• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    texto originalmente postado em 12/12/2010 E por falar em sonhos… A querida Cássia, do Para quem gosta de Cachorros, abordou um tema que me interessa e que está em pauta aqui em casa. Já faz um tempinho que o Shoyo foi banido da cama (pra tristeza dele e minha) e hoje ele dorme na caminha dele, oras ao lado da minha, oras fora do quarto (mas daí nunca por vontade própria)… Tomei a decisão porque ela está enquadrada em um “pacote” de ações que a educadora canina (e fofa!) Emmanuelle Moraes me passou para reduzir a ansiedade de separação do meu “sombra” amado… Com a morte do Sushi no fim do ano passado, ficamos todos não só profundamente deprimidos, mas meio pirados por aqui, e o Shoyo virou o centro das atenções e cuidados, algo que pouco depois já comecei a perceber não estar fazendo psicologicamente bem a ele. Em outra ocasião voltarei no assunto e farei um post só sobre ansiedade de separação, mas agora deixo a indicação do post da Cássia pra nós, que você lê na íntegra clicando aqui e tem uma amostrinha abaixo: O cão é um animal social que está intrinsecamente inserido na rotina de sua “família humana”. Se pensarmos nos ancestrais lobos, eles costumam dormir juntos, aninhados, pois assim conseguem se proteger melhor, ficando menos vulneráveis, além de se manterem aquecidos. Para os cães, dormir próximo aos humanos equivale a estar próximo de sua família! Alguns já se manifestam favoravelmente a esta proximidade na hora de dormir, alegando que trata-se de um fator que aumentará o vínculo afetivo entre cão e seu dono. Mas, por outro lado, a análise desta situação tão cotidiana hoje em dia deve levar em conta consequências importantes, relacionadas a saúde e ao comportamento do cão. Em geral, cães que […]

    Dormir junto ou não? Eis a questão!

    EXCLUSIVO – Recebi o comentário abaixo no Facebook e achei interessante demais. Pedi então que a Cássia Santos do Cão Amor, a Sara Favinha da Tudo de Cão e a Emmanuelle do Cão em Casa o comentassem, para que pudesse ter um post super completo sobre o assunto. Aproveitem! Enviado em 20/01/2012 as 10:39 am Bom dia, gostaria de saber o que faço com meu cão, pois ele já está com 2 anos e como trabalho fora de casa não tive tempo de socializá-lo com outras pessoas e animais, todo final do dia brinco com ele mas sem contato com outras pessoas/animais. Agora ele é bastante agressivo com visitas e na rua também é dificil passear com ele, porque quer atacar tudo e todos, quando foca em algo é muito difícil conseguir a atenção dele, nem petisco atrai. É um macho SRD de porte pequeno, pesa em torno de 7 kg. Agradeço se puder me orientar. Resposta da Cássia: O comentário recebido no Mãe de Cachorro comprova, de forma bastante clara, o quão importante é um bom trabalho de socialização com o filhote de cão. Os cachorros são animais sociais por natureza e, instintivamente precisam viver em grupo. Mas, hoje em dia, muitas pessoas acabam descuidando da socialização na tenra idade, na fase em que o filhote está em formação e não se preocupam em apresentá-lo ao maior número possível de situações, pessoas e outros animais (da mesma espécie ou não). Assim, o ambiente seguro, para ele, será somente aquele onde estejam pessoas conhecidas. O chamado período de socialização, que vai do 50º ao 85º dia de vida, corresponde à fase em que o cérebro do filhote está neurologicamente mais apto ao aprendizado de novas experiências. Assim, o pequeno cãozinho, durante este período, deve ser apresentado ao maior número possível de […]

    Dúvida do leitor: A importância da socialização dos cães!

    EXCLUSIVO – O cachorro está ali, o brinquedo também. É questão de tempo até que de um lado do brinquedo esteja você, o segurando, e do outro o cão, o segurando com a boca. Pronto, está criada a brincadeira que só deve perder para jogar bolinhas para serem trazidas de volta por nossos peludos maravilhosos. Com o detalhe de que se dois cães tiverem um brinquedo que possam usar para fazer cabo de guerra e uma bolinha, não preciso dizer qual das distrações eles escolherão… Só que a brincadeira divide a opinião de educadores mundo afora. A revista Fido perguntou a dois educadores caninos e traduzo pra nós: O educador canino europeu, Vladislav Roytapel, acha que tudo bem, desde que saibamos como brincar de cabo de guerra. Ele discorda de muitos outros profissionais que dizem que a brincadeira é sempre uma má ideia. Um “cabo de guerra correto” seria aquele em que o cão NÃO sabe que pode ganhar de você fisicamente (o que qualquer cachorrinho pequeno consegue, basta nos meter um boa mordida que não estejamos esperando, por exemplo). REGRAS para o sucesso: VOCÊ começa a brincadeira. VOCÊ decide quando ela termina. VOCÊ ganha. Sempre. Não deixe a brincadeira chegar em um ponto em que o cão não quer mais ceder o brinquedo e recompense-o sempre que ele o fizer. Brincar de cabo de guerra serve como uma ótima ferramenta para aumentar a confiança de um cachorro naturalmente inseguro. Nos cães mais emocionalmente estáveis, a brincadeira aumenta o companheirismo. Para filhotes, pode ser ótima para aliviar as coceiras e dores da troca de dentes e gastar energia. Muitos adestradores europeus usam a brincadeira como a recompensa máxima depois de sessões de treino. ENTRETANTO, há situações em que o cabo de guerra deve ser EVITADO: Perceba se o cão demonstra […]

    Brincar de cabo de guerra com cães: aprovado ou não?

    Todos os posts sobre cuidados contra Fogos de Artifício você confere no link http://www.maedecachorro.com.br/category/fogos-de-artificio Turma, correria monstra e material muito bom já existente no blog, então aí vai um repeteco do Especial de Cuidados de Verão, ok? As novidades deste ano são os ÓTEEEMOS posts do Barbas e Bigodes: Raios, trovões e fogos de artifício e do Esquadrão Pet: Sol é vida. Mas, calor intenso pode matar. Atenção especial também para o Resumão do combate a pulgas e carrapatos usando alternativas saudáveis de controle e prevenção! Segue o “requentado”: Mais um ano ficando pra trás em nossas vidas… E já está mais do que na hora de colocar no ar outro Especial Cuidados de Fim de Ano do Mãe de Cachorro, porque não só temos que prestar atenção à exposição ao Sol, tosas, parasitas, frequência de banhos e outros assuntos “quentes”, mas também precisamos estar atentos aos cuidados com fogos de artifício e acidentes com comidas e situações típicas desta época do ano. Verão é época de alegrias e, para muitos, de descanso, certo? Mas para os peludos é época de identificação reforçada 100% do tempo, cuidados na escolha de hospedagens e muito mais! Vamos lá, leia as dicas e curta as férias numa boa! E não esqueça de ler também sobre a leishmaniose visceral, afinal, você não quer sair de férias e voltar com esta doença chata na mala, não é mesmo?! Seja solidário(a): Mantenha água fresca para os animais de rua! Até os passarinhos te agradecerão ;-D Aproveitei grande parte do material do Especial do ano passado, mudei o vídeo natalino (ouça com seu cão e depois me conte!) e acrescentei novidades nos textos indicados, ok? Ótimas férias e um excelente fim de ano a todos! Textos úteis: Raios, trovões e fogos de artifício Sol é vida. Mas, calor intenso pode matar Resumão […]

    Especial fim de ano: cuidados com nossos peludos nas férias e festas!

    EXCLUSIVO – Esta situação acontece não só com adotantes, mas também com protetores e outras pessoas que trabalham com resgate de cães vítimas de maus-tratos. A minha Javinha mesmo é um exemplo disso. Só que teve a sorte de ser retirada do canil da Prefeitura por uma protetora que a colocou em uma hospedagem onde ficava solta dentro de casa, o que a socializou rapidinho. Mas vários dos seus parentes, resgatados com ela, ainda estão à espera de adoção na Diretoria de Bem-Estar Animal aqui de Floripa por que sequer deixam-se tocar para ganhar carinho, tamanho o trauma que passaram. Leia também: Dúvida do leitor: Como resgatar um cão que está arisco e fugindo? Raphaele Lessa: Oi querida ta boa? Preciso de ajuda..adotei uma cadelinha hj e esla é MUITO medrosa, ela nao sai de debaixo da mesa, muito arisca e assustada. Estou triste pq parece que estou fazendo mal para ela…vc me indica alguma coisa para ela perder um pouco esse medo e ve que todos aqui em casa estão cheios de amor pra dar Quem responde é a querida Cassia Santos, do Cão Amor! Olá, leitora! Faltaram algumas informações em seu relato que poderiam auxiliar uma melhor compreensão dos motivos que podem levar a cadelinha a estar agindo assim, como, por exemplo: onde foi adotada? Estava há quanto tempo neste local? Os antigos responsáveis por ela relataram alguma experiência traumática pela qual tenha passado? Qual a idade dela? De qualquer forma, como se trata claramente de um comportamento de medo excessivo, seguem algumas dicas que poderão auxiliá-la a deixar a cachorrinha mais confiante: – a primeira coisa a fazer é iniciar um treinamento que permita ao cão associar a presença de pessoas a coisas positivas. Você pode fazer isto jogando algum petisco ou comidinha bem apetitosa para ela sempre […]

    Dúvida do leitor: Adotei um cão com muito medo de pessoas, e agora?

    22 de novembro de 2011Adestramento

    EXCLUSIVO – A Ana Rayssa mandou a dúvida abaixo via Facebook e corri a pedir uma resposta pra Sara Favinha, da equipe Tudo de Cão, porque tenho um caçadorzinho terrível em casa (Mr. Shoyo!), sei bem como é este problema e tenho certeza de que a resposta da Sara ajudará outras pessoas e animais. Boa leitura! “Oi Ana, tudo bem? Eu to preceisando de uma ajudinha sua….Eu preciso entender o que está acontecendo com meu cachorro… vc sabe me dizer o que faz um cachorro matar galinhas? Eu tô tendo esse problema com o meu… a gente sempre morou na cidade, tem 5 meses que a gente tá morando em uma chácara e agora ele deu pra entrar no terreno do vizinho e matar as galinhas :S isso me preocupa muito… ele não come a galinha, só mata… igual quando mata rato… no terreno desse mesmo vizinho tem um teiú que há alguns dias atrás entrou aqui no terreno daqui de casa, ele enfrentou o teiú, botou ele pra correr e o bicho saiu correndo, fugiu, sumiu, mas o tal do teiú mora no terreno do vizinho… será que isso pode estar influenciando o comportamento assassino com relação às galinhas? Não sei o que eu faço pra tirar esse comportamento dele… ele nunca foi assim… outro dia ele abateu uma paca que aparece aqui em casa… eu fico preocupada porque essa região onde moro costuma aparecer tamanduá… dái já viu, né? Abração!!!!” EXCLUSIVO: Todo comportamento apresentado pelos animais (ou pelas pessoas) só ocorre por que é recompensado em algum momento. Apesar da domesticação dos cães, alguns deles apresentam ainda o instinto de caça bastante aflorado. No caso de border collies, que possuem instinto de pastoreio, vê-se que esse instinto foi trabalhado ao ponto de o animal controlar o rebanho, mas não […]

    Dúvida do leitor: Meu cachorro caça galinhas e outros animais, e agora?

    15 de novembro de 2011Adestramento

    Afinal, quando os cães podem passar a ser considerados idosos? A “meia idade” para cães geralmente é considerada após os 7 anos de vida. Mas há variações consideráveis entre as diversas raças e portes de caninos. O senso comum diz que raças maiores têm uma expectativa de vida menor, logo, envelhecem mais cedo. Muitos veterinários e empresas ligadas ao mundo pet estão lançando serviços e produtos voltados para as necessidades específicas dos cães acima de 7 anos. Com o post Seu cão está ficando idoso? Leve-o para caminhar e evite ao máximo a Síndrome de Disfunção Cognitiva em Cães (SDC)! e com dois filhos com mais de 7 anos em mente, pedi ao Gustavo Campelo para nos dar algumas dicas para manter os peludos idosos mais ativos e estimulados. Confiram e aproveitem! EXCLUSIVO: Garantir uma terceira idade saudável para o pet depende muito do comprometimento dos donos, que devem sempre estar atentos a pequenas mudanças comportamentais. Seguem algumas dicas úteis e fáceis de colocar em prática: – Mantenha o cão ativo fisicamente. É claro que o cão não vai mais aguentar passar uma tarde inteira de caminhada no parque. Respeite o limite e a velocidade do velhinho. Mesmo que ele tenha que andar somente meio quarteirão e demore 30 minutos para isso. Tenha paciência, para ele é muito importante! – Manter a cabeça do cão ativa também é muito valioso para a saúde do cão idoso. Se durante a vida ele aprendeu alguns comandos de obediência, continue pedindo e treinando esses comandos por toda a vida do animal. Pode ser que ele não responda de maneira rápida e perfeita, mas é uma forma de interação divertida para eles. Sempre dê muito carinho e alguns pedaços de petisco para cães durante o treino. Evite comandos que exijam muito esforço físico, como […]

    Mantenha seu cachorro idoso ativo e estimulado!

    3 de novembro de 2011Adestramento, Saúde

    Desfazer-se de cães e gatos quando um bebê nasce é desnecessário e cruel. Inclusive crianças que convivem com pets crescem mais saudáveis. Clique na imagem e leia a coluna Mãe de Cachorro no Notícias do Dia de hoje!

    Coluna de hoje: A família aumentou e o bebê nasceu? Saiba como acostumar seu cachorro à nova criança da casa!

    EXCLUSIVO – Mais uma dúvida de leitor que merece publicação, pois com certeza ajudará muitos de nós a lidar com o problema da compulsão por lambedura. Recebi o pedido de ajuda através do Facebook e pedi à Cassia Santos, do blog Cão Amor, que o respondesse. Leia também: Ansiedade de separação em cães: Tudo que você precisa saber a respeito! Gente minha cadelinha tá roendo as patas até ficar machucada, ela roeu uma boa parte da almofadinha de uma pata traseira… que que posso fazer pra ela parar com esse comportamento? Suelen Schimitz EXCLUSIVO: Olá, Suelen! Pelo seu relato, pode se tratar de um comportamento compulsivo. Compulsões surgem quando o cão se encontra estressado, frustrado ou extremamente ansioso, concomitantemente a uma predisposição genética para o comportamento. Como se trata de lesões por lambedura, é imprescindível verificar eventuais causas médicas que possam ter delagrado o comportamento, como uma infecção ou inflamação no local, o que ocasionou coceira excessiva. Se constatado algum fator de saúde após consulta com o médico veterinário, é importante que seja devidamente tratado e, ao mesmo tempo, devem ser utilizadas algumas técnicas para modificação comportamental. Neste sentido, muitas vezes, as pessoas da família acabam, sem querer, reforçando o comportamento compulsivo, pois tentam atrair a atenção do cão nos momentos de “coceira” com carinhos ou petiscos, e o peludo passa a entender que lamber as patas gera consequências boas. A mesma coisa acontece se ele toma “broncas” nestes momentos, pois, de qualquer forma, trata-se de atenção. O ideal é ignorar totalmente o comportamento quando ele se iniciar, como, por exemplo, saindo do recinto. Além disso, é importante promover inúmeras atividades para o cão, como caminhadas vigorosas, agility, aulas de adestramento que, além de aliviarem a tensão, promoverão cansaço físico, equilibrando-se, assim, a química do cérebro.  Outra dica importante é enriquecer […]

    Dúvida do leitor: Meu cachorro lambe as patas até se machucar!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados