• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Na busca por uma vida mais tranquila e feliz, nossos bichinhos de estimação têm muito a nos ensinar. Relaxe, boceje e… aprenda com os gatos! Estresse Você passa um dia sequer sem falar ou ouvir a frase “Estou na correria”? Seja sincero. Usamos para nos desculpar perante outros e até perante nós mesmos o tempo inteiro, explicando porque não demos aquele telefonema, não voltamos para a academia, não lemos aquele livro que tanto queremos e por aí vai… Pensando no que os gatos têm a nos ensinar, seguem seis dicas para aliviar as tensões e encarar a vida de maneira mais leve e agradável. Respire! Basta observar um gatinho para lembrar de respirar, alongar e praticar um pouco de meditação. Sejamos justos com os cachorros, eles também nos ajudam neste ponto. Só no quesito “meditação” é que deixam um pouco a desejar, pois as posturas calmas e quietas são mais comuns aos felinos, não é mesmo? A cachorrada geralmente cai no sono a ponto de roncar ao ficar quieta. Perspectiva Botar as situações, principalmente as que consideramos “problemas”, em perspectiva, é um grande passo para uma vida mais relaxada e feliz. E nos ajuda a tirar o foco do que não podemos controlar. O gato fica lá, de olho na lagartixa, por exemplo… Ela consegue se safar e fugir para longe e o que faz o bichano? Nada. Aceita que já era e paciência. Por que não aprender tanta sabedoria com ele? Há muito em nossas vidas que simplesmente foge do nosso controle. E tudo bem. Cochile! Está ansioso? Olhe para um gato! Gatos passam pelo menos três quartos do dia dormindo. Você não precisa dormir tanto, claro, mas às vezes, parar tudo, nem que seja por cinco minutos, fará toda a diferença no estresse do seu dia e na […]

    Aprenda com os gatinhos a minimizar o estresse diário e a ser mais feliz e relaxado

    —>Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Raça de hoje: Pastor Alemão.* Texto: Michele Welton- Tradução e adaptação: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. O padrão do American Kennel Club diz que o Pastor Alemão “tem uma personalidade distinta, marcada por uma expressão direta e destemida, mas não hostil, é confiante e possui uma certa indiferença que não o inclina a fazer amizades imediata e indiscriminadamente”. Esta é uma ótima descrição do Pastor Alemão ideal/característico. Infelizmente, é muito difícil encontrar um Pastor Alemão ideal hoje. Nos dias atuais, esta raça tem apresentado todo tipo de temperamentos. Linhagens que são cruzadas para trabalhos de guarda e para o esporte schutzhund tendem a ter um temperamento mais rígido e “profissional”. Linhagens exibidas em competições caninas de padrão da raça tendem de calmos e suaves a hiperativos e nervosos ou a absolutamente mudos e “tapados”. E a maioria esmagadora dos Pastores procriados por “criadores” de fundo de quintal e vendedores de filhotes têm temperamentos de risco, além de sofrerem de muitos problemas de saúde graves. Os níveis de energia da raça variam da necessidade de exercícios vigorosos aos cães bastante tranquilos, mas todo Pastor Alemão, sem exceção (a menos que problemas de saúde o impeça), para manter seu porte atlético precisa de uma caminhada rápida todos os dias e de possibilidade para poder correr livre em áreas seguras e, de preferência, cercadas, sempre que possível. Exercícios mentais (aulas avançadas de obediência, aulas de agility, schutzhund, pastoreio, farejamento etc.) é ainda mais importante para o Pastor Alemão do que os exercícios físicos. Esta raça é muito inteligente, pensa por si só e tanto talento é geralmente desperdiçado por pessoas que não sabem lidar com […]

    Guia de Raças no Mãe de Cachorro: Pastor Alemão

    3 de Abril de 2014Destaques, Guia de Raças

    Estimule seu bichano a beber mais água! A falta de hidratação do organismo pode trazer sérias consequências para a saúde dos felinos, principalmente para os que se alimentam e exclusivamente de ração seca, que contém apenas 10% de umidade. Água de beber! A maioria dos gatos não bebe água suficiente. E porque eles são tão (aparentemente) independentes, acabamos achando que sabem sozinhos o que é melhor para sua saúde, como beber bastante água, por exemplo. Mas a falta de hidratação do organismo pode trazer sérias consequências para a saúde dos felinos, principalmente para os que se alimentam exclusivamente de ração seca, que contém apenas 10% de umidade. Doenças Infecções urinárias, cálculos renais e outros problemas nos rins, uretra e bexiga são, infelizmente, cada vez mais comuns nos gatos, resultado de um estilo de alimentação bem longe do ideal para o que nossos bichanos são: carnívoros estritos (animais que deveriam alimentar-se exclusivamente de proteína animal). Mais água Se você alimenta seu gato com rações secas, por favor, adote o máximo possível de medidas para fazer com que ele beba mais água diariamente. Ajudar a aumentar o consumo de água trará vários benefícios: mais água resulta em mais xixi e o gato fica mais saudável, ou seja, todo mundo fica feliz! Estratégias   – Dieta mais rica em água Ração em lata contém mais água e pode ser a maneira mais fácil de fazer seu gato consumir mais água. Se seu gato alimenta-se exclusivamente de ração seca, tente adicionar água ou caldos naturais de carnes. Mas esta opção não vale para quem deixa ração à vontade o dia inteiro, hábito, aliás, não recomendado. Gatos, como os cães, podem e devem comer toda a porção assim que for servida. Continue a leitura clicando na imagem ou aqui.

    Sete dicas para fazer seu gato beber mais água diariamente!

    Dando sequência aos posts para ajudar cães e gatos que comem alimentação industrializada (rações secas ou úmidas), segue a segunda parte do texto escrito especialmente para o Mãe de Cachorro pelas queridas Sylvia Angélico e Gabriela Netto. Lembrando que as dicas abaixo servem para enriquecer a dieta de cães e gatos saudáveis e adultos. Se o seu pet possui qualquer doença ou é um animal idoso, é importante obter informações alimentares diretamente com o seu médico veterinário. Leia também: Como escolher uma boa ração para o meu cão? Texto: Sylvia Angélico, do Cachorro Verde, e Gabriela Netto, médica veterinária do Cantinho Animal (CRMV-SP:19.477) Como enriquecer a ração do seu animal com segurança: Não é nenhum segredo que a maioria das pessoas tem o hábito de acrescentar alimentos à ração de seu peludo, sem maldade; aquele famoso “franguinho sem sal, cozido na água”. Porém, sem o devido conhecimento, podemos causar desbalanços nutricionais que levarão a problemas de saúde, como alergias, obesidade e distúrbios urinários e intestinais nos pets a médio e longo prazo. Veja abaixo os alimentos que podem ser utilizados e os que devem ser evitados para um adequado “enriquecimento” da dieta comercial. Observação: rações de boa qualidade a rigor não necessitam de suplementação, salvo sob orientação do Médico Veterinário. – Esqueça o cálcio. Ele é um elemento muito barato e está presente em teores mais do que adequados em todas as rações, mesmo nas mais econômicas. – Proteína de origem animal é sempre bem-vinda na dieta de carnívoros saudáveis. Você pode acrescentar, por exemplo, uma porção (25, 50 ou 100 gramas, dependendo do porte do animal) de fígado (alimento rico em proteína, vitaminas e minerais) de galinha ou de boi à ração, uma a duas vezes por semana. Cozinhe moderadamente para não acarretar grandes perdas nutricionais, ou ofereça cru, […]

    Alimentos naturais para enriquecer a dieta de cães e gatos que comem ração

    Várias doenças são silenciosas e, quando os animais apresentam sintomas que nos chamam mais a atenção, estão bastante avançadas e podem ser até incuráveis. Dor em gatos Muitas vezes não sabemos interpretar sinais de dor nos gatos, o que atrasa a ida deles ao veterinário em busca de diagnóstico e tratamento. Várias doenças são silenciosas e quando os animais apresentam sintomas que nos chamam mais a atenção, estão bastante avançadas e podem ser até incuráveis. A coluna desta sexta-feira ajudará você a conhecer alguns sinais que poderão ser úteis para decidir se o comportamento do seu bichano está demandando atenção médico veterinária. Irritação Um gato com dor poderá ficar aborrecido e reagir com hostilidade com outros gatos ou até mesmo pessoas que queiram interagir com ele. O animal também poderá reclamar e reagir negativamente ao ser tocado nas partes do corpo onde está com dor. Se um gato estiver com dor na boca, seja por doenças periodontais ou lesões, ele pode parar de repente de comer, ou ao menos de comer certos alimentos que aumentem essa dor. Falta de jeito Se um gato está demonstrando perda na habilidade motora, se cai ao tentar pular, se não consegue andar normalmente em superfícies planas ou se simplesmente não está sendo tão ágil ao se mover quanto antes, pode estar com dor. É difícil ser habilidoso quando se está com dor, principalmente nas articulações. Continue a ler o texto clicando na imagem ou aqui.

    Conheça 6 sinais de dor em gatos!

    É importante considerar vários fatores antes de adotar, inclusive se o cão solta mais ou menos pelo. Mas este fator sozinho não pode determinar a decisão final por este ou aquele animal, pois há fatores mais importantes na escolha. Peludos pelados As pessoas procuram cães que têm fama de não soltar pelo por vários motivos. Algumas procuram um cão antialérgico, que não existe, outras querem ter menos trabalho para cuidar da pelagem de seus animais e outras simplesmente preferem não conviver com pelos largados por todos os lados. Todos os cães soltam pelo diariamente, assim como todos nós soltamos cabelo. Nem mesmo raças como o pelado mexicano deixam de ter pelo ou de soltá-lo. O que existem são tipos de pelagem que caem mais ou menos ou que caem em tufos ou aos montes. Normal Soltar pelos é normal em todos os cães, a queda natural geralmente está atrelada às trocas de estações do ano e suas mudanças climáticas. Ela também depende da qualidade de alimentação do animal, de sua imunidade e saúde geral e até mesmo exposição ao sol. Situações como parto, estresse, viagens, doenças e alergias também farão o cão soltar mais ou menos pelo. Uma pelagem curta não significa que o cão solta menos pelo, veja os pugs, por exemplo. E uma pelagem longa também não, lembre do pastor alemão. Continue a ler clicando na imagem ou aqui.

    Existem cães que não soltem pelo?

    Quando começamos a estudar seriamente a questão de alternativas mais saudáveis e naturais para cuidar de nossos peludos, termina sendo inevitável conhecer outros assuntos que não o principal pesquisado. Através dos meus estudos sobre alimentação natural, acabei caindo em outras matérias e gostaria de compartilhar uma delas com vocês hoje: o excesso de vacinação de cães e gatos. Estou ensaiando este post há tempos. Depois de muito ler, decidi que na verdade tudo o que eu poderia dizer já foi muito bem colocado por outras pessoas, em especial pela Carmen Cocca, médica veterinária autora do blog HomeoPatas e pela Sylvia, do Cachorro Verde. Também parabenizo o trabalho da Camilli Chamone, que estuda o assunto (e muitos outros relacionados a cães) com afinco.Para quem não tiver paciência de ler tudo, fique apenas com a informação de que há anos o protocolo vacinal oficial nos Estados Unidos orienta que os reforços das vacinas sejam aplicados a cada três anos e não anualmente. Só isto já diz muita coisa e ao menos deveria fazer com que nós, pais e mães de peludos, ficássemos mais atentos e questionássemos mais os profissionais que não estudam o tema e que continuam colocando interesse$ financeiro$ à frente da promoção real de saúde de seus pacientes.Em nenhum momento apoio a auto-medicação e minha recomendação será sempre a de procurarmos um veterinário competente para decidir sobre questões envolvendo a saúde de nossos peludos, mas infelizmente há que se reconhecer que há profissionais e “profissionais“, e que temos que estar bem embasados e conscientes para poder achar os que realmente querem ver nossos filhos saudáveis, afinal, “a saúde é subversiva porque não dá lucro a ninguém” (Sônia Hirsch).Quer entender por que você deveria se preocupar com este assunto? Você sabia que vários autores e pesquisadores, entre eles veterinários com experiênciae […]

    Vacinação anual de cães e gatos: é mesmo necessária?

    28 de Março de 2010Destaques, Vacinação
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados