• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    A leitora Márcia Freitas deixou uma dúvida lá na página do blog no Facebook que pode não parecer séria se levarmos em consideração que o cão envolvido é um pequeno yorkshire. Mas troque o cão por qualquer um maior e o estrago está feito. Este é daqueles posts que chamo de “utilidade pública”. Por favor, o divulguem bastante porque muitos animais são abandonados, surrados ou mortos todos os anos no mundo inteiro porque as pessoas deixaram que eles ficassem descontrolados. Quem ama, educa! E pouca gente faz como a Márcia e vai atrás de ajuda, a maioria tenta resolver sozinho, deixa o assunto pra lá e fica convivendo com o perigo ou simplesmente se livra do animal. Márcia Freitas Oi Ana Tenho uma grande dúvida: montei um brinquedinho feito com garrafa pet e ração que sai por furinhos na garrafa para a yorkshire da minha avó, que se chama Pitty e fez 7 meses agora. O problema é que ela nos ataca sempre que tentamos brincar com a “garrafa de rações” ou quando chegamos a uma certa distância da sua vasilha de comida. E ataca para machucar mesmo (apesar de ainda ser filhote)! Não sabemos mais o que fazer, tento ensiná-la comandos básicos e até espantá-la na hora do ataque com spray de água, mas não adianta muito (tenho domínio sobre condicionamento operante, mas nada tem resolvido…). Fico preocupada porque minha avó já é uma pessoa de idade, não tem muita paciência nem energia para lidar com filhotes… Alguém poderia me dar alguma dica sobre o que fazer com a Pitty?! Até pensamos num adestrador, mas aqui na minha cidade eles cobram muito caro e não temos condição de pagar. Agradeço desde já! Quem responde a dúvida de hoje é a queridíssima Sara Favinha da equipe Tudo de Cão, a […]

    Dúvida do Leitor: Meu cão avança para morder se tentamos tirar algo dele, e agora?

    Quando recebi o e-mail da Vera, respondi imediatamente dando algumas dicas mesmo sem ainda não tendo sequer pensando em quem eu pediria que comentasse o caso. Acontece que tivemos uma situação aqui em Floripa exatamente igual. Um cão comunitário estava ameaçado de morte por defender seu “território”. Felizmente ele foi colocado em uma hospedagem e hoje está feliz da vida, adotado e com uma famíllia para chamar de sua, mas até isto acontecer a situação estava bastante crítica para o lado dele. Para todos os que possam passar por algo parecido, aí vai a questão da leitora Vera e a resposta da amiga Cássia, educadora canina do Cão Amor. Minha resposta para a Vera, antes de eu ter a opinião profissional da Cássia, foi no sentido de que eles retirem o Fucinho de lá imediatamente, colocando-o em um lar de apoio ou hospedagem paga, que os moradores da rua que ele tanto cuida podem ajudar a pagar, ao menos até que a situação tenha uma outra solução. Bom, vamos ao relato da Vera: Bom dia, gostaria de uma orientação, pois estamos com um pequeno problema o qual não estamos conseguindo resolver. Cuidamos de um cachorro, o chamamos de Fucinho, cujo companheiro foi atropelado, inclusive quando esse morreu, o Fucinho não queria sair de perto do corpo do amigo, nem deixava que ninguém mexesse nele. Com paciência, conseguimos pegá-lo para enterrar, e a partir desse dia estamos cuidando dele, inclusive uma veterinária se prontificou a castrá-lo, e o restabelecimento do cão foi em minha casa, onde tenho mais 4 animais, dos quais um é bem pequeno, dois grandes, e um gato, e meu hóspede não se entendeu com nenhum deles, muito pelo contrário, tive que mantê-lo preso o tempo todo e era horrível . Agora estamos cuidando dele na rua, e […]

    Dúvida do leitor: Como ajudar um cão comunitário que avança em vendedores ambulantes e estranhos, defendendo sua rua e moradores?

    A leitora Cátia Lisboa enviou um e-mail relatando que em sua cidade (Bertioga, litoral de São Paulo) há muitos casos de abandono de cães de porte grande em temporadas de férias, o que termina aumentando também os casos de brigas entre cães de rua. Enviei seu relato e sua pergunta “Eu, particulamrnete, não faço idéia de como deveria trabalhar para soltar um ataque desses. Você conseguiria me ajudar, por favor?” à querida amiga Cássia, do blog CãoAmor. Sua resposta segue abaixo. Espero que ajude não só à Cátia, mas a outras pessoas e cães. EXCLUSIVO: “Lidar com uma situação de briga séria entre cães é uma experiência assustadora. E pior: deparar-se com uma briga entre dois cães muito grandes e muito fortes pode ser aterrorizador! A dúvida da leitora do Mãe de Cachorro, Cátia Lisboa, é muito pertinente, pois qualquer um pode, um dia, acabar presenciando uma briga violenta entre cachorros. E saber como agir pode evitar uma tragédia. A primeira dica é: NÃO tentar separar os cães utilizando as mãos ou o próprio corpo, especialmente se forem cães grandes e fortes! Manter-se afastado das bocas dos cães é muito importante, pois, no meio de uma briga, eles podem acabar mordendo o que estiver na frente, caso não consigam morder o outro cachorro (agressividade por transferência)! E isto pode ocasionar sérios ferimentos, já que os cães podem nem perceber que estão mordendo a mão de um humano no meio da confusão! Ademais, se for o caso de uma briga entre (ou com) cães grandes, fortes e com alto instinto de ataque, como narrado pela Cátia, a coisa fica ainda mais séria e perigosa… Assim, prezar pela segurança de humanos e caninos é crucial. Não gritar, nem tampouco bater nos cães é outra dica importante. Se o cão ouvir o dono […]

    Dúvida do leitor: Como separar uma briga de cães?

    24 de fevereiro de 2011Adestramento, Agressividade, Brigas

    Algumas dúvidas e pedidos de ajuda/orientação que recebo acabam sendo apenas só mais um exemplo de uma situação que várias pessoas vivem. Assim, tenho procurado então postá-los no blog para ajudar a mais leitores além daquele que me mandou a questão. Abaixo, segue a resposta de uma especialista para o problema da Nélia, uma leitora do blog, mas que com certeza é o mesmo de muitos de vocês. Desta vez quem respondeu foi a super querida Franciele Lima, da Cão Obediente Comportamento Animal. Minha observação pessoal à Nélia: muito cuidado na hora de escolher o adestrador que fará o trabalho com as duas e esteja sempre presente nas aulas, não aceitando qualquer tipo de punição ou uso de força com suas cadelas, não importando a justificativa dada. “Ana me ajude, Eu tenho uma femea Boxer e uma femea poodle, A boxer está estranhando a poodle e ontem quase a matou, tive que dar 7 pontos no pescoço da poodle… Elas sempre conviveram desde pequenas… O QUE PODE ESTAR ACONTECENDO? por favor ME DA UM LUZ… Moro em Belo Horizonte MG . Zoé a poodle tem 8 anos… Angel a Boxer tem 2 anos… As duas estão separadas. Não tem nenhuma das duas no cio… Angel é estressadissima e Zoé, talvez pela idade, é mal humorada…rss bjs” EXCLUSIVO: Olá Nélia, Agressão é um problema muito comum e é também  um problema muito perigoso, pois a família e os cães podem correr sérios riscos. Antes de tudo precisamos identificar o que causa as brigas. É muito arriscado tratar esse tipo de problema sem uma avaliação criteriosa, dessa forma, tentarei passar algumas dicas que colocadas em prática podem te ajudar. Mas sugiro que você procure ajuda especializada com muito critério, pois o uso de punição não só é ineficaz, mas também contra-produtivo. Punir […]

    Dúvida do leitor: Uma das minhas cadelas atacou a outra, e agora?

    14 de janeiro de 2011Adestramento, Agressividade, Brigas
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados