• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Rações secas contêm apenas 10% de umidade e ainda costumam ter sódio em excesso, o que pode causar desidratação e problemas renais e urinários, cada vez mais comuns em cães e gatos. Conheçam alguns alimentos que podem ser oferecidos junto com ração. Alimentos seguros Alguns alimentos podem ser oferecidos para cães e gatos juntamente com a ração seca. A rigor, rações de boa qualidade não necessitam de suplementação, salvo sob orientação do médico veterinário, baseada em exames e histórico do animal, mas esses alimentos ajudarão seu peludo a ter mais saúde e a consumir mais água por meio dos alimentos. Proteína A proteína de origem animal é sempre bem-vinda na dieta de carnívoros saudáveis. Você pode acrescentar, por exemplo, uma porção (25, 50 ou 100 gramas, dependendo do porte do animal) de fígado (alimento rico em proteína, vitaminas e minerais) de galinha ou de boi à ração, uma a duas vezes por semana. Cozinhe moderadamente para não acarretar grandes perdas nutricionais ou ofereça cru, tomando o cuidado de congelar a peça por três dias, para torná-la livre de parasitas. Caso as fezes fiquem moles, reduza o consumo. Ovos O ovo também é um superalimento. Fonte de proteína, gorduras, vitaminas e outros elementos benéficos à saúde, ele pode ser oferecido cru (mais nutritivo) ou cozido. A clara cozida é ótima para ajudar cães e gatos com problemas renais. Ofereça de um a dois ovos de codorna ou de galinha (dependendo do porte do animal) por semana, na ração ou como petisco. Probióticos Probióticos são importantes para a adequada saúde intestinal e promoção da imunidade, pois fornecem as “boas bactérias”. As opções incluem iogurte natural, Kefir ou complementos comerciais que contenham probiótico e prebiótico. Tanto o iogurte natural quanto o Kefir podem ser oferecidos diariamente na ração do animal, de acordo com o porte do animal (uma colher de […]

    Turbine a dieta do seu cachorro ou gato com alguns superalimentos!

    Conheça a hipertermia, o aumento da temperatura corporal pode levar um cachorro à morte. Hipertermia Em dias muito quentes, um dos males que podem acometer e até mesmo matar nossos cães é a hipertermia, que ocorre quando há aumento da temperatura do corpo juntamente com a falta de capacidade de resfriá-lo. Com hipertermia, o corpo do cachorro literalmente esquenta demais e não resfria depois! Temperaturas corporais acima de 39,5ºC já são consideradas hipertermia. Quando o cachorro resfolega sem parar, muitas vezes sem aceitar água, ele está justamente tentando regular sua temperatura corporal, o que consegue por meio da respiração e do focinho, que nos cães funciona como se fosse um sistema de refrigeração. Continue a ler clicando aqui.

    O calor pode matar nossos cães?

    Turma, hoje eu quero voltar a um assunto que já vem sendo tratado mais a fundo aqui no blog desde 2010 e do qual não falo há um bom tempo: a realidade da Leishmaniose no Brasil. São dois os tipos da doença, a tegumentar, ou cutânea, mais comum no Brasil,  e a visceral, ou calazar. A primeira apresenta feridas na pele, nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Já a variedade visceral ataca vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea e acomete essencialmente crianças de até dez anos; sendo menos frequente após esta idade. A grande maioria das pessoas que contrai a doença é imunodeficiente, ou seja, não está em condições normais de saúde. De acordo com o Ministério da Saúde, “a leishmaniose visceral, primariamente, era caracterizada como uma doença de caráter eminentemente rural. Mais recentemente, vem se expandindo para áreas urbanas de médio e grande porte e se tornou um problema crescente em saúde pública no país e em outras áreas do continente americano, sendo uma endemia em franca expansão geográfica.” O inseto cuja fêmea infectada transmite as duas variações da leishmaniose é o flebótomo, popularmente conhecido como mosquito palha, e nos dois casos os reservatórios podem ser tanto cachorros quanto pessoas. O bichinho mede de 1 a 3 milímetros, é menor do que qualquer coisa que você considere minúscula, mal pode ser visto a olho nu e apresenta cor amarelada ou acinzentada. Suas asas permanecem abertas quando está pousado. Ele não consegue voar livremente como um mosquito e dá pequenos saltos baixos. Mas não se iluda, porque ele é eficiente mesmo assim etc. Ao telar suas portas e janelas use a tela com espaçamento inferior ou igual a 1 milímetro para evitar que os flebótomos tenham acesso ao interior da sua casa. Estudiosos da leishmaniose visceral garantem: é questão de tempo para que ela esteja […]

    A Prevenção é a melhor proteção contra a Leishmaniose.

    23 de junho de 2015Destaques, Leishmaniose

      É verão! O calor requer cuidados redobrados com cães e gatos e apesar do clima de férias traz vários perigos para a saúde dos peludos. Exemplo simples: se o chão está quente para você pisar descalço, está igualmente quente para as patas de cães e gatos. Nada de caminhar ou correr com o cachorro sob o sol forte.  Calor Cães não suam como nós e controlam a temperatura corporal através da respiração. Por estarem mais próximos do chão, sofrem muito com o calor e podem até morrer por hipertermia, que é o aumento da temperatura do corpo mais a falta de capacidade de promover adequadamente uma perda de calor. Ou seja, o cachorro esquenta e não consegue resfriar depois. Sombra Seu cão deve poder escolher quando ficar na sombra ou no sol. Se você precisar prendê-lo por algum motivo, só o faça se a casinha estiver sob a sombra e o ambiente for fresco. Nada justifica mantê-lo em uma casinha exposta diretamente sob o sol. Triplique os cuidados com animais de focinho achatado ou curto. Nunca deixe cães/gatos dentro de carros, mesmo sob a sombra. Banho e tosa Mais do que dar muitos banhos, o que pode deixar o animal com problemas de pele e ouvido, prefira escovar seu amigo. Cães sofrem com queimaduras e câncer de pele e precisam de proteção solar, principalmente os que não têm focinho preto e que têm pelo claro. As tosas não devem deixar a pele exposta. Parasitas Moscas causam bicheiras (vermes que comem o cão vivo!) e bernes. Mesmo que você mantenha tudo limpo, se seu animal estiver com alguma secreção (como nos ouvidos, por exemplo) ou ferimento, as moscas aparecem. Pulgas e carrapatos também costumam aumentar no verão porque os cães passeiam mais, ficando mais expostos a eles fora de casa. Continue a […]

    Verão e cães: dicas para uma temporada tranquila.

    Este texto é uma homenagem a todos os cachorros que aprontam muita bagunça e traquinagem e também a todas as pessoas que têm paciência e entendimento para lidar com eles. Características de um cão bagunceiro? 1 – Carisma – Ser carismático, no caso do cachorro bagunceiro, consiste em convencer as pessoas de que se está fazendo o que elas querem, mesmo que não esteja. Eu diria até mesmo que alguns cães usam melhor o carisma do que outros, ao menos para se safar quando aprontam alguma traquinagem. 2 – Desejo de agradar – Cães bagunceiros adoram fazer ‘charme’ para nos distrair e muitas vezes ‘aprontam’ para nos agradar, ainda que o resultado seja o oposto disso. Se ele quebra um vaso e você acha lindo, dá colo e beijos mil, como ele vai saber que fez errado? 3 – Senso de humor canino – Sim, cães sorriem! Com suas caudas, olhos e bocas. E sim, de alguma maneira, eles entendem quando sorrimos junto. E como adoram nos ver assim, fazem de tudo para provocar nosso sorriso. 4 – Senso de humor humano – O que faz com que um cão seja engraçado ou irritante dependerá da nossa percepção do seu comportamento. Se você dá risada e interage quando ele está aprontando algo, ele continuará a fazer bagunça. Por que alguns cães são bagunceiros? 1 – Porque estão entediados – Este é o principal motivo para um cachorro fazer bagunça. Ou seja, cabe à parte “inteligente” da equação – nós, humanos – evitar que isso aconteça e ter o bom senso de perceber que só há um culpado: quem não providenciou ao cão as condições para extravasar energia sem destruir a casa. 2 – Para chamar atenção – Continue a ler clicando aqui.

    Como lidar com um cachorro bagunceiro?

    Além dos cuidados com sua saúde, é preciso estabelecer um roteiro e prever as atividades. Verão Curtir as férias de verão com o cachorro pode não ser tarefa tão simples no Brasil, ainda mais com as altas temperaturas atuais. Esta é uma época que demanda cuidados específicos, o que pode limitar as opções de diversão com o peludo. Apesar de ser o segundo maior mercado consumidor de produtos para cães e gatos do mundo, nosso país ainda não tem uma cultura de aceitação da presença dos peludos que os permita estar conosco em tantas ocasiões quantas gostaríamos (e eles também). Educação Manter cães por perto em atividades fora de casa depende de um fator que muitos negligenciam: a educação do animal. Quanto mais o cachorro convive em família, participando da rotina da casa e frequentando os ambientes internos, mais calmo e educado ele fica. Mas poucos têm paciência para educar corretamente seus cães, principalmente quando filhotes, ensinando-os a andar na guia, a estar tranquilos em público e a efetivamente participar de atividades junto a humanos, o que limita ainda mais as opções de diversão fora de casa com eles. Em família Não se trata de permitir que eles dominem a casa, que durmam com humanos, ou que passem os dias no sofá ou no colo. É possível conviver com cães sem os extremos de ou mantê-los apenas no quintal, ou levando vida praticamente de humano. Continue a ler clicando aqui.

    Como curtir o verão com seu cão?

    Tosses caninas Irritações na traqueia canina causam uma tosse seca, alta, que lembra um barulho de gansos e que normalmente acontece em série. Após os episódios de tosse o cão pode vomitar um material branco parecido com espuma e que nada mais é do que saliva. Os fatores causadores podem ser vários e acontecer combinados: a inalação de produtos químicos ou de alergênicos, doença cardíaca que aumenta o tamanho do coração a ponto dele comprimir a traqueia, infecções bacterianas (como a “tosse dos canis”), bronquite alérgica, obesidade, colapso de traqueia etc. Cães com traqueias irritadas tendem a tossir quando estão agitados ou quando têm suas gargantas pressionadas (coleiras, batidas, toque etc.). Qualquer fator que estimule a traqueia, como a entrada rápida de ar, ou pressão física externa, pode iniciar a tosse. Colapso A doença popularizada como “gripe canina”, ou “tosse dos canis”, geralmente é oportunista, breve e raramente leva a complicações mais sérias em animais bem cuidados. Já o colapso de traqueia é uma síndrome mais comum, ainda assim, na maioria dos casos, manter o cão com o peso ideal e monitorar atividade física, agitação e exposição ao calor é suficiente para ajudar o animal a lidar com o problema. Cães das raças Yorkshire Terrier, Poodle, Pug, Buldogue (todos) e outros de focinho achatado ou encurtado, costumam ser os mais afetados, principalmente por serem todos vítimas de deformações causadas pelos humanos na criação de suas raças e na diminuição de seus focinhos ou de seu porte (tamanho). Diagnóstico Um diagnóstico definitivo só é possível com exames de imagem (raio-x ou endoscopia). Mas o raio-x pode não mostrar o problema caso a colapso da traqueia não esteja ocorrendo. Alguns veterinários diagnosticam baseados na apalpação e no histórico de saúde do cão. Continue a ler clicando aqui.

    Tosse de cachorro?

    Tratar seu cão como o cachorro que ele é: fazer desta a maior meta para o ano novo trará mais qualidade de vida para o peludo e você. Ano Novo 2015: mais um novo ciclo inteiro pela frente. A simbologia trazida com as grandes comemorações nos impulsiona a reflexões, o que costuma (ou deveria) trazer mais maturidade. Que neste ano novo, sejamos pessoas melhores para nossos animais de estimação, tão dependentes de nosso bom senso e das nossas ações e decisões. Não é viver (ou deixar de viver) por eles, mas conviver em harmonia e respeito com sua natureza selvagem, tão presente em seus instintos. Lobinhos Mesmo domesticados há milhares de anos, cães descendem diretamente dos lobos e sua fisiologia não mudou. Mudanças físicas foram provocadas pela criação de raças pelos homens, tornando-os doentes e afetando seu equilíbrio emocional, mas os instintos ancestrais e a essência selvagem ainda habitam todos os cães, mesmo os mais humanizados. Respeito No novo ano, que tal mudar alguns hábitos e tratar seu cão como o que ele é: um cachorro? Pequenas mudanças trazem grandes resultados. Um exemplo: zero perfume, menos banhos e mais escovação! Experimente polvilhar amido de milho (maisena) e escovar o cão até tirar tudo. O resultado será um animal mais limpo, mais calmo e mais conectado com você. Banho toda semana retira a proteção natural que todo cachorro tem na pele e deixa-o justamente mais fedido. Independência Cães muito apegados a humanos sofrem de síndrome de ansiedade por separação, o que os torna tão ansiosos e dependentes que provoca sintomas físicos extenuantes a ponto de alterar seus batimentos cardíacos e sua respiração. Continue a ler clicando aqui.

    Ano novo com pequenas mudanças que trazem grandes resultados para a cachorrada.

        A retrospectiva das dúvidas mais comuns sobre a cachorrada termina hoje, com informações que facilitam nosso convívio com o melhor amigo do homem. Uma ótima virada de ano a todos os leitores da Coluna Mãe de Cachorro e do Jornal Notícias do Dia. Retrospectiva Nas duas últimas colunas de 2014 trouxe algumas das dúvidas mais frequentes que recebi. Espero que todos tenham tido um Natal tranquilo, com seus bichinhos a salvo dos perigos que costumam vir com as festas, como fogos de artifício, comidas que podem intoxicá-los, fugas e objetos decorativos que podem causar engasgamento. Desejo que todos tenham uma passagem de ano alegre e pacífica, na companhia dos entes queridos e com os peludos bem cuidados. Que em 2015 possamos continuar juntos aprendendo sobre a guarda responsável de cães e gatos. Por que os cães uivam? A resposta mais simples seria “para se comunicar a distância”. Cães uivam para reunir a matilha e alertá-la contra perigos. Também uivam para chamar atenção caso estejam feridos ou se sentindo rejeitados. Outro motivo é responder a estímulos externos, como música e sirenes, embora ninguém ainda tenha conseguido descobrir os motivos deles reagirem a ruídos específicos. Importante é lembrar que se a cachorrada uivar em cadeia pode estar alertando para perigos no bairro, como pessoas incomuns rondando as ruas. Os cães sonham? Sim! Os sonhos caninos começam cerca de vinte minutos após os peludos dormirem. Cães menores tendem a ter mais sonhos, porém curtos. Já os grandões sonham menos, mas por mais tempo. Atividades diárias são repetidas por eles durante os sonhos, ou seja, eles repassam e processam a rotina nos sonhos exatamente como os humanos. Apesar de movimentarem as patas, uivarem e até latirem sonhando, uma parte de seu cérebro impede que eles saiam andando, como sonâmbulos fazem. Por que […]

    Retrospectiva das dúvidas de 2014: por que cães comem grama? Eles sonham? E por que uivam?

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados