• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Óóóóó, que amor! Comprovação científica do que já sabíamos há tempos! Que fofura. E como você é o pai, claro, seu cachorro age como se fosse uma criança – mesmo se ele já estiver velhinho. Foi o que 22 cachorros mostraram numa pesquisa liderada pela veterinária Lisa Horn, da Universidade de Viena, na Áustria. Ela os separou em três grupos: um terço ficaria sem o dono, enquanto os outros estariam acompanhados por eles – só que parte dos donos deveria se manter em silêncio, e outra parte deveria encorajar os cães a fazer as atividades. E tudo o que os bichinhos precisavam fazer era interagir com alguns brinquedos. Em troca, ganhariamcomida. Os cachorros que estavam com os donos passavam muito mais tempo brincando. Nem a comida servia para motivar os cães ‘abandonados’. A pesquisadora refez o teste, mas dessa vez os donos foram substituídos por pessoas desconhecidas. Nenhum dos cães mostrou muito interesse pelos brinquedos. Segundo Horn, os testes são suficientes para provar a existência da “área de segurança”. Ou seja, os cães se sentem mais seguros, confiantes e confortáveis na presença dos donos. Sem eles, tudo parece mais perigoso – e sem graça. E é exatamente o que acontece na relação entre pais e filhos pequenos. “Esta é a primeira evidência da similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz a pesquisa. Pra quem tem um bichinho é fácil perceber isso, não? Quantas vezes você não disse por aí que seu cachorro age sempre como se fosse uma criança? fonte: Revista Superinteressante

    Cães nos veem como seus pais realmente!

    Mais uma da série “quem salvou quem?”. Leiam a matéria inteira e vejam mais fotos deste Final Feliz no Hypeness. A história é comovente e parece tirada de filme: Jonny Hickey era um menino de 8 anos, isolado e solitário, devido ao autismo de que sofre. Há alguns meses, uma pequena cadela foi encontrada em estado incrivelmente frágil na beira da estrada e foi acolhida por uma instituição de proteção de animais. Jonny e Xena, a cadela, acabariam por mudar a vida um do outro. A luta e a recuperação extraordinária da cadela, uma mistura de Staffordshire Terrier e Pit Bull, lhe valeram o nome de Xena, a filhote guerreira, por ela ter sobrevivido depois de a morte a ter ameaçado. A sua fama chegou ao Facebook, onde tem milhares de seguidores, e a instituição decidiu fazer um encontro onde ela pudesse conviver com os admiradores e ser adotada. A honra coube à família de Jonny. Hoje, passados apenas alguns meses, a mãe do menino não tem dúvidas de que o filho nunca foi tão feliz. Ele começou conversando, cantando e demonstrando, pela primeira vez, interesse no mundo que o rodeia. A família gastou milhares de dólares em terapia para Jonny, que afinal podia ser substituída por um outro remédio, bem mais simples e barato: a amizade leal que só um cachorro poderia oferecer. Continue a ler clicando aqui.

    Finais Felizes: a cachorrinha quase morrendo e o menino autista.

    25 de junho de 2013Adoção, Animais e nós, Resgate

    Para tudo que quero um igual!!! Vejam que amor achei na página da Antique et Romantique: um casamento “pé na areia” com uma daminha de honra de quatro patas. Amei, babei, também quero! Para ver todas as fotos do casório legal, clique aqui. Fonte das fotos: http://www.noivascasamentoecia.com.br/

    Lá vem a noiva: cachorrinha dama de honra!

    6 de junho de 2013Animais e nós

    Adorei este post da Carol Daemon! Colei os títulos das dicas pra nós aqui, os textos de cada uma delas vocês leem no blog da Carol, ok? Basta clicar aqui. Saiba a importância da Educação e estude! Faça um diagnóstico e elabore atividades específicas e contextualizadas! Proponha desafios, descobertas e questionamentos. Crie com didática e ludicidade. Utilize jogos cooperativos. Utilize recursos multimídia e oficinas para usar os sentidos! Fazer o bem sem olhar a quem. Cuidado com a semântica. O uso das palavras é muito importante. Quer promover mudanças, então seja criativo e reinvente! Os fins não justificam os meios. Tenha um ótimo material em mãos. EXTRA: Para pais e responsáveis. 1- No processo de educação, os pais devem ter a preocupação de ensinar a criança a ver o animal como um amigo, que precisa ser protegido dentro e fora de casa, e não como brinquedo. 2- Até os quatro anos a criança vê o animal como um objeto, por isso é preciso que os pais mostrem a ela que os animais respiram, tem fome, sede, sentem dor, amam e jamais poderão ser abandonados. A partir dos dez anos é possível confiar os cuidados necessários à saúde do animal, sem que haja perigo de maus tratos, desde que sejam orientados corretamente. 3-  “Crueldade infantil com os animais entre criminosos e não-criminosos” é o título de uma importante pesquisa realizada nos EUA, que visou estabelecer a relação entre a crueldade para com os animais durante a infância e o comportamento agressivo para com as pessoas, numa fase posterior da vida. A análise aprofundada, permitindo traçar um perfil, foi possível através de entrevistas individuais com três grupos de homens: criminosos agressivos, criminosos não agressivos e não-criminosos. Verificou-se que 25% dos criminosos agressivos informaram de cinco ou mais casos de crueldade contra animais […]

    Papo de Mãe: 11 dicas de como ensinar Direitos dos Animais para crianças!

    7 de abril de 2013Animais e nós, Carol Daemon

    Achei na web mais uma iniciativa interessante (a última foi o vídeo “Vai lá e faz” das meninas e do Pingo). Aí vai! Por conta de um gato doente herdado em uma longa história, a americana Wendy Chao decidiu criar um site para angariar fundos e pagar o tratamento do felino, ainda em 2003. Oito anos depois, com o gato saudável, a página continua no ar e faz alerta contra a Bartonella felina, além de doar os ganhos para o resgate de gatos de rua. (…) Além disso, a dona faz e vende camisetas com uma reprodução estilizada do gato, que, com uma boina à cabeça, se assemelha bastante a outro revolucionário, o argentino Che Guevara. Os interessados em ajudar podem ainda comprar brinquedos feitos a mão para felinos. São reproduções de tradicionais comidas chinesas, como gyoza e rolinho-primavera, feitos todos de lã por ela mesma. “Eu não ganho dinheiro com isso, é algo que faço simplesmente porque gosto”, conta Wendy, que é bióloga especializada em epigenética e também artista plástica. Questionada sobre como conciliar as atividades, ela brinca. “Não acho que o Chairman Meow atrapalhe meu trabalho. É o trabalho, na verdade, que interfere e torna difícil fazer mais coisas pelos gatos”, afirma. Fonte e matéria completa: G1 Assistam ao lindo querendo pegar uma borboleta recém-nascida, hehe. #coisasdegatos! post de outubro de 2011

    Chairman Meow, o gato revolucionário! Mais um exemplo de como podemos ajudar nosso próximo =o)

    Uma grande amiga minha contou eufórica que havia ganhado a escultura de um cão do marido e que o artista tinha uma história muito legal sobre como havia começado a pintar e esculpir cães e gatos. Achei interessante e fiquei feliz por ela, mas não dimensionei sua alegria até que recebi a foto do tal novo filho (acima). Como o achei absolutamente lindo, perguntei o nome do autor para poder contar sobre ele pra vocês. E assim descobri o trabalho de Ron Burns, um pai de cachorros e de gatos que começou a pintar por hobby e que alcançou a fama com as pinturas de seus próprios filhos peludos. A arte de Ron é colorida e vibrante, como ele acredita ser o amor dos animais de estimação. “Não há nada sutil ou silencioso no amor de um animal de estimação, especialmente se ele for um cão,” diz Ron, e continua,  “é um sentimento com força total, sentido no coração e selvagem como o vento. Cores brilhantes e saturadas são o único meio de eu começar a captar o que cada um de nós vivencia com os cães e gatos de nossas vidas.” Uma curiosidade: Ron começa cada uma de suas pinturas de peludos pelos olhos. Os primeiros filhos peludos de Ron e sua esposa, Buff, foram dois gatinhos adotados em 1985, Kingsford and Smokey. Mais tarde, com a mudança da família para uma casa, em fevereiro de 1988 o casal adotou duas cadelas, mãe e filha, abandonados na virada do ano. Sobre a adoção, Ron conta “Uma vez no abrigo fomos apresentados a uma cadela e sua filhote. Nos contaram que haviam sido abandonadas com outros três filhotes da mesma ninhada, que não sobreviveram, e que quando este último bebê fosse adotado a mãe seria sacrificada. Bem, fomos para casa […]

    Ron Burns, o apaixonante (e lindão) artista pai de cães e gatos!

    A amiga e semi-xará Ana Paula mandou o link de um blog bem legal que traz fotos de cães idosos nos Estados Unidos. As fotos são emocionantes e as breves descrições sobre elas também. Confiram! Abaixo algumas que gostei mais. Para ver mais do trabalho da fotógrafa Nancy LeVine acessem o endereço do blog:  http://seniordogsacrossamerica.wordpress.com É comovente!

    Velhinhos e fotografados…

    22 de janeiro de 2013Animais e nós

    Leiam com atenção a matéria que a leitora Carolina Matumoto mandou, por favor! A única raça perigosa neste mundão lindo é a HUMANA, na boa! Não espere que o seu cão cresça para o levar a uma escola de treino. O alerta é de um dos maiores especialistas mundiais em comportamento canino, o veterinário britânico Ian Dunbar. “As pessoas pensam que se comprarem um cão de raça pura que ele vai ser perfeito. Pensam que vai crescer a saber todas as regras da casa, a gostar de pessoas e de outros cães, e não percebem que têm de socializá-lo e treiná-lo antes dos 3 meses. E o tempo passa depressa. Quanto mais velho o cachorro, mais tempo demora o treino. Por exemplo, se tivermos um cachorro de 3 meses que tem medo de pessoas, vai demorar uma hora ou uma semana, se já tiver 5 meses, o treino vai levar 3 meses, e se o cão já tiver 8 meses vai demorar 3 anos”, explica o especialista. Continue a ler clicando aqui.

    Não existem raças perigosas de cães!

    16 de janeiro de 2013Adestramento, Animais e nós

    Não é novidade que animais vivem salvando vidas de humanos mundo afora. Mas aqui vai mais um exemplo, só para nos lembrar do quanto devemos ser gratos a estes seres especiais em nossas vidas. Uma mulher australiana foi acordada pelo barulho do seu gato, que avançava em uma cobra píton enrolada em um dos braços de sua filha de dois anos. Tess Guthrie, uma mãe de 22 anos de Lismore, New South Wales, contou que a píton de 1,83m havia dado três voltas no braço da criança, que não acordou. “Pensei que estivesse tendo um pesadelo”, contou Guthrie para uma emissora local de televisão. “Só acordei por que o gato avançava na cobra, fazendo barulho.” Zara, a criança, estava dormindo na cama com a mãe, que então espantou a cobra. Mas antes que ela conseguisse, a cobra não venenosa ainda picou a mão esquerda de Zara três vezes. Um especialista, Tex Tillis, capturou a cobra e a devolveu à natureza depois. Ele conta que a cobra não estava atacando a criança, mas sim em posição de “abraço grupal”. “Pítons têm uma rede de sensores abaixo da mandíbula que permite que elas ‘vejam’ o mundo em termos de figuras infravermelhas”, explica Tillis. “Então, no escuro, elas verão um bebê como um lugar quente.” Bem… Sendo assim acho que exagerei no “salvamento”, já que a criança não corria risco de vida realmente. Mas não importa, pois se a cobra fosse venenosa ou quisesse comer o bebê, o gato LINDO, FOFO, AMADO, estava lutando contra a cobra mesmo assim. Fonte da notícia: Yahoo News Fonte do vídeo: Daily Mail

    Gato salva a vida de menina australiana.

    9 de janeiro de 2013Animais e nós, Gatos
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados