• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Listas de veterinários

  • Receba os posts por e-mail:

    Mudar para uma nova casa pode ser estressante para seu cão. Planejamento com antecedência, paciência e carinho podem ajudá-lo a se ajustar mais rapidamente ao novo lar. Leia também: “Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 1” “Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 2” Preparando o novo lar Conforme você for mudando seus coisas para a nova residência, tome cuidado especial com itens que possam machucar/envenenar seu cão. Abaixe-se e olhe em redor na altura dos olhos do seu cão para ter certeza de que não está esquecendo nada ao alcance dele no meio da bagunça que é uma mudança. Certifique-se de que o novo lar é seguro para seu peludo. Procure por: Venenos – materiais de limpeza, repelentes de insetos, pesticidas, medicamentos, plantas venenosas etc. Objetos/superfícies que possam queimar – ferros elétricos, aquecedores, eletro-eletrônicos plugados na tomada, líquidos/superfícies quentes etc. Eletricidade – cuidado extra com fios desencapados! Objetos que possam provocar sufocamento – Que mudança não tem pedacinhos e pedações de tudo e mais um pouco espalhados por todos os lados? Atenção para agulhas, pregos, lascas de caixas e de móveis etc. Objetos que possam cair sobre o cão – Certifique-se de que tudo está sendo bem instalado na casa nova. Já pensou um armário caindo sobre seu peludo? Buracos por onde ele possa fugir – Casa nova pode provocar insegurança mesmo que a família inteira esteja junto. Tenha certeza de que seu cachorro não poderá escalar muros e cercas e de que não há buracos ou outras possibilidades de fuga. Já mude para o novo endereço sabendo onde há atendimentos veterinários de emergência nas proximidades. Tentar achar uma clínica quando você já precisa desesperadamente de uma é perder um tempo que pode significar […]

    Vai se mudar? Como acostumar seu cachorro ao novo lar!

    Leia também: Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 1 Vai se mudar? Como acostumar seu cachorro ao novo lar! Antes da mudança Prepare seu cão para a mudança algumas semanas antes dela acontecer. Empacote as coisas ao longo do tempo e tente manter a rotina normal do seu cão. Caso você não use ainda, compre/empreste/aluguel uma caixa de transporte (crate) e comece a acostumá-lo com ela. Acostume-o com a caixa de transporte bem antes da mudança, ela será seu local seguro no novo lar. Apare as unhas do seu cão para evitar que ele as prenda na grade da caixa de transporte ou em algum momento durante a mudança. Assim que você souber seu novo endereço, atualize os dados do microchipe e da placa de identificação do seu peludo e use as duas placas juntas, com os dados antigos e novos, por algum tempo. Durante a mudança No dia da mudança deixe seu cão com água e comida em um local seguro e tranquilo, de onde ele não possa escapar, como um banheiro. Coloque um aviso bem grande na porta dizendo “NÃO ENTRE” e assegure-se de que amigos e profissionais da mudança saibam que não podem abrir o cômodo onde o cão está. Escolha alguém da família para ficar responsável pelo cão durante o dia, vendo se ele precisa de algo (como sair para fazer xixi, se for um cão que só usa o quintal como banheiro). Mantenha fotos recentes e boas do seu cão, para o caso dele se perder (toc. toc. toc.!). Viajando de carro Se vocês vão de carro para a nova residência e seu cão já está acostumado a passear, é interessante que ele acostume-se a ficar dentro da caixa de transporte ou usando o cinto de segurança […]

    Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 2

    Importante: estes textos são traduzidos do livro Puppies for Dummies, transformado aqui no blog na Série Filhotes, mas tanto eu quanto a Fúlvia recomendamos firmemente que qualquer pessoa desejando um melhor convívio com seu cão leia diversos materiais sobre técnicas de educação e psicologia canina, principalmente sobre métodos positivistas, que não utilizam castigos/punições. Texto: Sarah Hodgson – Puppies for Dummies – 2nd Edition Tradução e adaptação: Fúlvia Andrade- Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Leia também: Série Filhotes: Ensinando seu filhote a usar o banheiro – parte 1 Estrutura e Rotina É possível educar alguns filhotes em dias. Mas, para outros, pode levar meses. O melhor jeito de treinar o filhote para usar o banheiro é bolar uma estratégia e estabelecer uma rotina. Para criar uma consistente, use o guia abaixo: → Cuidado com atenção em excesso. A primeira coisa que devemos aprender é fazer conexões entre fato e ação. Por exemplo, você sabe que o filhote te ama (e vice-versa). Mas, quando ele acorda, ou você o tira do crate (caixa de transporte), não fique fazendo festinha, não converse, não pegue no colo. Simplesmente leve-o ao banheiro (com ele andando, não no colo) usando o comando “Banheiro” ou “Faz xixi”, o que você preferir. Depois de ele ter feito o “serviço”, pode abraçá-lo, beijá-lo e brincar com ele à vontade. Enquanto ele não estiver bem educado neste treino, mantenha este ritual. → Crie uma rota. Sempre vá pelo mesmo caminho até o banheiro. Encoraje todos da casa a fazer o mesmo. Saia pela mesma porta, vá pelo mesmo caminho até que ele esteja bem educado. Veja a figura abaixo como exemplo. Mesmo se você tiver um cão pequeno ou um filhote novinho, não carregue-o até o banheiro. Deixe-o ir andando, para aprender o caminho. → Sem […]

    Série Filhotes – 17º post: Ensinando seu filhote a usar o banheiro – parte 2

    Leia também:  Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 2  Vai se mudar? Como acostumar seu cachorro ao novo lar! Dia desses recebi a mensagem abaixo: “Estou num dilema, e morrendo de dó – Tenho uma cachorrinha de 8 meses, vou mudar p/ apartamento que comprei aqui em Florianópolis, e não tenho como ficar com ela, e até o momento não consegui ninguém p/ adotá-la. Onde posso deixá-la p/ adoção ? Nestas feiras de adoção eles pegam, onde posso achar ? Por gentileza, me dê algumas alternativas, nomes de pessoas, sites, telefones, etc. Tenho urgência, pois antes da mudança, vou p/ São Paulo por 15 dias.” Respondi dizendo que ajudaria a divulgar a adoção se ela castrasse e microchipasse a cadela e ofereci ajuda com contatos baratos para ela castrar, microchipar e hospedar a pequena não só na viagem iminente, mas depois da mudança, até ser adotada. Preciso dizer que nunca recebi resposta? Quer doar, mas não quer castrar, não quer microchipar, não quer deixar hospedado em hotel até ser bem adotado? Quer simplesmente repassar o “problema”? Fico impressionada ao ver como as pessoas adquirem cães e gatos sem refletir, sem pensar que a vida muda, sem se COMPROMETER! Ok, a vida muda, não podemos julgar as pessoas, mas façamos as coisas com consciência e responsabilidade, pôxa!! Com tantos peludos sem família precisando de ajuda, achar novos lares para pessoas que querem/precisam se desfazer de seus animais não é algo que protetores ou voluntários tenham prazer em fazer (especialmente quando o ‘precisar’ é discutível). Eles terminam ajudando por pena do pobre bicho, mas as pessoas que os procuram precisam entender que doar não é dar, é escolher com critério e responsabilidade um novo lar, é colocar-se à disposição para ajudar com o que […]

    Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 1

    Importante: estes textos são traduzidos do livro Puppies for Dummies, transformado aqui no blog na Série Filhotes, mas tanto eu quanto a Fúlvia recomendamos firmemente que qualquer pessoa desejando um melhor convívio com seu cão leia diversos materiais sobre técnicas de educação e psicologia canina, principalmente sobre métodos positivistas, que não utilizam castigos/punições. Texto: Sarah Hodgson – Puppies for Dummies – 2nd Edition Tradução e adaptação: Fúlvia Andrade- Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Entenda os Impulsos Naturais do Filhote Acredite: seu filhote tem sim um padrão para as necessidades. Por exemplo, filhotes novinhos vão ao banheiro depois de: Comer Beber Dormir ou sair do crate Brincar Roer Se eu falar para você levar o filhote ao banheiro depois de cada uma destas atividades e você achar isso um exagero, lembre que um filhote muito pequeno (com 8 a 10 semanas de vida) não consegue controlar seus impulsos. Mas, quando estabelecemos uma rotina desde cedo, ele aprende a “segurar” até chegar ao banheiro. A bexiga do filhote é o último músculo a se desenvolver. Frágil e pequena, ela enche muito rápido e, até a maturidade social (por voltar dos cinco meses), precisa ser esvaziada com frequência. Pedir que o filhote espere “só um segundo” enquanto você amarra os sapatos não vai dar certo. O filhote normalmente dá sinais que precisa ir ao banheiro antes que faça alguma coisa. Como uma criança, ele mostra desconforto físico mas, ao invés de chorar, ele mordisca excessivamente e fica agitado. Se você o punir por mordiscar, ele ficará super confuso. Ao invés disso, considere levá-lo correndo ao banheiro quando ele ficar genioso e lembre-se de sempre direcioná-lo com palavras familiares. Toque um sininho no caminho até o banheiro e, dentro em pouco, ele é quem tocará o sininho para lhe mostrar […]

    Série Filhotes – 16º post: Ensinando seu filhote a usar o banheiro – parte 1

    EXCLUSIVO – O transtorno de ansiedade de separação acomete cães de todos os tamanhos, idades, raças ou misturas. Quando não é diagnosticado ou tratado, leva a família e o cão a conviverem com montanhas de estresse, que geralmente resultam em punições para o cachorro, em alguns casos passado adiante ou até mesmo abandonado. Luto com este problema aqui em casa com o Shoyo desde 2010 e, para minha surpresa, a Java já chegou na família apresentando ansiedade de separação. Com algumas medidas, nossa convivência tem sido muito melhor, com menos sofrimento para eles quando eu saio de casa e, consequentemente, para mim. Sobre esta questão, de um animal adotado (a Java) e/ou adulto (o Shoyo) passar a apresentar ansiedade de separação, compartilho com vocês um trecho de um e-mail que a Cassia Santos me escreveu, quando soube das coisas aqui em casa: “Olha a informação que consta do livro ‘Problemas comportamentais do Cão e do Gato’, do Landsberg, sobre ansiedade de separação: ‘… estudos têm indicado que há significativamente mais cães mestiços, adotados (provenientes de sociedades humanitárias) e acima de 10 anos de idade que apresentam esse problema’. Acredito que isto deva ter um fundo de verdade, especialmente considerando dois fatores: o histórico de vida destes peludos e as atitudes daqueles que os adotam, muitas vezes tentando compensar todo o sofrimento com MUITO carinho e atenção O TEMPO TODO…” Pensando na importância do tema propus a quatro educadoras caninas um desafio: escrever a oito mãos um post completo sobre ansiedade de separação. Para minha felicidade, as quatro concordaram e abaixo você acompanha o resultado. Esperamos, nós cinco, que os textos sejam úteis a muitas famílias que convivem com cães que desenvolveram o problema. É essencial que as pessoas percebam que têm papel fundamental tanto na cura, quanto na causa da ansiedade […]

    Ansiedade de separação em cães: Tudo que você precisa saber a respeito!

    É com muita alegria que compartilho o primeiro vídeo sobre educação canina da Emmanuelle Moraes, do blog Educadora Canina!! Som na caixa e aproveitem!Para quem nunca leu nada sobre o assunto, a regra básica é: a caixa de transporte (crate) deve ser um lugar onde o cão gosta de estar e ficar, uma verdadeira toca. E para que esta “paixão” pela caixa aconteça, devemos acostumar nossos peludos a ela pouco a pouco, com muito reforço positivo e com treinos curtos, que não os traumatizem.Sobre o mesmo assunto:O uso de caixas de transporte em casaSérie de posts sobre o uso de caixas de transporte como auxiliares de educação canina etc.Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Aula em vídeo: aprendendo a usar a caixa de transporte (crate): devagar e sempre!

    Filhote usando um crate como cantinho de descanso.   Continuando com a ajuda da minha amiga Fúlvia Andrade para dar sequência às traduções da Série Filhotes no Mãe de Cachorro, segue um post sobre a importância do uso correto das caixas de transporte (crates) na educação de cães.   Sobre o assunto de hoje recomendo a leitura da série “Crate is Grate”, da Camilli Chamone.   –> Para acessar o índice dos posts da Série Filhotes, clique aqui. Texto: Sarah Hodgson – Puppies for Dummies – 2nd Edition  Tradução e adaptação: Fúlvia Andrade – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.   Crate A visão de um crate parece mesmo a de uma gaiola. Mas seu filhote adorará ganhar um, simplesmente porque parecerá uma toca, coisa que todos os cães adoram. Muito útil durante os estágios iniciais da educação, o crate ajuda o filhote a sentir-se seguro quando você não está em casa. Deixá-lo no crate também ajuda no treino do uso do banheiro, já que nenhum cão suja o lugar onde dorme. Ainda não quer dar um ao seu filhote? Pense assim: ter seu próprio cantinho todo especial para brincar e descansar é sinônimo de dar a uma criança sua própria cama e levá-la lá quando for hora de dormir. Você não deixaria uma criança dormir desprotegida em um cômodo grande, deixaria?   Quando for comprar o crate, verá que há muitas opções: diferentes tamanhos, materiais e cores. Qual levar? Algumas dicas: Crates de plástico são o padrão e podem ser usados em viagens bem como no dia-a-dia. Se você planeja viajar, compre-o – dará mais segurança ao filhote quando você estiver fora de casa. E quando o levar para qualquer outro lugar, o crate será sua referência de segurança, funcionando uma toca portátil!  Crates de arame têm maior ventilação e visão e podem ser cobertos com uma […]

    Série Filhotes no Mãe de Cachorro: 9º post – O uso de crates (caixas de transporte) dentro de casa

    –> Para acessar o índice dos posts da Série Filhotes, clique aqui.Continuando a falar sobre as fases comportamentais da infância canina, chegamos à fase que em inglês é chamada de Terrible Twos e que serve para descrever também uma fase de infância de crianças. Bem, na verdade é uma expressão usada para descrever crianças que foi ‘roubada’ para descrever também nossos peludos amados em um período todo especial de seu crescimento e que, pra nossa sorte, dura apenas quatro semanas. Texto: Sarah Hodgson – Puppies for Dummies – 2nd Edition Tradução e adaptação: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Durante a fase dos “Terríveis Dois Anos” (Terrible Twos) seu filhote está começando a reconhecer quais comportamentos chamam a sua atenção, que jogos/brincadeiras duram por mais tempo (e estes não necessariamente são os jogos/brincadeiras que você quer praticar no momento) e quem é o chefe da relação (e nos olhos do seu filhote, pode ser que não seja você!). Ainda que ele possa agir de maneira bastante confiante nesta fase, seu filhote precisa de direcionamento/liderança. Os conselhos neste post podem ajudar você a guiar seu bebê peludo durante estas 4 semanas.Mantenha o controleQuando você estiver em casa, sempre saiba onde está seu filhote. Se você der a ele liberdade total, ele terminará aprontando alguma coisa e você vai pagar por isso de várias maneiras. Sem supervisão seu filhote pode reorganizar seus armários, comer lixo. mastigar móveis etc. e, pior ainda, se ferir ou ficar doente por isso! Você está lidando com um filhote jovem, mantenha-o sempre por perto de você e use as técnicas abaixo para te ajudar:Mantenha-o em uma área específica no cômodo onde você estiver. Você pode conseguir isto deixando-o preso em uma guia de tamanho normal, restrito a uma área com cama, […]

    Série Filhotes no Mãe de Cachorro – 6º post: Educando seu filhote de acordo com seus estágios de crescimento – de 12 a 16 semanas de vida

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados