• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    A loja nova iorquina de alto luxo Bergdorf Goodman está veiculando uma campanha super legal neste Natal, em prol da adoção e da ONG Humane Society. Neste Natal, que tal dar o melhor presente para um peludo abandonado? Um lar amoroso e reponsável!

    O verdadeiro presente! Bergdorf Goodman faz comercial com ação em prol da adoção!

    5 de dezembro de 2011Adoção

    Lembram das três cadelinhas por quem me apaixonei no aniversário do Cachorro Verde deste ano? Uma delas era a Joy, a coisa rica da foto aí acima e cujos humanos de estimação eu não conhecia (diferentemente das outras duas, a Annie e a Laurinha). Então fiquei só de olho nela, procurando sua família humana para saber o nome daquela pequena linda e serelepe, que logo estava brincando com os outros cães na festa. Quando o assunto é cachorro sou a pessoa mais sem cerimônias deste mundo, então fui chegando, chegando e conversei um bom tempo com os pais da Joy, conheci seus 3 irmãos caninos e me despedi. Só menciono meu trabalho com o Mãe de Cachorro se vejo que ele pode ser útil de alguma forma na conversa, se não apenas digo que meu nome é Ana, que sou mãe de cachorro e deu. Como falar do blog não era o caso, já que a Joy está em ótimas mãos, bati meu papo e voltei a circular na festa. Dali a alguns dias, recebo o e-mail abaixo e não poderia deixar de mostrá-los a vocês porque ele só demonstra o quão especial e maravilhosa é esta pequena peluda iluminada e o quanto todo cachorro é especial. De animal abandonado a animal terapeuta, trabalhando para o bem dos seres humanos que um dia lhe viraram as costas, mas que também um dia lhe socorreram, salvaram e amaram! Preparem o lencinho, por que o e-mail da Erika, mãe da Joy, é de chorar de emoção! É um texto com tanto sentimento, com tanto amor, que só de reler para postar aqui pra vocês, já encho os olhos de lágrimas. Com vocês, Joy, a apaixonante cadela terapeuta, das ruas para a terapia assistida por animais! De: Erika Para: anacorina@maedecachorro.com.br Enviadas: Quinta-feira, 30 […]

    Joy: Adotada, sem raça definida e cão terapeuta!

    Cada vez mais temos visto a internet ser usada em defesa de cães e gatos. Vejam que ideia interessante, simples e eficiente! De: Gabriele Fornari Diez Para: anacorina@maedecachorro.com.brAssunto: Adotar é Tudo de Bom – Depoimentos – Bacana e FafáOi Ana!Olhe que legal o trabalho de algumas protetoras aqui de Brasília. Elas estão coletando depoimentos sobre adoção e enviando para várias pessoas.O meu segue em anexo. Já foi publicado em um jornal virtual, veja que chique: http://www.exitorio.com.br/exitonoticias/ntc5606,professores-de-quatro-patas.htmlBeijos, Gabi Diez Como não entendi muito bem, pedi para a Gabriele me explicar melhor como funcionava esta divulgação diferente. A resposta dela me deixou ainda mais feliz por conta do desobramento que teve (virou coluna semanal em jornal!) e achei super válido compartilhar com vocês para que possam fazer o mesmo. Energia gera energia! Ao invés de repassar desgraças que muitas vezes não há mais como serem ajudadas, a ideia é repassar relatos bem-sucedidos de adoções, incentivando as pessoas a querer aquela felicidade para ela, assim como faço aqui na seção Finais Felizes! Legal, né? Oi AnaElas mandam por email pra uma lista de pessoas. Este site que publicaram é de Friburgo/RJ, uma das pessoas que leu alguns depoimentos nos pediu autorização para fazer uma coluna semanal sobre adoção.Beijos,Gabi Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Ideia interessante para doar animais pela internet!

    6 de agosto de 2011Adoção, Campanhas

    Há um mês, fui buscar a Java, então Lulu Dentinho, na hospedagem onde estava sendo mantida por uma protetora independente, apesar de ter sido resgatada de maus-tratos pela Diretoria de Bem-Estar Animal. O meio da proteção animal tem dessas “trocas” e uma mão vai lavando a outra. Enfim, por aqui, por ali, minha pequena chegou a seu novo lar em um dia chuvoso, com o olhar preocupado e a expressão de dúvida em um rostinho que hoje é só alegria. Isso porque ela estava bem e não tinha como saber que ficaria ainda melhor. Sim, melhor não porque estivesse mal, mas porque todo cachorro merece um lar e atenção individual. Mesmo tendo tido mais cães adotados/retirados da rua do que comprados/ganhados ao longo da vida, não posso mentir: a sensação maravilhosa de adotar é sempre única. Um cão na família é sempre uma benção, um rio de energias positivas, mas a chegada de um animal resgatado, SALVO, é algo que traz uma vibração diferente. Você olha para aquela carinha e sabe que fez toda a diferença no destino daquele ser vivo. Tudo isso, inclusive, me faz pensar demais em quanto deve ser maravilhoso adotar uma criança. Quem sabe um dia, se eu decidir criar um cidadão e ser mãe de gente?     Conviver com a Java me faz rever conceitos; me faz lembrar que as coisas podem estar terríveis a ponto de parecerem sem solução, mas que ainda assim podem melhorar; me faz pensar duas vezes antes de reclamar, já que tantas pessoas e animais, como ela, viveram verdadeiras tragédias e ainda assim encontraram a redenção e hoje vivem no presente, não no ressentimento do passado. Adotar a Java me faz pensar em meus irmãos humanos e animais que não são tão abençoados quanto eu e no que posso […]

    Um mês de Java na família!!! + Projeto Segunda Chance

    Mais uma Dica da Mari! Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Dicas da Mari: Adote um pet de pelúcia!

    Decidi fazer uma nova seção no blog, onde todo sábado publicarei histórias de adoções especiais, de cães e gatos adultos/idosos e/ou portadores de deficiências físicas. A iniciativa visa mostrar às pessoas em geral o quanto a adoção destes animais é recompensante, maravilhosa e, muitas e muitas vezes, mais descomplicada e fácil do que o imaginado, já que cães e gatos adultos na maioria das vezes fazem menos bagunça e dão muito menos trabalho do que filhotes. Isso para não mencionar a questão financeira, já que filhotes precisam das vacinas iniciais, precisam de um enxoval maior e só terão imunidade “pronta” depois de… adultos! Se você quer contar sua história de adoção, envie seu relato e fotos para anacorina@maedecachorro.com.br, mas lembre-se: a seção Finais Felizes é apenas para cães e gatos adotados adultos ou portadores de deficiências físicas. Não importa se seu peludo tem raça definida ou não, se foi adotado diretamente das ruas, de CCZ, de criador, de protetor etc. Leia também: Adote um cão ou gato ADULTO e diga sim a um amor MADURO! Adoção de cães adultos? Sim, pode ser TUDO de bom! Abra seu coração para um amor maduro! Adote um animal, salve uma vida! Duca De: Denise Silva Para: anacorina@maedecachorro.com.br Enviadas: Sexta-feira, 1 de Julho de 2011 16:58 Assunto: FINAL FELIZ ESSA É A HISTÓRIA DO DUCA. Esse é o Duca, apareceu na porta de nossa casa na noite do dia 14/07/10. Pela aparência estava vivendo na rua há  muito tempo. Tentamos por vários dias e de todas as formas encontrar o dono…e nada. Porém acho que o lugar dele era a nossa casa. Conscientes da importância da castração, optamos em fazê-la nos primeiros dias que estava conosco. Depois a preocupação quanto a saúde e saber a idade dele. A veterinária disse que ele era um […]

    Seção nova no blog: Finais Felizes – Adoções de adultos e de peludos especiais! – Finais felizes de hoje: Duca e Lolita!

    2 de julho de 2011Adoção, Finais Felizes

    Em 2010 desejei que todos nós pudéssemos colocar um cãozinho sem raça definida em nossas vidas em 2011 e lembro de ter pensado “Será que consigo o meu?” enquanto escrevia a vocês. Até 2003, sempre fui irmã ou mãe de cães sem raça definida. Então passei a ser mãe do Sushi e do Shoyo, comprados (para felicidade do Mãe de Cachorro, que já nasceu falando sobre guarda responsável e adoção, pois antes deles eu nunca nem havia pensado no horror do comércio de vidas e nas fábricas de filhotes) e depois, em 2004, veio a Moira, adotada mas ainda assim “de raça”. Só que, por mais que eu goste de todo e qualquer cachorro, meu coração é dos vira-latas, não tem jeito (e depois deles, dos gigantes molossos). Talvez por serem minha primeira referência da vida em cães, talvez por eu ser uma mega vira-latas, sem a MENOR raça definida, talvez por eu simplesmente amar e ponto, sem precisar achar justificativas. Aliás, coisa chata isso de ter que explicar preferências e de ficar pegando no pé de quem prefere esta ou aquela raça, como se cães de raça definida fossem menos cães e merecessem menos amor. Se a pessoa vai adotar, que importa se ela tem o sonho de ter este ou aquele cão, santo cristo? Fala sério, mais foco nas boas adoções e menos foco nas picuinhas e julgamentos, por favor, gente chatadosinfernos! Voltando… O tempo foi passando, eu tentando convencer o maridão (sem sucesso) a aumentar a família e babando em tudo quanto era cachorro sem raça definida disponível pra adoção e… nada. Conheci o Pumba, de Curitiba, e sofri verdadeiramente por não poder adotá-lo. Quando li o lindo depoimento da Sylvia no post Polly e a importância de adotar senti um misto de alegria pela evolução de […]

    Com vocês… Minha nova filha: Java, a Linda!

    Ontem recebi um texto belíssimo da amiga Mari Siebert, via Twitter. Divulguei no Twitter e no Facebook do blog e foi o maior sucesso, as palavras da Lu Medeiros falam ao coração dos que amam de verdade e eu não poderia deixar de compartilhar algo tão bonito e emocionante com os leitores que não possuem contas em redes sociais. Abaixo, um pedaço do post “Todo amor que houver nessa vida…”, lá do blog “O segredo está no tempero”, da Lu Medeiros. A íntegra vocês leem clicando aqui. “Só quem tem animais e os ama de verdade entende certos sacrifícios que às vezes precisam ser feitos por eles. Só quem sabe o que é estar mal e o bichinho elétrico chegar perto de você super mansinho só pra te acalmar, sabe o que é amor incondicional. Você briga com ele, enxota, xinga, e mesmo assim ele vai estar ao seu lado sempre que você precisar. Ali, alegre, língua de fora, sempre disponível, e sem pedir nada em troca. Afeto sem interesse, genuíno, que de fato não tem preço. E nesse dia onde meu corpo arde de dor e cansaço, posso dizer de boca cheia que nessa casa pode estar faltando grana, comida, ou qualquer outro item, mas de sobra tem AMOR, que não enche a barriga, mas preenche a alma e conforta, dá energia pra seguir adiante e superar as dificuldades. E me faz querer continuar acreditando em um dia após o outro, e que as coisas podem sim melhorar.” – Lu Medeiros – fonte: Todo amor que houver nessa vida… Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Lindeza de texto: Todo amor que houver nessa vida…

    Melzoca, só no sorriso! Lembram das minhas afilhadas Mel e Pat? Vejam como estão bem adaptadas e felizes em suas novas casas! Abra seu coração para a adoção! Shoyo e Pat, só na bagunça! Este artigo pertence ao Mãe de Cachorro Também é Mãe. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Abra seu coração para a adoção!

    7 de junho de 2011Adoção
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados