• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Existem várias atitudes que podemos tomar para evitar que nossos amados peludos sofram com um dos crimes mais covardes cometidos contra os animais: o envenenamento. Como sempre, a boa educação é uma das armas que podemos usar a nosso favor, pois cães que têm um comportamento socialmente mais aceitável (não latindo em excesso, não ficando soltos para urinar e defecar pelo bairro sem terem os dejetos limpos na sequência etc.) têm muito menos chances de serem alvos de envenenadores que “justificam” suas ações por retaliação. Infelizmente, contra os envenenadores seriais, que são simplesmente assassinos em série que saem exterminando seres vivos, não há muito a ser feito, pois eles costumam atacar ruas e bairros, sem critério algum além de maldade pura e sadismo. Mas que tal ler este texto da Emmanuelle Moraes e aprender algumas dicas para manter nossos peludos mais protegidos desse tipo de crime? Vejam um pedacinho do que ela traz para os leitores: Gostaria de destacar alguns pontos sobre o assunto que considero que possam gerar incômodos na vizinhança e também com pessoas que frequentam a região, devendo ser evitados para minimizar as chances de ter um cão envenenado. Jamais deixe o cão sair para “dar uma voltinha” sozinho! Deixar um cão sair à rua sozinho serve para uma porção de coisas, entre elas:  economizar tempo e energia do tutor (irresponsável),  possibilitar que o cão revire lixo alheio,  possibilitar que seu cão seja atropelado e provoque acidentes com automóveis, contribuir para o aumento de cães abandonados oriundos de crias indesejadas, e também que pegue doenças, possibilitar que o cão agrida pessoas … Clique aqui para ler o texto inteiro.

    Dicas para seu cão não ser envenenado!

    Desta vez recorri à querida amiga Emmanuelle Moraes, educadora canina, para responder a dúvida deixada em um comentário do post “Dormir junto ou não? Eis a questão!” “Olá eu tenho uma duvida,tenho uma cadela de 5 meses e ela come tudo que esta no chao os brinquedos dela vive com sujeira ate cabelo eu queria uma ajuda como faço para ela para de comer tanta besteira” Jaqueline Prevdel EXCLUSIVO: Olá Jaqueline, Primeiro é importante que você entenda a fase pela qual sua cadela está passando. Trata-se de um período de desenvolvimento físico e social recheado de muita energia e, se tal energia não é gasta de maneira direcionada por você, ela irá encontrar uma forma de fazer isso, mesmo que sozinha. É natural que sua cadela de 5 meses coloque os objetos que encontra pelo chão na boca, já que é assim que os cães exploram o ambiente. Cães precisam de passeio e estímulos físicos e mentais diariamente! Apenas oferecer um grande quintal e muitos brinquedos não é suficiente. No entanto, é possível canalizar/direcionar essa energia! Indico a utilização de Kongs e outros tipos de brinquedos dispensadores de alimento,  diariamente, em vez de oferecer a refeição de forma facilitada no pote de comida. Ossos recreacionais também são indicados e podem ser oferecidos uma vez por semana. Outra opção é espalhar a ração pelo chão ou grama (seca) a fim de que ela tenha que farejar para encontrá-la. É importante revesar os brinquedos ofertados de forma a mantê-los sempre interessantes. Por exemplo, se ela possui 10 tipos de brinquedos, ofereça 4 num dia e 4 no outro. Encontrar “amiguinhos” para que ela possa interagir com outros animais de sua espécie também é uma importante e saudável forma de gastar a energia da sua cadelinha e socializá-la. Incluir passeio de 40 minutos, […]

    Dúvida do leitor: como evitar que filhotes comam tudo que encontram pela frente?

    26 de setembro de 2013Adestramento, Emmanuelle Moraes

    Este e-mail foi postado em 2011, mas quero chamar a atenção de todos não só para o assunto, mas principalmente para os links indicados ao fim, pois distrair nossos cães enquanto eles ficam sozinhos em casa é fundamental para a saúde física e mental deles, assim como para evitar 90% das reclamações que recebo das pessoas sobre comportamento de seus animais. A leitora Aime deixou a seguinte dúvida nos comentários aqui do blog. Até respondi com algumas dicas, mas depois fiquei pensando que isso valia um post, então pedi pra Emmanuelle, do blog Educadora Canina, escrever algo pra nós sobre o assunto. Olá!!!!! Tenho dois cães que tem 11 meses. E não sei mais o que fazer, não há nada que eu coloque na casinha deles que se mantenha lá!!!! Eles são hiperativos (existe ultrativos?!rs). O que acontece é que seja cobertorzinho, toalha, jornal…. TUDO o que for que se coloque lá, quando começa a amanhecer o dia eles arrancam de lá de dentro e usam pra brincar. Resultado? O que quer que seja, é picado em pedacinhos e não há como usar novamente (além de ficar cheio de xixi e coco). Existe alguma sugestão que você conheça pra me ajudar?! EXCLUSIVO: Oi, Aime! Faltam muitos detalhes sobre os seus cães, informações que são importantes para uma melhor definição da fase em que eles se encontram, como sexo, raça e porte. De qualquer forma, você está com uma “dupla animada” na sua casa! É como ter dois adolescentes carregados de muita energia. Infelizmente, não existe nenhuma “receita milagrosa” para o “probleminha” pelo qual você está passando, algo mágico que vá resolver a situação de uma hora para outra com pouca dedicação da sua parte. Mas existe um conjunto de medidas que, realizadas, irão suprir as necessidades dos seus peludos e canalizar […]

    Dúvida do leitor: Como evitar que filhotes destruam coisas?

    A Emmanuelle Moraes iniciou um trabalho excelente no blog dela. Segue o resumo do primeiro post da Série. Continue a ler clicando aqui. Quer ler os outros posts da Emmanuele aqui no blog? Acesse: http://www.maedecachorro.com.br/category/emmanuelle-moraes Decidi iniciar a Série de Posts: “Bem-estar animal dentro de empresas do ramo Pet”, chamando a atenção para a qualidade das hospedagens que estão à disposição no “mercado”. Quando você decide viajar e precisa hospedar o seu animal de estimação como é o alojamento que escolhe para deixar o seu melhor amigo? Pensando em alertar tutores de cães para que não apenas não sejam lesados, mas também evitem deixar o seu cão em um local onde, na verdade é um “campo de concentração” e não um hotel. Quando for visitar uma clínica, Pet Shop, Hotel ou qualquer outro estabelecimento que ofereça o serviço, atente para os seguintes detalhes: ESPAÇO ONDE O PET IRÁ FICAR TEMPERATURA AMBIENTE TEMPO DE CONFINAMENTO HIGIENE DO LOCAL ESTÍMULO MENTAL A melhor opção é pegar referências de outros clientes acerca do local. Mas pegue referências de pessoas que cuidam de um cachorro assim como você cuida do seu. Mesmo assim, atente para todos os detalhes acima. Evite deixar o seu cão em um “campo de tortura” enquanto viaja! Emmanuelle Moraes Educação Canina (48) 9994-8603 (Florianópolis/SC) www.educadoracanina.com.br Facebook: Educadora Canina – Emmanuelle Moraes

    Segurança de cães e gatos junto a profissionais do ramo pet!

    Assim como sempre digo que “quem ama, castra”, digo também que “quem ama, educa”. E educar um cão passa por socializá-lo corretamente. Fico a.p.a.v.o.r.a.d.a. quando alguém me diz que tem um cachorro que nunca sai de casa. Cães precisam interagir, ser expostos a tudo e a todos, enfim, viver! E viver passa por conviver em sociedade com equilíbrio e boa educação. Praticamente todos os pedidos de socorro que recebo relacionados a “adestramento” acontecem por culpa dos humanos envolvidos e de sua quase absoluta falta de conhecimento sobre comportamento canino e suas necessidades especiais. Se você quer conviver com um cão psicologicamente saudável, precisa estudar e conhecer princípios básicos de comportamento canino, não há outro modo. A socialização é o mais importante de todos. Mais um texto exclusivo da Emmanuelle Moraes para o Mãe de Cachorro. Boa leitura! Outros textos da Emmanuelle no blog: http://www.maedecachorro.com.br/category/emmanuelle-moraes Existe uma regra de ouro na educação canina, chama-se: SOCIALIZAÇÃO. Invistam em socialização! Normalmente, as pessoas querem saber como melhorar o comportamento do seu cão, como resolver certo problema, ou como educá-lo corretamente diante de determinada situação. O ideal não é trabalhar na resolução de problemas comportamentais, mas na prevenção. Se desejar que a relação com o seu cão seja como sempre sonhou, terá que prepará-lo para isto. Por muito tempo, associou-se a ideia de que para se ter um bom cachorro era necessário adestrá-lo. O animal poderia ser enviado a uma “escola” ou ser treinado por um adestrador e, ao fim, ambos iriam entregá-lo “pronto” com os “comandos de adestramento”. A ideia era quase como ter um “robô programado”. O adestramento tradicional ocupou-se de ensinar os famosos “comandos” ao cão. Ensiná-lo a andar junto do condutor, a “dar a pata”, a rolar, a fingir estar morto e à usual posição de “cumprimentar”, sempre foram o […]

    A receita para o cão perfeito: socialização!

    Textinho bem pertinente da Emmanuelle. Aqui em casa vario. Se o Shoyo simplesmente pula, mando descer. Só deixo dormir comigo quando eu chamar. E é batata, se ele dorme demais comigo, fica um grude, chora quando saio, a ansiedade por separação ataca forte. Então, para que ele seja mais psicologicamente equilibrado – e feliz – vou dosando e alternando. Às vezes pode, às vezes não. Já a Javinha (Javalicious!!!) não dá bola e é a rainha absoluta do sofá, então só dorme muito raramente, quando quer. O Shoyo, se deixo, cola em mim. Depois, fica tremendo quando vê que vou sair de casa, berra desesperado quando volto etc. Ou seja, não dá pra incentivar esse descontrole e ele não poder dormir tanto comigo melhora demais essas crises de apego exagerado. Não há problema em permitir que os cães durmam na cama com os seus tutores quando isto é da vontade dos mesmos. Porém, ter o controle da situação é fundamental. Para aqueles que gostam de tal hábito, é importante que o cão só suba na cama quando permitido, bem como, desça dela quando solicitado. O que não faz sentido é o cão ter o acesso livre e não seguir nenhum ordem\comando do tutor. Existem casos que chegam a prejudicar o casamento, o namoro … É muito importante estabelecer as regras da casa e fazer com que sejam cumpridas. Lidar com a frustração de não poder fazer algo faz parte da vida de qualquer animal, seja ele humano ou não. Percebo uma preocupação exagerada de algumas pessoas em não permitir que o cão “sofra” qualquer limitação. Assim como é mais agradável estar próximo a crianças educadas e, é um tanto desagradável a presença das “mimadas” com os cães também aplica-se a mesma regra. Emmanuelle Moraes Educação Canina (48) 9995 – 0144 […]

    Dica rápida: cães dormindo na cama!

    Mais um texto da Emmanuelle Moraes pra nós! Quero só fazer um comentário: faltou luz no meu trabalho dia desses e todo mundo foi dispensado pra sair mais cedo, menos eu, que fiquei até o final do expediente para atender ao telefone (que nunca tocou, claro). Enquanto eu permanecia entediada, mesmo usando a internet no celular pra me distrair, lembrei dessa questão dos cães que passam horas e horas sozinhos. Acho que todo mundo que tem cães e gatos. deveria experimentar esse tédio de horas a fio em um ambiente sem nada pra fazer… Aposto que em seguida a pessoa arrumaria maneiras de ajudar seu amigo de patas a ter algum entretenimento em suas ausências. Recomendo! Com frequência comento sobre o isolamento social, e qual o reflexo na vida de um cão. Dificilmente um cão que convive com outros, que possui o tutor presente no seu dia-a-dia apresenta problemas. O cachorro é um animal social. Não é da sua natureza permanecer isolado. Cães que ficam sozinhos o dia todo tendem a: estragar objetos na casa,  cavar buracos,  latir excessivamente, uivar, ter depressão, e outra coisas No momento em que optou por trazer um animal de outra espécie para a sua casa, é sua a responsabilidade de garantir que o cão possa desenvolver os comportamentos inerentes a sua espécie. O ritmo de vida tem sido cada vez mais corrido, mas o mercado já oferece serviços que suprim a ausência dos tutores e garante qualidade de vida ao cão, alguns exemplos são: Passeadores de cães, babás de animais de estimação, Day care/ day care home (creche para cães) Não deixe o teu melhor amigo sozinho por mais de 6 horas por dia. Pense antes de decidir ter um cão. Você pode levá-lo ao trabalho ou junto com você nos lugares em que […]

    A solidão e os cães…

    A Emmanuelle Moraes tem postado vários textos curtos, práticos e úteis sobre educação canina na página dela no Facebook. Então, tive a ideia de convidá-la a divulgar este material aqui no Mãe de Cachorro, pois a saúde animal passa pela saúde psicológica e este assunto tem tirado minha tranquilidade já não é de hoje. Divulgarei textos que ela me manda, alguns feitos com exclusividade aqui para o Mãe de Cachorro, outros já divulgados por ela. Esperamos que gostem! EXCLUSIVO – Acostume o seu cão a ser manuseado não apenas por você mas também por outras pessoas. Ensine-o: A ter a boca examinada, os dentes, A ter as patas tocadas e examinadas entre os dedos, as unhas cortadas, A permitir que as orelhas sejam averiguadas e limpas, A permitir que a cauda seja tocada, A ser escovado Peça para todas as pessoas da casa fazerem o mesmo. Amigos, vizinhos, e pessoas desconhecidas, de sexo diferente, cor e estatura. Assim como, pessoas uniformizadas, de chapéu, cadeira de rodas… Não deixe para resolver isto quando tiver um problema em mãos, por exemplo: quando o seu cão estiver doente e precisar tomar uma medicação, ou que seja feito um curativo em alguma das patas. O ideal é que seja preparado desde filhote para que, quando adulto, não seja agressivo ou inquieto quando for preciso manuseá-lo. Emmanuelle Moraes Educação Canina (48) 9995 – 0144 (Florianópolis/SC) (66) 8124 – 0955 (Rondonópolis/MT) www.educadoracanina.com.br Facebook: Educadora Canina – Emmanuelle Moraes

    Ensine seu cão a ser manuseado.

    25 de Fevereiro de 2013Adestramento, Emmanuelle Moraes

    EXCLUSIVO – Ao ensinarmos um cão a usar coleira e guia e a passear sem nos puxar a ansiedade presente no treinamento não é só do animal, mas também de quem o passeia – assim como a frustração quando as coisas não transcorrem como idealizadas. Mas um “treino de guia” bem feito e seguido de passeios constantes em que seja bem praticado é algo que um cachorro dificilmente esquecerá. As dicas que a Emmanuelle dá no post de hoje, em resposta aos questionamentos que a Fernanda me enviou pelo Facebook, são valiosas. A atitude para quem quer ensinar um cão a andar na guia sem puxar é uma só: PACIÊNCIA. Muita paciência, na verdade! E a dica de ouro: volte um estágio do treinamento se o cão não estiver se comportando como deveria! Leia também: Série Filhotes no Mãe de Cachorro: Caminhando “Junto” Série Filhotes no Mãe de Cachorro: Adolescência Canina Coleira de cabeça: Gentle Leader Boa leitura e ótimos passeios! Dúvida da leitora Fernanda de Lima: “Olá bom dia, estou precisando saber quem sabe uma opinião de vocês… Tenho minha totozinha que uma amiga da minha mãe achou no começo do ano dentro de um buraco e levou pra seu apto. pois ela estava sendo mau tratada não comia etc…. Por não ter lugar pra cuidar dela, a ofereceu pra nós e a pegamos. Ela cresce a cada dia e deve ter em torno de 7 a 8 meses, não sabemos ao certo. Estamos sem saber o que fazer, ela não anda na coleira não adianta, cada vez que tentamos leva-la pra passear é horrível. Ela literalmente me escala e sobe no meu colo chega a ser triste de ver… Fico dias arranhada já tentamos adestra-la funcionou no 1 mês depois mais nada…. minha duvida é? Será que é medo […]

    Dúvida do leitor: Como ensinar um cachorro a passear na guia?

    26 de novembro de 2012Adestramento, Emmanuelle Moraes
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados