• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Raça de hoje: Cocker Spaniel Inglês, o carente!* Texto: Michele Welton- Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. O padrão da raça descrito pelo American Kennel Club diz que o “o entusiasmo no campo e a atividade incessante de sua cauda indicam o quanto o Cocker Spaniel gosta da caça para qual a raça foi desenvolvida”. Com mais instintos de caça do que o Cocker Spaniel Americano, o vívido Cocker Spaniel Inglês gosta e precisa de muito mais exercício físico. Quando bem socializado, o Cocker tem uma natureza doce e gentil com todos, sempre abanando a cauda. Alguns até são mais reservados e pode haver timidez e um excesso de submissão em algumas linhagens. Este cão é responde bem a um treinamento de obediência persuasivo que inclua bastante elogio e petiscos como recompensa. A menos que sejam ensinados a ser independentes, alguns Cockers são tão emocionalmente ligados aos humanos que podem ficar “pegajosos”, sempre pedindo atenção. Se você quer um cão que… Tenha um tamanho conveniente e que seja atlético Tenha uma pelagem vistosa que existe em diversas cores Seja brincalhão e alegre, com uma natureza amigável Seja geralmente educado com todo mundo Seja pacífico com outros pets O Cocker Spaniel Inglês pode ser bom para você! Se você NÃO quer um cão que… Sofra de ansiedade de separação ao ser deixado sozinho por muito tempo, o que pode levá-lo a latir em excesso e a destruir coisas Precise de tosas e escovações frequentes Solte bastante pelo Tenha potencial para latir em excesso Urine ao ficar nervoso/excitado/feliz ou para demonstrar submissão O Cocker Spaniel Inglês pode NÃO ser bom para você! Se […]

    Guia de raças no Mãe de Cachorro – Cocker Spaniel Inglês

    Este post foi programado para entrar no ar durante a minha ausência. Fonte: blog CãoAmor Ter um ou mais cães? Eis a questão… Já fui questionada em mais de uma oportunidade acerca deste tema: é melhor ter um, dois, ou mais cães em casa? Problemas comportamentais surgem com maior frequência quando o cão vive numa casa composta somente por seus “humanos de estimação” ou quando há convivência também com outros cães? Antes de mais nada, acredito que é importante analisar a possibilidade de se manter mais de um cão. E quando digo “manter” não me refiro apenas a condição econômica da pessoa, mas também sua disponibilidade de tempo e paciência para efetivamente cuidar e proporcionar bem estar aos cachorros que passarão a lhe fazer companhia. Isto envolve refletir sobre posse responsável, pois deve-se ter em mente que haverá vidas preciosas a serem cuidadas durante anos, provavelmente por mais de uma década. Assim, quando não há efetivo comprometimento, o ideal é que esta pessoa não tenha qualquer animal de estimação. Mas, pensando na hipótese de tratar-se de um dono responsável e comprometido, volta-se à questão: ter um ou mais cães?  O tema abrange várias facetas no que se refere a comportamento canino, que devem ser avaliadas antes da tomada de qualquer decisão. ANIMAL SOCIAL Assim como os seres humanos, cães são animais sociais. Necessitam viver em sociedade, fazer parte de um grupo para estarem felizes. Como a convivência entre as duas espécies – canina e humana – dá certo há milhares de anos, para o cão é perfeitamente possível viver bem caso seu grupo seja composto apenas por humanos. A realidade atual dos donos de cães, inclusive, volta-se exatamente para este quadro, especialmente nos grandes centros urbanos, onde as residências são cada vez menores. Continue sua leitura: clique aqui  

    Pensando em aumentar a família? Veja se está na hora de botar outro cão em sua vida!

    A Débora de Londrina escreveu pedindo ajuda e pedi à super Sara Favinha, da Tudo de Cão, para respondê-la. Mas, de metida, sou obrigada a fazer um comentário: que cocker não late demais quando quer alguma coisa? Calma, mães de cocker, era só uma piadinha ;-D Oi Ana tudo bem? Acompanho seu site e seus artigos pelo face também. Te admiro pelo carinho que tem com nossos amados amiguinhos peludos. Mas estou lhe escrevendo porque agora sou eu que preciso de ajuda. Tenho um cocker de 14 anos, sempre foi muito saudável e dormia fora de casa em sua casinha junto com seu amiguinho Kiko (4 anos). Agora devido a idade e suas limitações (cegueira e surdez) coloquei os dois para dormirem dentro de casa. E ele sempre ficou tranquilo. Porém de um 01 mês para cá ele fica muito agitado, anda compulsivamente pela casa toda e pelo quintal (tá até magrinho tadinho de tanto fazer exercicio); tenho a maior paciência do mundo com ele, dou comida em sua boca ( porque está com artrose e não consegue comer sozinho ), tento pelo menos fazê-lo descansar. Já fiz vários tipos de exames e ele não tem nada a não ser a artrose que acredito estar sob controle. E os latidos então, tenho até vergonha dos vizinhos, são excessivos quando ele fica sozinho no quintal. O que fazer? Quero que ele durma de noite e me deixe dormir também. Será que está com algum problema neurológico? Obrigado pela sua atenção. Beijos Débora – Londrina /Pr Segue a resposta da Sara, que tenho certeza de que serve para outros peludinhos e suas manias. EXCLUSIVO: Olá Débora, tudo bem? Seria importante descartar, primeiramente, qualquer quadro de dor. Verifique novamente com seu veterinário todas as possíveis causas de dor no seu cãozinho. O que […]

    Dúvida do leitor: meu cão idoso desenvolveu um comportamento compulsivo

    Clique na imagem para conferir sua fonte. Dando continuidade e encerrando a série de posts para ajudar o cãozinho Théo, que estava sendo medicado por estar latindo demais, e sua família humana, o texto de hoje traz os comentários de dois veterinários especificamente sobre o caso do Théo. O primeiro a ser citado é o dr. Marcos Eduardo Fernandes, de São Paulo. Já a dra. Carmen Cocca, de Florianópolis, ficou tão tocada pelo tema que terminou transformando sua resposta para o meu pedido de ajuda em um post fundamental para quem deseja promover a saúde real de seus filhos peludos. Para relembrar e entender o caso do Théo leiam os posts abaixo: Sobre latidos excessivos e remédios neurológicos… O uso de Florais de Bach para ajudar cães que latem demais. “O processo de humanização que se tem com os animais de estimação é muito benéfico para os homens, mas nem tanto para os cães.   Muitos dos problemas de comportamento que vemos todos os dias aumentar em número e gravidade em nossos consultórios veterinários vêm de uma má relação Homem-Animal.   Quanto mais próximo os animais estiverem da sua própria natureza, ou seja, passeios, socialização, alimentação natural etc., menos problemas relacionados ao comportamento eles irão apresentar” Marcos Eduardo Fernandes, MV MSc Abaixo, dois trechos muito importantes do post da dra. Carmen Cocca, que você lê na íntegra clicando aqui. (…) A utilização de drogas psicoativas em cães e gatos vem se tornando uma prática muito comum nos consultórios veterinários em todo o mundo, nos últimos 15 anos. Este crescimento substancial da tentativa de controle comportamental utilizando-se drogas que modificam a parte anímica dos nossos animais de estimação, tem como base os interesses econômicos da milionária indústria farmacêutica, o comodismo e o imediatismo dos proprietários de cães e gatos que querem […]

    Uso abusivo e banalizado de medicamentos em cães e gatos: diga NÃO! (e + 1 pouco sobre latidos excessivos)

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção?  Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Raça de hoje: Border Collie – o workaholic Texto: Michele Welton   Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles Este cão de trabalho na fazenda é famoso por seu “olhar intimidador” – um olhar fixo e hipnótico que ele lança enquanto agacha e aproxima-se arrastando das ovelhas. Uma das raças mais inteligentes de todas, o Border Collie também é uma das mais desafiadoras para se conviver. Seu inteligência superior, combinada com seu intenso e obsessivo entusiasmo por trabalho são suas características mais marcantes – e também as que o fazem inadequado para a maioria dos lares. Este cão de olhar aguçado, pensamento rápido e fanático por trabalho tem sido criado para percorrer espaços infinitos com corridas de curta distância e muita ação “pare & siga”. Se não for possível que ele pastoreie, você deve substituir a atividade por treinos avançados de obediência, agility, corrida, busca de bolas e jogos com frisbees – muitas e muitas e muitas oportunidades de todos eles. Sem estímulos mentais e físicos os Border Collies tornam-se hiperativos e deixarão você louco com seu comportamento obsessivo e destruidor enquanto procuram por saídas criativas para gastar sua energia física e mental. Cães muito inteligentes podem até aprender tudo rapidamente, mas isto incluiu aprender como fazer tudo – e qualquer coisa – que desejem. Border Collies são mestres em fugas e podem abrir magicamente o cadeado no seu portão. Tentar treinar um Border Collie, na verdade, pode ser algo frustrante porque eles estão constantemente pensando, analisando e reagindo a qualquer mínimo movimento que você faz. Eles podem sofrer de […]

    Guia de Raças no Mãe de Cachorro: Border Collie

      –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Raça de hoje: Bichon Frisé: o pompom gente fina! Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles O padrão da raça no AKC (American Kennel Club) diz que o Bichon é “um cão de pompom branco cujo temperamento feliz é evidenciado por sua cauda emplumada portada alegremente sobre o dorso e pela expressão inquisitiva de seus olhos negros”. O Bichon Frisé é um cão fácil de se conviver, um cão de companhia agradável e alegre que adora brincar, se aconchegar em colos e travesseiros e subir no encosto do sofá para espiar pela janela. Suas necessidades de exercício são fáceis de suprir: uma ou duas caminhadas diárias mais um quintal pequeno no qual ele possa trotar e esticar as pernas. Bichons são pacíficos com todo mundo, inclusive com outros animais de estimação. Há uma certa timidez em algumas linhagens, então começar a socialização cedo é importante para desenvolver sua confiança. Embora ele tenha uma veia independente, o Bichon Frisé não é um cão dominante e responde bem a um treinamento leve. Ele prefere aprender truques ao treinamento tradicional de obediência e fica especialmente interessado quando petiscos são usados como recompensa. Crueldade/severidade apenas fazem com que ele reaja mal. Os três problemas de comportamento no Bichon Frisé são: Dificuldade para aprender a urinar/defecar no local escolhido por você Ansiedade de separação: a maioria dos Bichons é tão social e dependente da companhia humana que não fica bem quando deixados sozinhos por longos períodos Alguns Bichos são barulhentos e latem em excesso – e alguns têm um latido estridente. […]

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Bichon Frisé

    Semana passada, quando cheguei no veterinário com o Shoyo passando mal, havia um Bernese de 3 anos esperando para consultar também. Lindo de morrer, Jimmy era imenso, peludíssimo e amigável. Mas não consigo deixar de ficar agoniada com um cão que ama neve morando no Brasil, um país com tão pouco inverno. E vejo cada vez mais deles. Lembram da fêmea que minha amiga adotou do babaca que ia matá-la porque a deixou tão gorda que ela não conseguia mais caminhar? Pois é, no fim das contas (aliás, conta$ mesmo, porque a minha amiga só gastou e gastou tentnado salvá-la) a pobrezinha morreu. –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.   Raça de hoje: Bernese Mountain Dog – Perfeito para climas (muito) frios! Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles O Bernese Mountain Dog é um cão de temperamento estável e calmo. Contudo, sua calma e disposição para o sossego não significam que ele pode ser mantido sem exercícios. Na verdade, o Cão Bernês ama sair, especialmente no tempo frio – com sua pelagem preta e densa ele não vive bem em climas quentes (BRASILLL!!!). Brincar na neve é a forma preferida de recreação deste raça dos Alpes, e puxar carroças e trenós é uma fonte maravilhosa de exercício para ele, principalmente se envolver crianças na brincadeira. Sua atitude perante estranhos varia de amigável a indiferente, mas um Bernês deve ser mantido bem equilibrado e contido. A falha de temperamento mais comum é a timidez excessiva, às vezes com todo mundo, às vezes focada em um grupo de pessoas, como homens com barba, por […]

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Bernese Mountain Dog (Cão Bernês da Montanha)

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Gostaria de fazer uma observação na raça de hoje: novamente temos um cão que foi largamente comercializado nos Estados Unidos, país da autora dos textos. Com isso, particulares e comerciantes, muitas vezes de fábricas de filhotes, cruzaram seus cães de maneira irresponsável e, com isso, tornaram bastante difícil alguém encontrar um verdadeiro Cocker Spaniel Americano para adoção (ainda mais no Brasil, onde a raça não é popular). Nada disso impede que estes animais mereçam amor, cuidados e um lar amoroso, só vale lembrar que o intuito dos textos da Michele Welton é descrever o comportamento característico de exemplares o mais próximos possível da raça original. Raça de hoje: Cocker Spaniel Americano – O Cocker que não é “O Cocker” Texto: Michele Welton- Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles O American Cocker Spaniel (cocker spaniel americano) de boa linhagem é doce, feliz, gentil e brincalhão. A menor das raças de esporte precisa de exercícios regulares, mas caminhadas diárias e brincadeiras serão suficientes. Quando bem socializado o Cocker Spaniel Americano é amigável e pacífico com estranhos e outros animais, embora haja timidez e submissão excessiva em algumas linhas de sangue da raça. O Cocker Spaniel Americano é um cão que responde a um treinamento de obediência persuasivo e animado que inclua agrados e recompensas com petiscos. E estas são todas as boas notícias. As más notícias são… O Cocker Spaniel Americano precisa de muitos cuidados com sua pelagem, que envolvem de escovação à tosas específicas. Eles soltam muito pelo e geralmente têm um odor bastante característico “de cachorro” em sua pele […]

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Cocker Spaniel Americano

    Recebi este texto da minha sogra. Ele é longo, mas gostoso e fácil de ser lido e aqui só colocarei alguns pedaços para que vocês possam ter noção do que ele trata. Espero que gostem. Para ler o texto inteiro, clique aqui, vale a pena! Boa leitura. Umas das queixas mais comuns dos donos de cachorros (ou pelo menos dos vizinhos dos donos de cachorros)é sobre a gritaria que eles costumam fazer quando são deixados sozinhos. Muitas vezes o cachorro nem chora ou late muito, mas destrói a casa toda, faz xixi e cocô em lugares que normalmente ele não faria, baba ou lambe as patas sem parar (muitos chegando a ficar com as patas feridas).(…)Na verdade animais que se comportam de maneira destrutiva, ou choram muito na ausência do dono, SOFREM MUITO. Eles acham que foram abandonados para sempre (tá bem, tá bem, você sempre volta, mas e se não voltar DESTA vez?). O fato de ter que ficar só faz com que eles se sintam perdidos, amedrontados, e desesperados. Com tanto desconforto interior não é a toa que eles percam o controle de seu comportamento e comecem a fazer coisas fora do comum. Nem sempre o comportamento inadequado do cão está relacionado com a ansiedade da separação do seu dono, e nem todo cachorro desenvolve este tipo de problema, mas o fato é que muitos donos (e cães) acabam sofrendo, e muitas vezes tornando as coisas ainda piores porque não conseguem ver as coisas sob a perspectiva da mente do cão. Roer, lamber, cavar, e até urinar pela casa toda é uma forma de tentar aliviar a tensão e o estresse que ele sente. O cão simplesmente não suporta uma situação que deveria ser rotina na vida dele. Aliás, fazer com que ele perceba que existe uma rotina […]

    Ansiedade de separação em cães – Cada vez mais comum!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados