• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Achei importantíssimo vocês saberem disso já que desta vez não sou eu e nem qualquer outro praticante de alimentação natural para cães e gatos alertando o que quem caiu fora da ração já está cansado de saber: Maioria dos casos de cálculo renal em cães é causada por ração Se seu cachorro parece ter dor, tome cuidado: ele poderá estar com pedras nos rins. Portanto, quando notar esse sintoma no animal, procure um veterinário o quanto antes. O cálculo renal, também conhecido como pedra nos rins, é uma massa dura desenvolvida a partir de cristais que se separaram da urina dentro do trato urinário dos cães. Normalmente, a urina contém substâncias químicas que inibem a formação destes cristais. Estudos comprovaram que atualmente a grande maioria dos casos de cálculo renal em cães é causada pela ração industrializada hipercalórica. Há trinta anos atrás era raríssimo ver um cachorro com este tipo de patologia, mas hoje é cada vez mais comum esse diagnóstico. A química presente na ração industrializada (flavorizantes, aromatizantes, estabilizantes e outros conservantes), a longo prazo, deteriora a saúde dos caninos. Cachorros que ingerem alimentos sem conservantes apresentam mais saúde e vivem 1/3 a mais do que os alimentados exclusivamente com rações industrializadas. A dieta com variação do cardápio possibilita ao organismo desintoxicar-se da química existente no alimento industrializado. Por isso, quem utiliza ração para alimentar seus cães deve administrar, a cada quatro dias de ração, um a dois dias de alimentos frescos sem conservantes, ou seja, carnes (branca e vermelha), peixes, vísceras bovinas, legumes, arroz, queijo branco (e/ou iogurte), gemas de ovos e frutas. A levedura de cerveja, em doses diárias, também é altamente recomendável como complemento alimentar. Fonte: Portal da Cinofilia Atualização: acabei de ver que o Cachorro Verde tratou do mesmo assunto, mas como sempre, com informações […]

    Maioria dos casos de cálculo renal é causada por RAÇÕES! Fiquem ligados!

    Preciso comentar o relato abaixo? Provavelmente não, mas a “pessoinha” aqui não resiste: fico pensando em quantos anos de luta por uma condição real de saúde em que não só o Jet sofreu, mas também a Mariana, ao vê-lo mal. Felizmente esta é uma história com final feliz.Leia também: Sarna demodécica: dicas naturais para vencer a doença  Manu e o Monstro da Sarna Demodécica… (com final feliz!) Após ler um post no Mãe de Cachorro sobre sarna demodécica e sua repercursão, resolvi falar um pouco do meu Jet e seu sofrimento com a doença e a mudança com a alimentação natural e tratamento homeopático!! O Jet é um cãozinho da raça Jack Russell Terrier, de 9 anos, com pedigree, nascido em Seatlle, USA, e com sarna demodécica. Morei na Califórnia por quase 3 anos e o adotei lá, após ele ser meu “cliente” em meu trabalho de dog walker. A dona, que o comprou em Seattle, voou ele até a Califórnia e teve ele por 4 anos, não o queria mais, pois era agressivo, com problemas de saúde e latia muito, além do marido o odiar. Ou seja, nos termos que eu conhecia os abrigos de cães da minha cidade e da maioria dos EUA, ele ia ser eutanasiado, principalmente pela agressividade, que nada mais era do que medo. Tinha diagnóstico de alergia e depressão, tomava prozac e anti-histamínicos todos os dias, os quais fui retirando aos poucos. A agressividade praticamente acabou em cerca de 3, 4 meses e ele se tornou cada vez mais social. Quando o levei pra casa, desconfiava até da própria sombra… Quanto aos anti-histamínicos, não estavam fazendo efeito algum, somente prejudicando ele com tanta química para melhora nenhuma! Bom, viemos para o Brasil e aqui piorou ainda mais sua pele. Lá vamos nós pro vet de […]

    Diário de um cão com sarna demodécica

    Quer baixar o guia em .pdf? Então clique aqui! Dieta aprovada e recomendada pelo Shoyo! Antes de postar o Guia, a Sylvia tweetou: Desafio do dia: será que conseguimos reunir o básico da Alimentação Natural em uma única folha? Isso é o que você verá daqui a pouco! 😉 E de brincadeira respondi pra ela: @cachorro_verde Eu consigo num tweet: ossos sempre crus, qto maior o cão, maior o osso, sirva ao longo da semana o equivalente a uma caçada. Posto a minha resposta porque pra quem ainda não pratica a Alimentação Natural, a dieta pode parecer complicada, mas depois que a estudamos [ahhh, quer cuidar bem dos peludos e não estudar nada? fala sério!] melhor, tudo fica muito simples e prático. Eu nãoooo sou assim caprichosa como a Sylvia ensina a ser e suplemento muito pouco porque sigo mais a dieta crua e natural apresentada pelo veterinário australiano Tom Lonsdale, que você conhece melhor lendo seu livro “Raw Meaty Bones” traduzido para português. Por conta disso, realmente minha resposta resume perfeitamente a alimentação do Shoyo, composta de tudo que existe em um bicho que ele caçaria, inclusive nas proporções: pele, carne, ossos, músculos, órgãos, vísceras etc. Fica a dica de uma opção 100% natural e saudável. Mas você é quem manda e escolhe como alimentar seu peludo!

    Guia prático de Alimentação Natural do Cachorro Verde

    Konie visitando o Shoyo É com imensa alegria que compartilho com vocês o texto abaixo, da Luciana, que mostra de maneira sincera e clara seu aprendizado em proporcionar mais saúde e qualidade de vida à Konie, sua filha peluda tão amada. “Alimentação artificial e morte natural? Desde que adotei a Konie em 2004, aos 8 meses de idade, duas “pulgas” viviam pulando atrás da minha orelha de mãe de cachorro. Uma era a necessidade de espaço e de exercício que ela tinha, por ser uma cadela muito, muito ativa. A segunda era a alimentação dela, totalmente à base de ração. Apesar da Konie ter crescido super forte e disposta, eu nunca conseguia acreditar que dentro daquelas embalagens tinha mesmo vitamina boa, proteína pura e tudo mais que diz ali. Isso sem falar no fantasma do câncer, que mata tantos cães hoje em dia. Afinal, como vamos dar tanta comida industrializada e artificial se queremos que nossos bichos morram bem velhinhos, de morte natural? No fundo a ração era ótima pra mim, para o meu conforto e comodidade. Resultado: toda a santa vez que comprava ração, a minha consciência pesava mais que chumbo. Um belo dia, após muito relutar, aceitei o desafio da Ana Corina, a super dinda da Konie, de experimentar a alimentação natural. A princípio, fiquei cheia de receios, principalmente quanto à carne crua. E pra completar, a veterinária da Konie não apoiou nadinha a minha iniciativa. Comecei então devagar, dando somente a papa de arroz, carne e legumes cozidos, enriquecida com cálcio de casca de ovo moída. Fiz o primeiro panelão e a aceitação dela foi um sucesso absoluto. Nunca vi a Konie comer com tanta satisfação e alegria. A ração, que antes ficava mais de 10 horas esquecida no pote até terminar, agora tinha se transformado numa […]

    Konie, a Cachorra Verde

    27 de fevereiro de 2010Alimentação Natural, Saúde

    Ontem postei mais material sobre os malefícios do sobrepeso e da obesidade para cães. Hoje é a vez dos bichanos queridos, afinal, eles também são engordados por seus tutores tanto quanto, ou às vezes até mais, do que os cães. Cachorro gordo não é fofo, gato gordo não é bonito. Com saúde nós simplesmente não brincamos e ponto final. Da mesma maneira que fico triste e enraivecida quando vejo crianças obesas, quando as vejo tomando coca-cola na mamadeira ou comendo junk food e afins, experimento os mesmos sentimentos de tristeza e desespero profundos quando vejo animais de estimação acima do peso e mais ainda quando escuto argumentos do tipo “Mas se eu sou gordo, meu cachorro não poderia ser magro“. Realmente não poderia, ele deveria!Lembre-se: você pode escolher o que come e se estiver fora do peso considerado saudável para um ser humano, seja para mais ou para menos, a decisão de estar/continuar assim é única e exclusivamente sua. Mas seu animal de estimação, aquele a quem você chama de melhor amigo de patas, de filho, de amordasuavida, infelizmente não pode escolher o que come, então depende do seu bom-senso e da sua responsabilidade para ser saudável. E não adianta querer esquecer ou disfarçar: peso sobrando mata e quando seu animal ficar doente, não tenha a menor sombra de dúvida: a culpa será toda sua. Não sei quem está me lendo, não sei se o ‘chapéu’ servirá para você ou não, mas não me importo minimamente se serei odiada, meu compromisso é com os animais e bicho não é brinquedo e isso também é aplicável à maneira como você alimenta seu peludo e como mantém sua saúde. Não é muito melhor cuidar da cintura dele agora e economizar dinheiro e sofrimento depois, quando você precisará tratar de ossos e órgãos […]

    Bichanos: mais sobre "fofos ou gordos?" (Mães e pais de cachorro, também leiam, por favor)

    Continuo cada vez mais encantada e apaixonada pela Alimentação Natural que pratico com o Shoyo. Estudo o assunto desde 2003, tenho livros importados sobre o tema, mas pra você que precisa de uma fonte eficiente, segura e descomplicada para entender o que é esse tipo de alimentação (criada pela Mãe Natureza, conhecem?), o site Cachorro Verde é simplesmente o máximo! Alimentação Natural não é “comida de gente”, não é dar restos do almoço, é alimentar cães e gatos da maneira adequada com sua fisiologia carnívora, que nada mudou ao longo de sua longa convivência com os humanos. E vejam que fofo o Shoynho querido devorando sua coxinha da asa no primeiro dia de 2010! Para ver outros peludos se alimentando da maneira carnívora e natural para a qual Mamãe Natureza os criou (e capacitou completamente – sem esse papo furado de que cães e gatos foram domesticados e viraram onívoros, por favor! Respeitem seus neurônios de humanos! Dar ração comercial é uma opção, mas achar que ela é melhor e mais saudável do que alimentação natural daí já é alienação e desconhecimento puros.),cliquem aqui. E vejam a cara de ‘triste’ dele depois, no colinho da mamãe na rede. Tomei vergonha na cara e voltei para a Alimentação Natural no dia 29 de setembro de 2009, depois de tempo demais enrolando e me enganando. Desse dia até o falecimento do Sushi, foram praticamente 3 meses e tanto nele quanto no Shoyo as mudanças positivas foram rápidas e incrivelmente perceptíveis, entre elas: Fim dos cristais na urina Fim da lágrima ácida e escura Diminuição absurda e considerável do “cheiro de cachorro” (que vai sumindo cada vez mais conforme o tempo passa) Diminuição absurda e considerável do tártaro e do “bafo” Diminuição da queda de pelo (que neles, em função da raça, nunca […]

    Shoyo e sua alimentação natural e 100% saudável

    21 de janeiro de 2010Alimentação Natural, Gatos, Saúde

    Clique na imagem para ler a coluna ampliada.Jornal Notícias do Dia, 13 de novembro de 2009. Mais, muiiito mais em www.cachorroverde.com.br Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Coluna de ontem – 2ª parte do especial sobre Alimentação Natural para cães e gatos

    Clique na imagem para ampliá-la.Jornal Notícias do Dia, 6 de novembro de 2009. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Coluna de hoje, especial: alimentação natural

    Quem acompanha o blog desde o início sabe que o Sushi e o Shoyo têm cristais na urina, alterações de ph e outras complicações relacionadas aos rins e e sistema urinário, que monitoro desde que descobri. Ontem a veterinária deles decidiu que devo alimentá-los com alimentação natural. Mais nada de ração. Chega. Necas de pitibiriba. Mas na verdade, não é exatamente isso que queria falar pra vocês, e sim comentar a importância da prevenção, não só em nossas vidas, mas nas dos nossos amores peludos. A primeira providência a ser tomada neste sentido, caso a pessoa tenha um animal de raça definida, é estudar as doenças a que ele está naturalmente propenso só por ter a carga genética da raça em questão. Depois, e isso vale para todo e qualquer animal, o fundamental é ficar de olho na rotina e comportamento do seu amigo peludo. Achei uma matéria muito didática e bem gostosa de ler no site R7, é só clicar aqui para acessar e saber quais os principais sintomas de cães e gatos que nos devem correr para o veterinário. Interessante, também, é a enquete no fim da matéria. Vejam como ela está agora: Você leva seu bicho ao veterinário regularmente? Animais são como humanos e também precisam de cuidados médicos. Mesmo sem nenhum sintoma, especialistas indicam a consultar sempre um veterinário. Só quando acho que ele está doente. Sim, pelo menos duas vezes por ano. Sim, faço um check up todo ano Não! Cuido do meu bicho em casa Só quando acho que ele está doente. —- 38,5% Sim, pelo menos duas vezes por ano. —- 28,1% Sim, faço um check up todo ano. —- 12,7% Não! Cuido do meu bicho em casa. —- 20,7% Quem está perdendo disparado? Justamente a opção que deveria, em muitos casos (principalmente […]

    Amar é… PREVENIR! Alimentação natural para cães.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados