• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Listas de veterinários

  • Receba os posts por e-mail:

    Não querer compartilhar comida, brinquedos e até pessoas é natural para os cães, mas eles podem aprender a não reagir com agressividade. Clique na imagem para ler a coluna de hoje.

    Coluna de hoje: Ensine seu filhote de cachorro a não desenvolver agressividade por posse de objetos, comida etc.

    Recebi a dúvida abaixo e a repassei à Emmanuelle Moraes, mas na época ela estava em viagem e só conseguiu me responder depois, mas agora não lembro por onde a pessoa me pediu ajuda (se pelo Facebook, e-mail ou blog). Então posto tudo na esperança não só dela ler, mas de ajudar outras pessoas e animais em situação parecida. A dúvida: adotei um pitbul em pele de poodle, ele passou por várias casas e foi expulso de todas ate que “simpatizou” comigo; só que tenho mais dois cães, um macho e uma fêmea. e o “pit bul” é meio de lua, tem horas que do nada ele avança em qualquer coisa que se move,ou tem ataque de fúria dentro da casinha dele com o cobertor. se a gente faz carinho ele aceita e fica todo mansinho, deita de patas pra cima balançando,parece um verdadeiro poodle. ai do nada ele começa a rosnar e se nao tirar a mão imediatamente e se afastar ele crava os dentes na gente;;;é loco loco.pra dar banho precisa de focinheira.tudo tem de ser do jeito que ele quer.quero impor limites mas não sei como; ele pede carinho, a gente da e ele morde! não entendo!outro dia cheguei do serviço e ele veio com a bolinha na boca pra brincar; quando fui pegar a bolinha da boca dele; ele soltou a bolinha e rosnou; mas achei que a gente já tava amigos e não liguei; continuei pedindo a bolinha ;e ele me avançou. não mordeu porque consegui me esquivar e fechar a porta. depois ele vem andando tortinho balançando aquele cotoco, com uma cara de quem aprontou feio. todo dia é a mesma coisa! alguém sabe o que fazer? não tenho como pagar para adestrar. algumas dicas iriam me ajudar muito! A resposta da especialista: Olá! […]

    Dúvida do leitor: Como lidar com um cão que morde!

    A brincadeira tem sido condenada, mas pode ser uma ótima alternativa de interação com seu cachorro, aumentando a parceria entre vocês. Clique na imagem para ler a coluna de hoje.

    Coluna de hoje: É possível brincar de cabo de guerra com seu cão de maneira saudável e inteligente, basta querer.

    Essa é a típica dúvida que exemplifica o que praticamente todo mundo que já lidou com um filhote de cachorro passa durante um período. Filhotes mordem, mordiscam, experimentam o mundo com o boca. Piora entre os 4 e 6 meses, quando trocam os dentes de leite pelos definitivos. E pode continuar a vida toda caso o comportamento não seja devidamente tratado. Acontece que cães são geralmente separados MUITO cedo da mãe e irmãos, o que NUNCA deveria acontecer antes de 8 semanas de vida (sim, dois MESES e não os absurdos 45 dias que todo mundo segue). Estar com as mães e irmãos até no mínimo 2 meses de vida ensina muita coisa aos filhotes, inclusive etiqueta básica, que passa por não morder os outros. Filhote ou cão adulto muito mordedor? Pode apostar, foi tirado da ninhada cedo demais. Como sempre, a dica básica para quem tem filhote canino em casa e frequenta o Mãe de Cachorro, é ler os posts da Série Filhotes, pois muita coisa é respondida só com o material que já tem lá (assim como o Guia de Raças, a Série Filhotes ainda está longe de terminar, então eventualmente há post novo, fiquem sempre de olho!). Para ajudar a Taiane e sua Lisa, pedi à querida amiga e adestradora Fúlvia Andrade, do blog Canto dos Bichos para dar uma mão. Eu adotei a Lisa faz quase um mês, a veterinária disse que ela tinha aproximadamente dois meses. ela foi jogada no pátio de uma casa e o dono então deixou ela num pet. como todo filhote ela adora bagunçar, não destrói muitos objetos ainda, mas ela não pode ver um pé ou uma mão que já morde. o que me preocupa é que ela é muito agressiva quando está brincando. se eu tiro algo dela e […]

    Dúvida do leitor: meu filhote só quer saber de morder, e agora?

    EXCLUSIVO – Creio que o X da questão aqui seja a frase “ele é super amado,é o bebê da casa”. Resolvendo tanto mimo, as chances deste cão voltar a ser equilibrado são grandes. O que me faz pensar em todos os relatos de cães grandes que “dormiam na cama” e eram “tratados como filhos” e que as pessoas, no seu profundo desconhecimento sobre comportamento animal, logo rotulam como sendo problema “da raça”. Seguem a dúvida da leitora Ana Martins e a resposta da educadora canina, Emmanuelle Moraes! Olá, Meu Bichon é adoravel… Usa as caminhadas para suas necessidades. Ele está com seis anos e agora começou a manifestar agressividade.morde as pessoas, chega até a avançar.To preocupada,afinal ele é super amado,é o bebê da casa. Nunca o deixamos sozinho.não consigo entender. Me ajudem. Tenho deixado de ir a lugares…..pelo comportamento dele. Obrigada e aguardo um retorno Ana Martins Leia também: Sintomas de dor! Fique ligado! Guia de raças no Mãe de Cachorro: Bichon Frisé Dúvida do Leitor: Meu cão avança para morder se tentamos tirar algo dele, e agora? “Oi Ana Martins, Se antes o seu peludo nunca havia sido agressivo e agora passou a demonstrar tal comportamento é preciso estar atenta a alguns fatores. Inicialmente certifique-se de que ele não esta com algum problema de saúde, pois se está sentindo dor é possível que reaja com agressividade, mas isto apenas um veterinário poderá constatar. Infelizmente o seu relato está muito deficiente de informação e dificulta a orientação a respeito do caso. Entretanto, se não aconteceu nenhum evento traumático com o seu cão durante os passeios, é possível que ele já demonstre agressividade em outras situações e agora passou a ser agressivo também na rua. Geralmente os cães antes de serem agressivos de fato (o que é percebido pelos tutores) já demonstram […]

    Dúvida do leitor: Meu cão passou a ser agressivo depois de adulto, e agora?

    EXCLUSIVO –  Recebi o contato abaixo e mandei a resposta que meu pouco conhecimento permitia. Corri então a pedir ajuda à super Cássia Santos, do blog Cão Amor. Segue a resposta dela para que todos nós possamos aprender com a situação. Boa leitura! A dúvida: boa tarde, ganhei uma cachorrinha já com 7 meses (“salsichinha”). logo que chegou íamos fazer carinho nela, ela rosnava e queria morder, tudo bem achei que faltava se adaptar conosco. Somos 4 em casa, todos apaixonados por Nina, mas só que a Nina hoje já tem um mês em casa e ainda tem esse comportamento, sempre que alguém vai fazer carinho nela, ela rosna e quer morder, o que faço? fico muito triste com isso Minha resposta: Querida, Você adotou um cão filhote de uma raça bastante inteligente. Ela está SÓ HÁ UM MÊS na sua casa (é POUQUÍSSIMO TEMPO)… Você sabe como era a vida dela antes? Apanhava? Morava em um lugar com muita gente fazendo barulho, gritando, brigando? Havia crianças a maltratando? Ou ela era MUITO mimada e ganhava colo e beijos cada vez que rosnava para alguém? Tudo isso pode fazer dela um animal ressabiado. O importante agora é conquistá-la e mudar este comportamento. Com TEMPO e amor vocês conquistarão a Nina aos poucos, mas é preciso PACIÊNCIA. As dicas deste texto podem te ajudar: http://www.maedecachorro.com.br/2011/05/duvida-do-leitor-como-resgatar-um-cao-que-esta-arisco-e-fugindo.html De qualquer maneira, achei interessante a situação de vocês e vou pedir a uma educadora canina para fazer um post a respeito, ok? Fique de olho no blog. A resposta da profissional: A situação narrada pela leitora do Mãe de Cachorro, que adotou uma cadelinha com 7 meses que se mostra arredia e dá sinais de agressividade mesmo com um mês de convivência, é uma realidade para muita gente. Apesar de ainda ser filhote esta cadelinha […]

    Dúvida do leitor: Como ganhar a confiança de um cão?

    EXCLUSIVO – A leitora Daiane Ouvernay escreveu com uma dúvida (abaixo) que também serviu para o leitor Jorge Lerche, que adotou um gato que não está se ambientando bem com o outro felino da família. Pedi à querida amiga educadora canina Emmanuelle, da Cão em Casa – Treino e Comportamento Animal. Leia também: Distraia seu bichano!! Alternativas para manter seu gatinho ocupado, feliz e seguro, dentro de casa. Boa noite Em primeiro lugar, gostaria de mencionar que sou visitante assídua do site “Mãe de Cachorro”. Tenho um gato que é a felicidade da casa, um membro da família. Ele está comigo há um ano e vive dentro de casa (nunca saiu) e é filho único e, como tal, é extremamente mimado. Tentei adotar outro gato, mas tive problemas pois o Julian simplesmente ficou agressivo comigo, chegando a me arranhar ferozmente, além de não usar a liteira. Resultado, tive que devolver o novo gato. Procurei em diversos sites posts sobre o assunto “ciume” e o que encontrei foi insuficiente e superficial. Procurei no site de vocês, mas não encontrei nada relacionado. Gostaria de saber se há algum post sobre o assunto e se há, poderiam me mandar o link? Gostaria de saber sobre os “sintomas” do gato quando está com ciúmes, principalmente p mamães de primeira viagem como eu. Desde já agradeço. Daiane. Aí vai a resposta da Emmanuelle! Esperamos que seja útil para mais mamães e papais de gato. Oi Daiane, abaixo deixo algumas considerações sobre o teu caso: A agressão entre felinos pode ter uma variedade de motivos, dentre elas a territorial. Como você mesma menciona acima, o Julian é filho único e nunca saiu de casa. Imagino que ele também não deva ter sido socializado com outros gatos, muito menos que isso deva ter sido feito na fase ideal […]

    Dúvida do leitor: Como apresentar e socializar gatos estranhos?

    A Ana Rayssa me escreveu com um problema que na verdade já foi tratado aqui no blog, mas mesmo assim achei interessante pedir mais uma opinião profissional sobre o tema, então pedi à Sara Favinha, da Tudo de Cão, que o comentasse. Sobre brigas de cães, leia também: Dúvida do leitor: Uma das minhas cadelas atacou a outra, e agora? Muito prazer, também sou um cachorro! –-> Como apresentar cães evitando brigas! Como evitar brigas na hora das refeições? Como separar uma briga de cães? Ana, tudo bem? Eu estou com um problema sério aqui em casa… eu tenho atualmente em casa, 7 cachorros, desses 7 tenho 4 machos e 3 fêmeas. Por causa de um abacate que caiu do pé, dois deles que eram super amigos, o Tuco (não castrado) e o Nino, já castrado, se pegaram pra valer, eu não estava em casa, mas se minha Mãe não tivesse pedido ajuda de um vizinho, os dois iriam morrer. e hoje, aconteceu de novo… eu fico triste com isso, porque os dois eram super amigos e agora nem podem mais se ver Os dois estão super feridos, principalmente o Nino, que por ser gordo e pesado, leva a pior, mas não deixa de provocar o Tuco, que é inteiro e é mais leve e ágil. O Tuco tem 5 anos e o Nino tem 4. Nunca brigaram. Mas o Nino sempre rosnou pro Tuco. O Tuco é o maior de todos, é o líder e não aceita desaforo de outros cachorros da casa. de nenhum. Porque os dois mudaram de comportamento? A resposta da Sara: Provavelmente seus dois cães que brigaram já vinham mostrando sinais há um tempo, e no momento da disputa pelo abacate isso veio à tona de forma mais violenta. Muitas vezes os sinais (o rosnado […]

    Comportamento: Briga de cães que já conviviam juntos.

    EXCLUSIVO – O cachorro está ali, o brinquedo também. É questão de tempo até que de um lado do brinquedo esteja você, o segurando, e do outro o cão, o segurando com a boca. Pronto, está criada a brincadeira que só deve perder para jogar bolinhas para serem trazidas de volta por nossos peludos maravilhosos. Com o detalhe de que se dois cães tiverem um brinquedo que possam usar para fazer cabo de guerra e uma bolinha, não preciso dizer qual das distrações eles escolherão… Só que a brincadeira divide a opinião de educadores mundo afora. A revista Fido perguntou a dois educadores caninos e traduzo pra nós: O educador canino europeu, Vladislav Roytapel, acha que tudo bem, desde que saibamos como brincar de cabo de guerra. Ele discorda de muitos outros profissionais que dizem que a brincadeira é sempre uma má ideia. Um “cabo de guerra correto” seria aquele em que o cão NÃO sabe que pode ganhar de você fisicamente (o que qualquer cachorrinho pequeno consegue, basta nos meter um boa mordida que não estejamos esperando, por exemplo). REGRAS para o sucesso: VOCÊ começa a brincadeira. VOCÊ decide quando ela termina. VOCÊ ganha. Sempre. Não deixe a brincadeira chegar em um ponto em que o cão não quer mais ceder o brinquedo e recompense-o sempre que ele o fizer. Brincar de cabo de guerra serve como uma ótima ferramenta para aumentar a confiança de um cachorro naturalmente inseguro. Nos cães mais emocionalmente estáveis, a brincadeira aumenta o companheirismo. Para filhotes, pode ser ótima para aliviar as coceiras e dores da troca de dentes e gastar energia. Muitos adestradores europeus usam a brincadeira como a recompensa máxima depois de sessões de treino. ENTRETANTO, há situações em que o cabo de guerra deve ser EVITADO: Perceba se o cão demonstra […]

    Brincar de cabo de guerra com cães: aprovado ou não?

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados