• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Estamos chegando a mais um final de ciclo e mês que vem o blog completa 8 anos!!! E com todas as energias que o Natal e o Ano Novo trazer, todos os sentimentos e emoções, muitas vezes ficamos tristes, pois apesar de haver no mundo muito amor e concórdia, ainda há muito mais sofrimento e dor. Então, para nos ajudar a focar nas energias positivas e a a aumentá-las, segue o lindo relato da Mariana, uma leitora querida que há alguns anos acompanha o Mãe de Cachorro no blog e nas redes sociais e que mantém contato e tem sempre uma palavra de carinho e alguma novidade boa para contar. Fiquei muito emocionada com o relato dela, imaginando a dor de ter sofrido tanto assédio moral durante a gravidez por um motivo que deveria ser comemorado, não criticado: a decisão de manter a guarda responsável de suas duas cachorrinhas mesmo após saber que estava grávida de gêmeos. Que seu belo exemplo ajude outras grávidas a manterem-se firmes e a não desistirem de suas famílias, pois há inúmeros casos de como os animais de estimação salvaram a vida de bebês, de crianças e de adultos. Eles são anjos em nossas vidas, não um fardo, ou algo descartável. De: Mariana Bergamo Para: anacorina <anacorina@maedecachorro.com.br> Enviadas: Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2014 17:45 Assunto: Mãe de cachorro e mãe de gêmeas! Oi Ana, tudo bem?  E Javinha e Shoyo? Bom, faz algum tempo que não consigo ler seu blog, mas o motivo você vai entender.. A turminha aqui em casa aumentou demais e o tempo da mãe aqui ficou escasso! Kkkk Portanto, não sei se você já falou sobre isso no blog, mas eu gostaria de te contar a minha história. Se você achar que é bacana e que pode ajudar outras mães de cachorros graávidas, eu adoraria que fosse publicada. […]

    Final Feliz: Mãe de cachorro e mãe de gêmeas. Um post sobre grávidas, amor e cães!

    A coluna desta semana e a da próxima trarão as perguntas mais frequentes sobre cães em 2014. Boas festas a todos! Retrospectiva Nas duas últimas colunas de 2014 lembrarei algumas das dúvidas mais frequentes que recebo. A coluna Mãe de Cachorro deseja a todos os leitores e a seus animais de estimação uma excelente Ano-Novo repleto de informações e estudos, pois por meio da educação podemos trazer mais qualidade de vida e saúde a nossos entes queridos, sejam pessoas ou bichinhos. Ossos enterrados Enterrar comida era uma necessidade frequente aos antecedentes dos cães. Uma caça bem sucedida podia resultar em mais alimento do que suas barrigas conseguiam suportar. Ao enterrar ossos, eles tentam não apenas guardar o alimento, mas mantê-lo “fresco” por mais tempo. Mesmo com refeições regulares e satisfatórias, muitos peludos ainda guardam este costume ancestral. Conhecer amigos Apresentar cães pode ser uma experiência tensa e até mesmo arriscada. Fazer as apresentações dos animais em locais neutros e passear com eles por bastante tempo em seguida, oferecendo carinhos para recompensar bom comportamento, tornará tudo mais fácil. Alimente-os em ambientes separados depois que chegarem no local onde conviverão juntos e limite suas interações sem supervisão até que uma ordem natural tenha sido estabelecida por eles próprios. Continue a ler clicando aqui.

    Retrospectiva das dúvidas mais frequentes sobre cães em 2014.

    A doença não tem cura, mas pode ser prevenida e controlada. Diabetes felina O número de casos de diabete em gatos está aumentando, especialmente adiabetes mellitus do tipo 2, a mais comum entre os bichanos. A doença não tem cura, mas pode ser prevenida, ou controlada. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que ajuda a converter comida em energia, a ser absorvida e usada pelas células. Na diabetes do tipo 1, o pâncreas não produz insulina suficiente. Na do tipo 2, o corpo é incapaz de usar a insulina produzida. Quando não tratada, oo tipo 2 pode desenvolver para o tipo 1, muito mais arriscado. Magreza Um gato diabético pode ser bem alimentado e cuidado e ainda assim parecer que passa fome, pois a comida que ingere não é convertida na energia que seu corpo precisa. Embora qualquer gato possa ficar diabético, os machos com sobrepeso/obesos e mais velhos são os mais propensos a desenvolver a doença. Sobrepeso Independentemente do gênero, gatos obesos ou com sobrepeso correm mais risco de desenvolver diabetes.  O excesso de peso em si não causa a diabetes, mas cria as condições em que a digestão e os sistemas de filtragem do corpo são sobrecarregados. A pancreatite (inflamação do pâncreas) em gatos pode limitar ou inibir a produção de insulina e é ainda mais comum nos animais gordinhos, ou obesos. Sintomas Mudanças no apetite, urina frequente, aumento da sede e variações de peso são os sintomas mais evidentes. Não importa quanto ou quão bem o gato coma, quando o nível de insulina não está adequado, o corpo não obtém a energia necessária. Em estágios iniciais da doença o animal tenta compensar a falta de energia comendo mais, mas com o tempo, o corpo começa a converter músculo e gordura na energia que não está […]

    Aumentam os casos de diabetes em gatos.

      A coluna de hoje está recheada de opções para quem quer se divertir e ainda ajudar a bicharada. Adote A parceria entre a ONG Amigos e Protetores dos Animais de Palhoça (APRAP) e o Continente Shopping para conseguir novos lares para animais abandonados continua firme e forte. Amanhã e depois, dias 22 e 23 de novembro, das 14h às 20h, será realizado mais um evento de adoção de peludos no estacionamento coberto (entre os acessos 3 e 4) do shopping.  E para comemorar o Natal, uma árvore com fotos de animais da ONG será montada no local. Assim, os cães e gatos abrigados pela APRAP e que não puderem comparecer ao evento estarão presentes nas imagens e também disponíveis para adoção. O evento Em cada edição, ação conta com a presença de cerca de 30 animais, todos aptos para adoção, vacinados e vermifugados. A parceria tem conseguido mais de 20 adoções por evento. Quem não puder levar um animal para casa, pode comparecer para conhecer o projeto, ver os bichinhos e contribuir com a APRAP. A entidade gasta por volta de três mil por mês para manter os peludos resgatados em clínicas, hospedagens e lares de passagem. Continue a ler clicando na imagem.  

    FLORIPA: Eventos beneficentes em prol da causa anima para todos os gostos agitam novembro!

    21 de novembro de 2014Destaques, Eventos

      Praias começando a lotar e quem ainda não entendeu que só existem cães nas praias porque estão abandonados ou soltos irresponsavelmente insiste em culpar animais irracionais pela falta de civilidade humana. Adote Amanhã, das 14h às 19h no Piso G3 do Shopping Iguatemi Floripa (subindo pela praça de alimentação), o Instituto é o Bicho realizará mais um evento de adoção em parceria com o Shopping Iguatemi. Cães e gatos, adultos e filhotes, todos resgatados das ruas ou de maus-tratos, foram reabilitados, vacinados e castrados e agora aguardam o tão sonhado lar! Haverá bazar e espaço infantil, com leitura, desenho e brinquedos. Apareça por lá e se não puder adotar seja voluntário, doe carinho, ração, medicamentos etc. Candidatos à adoção devem ter mais de 18 anos, apresentar comprovante de residência e documento com foto e assinar Termo de Responsabilidade. Taxa de adoção: R$20,00. Praias x Cães Lugar de cachorro não é na praia. E não só para o nosso bem, mas principalmente para o deles, que também pegam verminoses e bichos-de-pé, ficam desidratados e ainda podem sofrer com insolação, queimaduras graves e câncer de pele. Levá-los à praia para que se cortem com vidros e outros lixos deixados por banhistas? Para que bebam esgoto jogado direto no mar ou comam restos de comida largados na areia? Para que fiquem expostos à contaminação de bicho geográfico, de bicho-de-pé e de outras doenças que podem pegar das fezes e urina de humanos que não têm nem a desculpa de serem animais irracionais e que usam a praia de banheiro? Abandono Cães de rua que ficam nas praias só estão ali porque foram abandonados ou são criados soltos, sem responsabilidade, não porque querem ou gostam. Se você quer mudar esta realidade, castre seus cães e nunca os abandone. Quer ajudar mais? Recolha animais […]

    Praia não é lugar de cachorro e nem de gente mal educada que larga lixo por todo lado.

    Oi amores meus, vocês sabem o quanto estudo nutrição de cães e gatos e o quanto insisto na importância da alimentação na saúde de todos nós, humanos e nossos amados peludos. Entãoooo, novidade na área para nossos filhos de pata: a divisão de Saúde Animal da Bayer HealthCare lançou o Nutricare, uma linha de suplementos nutricionais que acompanha todas as fases da vida de cães e gatos. São quatro versões do suplemento, todas disponíveis em tabletes mastigáveis e palatáveis (portanto mais fáceis de administrar), sendo três delas indicadas apenas para a cachorrada  e uma (Nutricare Cálcio) para cães e gatos. Apenas para a turma que late, o Nutricare Vitaminas e Mineiras promove o crescimento saudável e auxilia em situações de deficiência nutricional ou em fases de alta demanda. A versão Condroitina e Glucosamina  beneficia a condição física e atua na manutenção da atividade em cães de qualquer idade. E ainda apenas para a cachorrada, há o Nutricare Ômega, composto por ácidos graxos e ômega 3 e 6, que melhoram a pelagem e a recompõem a deficiência desses elementos. Para a turma que late e também para a que mia, a opção Cálcio traz na composição a dupla cálcio e fósforo, que favorece períodos como gestação e lactação ou quando o peludo está em um estado nutricional inadequado. Adivinhem quem é a estrela da campanha de lançamento do Nutricare? A Estopinha (mas bem que poderia ser a minha Javinha, vocês não acham? #Javalicious #Diva)! O que achei MAIS LEGAL DE TUDO foi que o Alexandre Rossi, pai da Estopinha, passa a maior parte do vídeo contando sobre como ela foi resgatada das ruas e adotada por ele em um abrigo =D Quer conferir a fofa pintando o sete? Tá na mão o vídeo da campanha (assistam até o finalzinho porque tem a LYNDA fazendo arte até o último segundo! #oin):  Para saber mais sobre o […]

    Nutricare: Bayer lança suplemento alimentar para cães e gatos.

    14 de novembro de 2014Alimentação, Destaques

    Horário de verão Cães são animais que precisam de rotinas e de constância em suas vidas. Quando a rotina familiar é interrompida, a mudança pode afetar o comportamento canino. Os cachorros têm se ajustado ao excêntrico comportamento humano desde que o primeiro lobo decidiu se deixar domesticar. Na maior parte do tempo, eles estão acostumados a ajustar suas rotinas à nossa, mas algumas vezes precisam da nossa ajuda. Assim, como nós, eles também precisam de ajuste com o início e o término do horário de verão. Rotina Alimentar ou passear com os cães em horários que não sejam fixos os ajuda a passar pelos ajustes ao horário de verão de maneira mais tranquila. Também ajuda a diminuir comportamentos ansiosos que podem ser resultar em comportamentos inadequados, como latidos excessivos, agitação durante o passeio, engolir a comida rapidamente etc. As variações não precisam ser grandes, o cachorro pode ser alimentado logo que você acordar, por exemplo. No outro dia, ele recebe o alimento imediatamente antes de você sair e em outro, depois do seu desjejum e por aí segue a lógica. A prática reduz o estresse neles e em nós, que não os temos implorando/exigindo comida e passeios. Comportamento Cães que costumam latir muito ou os mais agitados são os que mais demonstram sentir as mudanças do novo horário. Outra questão: hora do xixi e do cocô. Adiantamos ou atrasamos o relógio, mas não conseguimos fazer o mesmo com o relógio biológico, nem com o nosso, nem com o deles. Então, para quem tem cães que só fazem as necessidades durante o passeio, ajudá-los a ajustar-se é ainda mais importante. Começo Quando o horário de verão começa, a hora que foi “perdida” pode fazer com o que animal não esteja pronto para suas necessidades fisiológicas ainda, o que poderá tornar os […]

    O horário de verão também afeta a vida dos cachorros?

      Cuidados básicos prolongam a vida saudável de cães e gatos. Vamos reverter esta triste estatística e cuidar melhor dos nossos amigos peludos. Vida breve No Brasil a expectativa de vida dos cerca de 30 milhões de cachorros domiciliados é de apenas três anos. E pior, apenas os cães domiciliados entraram nas pesquisas, que deixaram de fora das contas os aproximadamente 20 milhões de cachorros que vivem nas ruas e todos os gatos. Ou seja, se fosse contabilizado todo o enorme contingente de animais que vagam abandonados à própria sorte, morrendo de doenças diversas, ou vítimas de atropelamentos, envenenamentos e de outras maldades que sofrem, a expectativa de vida seria ainda pior. Os dados são da Organização Mundial de Saúde, logo, sérios e preocupantes. Causas Doenças infecciosas são responsáveis por 35% das mortes e estão em primeiro lugar no Brasil. Já os tumores, que costumam encabeçar a lista em outros países, aqui caem para o segundo lugar. Nos Estados Unidos, a expectativa dos peludos mais que triplica. É de 10 anos, contra 8,3 anos no Japão e os já citados apenas 3 anos aqui no Brasil. Acidentes Cada vez mais inseridos na rotina familiar dentro das casas, cães e gatos acabam ficando em contato mais frequente com perigos que podem causar acidentes domésticos, ocasionando desde leves intoxicações a óbitos. Deixar inacessíveis medicamentos, alimentos e produtos químicos que possam fazer mal aos peludos é mais do que obrigatório. Um exemplo é o delicioso e aparentemente inocente chocolate, que pode ser fatal por conter teobromina, uma substância presente no cacau. Resíduos de nicotina, de cigarros inteiros ou de restos em cinzeiros, produtos de beleza e limpeza também podem matá-los e devem permanecer inacessíveis. Continue a ler a coluna clicando na imagem, ou aqui.

    Média de longevidade dos cachorros no Brasil é de apenas três anos.

      E mais: Prefeitura de Florianópolis solicitará ao Governo do Estado a criação de uma Delegacia Especializada na Proteção Animal! Parceria Atendendo à convocação do Secretário Municipal de Saúde de Florianópolis, Daniel Moutinho Jr., o assessor jurídico da Casa Civil, Vinícius Ouriques e o Diretor da Diretoria de Bem-Estar Animal (DIBEA), Eduardo Cavallazzi, finalizaram o Termo de Cooperação de Trabalho Voluntário entre a Prefeitura Municipal de Florianópolis e a ONG Organização Bem Animal (OBA). O termo disciplinará a atuação da ONG no projeto de sua autoria, a Cão Terapia, e também o auxílio de seus voluntários no trabalho de triagem, divulgação e monitoramento das adoções realizadas pela Prefeitura de Florianópolis. Vitória da Organização, que desde 2007 realiza um belo trabalho junto aos animais do Canil Municipal e que não era amparado por nenhum termo legal. Delegacia de Proteção Animal Na mesma oportunidade será assinado o documento que solicita ao Governo do Estado, através da Delegacia Geral da Polícia Civil, a instalação da muito esperada e necessária Delegacia Especializada na Proteção Animal, nos mesmos moldes das que já existem em São Paulo e em Minas Gerais. O documento será assinado em parceria com a Comissão dos Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil/SC, na pessoa de sua presidente, Maria Helena Machado. Câncer Cães que convivem com fumantes têm 60% mais chances de desenvolver câncer de pulmão e podem ter alergias de pele e asma. Em uma pesquisa do Centro de Saúde Henry Ford (Michigan,EUA), feita com 3.293 responsáveis por cães e gatos, 28,4% deles declararam que se soubessem que o fumo passivo é uma realidade com trágicas consequências também para animais de estimação, teriam deixado de fumar. Interessante, não? Precisando de (mais) um incentivo para largar o cigarro? Aí está! Fumaça Cães e gatos têm uma exposição extra ao […]

    Como o fumo pode prejudicar a saúde de animais que são fumantes passivos.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados