• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Todo ano, neste período de festas natalinas e de revéillon, cães e gatos perdem-se, fogem, machucam-se e até morrem por conseqüência direta justamente das celebrações (fora os que são abandonados ou simplesmente largados sozinhos em casa). Da virada de 2007/2008, lembro de dois casos bem chocantes: um gato que ficou dias preso na rede de segurança da janela de um apartamento e uma cadela shih-tzu que fugiu com medo dos fogos de artifício e terminou comida por um jacaré no mangue do Santa Mônica, aqui em Floripa… Sim, você leu certo: comida por um jacaré. Fique ligada(o)! Se for viajar, tome todas as providências necessárias para que seu animal de estimação fique bem e em segurança; Se ele for ficar hospedado em algum lugar, tenha certeza de que estará seguro e de que não ficará o tempo todo trancado em uma gaiola; Em caso de deixar seu filho peludo hospedado fora (seja num estabelecimento comercial ou na casa de alguém de confiança), leve-o no local algumas vezes antes de deixá-lo para viajar. Peça para deixá-lo lá por pequenos períodos (2 horas, por exemplo) e quando for buscá-lo, leve um petisco gostoso. E não esqueça de levar os objetos com os quais ele está acostumado: potes de comida e água, caminha, cobertores, brinquedos e, para que ele sinta-se ainda mais seguro, inclua no ‘enxoval’ uma peça de roupa sua, usada recentemente e que não tenha sido lavada; Na hora de escolher uma hospedagem paga, além de pegar referências, apareça sem avisar e veja como outros hóspedes são tratados. Se não te deixarem visitar todas as instalações, desconfie, pois transparência é fundamental no cuidado com os animais!; Se você já sabe que seu cão morre de medo de fogos de artifício, de visitas, de crianças ou de qualquer outra coisa diferente que […]

    Festas de fim de ano: atenção redobrada!

    Mais uma vez recebo e-mail de alguém que teve problemas voando com seu animal de estimação. Da outra vez, foi só (muita) incomodação. Desta, o prejuízo foi muito maior e não há meios de ser ressarcido. Fiquei completamente sem palavras quando terminei de ler o relato da Tatiana, que transcrevo literalmente abaixo. Infelizmente o que houve com o Horatio não é tão incomum. A recomendação que recebi ao conversar com pessoas do meio aéreo foi: ao embarcarem um animal como carga viva SEMPRE comuniquem o comandante e a chefe dos comissários de bordo ao entrarem no avião porque é o comandante quem envia o oxigênio para o compartimento. Assim não há perigo dele ‘esquecer’ e de uma fatalidade ocorrer. Fica a dica. E só mais um comentário: a Tatiana fala que, por não terem filhos, o Horatio era como um filho pra ele. Mas há inúmeros pais e mães de cães e gatos que também têm filhos, netos e até bisnetos e a perda de seus animais amigos não é em nada menor por isso. A partir do momento em que amamos e respeitamos um animal, não importa mais nada, ele faz parte da nossa vida. foto: Horatio – arquivo pessoal Tatiana Lunardelli Cara Ana Corina Descobri seu site por acaso ontem e gostaria de divulgar meu caso, acho que talvez seja um alerta para as pessoas que viajam com seus animais e gostaria que o máximo possível de proprietários ficassem sabendo. Agradeço desde já a colaboração e qq dúvida estou a disposição. Sou de Porto Alegre e moro em SP a quase 4 anos e esse ano resolvi ir em abril p Porto Alegre, com meu marido e nosso cachorro – um bulldog inglês de 3 anos – para o aniversário de 50 anos da minha irmã. Compramos a […]

    Aviões e animais de estimação: fique ligado.

    23 de setembro de 2008Caixa de Transporte, Crate, Denúncias

    Recebi o texto abaixo em fevereiro. É longo, mas não cortei nada para justamente deixar bem claro o stress e a tensão vividos pela autora. Como no Brasil parece que nascemos com um nariz de palhaço (sobre aviões: olha Congonhas aí, operando, com conexões inclusive, como se nada tivesse acontecido, ninguém tivesse morrido…) e tudo conspira contra quem faz a coisa certa, acho que todos que utilizam meios de transporte coletivo deveriam ler. Quantas pessoas não deixam de viajar por não concordarem com o tratamento dado a seus animais queridos? Quantas viajaram com os mesmos e têm histórias terríveis para contar? Se alguém souber de alguma petição ou qualquer outro movimento pedindo mudanças neste assunto, avise-me para eu divulgar, ok? Removi o nome da companhia aérea, que fica sendo a XXX. Também retirei os nomes de seus funcionários e removi os destinos para dificultar a identificação. O que significa viajar com seus pets pela XXX, uma experiência pessoal Após uma pesquisa nas duas maiores empresas aéreas escolhi a XXX para viajar com meus dois cachorros da raça Shih Tzu, ao nordeste do Brasil, para passar as festas de fim de ano com minha avó. A escolha pela XXX se deu após uma exaustiva pesquisa. As informações que me convenceram foram as que obtive junto ao pessoal de terra e no próprio site da XXX. De acordo com essas informações, um dos meus pets poderia ir comigo na cabine. A XXX também garantiu lidar de forma diferenciada e mais cuidadosa com o embarque de animais de estimação que as outras companhias. Eu estava totalmente convencida da escolha que havia feito e comprei minha passagem por volta do dia 25/10/2008. A ida foi marcada para o dia 20/12/2007 e o retorno para o dia 13/01/2008. Me informaram, então, que eu precisava ligar […]

    Vai viajar de avião com seu peludo? Então leia!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados