalmente voltar pra casa. O lindo estava desaparecido de 1999, quando sumiu numa noite de final do Super Bowl (jogo final do campeonato da liga de futebol americano, famosíssimo no país). Entrevistado também, seu guardião alega que Brindle é muito inteligente e sabia abrir portas… Deve ter saído para dar uma voltinha e foi achado por alguém, que o carregou pra tão longe… Vai saber se nestes dez anos ele não tem tentado voltar pra casa, vagando por aí, pobrezinho! Com a história de Brindle aprendemos duas lições: a importância de um identificador de pescoço em nossos cães, e também a importância do uso do microchip. Daqui a algum tempo será bastante comum aqui no Brasil pessoas encontrarem cães e gatos e os levarem a um veterinário que […]

    Menina de 8 anos salva cão à beira da morte. Detalhe: ele estava desaparecido desde 1999!

    8 de outubro de 2009Campanhas, Fugas, Notícias, Vídeos

    Na Cão Terapia do sábado passado, recebemos a visita pra lá de especial da Cris Scalabrin, autora do ÓTEMO Cachorro Paraguaio e clicando aqui você lê o post que ela fez sobre a experiência. Cris e eu, felizes da vida… (Foto: Sérgio Parisi) Abaixo, lemos sobre outra visita a um CCZ que, como o nosso de Floripa, não permite o sacrifício de animais saudáveis como controle populacional e que também tem tudo para gerar bons frutos para os animais! VENÂNCIO AIRES Cidade conhece exemplo para tratamento de cães Representantes da administração de Venâncio Aires visitaram o município vizinho de Lajeado, semana passada, e conheceram a alternativa encontrada pela cidade para o acolhimento e tratamento de animais abandonados e vítimas de maus-tratos. O secretário municipal da Saúde, Vilson Gauer e o vice-prefeito e secretário municipal de Planejamento, Giovane Wickert, estiveram no Centro de Controle de Zoonoses e Vetores (CCZ), que funciona no Bairro Moinhos D’Água desde junho de 2008 e é pioneiro na região dos vales. Construído através de investimentos estimados em R$ 100 mil, o CCZ possui 14 baias para o abrigo temporário de até 34 cães. No entanto, o lugar já chegou a abrigar 70 animais vítimas de maus-tratos. Sem permitir o sacrifício de animais, o controle da população canina é feito com a ajuda da comunidade lajeadense. “A história de vida e a fotografia dos cães são publicadas semanalmente no jornal local, que ajuda a sensibilizar a população para a adoção”, explica a estagiária Bruna Baratto. De janeiro a março deste ano, 44 cães do CCZ foram adotados. Para tanto, além de garantir carinho e os cuidados necessários a um animal de estimação, o novo dono precisa preencher um termo de compromisso de adoção garantindo que aquele animal não retornará às ruas. O cão sai do centro com […]

    Aqui ou acolá, felizmente as novas são boas!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados