• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Oi, turma!!! Quem acompanha o Mãe de Cachorro sabe que meu maior diferencial como blogueira sempre foi produzir textos próprios, escritos a partir de muita pesquisa ou de reflexões pessoais e focando em informações que divulguem a guarda responsável e nos ajudem a promover saúde real aos nossos cães e gatos. Vocês sabem que conforme vou estudando temas relacionados à saúde (alimentação, vacinação, vermífugos, venenos contra pulgas e carrapatos etc.), tenho tornando a vida dos meus filhos caninos (e a minha!) cada vez mais natural. A ração caiu fora e deu lugar à alimentação natural, as pipetas de veneno e vermífugos deram lugar à homeopatia e as vacinas foram espaçadas de acordo com a realidade de contágio e conforme as instruções da veterinária homeopata dos meus pequenos. Mas nem sempre é fácil ser verdadeiramente natureba, pois há poucos produtos à disposição e poucos veterinários que sigam uma linha realmente integrativa na prática médica. Assim, só posso desejar sucesso a empresas e profissionais que apostam em proporcionar saúde real aos nossos cães e gatos, além de comemorar muito conforme vejo estas iniciativas crescendo no Brasil! Daí quando descubro uma empresa que além de trabalhar com ingredientes naturais, ainda se vira para que seus produtos sejam realmente livres de conservantes, nossa… É puro amor!!! Tem muita empresa aí fingindo ser natural, usando o apelo da vida saudável só para vender mais, mas quando lemos a fórmula/ingredientes, é um susto de tanta bomba química, principalmente em alimentos para humanos com apelo de dieta e emagrecimento! #socorro #meda Alguns nutricionistas humanos cujo trabalho acompanho têm alertado seus seguidores para a importância de ler rótulos em busca de truques que mascaram ingredientes nocivos à saúde. Com o mundo pet não é diferente… Então adorei que as fórmulas dos suplementos da Botica Animal são elaboradas à base de plantas, frutas, verduras e leveduras de cultivo controlado, livres de conservantes sintéticos.  <3 <3 #muitoamor Vejam um resuminho da turma (o Shoyo […]

    Botica Animal: suplementos naturais para nossos filhos de pata!

    Tratar seu cão como o cachorro que ele é: fazer desta a maior meta para o ano novo trará mais qualidade de vida para o peludo e você. Ano Novo 2015: mais um novo ciclo inteiro pela frente. A simbologia trazida com as grandes comemorações nos impulsiona a reflexões, o que costuma (ou deveria) trazer mais maturidade. Que neste ano novo, sejamos pessoas melhores para nossos animais de estimação, tão dependentes de nosso bom senso e das nossas ações e decisões. Não é viver (ou deixar de viver) por eles, mas conviver em harmonia e respeito com sua natureza selvagem, tão presente em seus instintos. Lobinhos Mesmo domesticados há milhares de anos, cães descendem diretamente dos lobos e sua fisiologia não mudou. Mudanças físicas foram provocadas pela criação de raças pelos homens, tornando-os doentes e afetando seu equilíbrio emocional, mas os instintos ancestrais e a essência selvagem ainda habitam todos os cães, mesmo os mais humanizados. Respeito No novo ano, que tal mudar alguns hábitos e tratar seu cão como o que ele é: um cachorro? Pequenas mudanças trazem grandes resultados. Um exemplo: zero perfume, menos banhos e mais escovação! Experimente polvilhar amido de milho (maisena) e escovar o cão até tirar tudo. O resultado será um animal mais limpo, mais calmo e mais conectado com você. Banho toda semana retira a proteção natural que todo cachorro tem na pele e deixa-o justamente mais fedido. Independência Cães muito apegados a humanos sofrem de síndrome de ansiedade por separação, o que os torna tão ansiosos e dependentes que provoca sintomas físicos extenuantes a ponto de alterar seus batimentos cardíacos e sua respiração. Continue a ler clicando aqui.

    Ano novo com pequenas mudanças que trazem grandes resultados para a cachorrada.

    Pedi pra amiga Cassia Santos, do blog Cão Amor, um texto sobre uivos de cães. Espero que gostem! Beijo e boa semana. Leia também: Ansiedade de separação em cães: Tudo que você precisa saber a respeito! Uivos caninos Pensar em uivos nos remete automaticamente a lobos em noite de lua cheia e nos traz à mente a imagem do canis lupus apontando o focinho para cima, fazendo sombra diante da lua totalmente cheia… Mas e quanto aos cães, o que dizer deste tipo de vocalização, que às vezes causa indagações nos seres humanos? Sim, cães também uivam, mas a incidência deste comportamento é bem menor do que ocorre entre os lobos. Mas, para entender o motivo de nossos amigos de quatro patas adotarem este som característico, é preciso entender um pouco dos motivos que levam lobos a uivar. Numa alcateia de lobos, os uivos servem para que consigam se comunicar à distância. O som de um uivo, por ser bastante prolongado, num timbre alto e agudo, permite que a “mensagem” seja levada por quilômetros de distância. Assim, lobos de um mesmo grupo conseguem se comunicar, mesmo que estejam distantes dos integrantes do grupo: um emite o som e o que está longe, responde. Na verdade, vários podem responder e forma-se uma enorme sinfonia de uivos. O uivo, nestas situações, serve também para chamar de volta um ou alguns indivíduos que estejam distantes, caçando, por exemplo. Assim, uivar consiste numa forma de comunicação em massa. Os lobos são capazes de reconhecer se os uivos em resposta pertencem a um indivíduo de outro grupo. Assim, podem saber se possíveis colegas não tão amistosos estão por perto e se preparar para eventuais ataques. Assim como acontece com os lobos, no caso dos cães, os uivos também fazem parte de seu repertório de linguagem. […]

    EXCLUSIVO: Por que os cães uivam?

    texto originalmente postado em 12/12/2010 E por falar em sonhos… A querida Cássia, do Para quem gosta de Cachorros, abordou um tema que me interessa e que está em pauta aqui em casa. Já faz um tempinho que o Shoyo foi banido da cama (pra tristeza dele e minha) e hoje ele dorme na caminha dele, oras ao lado da minha, oras fora do quarto (mas daí nunca por vontade própria)… Tomei a decisão porque ela está enquadrada em um “pacote” de ações que a educadora canina (e fofa!) Emmanuelle Moraes me passou para reduzir a ansiedade de separação do meu “sombra” amado… Com a morte do Sushi no fim do ano passado, ficamos todos não só profundamente deprimidos, mas meio pirados por aqui, e o Shoyo virou o centro das atenções e cuidados, algo que pouco depois já comecei a perceber não estar fazendo psicologicamente bem a ele. Em outra ocasião voltarei no assunto e farei um post só sobre ansiedade de separação, mas agora deixo a indicação do post da Cássia pra nós, que você lê na íntegra clicando aqui e tem uma amostrinha abaixo: O cão é um animal social que está intrinsecamente inserido na rotina de sua “família humana”. Se pensarmos nos ancestrais lobos, eles costumam dormir juntos, aninhados, pois assim conseguem se proteger melhor, ficando menos vulneráveis, além de se manterem aquecidos. Para os cães, dormir próximo aos humanos equivale a estar próximo de sua família! Alguns já se manifestam favoravelmente a esta proximidade na hora de dormir, alegando que trata-se de um fator que aumentará o vínculo afetivo entre cão e seu dono. Mas, por outro lado, a análise desta situação tão cotidiana hoje em dia deve levar em conta consequências importantes, relacionadas a saúde e ao comportamento do cão. Em geral, cães que […]

    Dormir junto ou não? Eis a questão!

    EXCLUSIVO – Mais uma dúvida de leitor que merece publicação, pois com certeza ajudará muitos de nós a lidar com o problema da compulsão por lambedura. Recebi o pedido de ajuda através do Facebook e pedi à Cassia Santos, do blog Cão Amor, que o respondesse. Leia também: Ansiedade de separação em cães: Tudo que você precisa saber a respeito! Gente minha cadelinha tá roendo as patas até ficar machucada, ela roeu uma boa parte da almofadinha de uma pata traseira… que que posso fazer pra ela parar com esse comportamento? Suelen Schimitz EXCLUSIVO: Olá, Suelen! Pelo seu relato, pode se tratar de um comportamento compulsivo. Compulsões surgem quando o cão se encontra estressado, frustrado ou extremamente ansioso, concomitantemente a uma predisposição genética para o comportamento. Como se trata de lesões por lambedura, é imprescindível verificar eventuais causas médicas que possam ter delagrado o comportamento, como uma infecção ou inflamação no local, o que ocasionou coceira excessiva. Se constatado algum fator de saúde após consulta com o médico veterinário, é importante que seja devidamente tratado e, ao mesmo tempo, devem ser utilizadas algumas técnicas para modificação comportamental. Neste sentido, muitas vezes, as pessoas da família acabam, sem querer, reforçando o comportamento compulsivo, pois tentam atrair a atenção do cão nos momentos de “coceira” com carinhos ou petiscos, e o peludo passa a entender que lamber as patas gera consequências boas. A mesma coisa acontece se ele toma “broncas” nestes momentos, pois, de qualquer forma, trata-se de atenção. O ideal é ignorar totalmente o comportamento quando ele se iniciar, como, por exemplo, saindo do recinto. Além disso, é importante promover inúmeras atividades para o cão, como caminhadas vigorosas, agility, aulas de adestramento que, além de aliviarem a tensão, promoverão cansaço físico, equilibrando-se, assim, a química do cérebro.  Outra dica importante é enriquecer […]

    Dúvida do leitor: Meu cachorro lambe as patas até se machucar!

    EXCLUSIVO – O transtorno de ansiedade de separação acomete cães de todos os tamanhos, idades, raças ou misturas. Quando não é diagnosticado ou tratado, leva a família e o cão a conviverem com montanhas de estresse, que geralmente resultam em punições para o cachorro, em alguns casos passado adiante ou até mesmo abandonado. Luto com este problema aqui em casa com o Shoyo desde 2010 e, para minha surpresa, a Java já chegou na família apresentando ansiedade de separação. Com algumas medidas, nossa convivência tem sido muito melhor, com menos sofrimento para eles quando eu saio de casa e, consequentemente, para mim. Sobre esta questão, de um animal adotado (a Java) e/ou adulto (o Shoyo) passar a apresentar ansiedade de separação, compartilho com vocês um trecho de um e-mail que a Cassia Santos me escreveu, quando soube das coisas aqui em casa: “Olha a informação que consta do livro ‘Problemas comportamentais do Cão e do Gato’, do Landsberg, sobre ansiedade de separação: ‘… estudos têm indicado que há significativamente mais cães mestiços, adotados (provenientes de sociedades humanitárias) e acima de 10 anos de idade que apresentam esse problema’. Acredito que isto deva ter um fundo de verdade, especialmente considerando dois fatores: o histórico de vida destes peludos e as atitudes daqueles que os adotam, muitas vezes tentando compensar todo o sofrimento com MUITO carinho e atenção O TEMPO TODO…” Pensando na importância do tema propus a quatro educadoras caninas um desafio: escrever a oito mãos um post completo sobre ansiedade de separação. Para minha felicidade, as quatro concordaram e abaixo você acompanha o resultado. Esperamos, nós cinco, que os textos sejam úteis a muitas famílias que convivem com cães que desenvolveram o problema. É essencial que as pessoas percebam que têm papel fundamental tanto na cura, quanto na causa da ansiedade […]

    Ansiedade de separação em cães: Tudo que você precisa saber a respeito!

    O assunto rende vários posts porque cada vez mais há cães sofrendo de ansiedade de separação, seja por terem naturezas mais pré-dispostas a isso, por conviverem com pessoas que não entendem nada, ou que sabem muito pouco, sobre comportamento canino ou por quais outros fatores que possam fazer surgir este mal que causa muitos maus-tratos e abandonos. Quem nunca conheceu um cãozinho mantido preso na sacada ou surrado porque late quando a família sai? Quem nunca ouviu a história um cãozinho abandonado sob a desculpa de ser um destruidor de tudo em redor quando deixado sozinho? Sim, porque um cão com ansiedade de separação pode destruir objetos, ficar horas uivando/latindo/chorando e por aí segue a lista de comportamentos que podem sim, ser evitados, eliminados ou minimizados e que fazem muito mal não só a quem convive com um animal assim, mas primeiramente e sempre, ao pobre cão.Abaixo, dois textos que podem ajudar caso você e seu cão estejam passando por este problema. Um aqui do blog e outro do blog Canto dos Bichos, da amiga Fúlvia Andrade. Leia também: Ansiedade de separação em cães – Cada vez mais comum!Lidando com a Ansiedade de SeparaçãoHá pouco mais de um mês nos mudamos pra uma casa. Com isso, todos teríamos de nos adaptar, inclusive a Suzie, já que para ela, esta não era a casa dela. Para os cães, isso é normal: eles não generalizam as coisas (ex.: sentar na cozinha não é igual sentar no parque no meio de um monte de gente e seus cães), então, não generalizam que aquele lugar onde eles estão é também a casa deles. Mudar implica nisso: temos que ter paciência com os peludos e ajudá-los a passar por essa fase, e não ficar nervosos. Resultado: quando saíamos, por menor que fosse a saída, ela […]

    Dicas para lidar com a ansiedade de separação em cães

    Conforme continuo a traduzir o Guia de Raças (disponíveis pra adoção, veja explicação no índice do Guia de Raças), mais forte fica o sentimento de que a adoção de cães adultos é a melhor opção para pessoas que não possam se dar ao luxo de descobrir, respeitar e se adequar à personalidade que o filhote um dia terá. –>Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Raça de hoje: Collie, o cão que precisa de paz! Texto: Michele Welton- Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Apesar de seu passado como cães de trabalho que pastoreavam rebanhos, os Collies modernos precisam apenas de exercícios moderados. Em compensação, eles precisam de muito mais atenção – Collies tornam-se infelizes se deixados sozinhos por longos períodos, sem a companhia de pessoas ou outros pets. E podem demonstrar sua infelicidade com latidos excessivos e crônicos ou comportamento destrutivo. Os Collies têm uma personalidade doce e gentil e não ficam bem em ambientes em que haja tensão frequente ou vozes altas. Collies são pacíficos com outros pets e educados com estranhos. Como em outras raças de temperamento pacífico, há um potencial para a timidez e Collies filhotes e jovens precisam ser bem socializados para que possam desenvolver um temperamento confiante. Esta raça também pode apresentar um certo grau de teimosia, mas são fáceis de serem ensinados se quem lidar com eles usar um tom de voz calmo e não der trancos em sua guia. A sensibilidade é uma das marcas registradas dos Collies. Na maioria das vezes eles precisam apenas de correções verbais e podem ficar confusos e amedrontados se você for rude com eles ou em sua presença. Elogios, uma liderança gentil e recompensas em […]

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Collie

    Medicamentos homeopáticos e seus usos em cães. Fonte: clique na imagem Sou usuária da homeopatia há anos e com meus peludos não poderia ser diferente. Minha Moira amada talvez seja o cão que mais tempo viveu com qualidade após o diagnóstico de câncer nos ossos, perto de dois anos. Sem cirurgia para arrancar a perna inteira. Sem alopatia. Apenas com medicinas alternativas. E olha que ela não teve a sorte de comer alimentação natural e, infelizmente, foi vacinada em excesso. A demartite atópica (atopia) severa do Shoyo virou passado só com as gotinhas homeopáticas e, claro, a troca da sua dieta para a alimentação natural (AN). Mas mesmo poderosa, só a AN não teria dado conta de mandar as lesões da terrível atopia embora. Leia também: Lista de veterinários holísticos no Brasil! Homeopatas, acupunturistas etc.–> Divulguem muito! Quer mais um exemplo da eficiência da homeopatia? Que tal o e-mail abaixo? De: Mayara Carvalho Para: Mae de Cachorro Enviadas: Terça-feira, 17 de Maio de 2011 8:00 Assunto: Re: resposta! Oi, Ana como vai?! Antes de você tirar férias tinha te mandando um email contando que minha cachorrinha estava fazendo cocô em cima do sofá e tals… Então por aqueles dias contratei um veterinário homeopata, porque como te disse meu marido tava querendo dar uns tabefes nela, e ele foi até minha casa fez muitas perguntas analisou o caso e disse pra gente que ela estava com ansiedade de separação e protestando por algum comportamento nosso que ela não gostou, durante a conversa relembramos que fomo viajar e deixamos ela com minha mãe e foi depois disso que ela começou com este comportamento, ele passou um floral e um rémedio homeopatico em globulos para administração durante 30 dias. Fizemos todo o tratamento e ela ficou ótima, não levou nenhuma palmada, voltou a fazer […]

    Homepatia para cães e gatos: não é preciso acreditar, funciona e ponto!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados