• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Oie! Finalmente cheguei onde queria! Meu dia mais cheio de programas caninos em Sampa City, o 4º! Mas não vai ter como contar tudo em post só, sinto muito… Este já está imenso e só cobre o primeiro dos passeios do dia! Sobre o 3º dia na terra da garoa acabei já falando faz tempo, porque vocês pediram para eu contar logo como havia sido o seminário sobre leishmaniose visceral do projeto Focinhos Gelados. Tirando a “parte técnica” que tomou praticamente o dia inteiro, a parte legal do dia conhecer pessoalmente várias pessoas queridas com quem já me relacionava via Twitter, Facebook, e-mail etc., mas o ponto alto foi eu ir dormir na casa “do Cachorro Verde”, sem dúvida alguma! Mas sobre isto vocês já leram um pouco nos posts “A quantas anda Sampa…” e “Agora de tarde…” e outra hora conto mais até porque a Camilli Chamone também andou por lá na semana seguinte e tem muito chão pela frente nesse tema. É que na verdade quero chegar logo no dia 4 da viagem pra Sampaaaaa!!! No sábado estava acertado para eu dormir na casa da Luli amada, do calendário Celebridade Vira-Lata, mas ela só estaria livre pra ficar comigo mais para o fim da tarde e não estaria em casa de manhã quando eu fosse deixar a mala lá, ou seja, maior suspense até eu finalmente conhecê-la pessoalmente! Como eu havia comprado um chip de celular em Sampa e divulgado pra todo mundo, as queridas Débora (com o Zé Magrelo!) e Érika Leonardo (com o Caro e o Drake!) me ligaram e combinamos de ir no espaço Matilha Cultural no meio da tarde. Nisso a Marli Delucca, mãe e protetora independente de ferrets (que mostrou um outro lado da proteção animal que eu desconhecia, depois tem post sobre […]

    Viagem pra São pAU-AUlo – Dias 3 e parte do dia 4

    Cliquem na imagem para ampliá-la. Recebi da iniciativa Opa Brasil, concordo 100% e repasso pra vocês! Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Mensagem de Natal da Opa Brasil!

    28 de novembro de 2010Adoção

    Pela primeira vez na vida fiz uma viagem 100% “canina”. Fui a Sampa entre 10 e 14 deste mês apenas e unicamente para estar envolvida com pessoas, eventos, lugares e programas ligados aos amados cães. Neste e nos próximos posts “Viagem pra São pAU-AUlo” vocês acompanharão as impressões de uma mãe de cachorro de Floripa curtindo a imensidão de Sampa City. Dia 1 – Dividi a viagem em lugares e pessoas que eu queria ver, com um dia inteiro reservado para o evento do Projeto Focinhos Gelados sobre leishmaniose visceral e fiquei hospedada em três (deliciosos) lugares diferentes.  Primeira parada: A mãe da Mel, como vocês já sabem, é a Fê, minha amadíssima amiga de Floripa que há 3 anos mora em Sampa e que este ano adotou a Mel, minha afilhada paulistinha linda! A Fê, o marido e a Melzoca não só me receberam de braços abertos, como ainda entraram no clima de receber uma blogueira viciada em internet que além de toda hora “precisar” acessar a net ainda só queria fazer “programas caninos”. Sim, eu já havia ido algumas vezes a São Paulo, mas nunca sozinha e com programação própria, então não conhecia coisas que para muitos são banais, como os supermercados de produtos para animais. Yeap, é a moça do interior visitando a cidade grande de olhos esbugalhados!! Ao mesmo tempo, nestes dois dias em que eu estaria hospedada na “casa da Mel”, eu também queria dar uma descansada e curtir minha amiga Fê. Nosso primeiro passeio foi almoçar, botar as novidades em dia e bater pernas no shopping Higienópolis, um dos lugares que a minha ‘consultora em assuntos paulistanos’, a divertidíssima Luli do calendário Celebridade Vira-Lata, havia sugerido (não só por aceitar cães passeando no chão, mas por ter algumas lojas interessantes com produtos de temática […]

    Viagem pra São pAU-AUlo – Dia 1

    Clique na imagem para ampliá-la. A cachorrinha que teve um ano inteiro de sua vida registrado pelas lentes cuidadosas de seu tutor está de volta na mídia e em grande estilo, ocupando uma página inteira do jornal Notícias do Dia de hoje. Fofoleta peludinha! Para quem não lembra da Betóva, basta ler os posts abaixo. O ano da CACHORRA!Betóva. Quem? Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Lembram da Betóva?

    8 de novembro de 2010Adoção

    No primeiro semestre deste ano recebi e-mail de uma leitora dizendo que havia uma cadela prenhe abandonada no trabalho dela. Falei que poderia castrá-la, mas que ela deveria ficar com a pequena até que eu conseguisse doá-la. Peguei minha caixa de transporte e fui correndo porque pela descrição, a gravidez estaria adiantada. Chegando lá…Que filhotinhos que nada, a dona bonitinha tinha era banha na barriga, hehe. Estava roliça, mas tinha inclusive a marca da castração ainda recente, ou seja, já era castrada e não havia a menor chance de estar grávida.  Então conversei bastante com a moça porque ela estava relutante em adotar a peluda por ela já ser adulta e por ter receios já que tinha um filhotão de rottweiller em casa. Mas a Juliana resolveu dar crédito aos meus argumentos a favor da adoção de animais já adultos e lá se foi ela com a pequena pra casa na minha caixa de transporte no fim do expediente. Agora vejam que delícia de relato ela fez sobre a fofoleta que adotou e sua convivência no novo lar. Sei que demorei a postar pra vocês, mas na correria da vida, o e-mail foi ficando quietinho na minha caixa de entrada de e-mails. —– Forwarded Message —- From: Juliana Branco To: Ana Corina <anacorina@maedecachorro.com.br> Sent: Fri, August 20, 2010 2:30:41 PM Subject: Re: denúncia Oi Ana…. Os meus patudos estão cada vez mais fofos, mais queridos, mais amados…. São pra mim e pro meu marido a alegria da casa… A Tchutchuca (que eu adotei) é a dona do pedaço, ela manda e desmanda no Boby (rotweiller)… Eles dormem juntinhos no canil… É a coisa mais linda de ver os dois, companheiros, amigos, um tem aprendido muito com o outro… O rotweiller melhorou muuuuuuuuuuuuuuito….menos mimado….enquanto a outra aprendeu com ele a ser […]

    Adoção de cães adultos? Sim, pode ser TUDO de bom!

    28 de outubro de 2010Adoção

    Não é que terminei achando mais uma matéria sobre peludos na revista Crescer de outubro? Tá na mão! Clique na imagem para ampliá-la. Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    É o Bicho, por Marcelo Tas

    17 de outubro de 2010Adoção, Animais e nós

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Leia também: Cuidados com cães de focinho curto/encurtado/achatado. Raça de hoje: Boxer: só a cara é de mau! Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles Boxers podem ser ótimos cães de família se você der a eles exercício suficiente, os treinar para controlar a impetuosidade que possuem quando jovens e se você puder providenciar tudo que for necessário para que eles convivam bem com seus focinhos anormalmente curtos (sim, a mão do homem está presente em TODAS as raças que não têm focinhos longos como os dos lobos e eles não são NADA naturais). Quando filhotes e adultos jovens os Boxers são animados, brincalhões (por vezes ao extremo) e adoram pular e saltar em você. Boxers adultos geralmente tornam-se mais ponderados e são companheiros calmos e fiéis pelo resto de suas (infelizmente curtas) vidas. As necessidades de exercício variam de longas caminhadas diárias para Boxers mais sedentários a brincadeiras vigorosas para os indivíduos com mais energia – mas não no clima quente porque os Boxers são mais suscetíveis a ataques cardíacos do que a maioria das raças. Embora muitos Boxers se comportem bem com outros pets, incluindo gatos, alguns são dominantes ou agressivos com relação a outros cães do mesmo sexo e alguns são perseguidores de gatos. Boxers precisam de liderança consistente. Sua herança, afinal, vem de um cão de trabalho de caráter forte. Mas você deve lidar com eles de uma maneira persuasiva e otimista. Eles são teimosos, sim!, mas também são sensíveis/suscetíveis e orgulhosos. Eles vão empacar se você os puxar ou empurrar. A maior […]

    Guia de Raças no Mãe de Cachorro: Boxer

    14 de outubro de 2010Adoção, Câncer, Guia de Raças

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção?  Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui. Raça de hoje: Border Collie – o workaholic Texto: Michele Welton   Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida. Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles Este cão de trabalho na fazenda é famoso por seu “olhar intimidador” – um olhar fixo e hipnótico que ele lança enquanto agacha e aproxima-se arrastando das ovelhas. Uma das raças mais inteligentes de todas, o Border Collie também é uma das mais desafiadoras para se conviver. Seu inteligência superior, combinada com seu intenso e obsessivo entusiasmo por trabalho são suas características mais marcantes – e também as que o fazem inadequado para a maioria dos lares. Este cão de olhar aguçado, pensamento rápido e fanático por trabalho tem sido criado para percorrer espaços infinitos com corridas de curta distância e muita ação “pare & siga”. Se não for possível que ele pastoreie, você deve substituir a atividade por treinos avançados de obediência, agility, corrida, busca de bolas e jogos com frisbees – muitas e muitas e muitas oportunidades de todos eles. Sem estímulos mentais e físicos os Border Collies tornam-se hiperativos e deixarão você louco com seu comportamento obsessivo e destruidor enquanto procuram por saídas criativas para gastar sua energia física e mental. Cães muito inteligentes podem até aprender tudo rapidamente, mas isto incluiu aprender como fazer tudo – e qualquer coisa – que desejem. Border Collies são mestres em fugas e podem abrir magicamente o cadeado no seu portão. Tentar treinar um Border Collie, na verdade, pode ser algo frustrante porque eles estão constantemente pensando, analisando e reagindo a qualquer mínimo movimento que você faz. Eles podem sofrer de […]

    Guia de Raças no Mãe de Cachorro: Border Collie

    texto do cartaz: Não está quebrado, não tente consertar. Adotar um cão não é caridade, apenas faz sentido. –> AMEI esta campanha e acho que ela diz muito sobre o ato de adotar: é botar um animal na sua vida porque ele cabe realmente nela, não para aplacar sua consciência ou estar na moda (sim, porque adotar já virou moda também, com tudo de bom e ruim que isso pode ter, o ruim sendo a adoção por impulso, sem verdadeira responsabilidade e consciência). Acho que todo mundo sabe que faço um intenso trabalho de consultoria gratuita diariamente, ajudando pessoas do Brasil e do exterior com as questões mais variadas sobre cães e gatos. Muita coisa as pessoas conseguiriam resolver se usassem a ferramenta de busca aqui no blog ou se dessem uma fuçada melhor nele, mas ainda assim termino respondendo os e-mails, nem que seja apenas indicando o link que a pessoa deve ler para ter sua dúvida dissipada. Mas na maior parte dos e-mails/contatos eu preciso muitas vezes estudar ou até sair atrás de terceiros para poder responder. Em uma dessas ocasiões acionei a Fúlvia, dos blogs Mães com Cães e do Canto dos Bichos, para dar uma força a um casal de whippets que estava sendo despejado de casa por ter muita energia e nisso entramos na velha, e ao mesmo tempo atualíssima, questão: Por que uma pessoa bota um bicho em sua vida se não está comprometida com sua criação?  E a pergunta acaba trazendo outra, logo em seguida, Por que as pessoas não se dão ao trabalho de fazer uma pesquisa rápida, não precisava nem ser muiiito profunda, sobre o temperamento/comportamento/necessidade das raças (ou da falta de raça definida!) que escolhem? Ao receber a resposta da Fúlvia (abaixo) comentei “Ihh, amiga, isso dá um post”. Pois […]

    Adoção por impulso? Nem pensar!!!

    11 de outubro de 2010Adoção, Guarda responsável
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados