• Receba os posts por e-mail:

    Coisa mais linda conhecer uma boa e simples ideia que tem tanto significado e que resume um assunto tão bem! O projeto “Why We Rescue” é um documentário que está coletando histórias de adoção de animais ao longo de um ano em todos os 50 estados dos Estados Unidos, mostrando, com isso, como os animais transforma nossas vidas para melhor. O projeto é uma oportunidade para compartilhar histórias diárias sobre como os animais podem abrir nossos corações e nossas casas para o mundo. Ao longo do caminho, a equipe também está mostrando a história de um abrigo de animais em cada um dos estados. Não é o máximo? Há relatos de adoção de cães, gatos, pássaros, cavalos e até coelhos! Acesse http://whywerescue.com/ e vá clicando nas fotos. Cada uma delas abrirá uma sessão de lindas fotos mostrando a vida daquele adotante e do seu animal resgatado enquanto ouvimos um áudio (em inglês) da entrevista com a pessoa em questão. Emocionante. Deixou minha semana melhor, SEI que fará o mesmo com vocês!  

    Documentário “Porque nós adotamos” mostra como a adoção de animais transforma a vida das pessoas para melhor!

    19 de março de 2014Adoção, Animais e nós

    Mais uma da série “quem salvou quem?”. Leiam a matéria inteira e vejam mais fotos deste Final Feliz no Hypeness. A história é comovente e parece tirada de filme: Jonny Hickey era um menino de 8 anos, isolado e solitário, devido ao autismo de que sofre. Há alguns meses, uma pequena cadela foi encontrada em estado incrivelmente frágil na beira da estrada e foi acolhida por uma instituição de proteção de animais. Jonny e Xena, a cadela, acabariam por mudar a vida um do outro. A luta e a recuperação extraordinária da cadela, uma mistura de Staffordshire Terrier e Pit Bull, lhe valeram o nome de Xena, a filhote guerreira, por ela ter sobrevivido depois de a morte a ter ameaçado. A sua fama chegou ao Facebook, onde tem milhares de seguidores, e a instituição decidiu fazer um encontro onde ela pudesse conviver com os admiradores e ser adotada. A honra coube à família de Jonny. Hoje, passados apenas alguns meses, a mãe do menino não tem dúvidas de que o filho nunca foi tão feliz. Ele começou conversando, cantando e demonstrando, pela primeira vez, interesse no mundo que o rodeia. A família gastou milhares de dólares em terapia para Jonny, que afinal podia ser substituída por um outro remédio, bem mais simples e barato: a amizade leal que só um cachorro poderia oferecer. Continue a ler clicando aqui.

    Finais Felizes: a cachorrinha quase morrendo e o menino autista.

    25 de junho de 2013Adoção, Animais e nós, Resgate

    Vejam que AMOR a arte que a querida Alessandra fez sobre a adoção da sua Catarina! Clicando na imagem vocês a abrem em tamanho original (bem grandona!) e podem salvar pra divulgar e incentivar a adoção.

    Finais Felizes: A adoção da Catarina!

    6 de abril de 2013Adoção, Finais Felizes

    Uma grande amiga minha contou eufórica que havia ganhado a escultura de um cão do marido e que o artista tinha uma história muito legal sobre como havia começado a pintar e esculpir cães e gatos. Achei interessante e fiquei feliz por ela, mas não dimensionei sua alegria até que recebi a foto do tal novo filho (acima). Como o achei absolutamente lindo, perguntei o nome do autor para poder contar sobre ele pra vocês. E assim descobri o trabalho de Ron Burns, um pai de cachorros e de gatos que começou a pintar por hobby e que alcançou a fama com as pinturas de seus próprios filhos peludos. A arte de Ron é colorida e vibrante, como ele acredita ser o amor dos animais de estimação. “Não há nada sutil ou silencioso no amor de um animal de estimação, especialmente se ele for um cão,” diz Ron, e continua,  “é um sentimento com força total, sentido no coração e selvagem como o vento. Cores brilhantes e saturadas são o único meio de eu começar a captar o que cada um de nós vivencia com os cães e gatos de nossas vidas.” Uma curiosidade: Ron começa cada uma de suas pinturas de peludos pelos olhos. Os primeiros filhos peludos de Ron e sua esposa, Buff, foram dois gatinhos adotados em 1985, Kingsford and Smokey. Mais tarde, com a mudança da família para uma casa, em fevereiro de 1988 o casal adotou duas cadelas, mãe e filha, abandonados na virada do ano. Sobre a adoção, Ron conta “Uma vez no abrigo fomos apresentados a uma cadela e sua filhote. Nos contaram que haviam sido abandonadas com outros três filhotes da mesma ninhada, que não sobreviveram, e que quando este último bebê fosse adotado a mãe seria sacrificada. Bem, fomos para casa […]

    Ron Burns, o apaixonante (e lindão) artista pai de cães e gatos!

    Cães e gatos esperando um lar? SOBRAM! Propagandas e iniciativas maravilhosas, divertidas e inteligentes estimulando as pessoas a adotar animais? SOBRAM! Eventos de doação? SOBRAM! Exemplos de pessoas comuns ou mesmo famosas e podres de ricas que adotam peludos? SOBRAM! Relatos de animas adotados que salvam vidas? SOBRAM! Sinceramente? Como dizem por aí… Véi, na boa? Só faltam mesmo BONS CORAÇÕES e mentes abertas e conscientes. Deixo com vocês o vídeo que acabei de assistir e que me fez refletir sobre o assunto pela milionésima vez… O ruim é que termina sendo sempre a mesma coisa: quem é tocado por essas ideias geniais que tentam ajudar cães e gatos a encontrar um lar são as pessoas que já os adotam e ajudam. Bom… mesmo assim vamos divulgar muito e torcer que MAIS CORAÇÕES abram-se para o AMOR  e a ADOÇÃO! Uma semana iluminada a todos! Assistam e vejam quanto estilo à direção!!!

    Adoção: o que falta mesmo são bons corações!

    A Tati Lee e depois a Rejane Sagaz mandaram links para me mostrar o Oskar #amado! Preparem os lencinhos, por que o vídeo é pura emoção. Traduzi pra nós o texto explicativo sobre o pequeno Oskar (abaixo). Ele tinha 8 semanas de vida quando o vídeo foi feito e estava separado do Klays, o outro gato da família, por uns dias. Hoje os dois são melhores amigos! Um ótimo dia a todos, com muita Luz! (post de 2011) (retirei o vídeo do post, pois ele acusava vírus) Confira a página no Facebook do gatinho Oskar com vários vídeos: https://www.facebook.com/BlindOskar/app_206548109356919 Alguns de vocês pediram mais vídeos do Oskar, então aqui vai… Fiz este vídeo um dia depois de o adotarmos. Como ele é completamente cego (nasceu sem olhos formados), demos a ele algumas bolas com guizos dentro. Como vocês podem ver, eles consegue “enxergar” as bolas usando a audição! Ele é um gatinho tão feliz e inspirador… somos abençoados por tê-los conosco.

    Oskar, o gatinho cego, e seus primeiros brinquedos! #emocionante

    6 de dezembro de 2012Adoção, Gatos, Vídeos

    Dei risada com a notícia! A Tati Lee mandou e compartilho: A proposta era irrecusável: você curtia no Facebook a foto acima e com isso ajudava os irmãos Evelyn, 1, e Remy,7, a ganhar um gato. Ninguém resistiu, e os mil “curtir” exigidos pelo pai das crianças em troca do bichano acabaram superando a marca de 20 mil cliques. Em um dia. Nesta terça-feira (13), uma semana após a publicação, a imagem da família norte-americana já foi curtida mais de 110 mil vezes e compartilhada 104,8 mil vezes. E as crianças, é claro, já ganharam seu gato. Ou melhor, uma gata.  #finalfeliz A imagem foi postada no perfil de Marisa Papile Urbano, mãe das crianças e mulher de Dan Urbano (o pai exigente). No texto, ela dizia: “Dan acha que não há como conseguirmos isso [os mil cliques]. Eu acho que sim. Ajudem a gente. Realmente queremos um gato chamado Hairy Pawturrr”. Na foto (essa acima, uma versão do apelo toda trabalhada na fofura), as crianças exibiram na lousa uma mensagem (em inglês) parecida com a da mãe. Continue a ler clicando aqui.

    Pai exige 1 mil “curtir” no Facebook para adotar um gatinho para os filhos e as crianças conseguem mais de 110 mil rapidinho… e o bichano tão sonhado!

    14 de novembro de 2012Adoção

    Tudo bem, nem todo mundo é falador, metido e até mesmo abusado como eu, o tipo de pessoa que escuta alguém falando sobre cães seja onde for e que pede licença e se mete na conversa. Mas… Um pouco de posicionamento e atitude perante o vasto mundão não faz mal nem mata ninguém e, de quebra, ainda pode ajudar aos animais que você jura amar tanto, sejam eles quais forem. Basta estarmos abertos a algo para que nossas energias se encontrem. Exemplos? Não faltam, sobram! Falo sobre castração com todas as mães de cachorro que encontro com seus peludos. Sim, todas. É o mesmo papinho sempre “Oi, que lindo(a). Qual o nome? Quantos anos? Que amor! Já castrou?”…Se a resposta for sim, vou de: “Parabéns! Pôxa, parabéns mesmo!”. Se for não, “Ah, mas por quê não? É tão bom castrar, fora que olha a quantidade de bicho nas ruas. E os de raça então? Tá cheio pra doar! bláblábláblá”… Conversando com o fornecedor de camisetas da Loja, de novo castração em pauta, mas desta vez também abandono e piometra, já que ele pretendia cruzar sua American S. Terrier porque ela tinha um “ótimo pedigree”. Como é alguém com quem já tenho uma certa intimidade, fui mais incisiva, embora tenha dito tudo sorrindo, esperando as respostas e com tom amigável, mas ainda assim, falei tudo que queria: “Tá, você diz que a tua cadela é ótima, mas e o macho? Vais fazer exames de saúde nos dois, você conhece as doenças da raça? Ou só vais juntar A com B e encher o mundo de mais cachorro? Vais cuidar dos filhotes até eles teram uns 60 dias de vida? Deixa eu vê-la?”.  Ontem mesmo fui atrás dele para conhecer a cadela e… Deu até pena, lá veio ele com o pedigree […]

    Promover educação pró-peludos: basta abrir a boca e…

    O texto abaixo foi escrito e publicado por mim em setembro de 2008, mas não tem “validade” e na verdade vou passar a chamar atenção para ele de tempos em tempos porque o assunto é atemporal e sempre pertinente. Além disso, buscando o assunto na web, praticamente não achei textos falando sobre ele, apenas o meu e mais um, do Cachorro Verde, o “Ofereça um lar temporário a um bichinho carente!”, que você lê clicando aqui. Bem, vamos ao texto: A importância dos Lares de Apoio! Muita gente talvez não entenda o que é ser voluntário como Lar de Apoio. Como eles são fundamentais para a ajuda a cães e gatos abandonados e/ou resgatados de maus-tratos, resolvi fazer um post só sobre o assunto. Ser Lar de Apoio significa abrigar e cuidar de um cão ou um gato até que ele seja adotado. E nem precisa ser numa casinha como as das fotos ao lado, hehehe. Se você lidar com um(a) protetor(a) consciente e correto(a), ele(a) te entregará o animal limpo e sem pulgas/carrapatos e fornecerá alimentação adequada durante todo o período em que ele estiver em sob seus cuidados. Assumirá tratamento veterinário, se necessário, e também te entregará um enxoval para que o animal fique bem: cobertores, casinha (se for o caso), coleira com placa de identificação, potes de água e comida, remédios que sejam necessários etc. O voluntário que servir de Lar de Apoio só precisará garantir a segurança do animal, fornecer água limpa em abundância, o alimentar de acordo com as instruções do protetor responsável, manter suas instalações limpas e administrar os remédios que ele possa precisar tomar durante o período em que estiver sob seus cuidados. Caso um interessado em adotar queira ver o cão/gato o responsável pelo Lar de Apoio pode decidir se abre sua […]

    Você sabe o que é ser um lar de apoio para cães e gatos? (ou casa de passagem, casa de apoio etc.)

    21 de maio de 2012Adoção, Lar de apoio
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados