• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Fotos das ‘acomodações’ de um comerciante explorador de gatos persa que foi denunciado através de Boletim de Ocorrência à Diretoria do Bem-Estar Animal de Florianópolis.22 gatos persas, entre adultos e filhotes, e uma cadela pinscher foram resgatados, serão castrados esta semana e estarão disponíveis para adoção.Para adotar os gatos, ligue em horário comercial para (48) 3237-6890 A foto que ilustra o cartaz abaixo é do mesmo local das fotos acima. Clique nas imagens para ampliá-las.Copie o cartaz e o divulgue, muito! Sabe quando você passa em frente à vitrine daquela petshop linda, colorida e que sempre tem filhotes fofos de cães e gatos à venda?Sabe quando você abre os classificados dos jornais ou acessa sites de vendas de produtos e encontra anúncios e mais anúncios de venda de animais e outros nojentos, do tipo “Compro ninhadas de filhotes de cães e gatos”?Sabe quando você vai a feiras de filhotes, tão bem montadas, com veterinário presente, com alvará municipal para funcionamento etc.?Sabe quando você sai para passear com a família e encontra aquele casal simpático, e articulado vendendo filhotes de cães no porta malas do carro ou em caixas e grades sobre a grama? Então agora olhe bem as fotos e o cartaz que ilustram este post, pois eles mostram apenas um dos inúmeros casos de exploração de animais de estimação, subjugados e tratados como verdadeiras fábricas de dinheiro e tenha absoluta certeza de que por trás de tanta fofurice, de tanta pretensão de estar fazendo um ‘bom negócio’, há crueldade, desrespeito e muiiiito, muito sofrimento animal. Quer comprar um cão ou gato? Então, antes de mais nada, vá pesquisar sobre a raça para poder saber se a pessoa que a cria realmente a conhece, estuda e aprimora, vá pesquisar depois com muito critério os que se dizem criadores da mesma, […]

    Fazendas de filhotes: elas estão mais perto do que você imagina

    O Vieira, leitor assíduo e participativo aqui do blog, combinou já há algum tempo comigo de mandar as reportagens dominicais que lê no jornal Folha de SP. Nem sempre as publico porque às vezes elas simplesmente não são relevantes ou condizentes com a temática do Mãe de Cachorro. Hoje, ele mandou a matéria e também um recadinho “Estou te mandando mesmo pq combinei de todo domingo enviar a reportagem da semana para você, às vezes aparece algo realmente interessante, mas acho que não é o caso“. Não, caro colega Vieira, definitivamente não é o caso. Mas vem aqui para o blog por um motivo muito simples: ilustrar como existem pessoas totalmente alienadas da realidade, não só a social, onde vemos diariamente incontáveis animais sofrendo nas rua, mas também a do seu próprio animal, que está sendo exposto à tortura psicológica diária de querer procriar por um simples capricho de sua tutora desinformada que ainda não o castrou, o que, como bem sabemos, acabaria com seu sofrimento muito mais do que se ele cruzasse todo santo dia com várias cadelas e ainda evitaria incontáveis filhotes nascendo em um mundo onde eles simplesmente têm muito mais chances de ter uma vida ruim do que uma feliz. Gostaria que todos vocês clicassem nas imagens abaixo para ampliá-las e ler a matéria e, depois, prosseguirem com a leitura do post. Clique nas imagens para lê-las. Gente, mais do que irritada, estou é profundamente triste.Se uma jornalista famosa, reconhecida, com coluna diária em um dos jornais de maior circulação no país sabe zero a respeito de castração e de seus benefícios e, pelo que podemos depreender de seu texto infeliz (que ela tenta fazer passar por “bonitinho”), também sabe zero sobre a importante questão da superpopulação de animais de rua e do abandono de animais […]

    Tudo que ele precisa, ela não sabe!

    Peguei a matéria e a foto no portal Terra, mas é tudo do The New York Times [clique pra ler a reportagem original]. Respiro fundo antes de começar a comentar, porque é tanta besteira num espaço só que chega dar uma dor no coração: aborto de fetos de meninas, cães “gays”, preferência por machos, castração fora de questão e por aí vai. Só uma pergunta: e quando esses infelizes conseguem cruzar seus amadíssimos cães machos e nascem filhotes fêmeas, acontece o quê com elas? São mortas como fazem com suas próprias filhas humanas? Isso é pra gente ver, como sempre dá pra piorar as coisas… Com vocês, a bomba: Seus rostinhos solitários aparecem nos anúncios, envergonhados e procurando por amor. “Oi, meu nome é Musti”, diz um cartaz. “Sou um bom partido, educado e atraente. Preocupo-me com a saúde e adoro cenouras. Sou um homem de uma só mulher e prometo cuidar bem de você.” E lá está Foster, com sua papada e olhos cobertos por pálpebras espessas. “Foster se recusa a comer até que encontremos uma namorada para ele!”, declara o cartaz. Na Índia fissurada em matrimônios, onde o casamento é um evento central da vida, esses cartazes poderiam ser facilmente de solteirões de pequenas cidades em busca de amor, pressionados pelos pais ansiosos por uma noiva. Mas a moça adequada que esses solteiros procuram é peluda e quadrúpede. Encontrá-la, no entanto, não é fácil. “Tenho procurado por meses, mas sem sorte”, disse Kunal Shingla, que está atrás de uma parceira para Foster, seu basset hound de dois anos. A elite de Nova Déli há tempos aprecia cães de raça pura e, com mais indianos se tornando parte da classe média, ter um cão pomerânio, shih tzu ou mastim napolitano preso à coleira virou um símbolo de nova riqueza […]

    Parem o mundo que quero descer, por favor! "Agência de matrimônio casa cães emergentes na Índia"

    Para quem é aqui da Grande Florianópolis, não é novidade o drama dos animais em Palhoça. E por enquanto eles só contam com a ajuda de protetores independentes e da Amigos e Protetores dos Animais de Palhoça (APRAP). Lembrando que as pessoas podem ajudar a APRAP contribuindo financeiramente com qualquer valor, apadrinhando castrações a partir de R$ 60,00 (sessenta reais), doando produtos e/ou serviços (impressão de folhetos, bunners, remédios, rações, potes de água/comida, casinha ou transporte de animais etc.), doando algumas horas de seu dia participando dos eventos de adoção, fazendo transporte de animais e divulgando o endereço www.bichoderua.blogspot.com e o orkut Cães e Gatos APRAP para que outras pessoas possam não só conhecer e ajudar os animais através da APRAP, mas também adotá-los e, mais importante de tudo, aprender sobre a causa para que possam ensinar e assim educar mais e mais pessoas! Os depósitos devem ser feitos somente na conta da APRAP (ninguém está autorizado a recolher nehuma doação em nome da APRAP).Banco do BrasilAg. Palhoça 2383-3cc 19.999-0, podemA P ANIMAIS PALHOCA APRAPCNPJ (para quem quiser fazer DOC/TED): 08.187.936/0001-85Contatos: (48) 8415-8845 / aprap.palhoca@gmail.com Entrevistei por e-mail a Shalma, diretora da ONG, para que pudéssemos ter uma noção de como andam as coisas por lá, confira! Mãe de Cachorro: Qual é a situação dos animais de rua e/ou vítimas de maus-tratos em Palhoça hoje? APRAP: É precária, de total abandono e descaso porque não existe nenhuma política pública de bem-estar animal e nem mesmo preventiva com relação às zoonoses. Mãe de Cachorro: Existe alguma política pública que trate do problema? APRAP: Embora a APRAP tenha conseguido incluir no orçamento para 2009 uma emenda coletiva dos Vereadores de Palhoça no valor de R$175.000,00 (cento e setenta e cinco mil reais) além dos R$55.000,00 (cinquenta e cinco mil reais) anteriormente alocados […]

    Alô prefeitura de Palhoça!!! Vamos cuidar dos animais também?

    Ainda bem que há sempre um blog amigo com um post pra lá de interessante quando estamos sem tempo pra criar, hehehe! Tal e qual publicado no blog da Lord Cão (apenas com a ilustração por minha conta) , aí vai uma matéria que todos deveriam ler. E para ficar por dentro do que passam muitas pessoas que compram cães de comerciantes de animais, clique aqui e leia os comentários do post que mais tem participação dos leitores do Mãe de Cachorro. As observações em itálico/vermelho são da autora. Saiba a diferença entre criador e comerciante Antes de tudo, a diferença entre um criador responsável e um criador puramente comercial não tem relação direta com a quantidade de cães. Pode haver um criador comercial com 1 cão ou com 200, e o mesmo raciocínio pode ser utilizado com um criador responsável. A diferença básica é a ética. A ética, o respeito para com os cães e o objetivo final da criação. Veja abaixo com mais detalhes. UPDATE: Esqueci de comentar que se ninguém comprasse dos comerciantes de cães, esse mercado negro dos filhotes piratas se extinguiria e apenas criadores responsáveis gerariam ninhadas para venda. Aqueles que não achassem justo o preço cobrado pelos criadores, os que não concordassem em pagar por um filhote ou os que simplesmente não pudessem fazê-lo teriam sempre a opção de adotar um cachorro. Cada cão adotado é um a menos que escapa da morte certa. Essa política beneficiaria a todos, humanos e peludos. COMERCIANTE/FABRICANTE DE CACHORROS CRIADOR RESPONSÁVEL 1. Motivos para criar: diversão, bom para as crianças, para ganhar dinheiro (ou para recuperar o valor gasto com o cão). Não filtra compradores e raramente recusa uma venda, mesmo se o comprador for inadequado (só quer saber do dinheiro e não se preocupa com o destino […]

    Criador ou comerciante?

    Acredito ser este um assunto que interessa a todos que estão verdadeiramente preocupados com cães e gatos vítimas de abusos, vendidos em porta-malas de carro, mantidos escravos uma vida inteira com o único fim de reproduzir e encher os bolsos de seus exploradores de dinheiro. Até mesmo a ínfima minoria dos criadores sérios tem interesse absoluto no assunto, pois também eles não concordam com toda esta maldade. Para quem não está convencido, ou simplesmente não acredita, vale ler abaixo e assistir o vídeo ao fim: A indústria de filhotes e seu impacto no abandono e no sofrimento dos animais – a coisa anda feia por aqui também, conforme atesta esse artigo no site da ARCA Brasil, que alerta para o comércio irresponsável de filhotes em nosso país: “por impulso ou falta de informação, muita gente compra um filhote, apenas porque viu uma carinha fofa na vitrine. Alguns sequer têm tempo para dedicar ao animal, outros simplesmente não estão preparados para os gastos ao cuidar dele. Mas aí a coisa já está feita, e a solução é ‘dar para alguém’, ou pior, o abandono.”Comércio de animais de estimação (Parte I) – artigo de Greicy Pantoja, escrito pra o site Cãozinho Legal, que procura orientar sobre a compra de filhotes, de forma a evitar os criadores inescrupulosos.Stop Puppy Mills (em inglês) – site criado pela HSUS (The Humane Society of The United States). O título já diz tudo. No ranking mundial do mercado de pets, os EUA reinam soberanos na primeira posição. Por lá, as estimativas são de que o ano de 2007 feche com um faturamento recorde, ao redor US$ 41 bilhões. Para se ter uma idéia da magnitude disso, no Brasil, país onde vemos uma proliferação bem acelerada de pet shops, bem como de produtos e serviços para animais de […]

    Fábricas de filhotes (Puppy mills).

    Eu, particularmente, acho que a lei deveria valer para TODAS as raças de cães e gatos! Comprou? Adotou? Tem que castrar! Somente alguns poucos canis teriam direito a vender animais e seriam regularmente inspecionados, sendo que os cães e gatos deveriam ser vendidos já castrados. Já há criadores decentes que fazem isso, só que custa mais caro, claro, por que fica-se com o filhote muito mais tempo, gerando despesas de alimentação, hospedagem e cuidados veterinários, mas é só botar a conta toda no preço final e quem ainda tiver coragem e vontade de comprar ao invés de adotar, que pague o preço, oras! Imaginem que sonho se cães e gatos fossem vendidos a milhares de reais e já castrados! Acabava essa palhaçada de cães da moda, acabava essa procriação amadora de particulares, acabava a exploração dos animais, acabavam as fábricas de filhotes, as feiras de porta-malas! E, como continuariam sendo criadas seriamente, as raças não seriam extintas, só controladas, e os milhões de animais de rua achariam um lar com muito mais facilidade. Não acho que o extermínio de uma raça que só faz as barbaridades que faz porque é explorada por humanos ignorantes, violentos e sociopatas, seja solução. Mas, enfim… AGORA É LEI O Governador de Santa Catarina, Luis Henrique da Silveira, sancionou a lei de autoria do deputado Marcos Vieira que proíbe a criação e comercialização de cães pitbull, bem como das raças que resultem de seu cruzamento, por canis ou isoladamente em todo o Estado. Veta também a circulação de pitbulls sem focinheiras, ou guiados por menores de 18 anos, em ruas, praças, jardins e parques, nas proximidades de hospitais, ambulatórios e unidades de ensino público e particular. Prevê ainda a esterilização (castração) de todos os cães da raça pitbull, a partir dos seis meses de idade. […]

    "Lei dos pitbulls"

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados