• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    De aspecto parecido com minúsculas couve-flores e causada pelo papillomavírus, a papilomatose canina costuma atacar a boca (podendo alcançar também palato, esôfago e faringe) dos cães e, mais raramente, suas pálpebras, genitália e corpo (geralmente entre os dedos). Resumão: Karen Becker, famosa veterinária norte-americana, explica neste vídeo que por ser ‘oportunista’, o vírus da papilomatose canina é mais um dos vários problemas decorrentes da imunidade baixa; A versão canina do vírus afeta apenas cães e é mais comum em animais jovens (com imunidade ainda em formação – alô, excesso de vacinação!!) e idosos (com imunidade decaindo por conta da idade). Ou seja> nada de surtar achando que você, outras pessoas ou gatos serão infectados(as); A ocorrência da papilomatose na versão oral não costuma ser agressiva e é mais comum em cães de até dois anos de idade, justamente porque nessa idade a imunidade ainda está em formação. Com essas características, a doença (autolimitante) costuma desaparecer sem tratamento; Em casos em que o organismo do cachorro está tão debilitado que não reconhece o vírus como um agente a ser combativo por seu sistema imunológico, as ‘verrugas’ podem surgir em quantidade tão grande que é capaz de impedir o animal de comer e beber, o que também trará dor além do desconforto óbvio; Medicamentos que derrubam a imunidade (corticoides e outros) e excesso de vacinação também podem desencadear uma infestação das verrugas. Nunca deixe um veterinário aplicar mais de uma vacina por dia (nem por mês!). Leia mais sobre os malefícios do excesso de vacinação aqui e aqui); O tamanho individual das verrugas não segue aumentando (apenas o número delas)! Ou seja> se algum sinal/verruga/massa aparecer no corpo do seu cão e não parar de crescer, corra para um bom veterinário e não para a internet, nem para o balcão da agropecuária, pelamor!! Remover as verrugas ou não? Citando novamente Karen Becker, […]

    Verrugas em cães: dicas naturais para combater a papilomatose canina

    Mais um caso de sucesso no uso da auto-hemoterapia em animais. O vídeo é simples e não traz muitas informações, mas você pode ler mais sobre a técnica no post: Auto-hemoterapia: A cura através do sangue! A quantidade de sangue utilizada depende do porte do animal, será decidida pelo veterinário e nunca deverá exceder 10 ml por aplicação. Deixo novamente meu depoimento do uso com 100% de sucesso: foram dois cães com sarna demodécica tratados e curados e um cão à beira da morte, com hematócrito 10% em decorrência de uma grave anemia hemolítica causada por infecção bacteriana por Mycoplasma haemocanis. Com apenas 7 aplicações (1 por semana) o animal subiu para hematócrito 35%!

    Cachorro akita inu curado com autohemoterapia

    23 de abril de 2014Auto-Hemoterapia, Destaques

    Gente, ano passado usei a auto-hemoterapia para salvar um cão que estava com hematócrito 10% e que já tinha feito 3 transfusões de sangue. Ele tinha todos os cuidados possíveis e impossíveis e só depois da auto-hemo. Fez 7 semanas e hoje está com a saúde 100%. Recomendo ontem, hoje e sempre.  O post é de  2 de junho de 2011, mas acho fundamental dar meu novo depoimento sobre a técnica. Boa leitura (leiam também os comentários) e boa sorte.   *************** Ouvi falar do assunto ao levar uma cadela com sarna demodécica na Dra. Carmen Cocca. A cadela ficou ótima (foi tratada com alimentação natural, própolis, alho cru, cápsulas de ômega 3, homeopatia e auto-hemoterapia) e esqueci do assunto. Só que de repente comecei a ouvir aqui e ali relatos de outras pessoas usando a auto-hemoterapia em cães para combater de erliquiose, a sarna demodécica e cinomose. Opa, hora de pedir um texto para quem conhece o assunto. Espero que seja útil e que ajude muitos de vocês a tratar seus peludos. Gostaria de deixar claro que não recomendo nenhum tipo de tratamento sem o acompanhamento de um bom médico-veterinário. Peço especial atenção para a introdução do texto da Dra. Carmen, onde ela fala sobre a questão das pesquisas científicas. Abaixo alguns trechos, para conferir a íntegra do post do blog HomeoPatas basta clicar no título “Autohemoterapia em animais: pouco uso e muita controvérsia”. “A autohemoterapia é um recurso terapêutico de baixo custo e de simples aplicação, composto da retirada de sangue venoso do paciente, seguido de sua inoculação muscular, no mesmo paciente, momentos depois através de injeção.” –> Ou seja, o sangue é retirado da veia e injetado no músculo do animal, logo em seguida. NÃO é transfusão de sangue! E só pode ser usado com o sangue do […]

    Auto-hemoterapia: A cura através do sangue!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados