• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Leiam com atenção a matéria que a leitora Carolina Matumoto mandou, por favor! A única raça perigosa neste mundão lindo é a HUMANA, na boa! Não espere que o seu cão cresça para o levar a uma escola de treino. O alerta é de um dos maiores especialistas mundiais em comportamento canino, o veterinário britânico Ian Dunbar. “As pessoas pensam que se comprarem um cão de raça pura que ele vai ser perfeito. Pensam que vai crescer a saber todas as regras da casa, a gostar de pessoas e de outros cães, e não percebem que têm de socializá-lo e treiná-lo antes dos 3 meses. E o tempo passa depressa. Quanto mais velho o cachorro, mais tempo demora o treino. Por exemplo, se tivermos um cachorro de 3 meses que tem medo de pessoas, vai demorar uma hora ou uma semana, se já tiver 5 meses, o treino vai levar 3 meses, e se o cão já tiver 8 meses vai demorar 3 anos”, explica o especialista. Continue a ler clicando aqui.

    Não existem raças perigosas de cães!

    16 de janeiro de 2013Adestramento, Animais e nós

    EXCLUSIVO – Ao ensinarmos um cão a usar coleira e guia e a passear sem nos puxar a ansiedade presente no treinamento não é só do animal, mas também de quem o passeia – assim como a frustração quando as coisas não transcorrem como idealizadas. Mas um “treino de guia” bem feito e seguido de passeios constantes em que seja bem praticado é algo que um cachorro dificilmente esquecerá. As dicas que a Emmanuelle dá no post de hoje, em resposta aos questionamentos que a Fernanda me enviou pelo Facebook, são valiosas. A atitude para quem quer ensinar um cão a andar na guia sem puxar é uma só: PACIÊNCIA. Muita paciência, na verdade! E a dica de ouro: volte um estágio do treinamento se o cão não estiver se comportando como deveria! Leia também: Série Filhotes no Mãe de Cachorro: Caminhando “Junto” Série Filhotes no Mãe de Cachorro: Adolescência Canina Coleira de cabeça: Gentle Leader Boa leitura e ótimos passeios! Dúvida da leitora Fernanda de Lima: “Olá bom dia, estou precisando saber quem sabe uma opinião de vocês… Tenho minha totozinha que uma amiga da minha mãe achou no começo do ano dentro de um buraco e levou pra seu apto. pois ela estava sendo mau tratada não comia etc…. Por não ter lugar pra cuidar dela, a ofereceu pra nós e a pegamos. Ela cresce a cada dia e deve ter em torno de 7 a 8 meses, não sabemos ao certo. Estamos sem saber o que fazer, ela não anda na coleira não adianta, cada vez que tentamos leva-la pra passear é horrível. Ela literalmente me escala e sobe no meu colo chega a ser triste de ver… Fico dias arranhada já tentamos adestra-la funcionou no 1 mês depois mais nada…. minha duvida é? Será que é medo […]

    Dúvida do leitor: Como ensinar um cachorro a passear na guia?

    26 de novembro de 2012Adestramento, Emmanuelle Moraes

    A querida Emmanuelle Moraes tem dado dicas rápidas de adestramento no seu blog, o Educadora Canina. Deixo vocês com mais uma das dicas dela, que com certeza será útil a quem tem mais de um filho peludo. Botei algumas observações (em rosa) no texto dela só para complementar um pouco, ok? Leia também: Hora (divertida!) da comida. Ensinar autocontrole na hora da refeição O Alimento, para os cães, pode ser motivo de briga. Para evitar brigas na “hora do rango” siga as dicas abaixo: Cada cachorro deve ter uma tigela individual de comida; Sirva cada cão com uma “distância de segurança” dos demais para evitar disputas por comida e também que comam muito rápido (na intenção de atacar a comida alheia); Defina os horários para servir as refeições (e retire os potes de comida após um tempo – tipo 15 minutos – caso não comam tudo). Assim os cães comem logo após serem servidos e não há necessidade em deixar os potes espalhados pelo chão; Se os seus cães não se comportam bem enquanto você almoça (pedindo comida, latindo, sendo agressivo com quem aproxima da mesa, arranhando suas pernas…), então não permita que permaneçam próximo a mesa durante as suas refeições. Seguindo tais dicas pode-se evitar brigas desnecessárias durante a hora da refeição de ambos, cães e tutor.

    Dúvida do leitor: Como evitar brigas na hora das refeições?

    Ai, gente, recebi o pedido de ajuda abaixo na página do blog no Facebook, mas agora não estou achando mais quem estava com o problema e ao colá-lo no e-mail onde pedi pra Emmanuelle Moraesresponder, não veio o nome da pessoa. Então espero que a pessoa leia o blog para poder achar a resposta a seu problema…Leia também: Como lidar com xixi por medo e por excitação? “Oieee preciso de um conselho… minha filha menor tem em torno de 6 meses adotamos ela da rua em um estado assim que nao a explicaçoes.. o pessoal dissse que ela apanhava etc.. so que ela quando a gente vai pega no colo se mija sempre.. isso passa? Brigadu” EXCLUSIVO: Olá! Infelizmente o seu relato está muito simplificado, e isso limita não só a compreensão do caso, mas também a capacidade de ajudar-lhe melhor. Mesmo assim, faço um “apanhado” da situação e deixo algumas dicas de como lidar com a sua “pequena” de maneira que ela sinta mais segurança ao ser manejada por você e para que com o tempo aprenda que você não é uma ameaça e sim alguém em que ela pode confiar. Como se trata de um cão resgatado das ruas e vítima de maus-tratos fica claro que ela deve ter alguns traumas decorrentes da vida que até então levava. Normalmente, os cães oriundos da rua, quando ganham um Lar e tudo que vem junto nesse “pacote”, como: comida, lugar quentinho para dormir, abrigo do sol e chuva, e principalmente o carinho humano, acabam “super” valorizando isso tudo, o que pode fazer com que, no futuro, tornarem-se cães muito dependentes do humano envolvido. Sendo assim, já indico que comece a acostumar a sua cadelinha a ficar só, por alguns períodos, desde já. Junto a isso é importante analisar, ou melhor, […]

    Dúvida do leitor: Como lidar com cães que urinam por medo ou ansiedade?

    Mudar para uma nova casa pode ser estressante para seu cão. Planejamento com antecedência, paciência e carinho podem ajudá-lo a se ajustar mais rapidamente ao novo lar. Leia também: “Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 1” “Vai se mudar? Hora de se preparar para levar o peludo junto! – Parte 2” Preparando o novo lar Conforme você for mudando seus coisas para a nova residência, tome cuidado especial com itens que possam machucar/envenenar seu cão. Abaixe-se e olhe em redor na altura dos olhos do seu cão para ter certeza de que não está esquecendo nada ao alcance dele no meio da bagunça que é uma mudança. Certifique-se de que o novo lar é seguro para seu peludo. Procure por: Venenos – materiais de limpeza, repelentes de insetos, pesticidas, medicamentos, plantas venenosas etc. Objetos/superfícies que possam queimar – ferros elétricos, aquecedores, eletro-eletrônicos plugados na tomada, líquidos/superfícies quentes etc. Eletricidade – cuidado extra com fios desencapados! Objetos que possam provocar sufocamento – Que mudança não tem pedacinhos e pedações de tudo e mais um pouco espalhados por todos os lados? Atenção para agulhas, pregos, lascas de caixas e de móveis etc. Objetos que possam cair sobre o cão – Certifique-se de que tudo está sendo bem instalado na casa nova. Já pensou um armário caindo sobre seu peludo? Buracos por onde ele possa fugir – Casa nova pode provocar insegurança mesmo que a família inteira esteja junto. Tenha certeza de que seu cachorro não poderá escalar muros e cercas e de que não há buracos ou outras possibilidades de fuga. Já mude para o novo endereço sabendo onde há atendimentos veterinários de emergência nas proximidades. Tentar achar uma clínica quando você já precisa desesperadamente de uma é perder um tempo que pode significar […]

    Vai se mudar? Como acostumar seu cachorro ao novo lar!

    A dúvida da leitora Débora Müller é bem grande, mas graças ao relato detalhado a querida Emmanuelle Moraes, do blog Educação Canina, conseguiu ser bem precisa na resposta (que prontamente enviei à Débora). Relutei um pouco em publicar a pergunta na íntegra com medo de vocês não lerem tudo, mas o material está bem rico, então segue tudo como recebi, pergunta e resposta. Leiam tudo com atenção, pois vale a pena! Olá, achei seu blog ao procurar dicas de adestramento, e me encantei com o texto sobre dominancia, pois tenho uma cadela que é uma mistura de pastor alemao com holandes, de 3 anos que tem sérios problemas de comportamento, e todos os adestradores que ja contratei com que conversei, falam sobre ela ser dominante, e ate hoje NINGUEM conseguiu nos ensinar a mudar o comportamento ruim que ela apresenta. Gostaria muito de poder passar a vc e sua equipe a situação que passo com a minha cadelinha, pois eu a amo muito, mas ela tem problemas terriveis de comportamento…mas nao consigo desistir de pesquisar a tentar novas tecnicas para ajudá-la. Ja passamos por 3 adestradores, ja comprei todos os tipos de coleiras, livros… tudo! nada funciona com ela. Voces se interessam em saber qual a situação dela para de repente, tentar me ajudar? vejo q vcs tem uma visao diferente da dos outros adestradores em geral, por isso me interesso muito em saber a sua opiniao. Então, a situação é a seguinte: Eu comprei ela com 45 dias de uma pessoa que se diz adestrador, aqui na minha cidade. E quando fez 4 meses pensei em adestrá-la, pois ela é um cão pastor e cresceria, e temos uma criança em casa, e eu queria um cão calmo e obediente. Daí contratei o mesmo rapaz que me vendeu a cadelinha. […]

    Dúvida do leitor: Fui vítima de um péssimo adestrador e meu cão ficou agressivo. E agora?

    Achei este artigo ontem de bobeira no Twitter e não tinha como ele não estar aqui pra todos nós aprendermos/lembrarmos um pouco mais o que já deveríamos saber/praticar com nossos amorecos de patas! Apesar de ser mãe de cachorro assumida e devidamente criticada (kkkk!), sempre defendi aqui no blog que humanizar nossos cães é uma das piores coisas que podemos fazer com eles. Simplesmente não está certo e quem o faz não está levando em conta as reais necessidades de um cão para ser emocionalmente equilibrado e psicologicamente saudável. É fácil? Lógico que não! Ainda mais para quem tem um “cão bibelô”, como é o meu caso. Mas ser mãe/pai é fazer o que é certo e bom para os filhos, não o que é mais fácil ou melhor pra nós mesmos… Ao menos é assim que entendo toda e qualquer maternidade/paternidade (e já falei isso também, porque me irrita esse povo que bota filho no mundo só pra fazer sombra, sem se preocupar em formar e educar um cidadão). E quem mais ganha com uma relação equilibrada e sadia conosco são os peludos, que passam a ser mais bem vistos na sociedade. Espero que vocês gostem, boa leitura! “Cães equilibrados raramente apresentam problemas comportamentais” – Dr. Marcel Pereira Confiram um pedaço do artigo do PetMag e leiam a íntegra clicando aqui. Cães equilibrados raramente apresentam problemas comportamentais, além de serem mais facilmente treinados. Mas o que deve ter um cão para ser equilibrado? Um animal equilibrado é aquele que tem todas as suas necessidades preenchidas diariamente. Além de água, comida, carinho e cuidados com a saúde, deve ter atividades físicas rotineiras e desafios psicológicos frequentes. O problema é que costumamos humanizar os cães, e costumamos mimá-los e tratá-los como nossos filhos – e é aí que os problemas aparecem. […]

    Educador ou adestrador, qual a diferença?

    Essa é a típica dúvida que exemplifica o que praticamente todo mundo que já lidou com um filhote de cachorro passa durante um período. Filhotes mordem, mordiscam, experimentam o mundo com o boca. Piora entre os 4 e 6 meses, quando trocam os dentes de leite pelos definitivos. E pode continuar a vida toda caso o comportamento não seja devidamente tratado. Acontece que cães são geralmente separados MUITO cedo da mãe e irmãos, o que NUNCA deveria acontecer antes de 8 semanas de vida (sim, dois MESES e não os absurdos 45 dias que todo mundo segue). Estar com as mães e irmãos até no mínimo 2 meses de vida ensina muita coisa aos filhotes, inclusive etiqueta básica, que passa por não morder os outros. Filhote ou cão adulto muito mordedor? Pode apostar, foi tirado da ninhada cedo demais. Como sempre, a dica básica para quem tem filhote canino em casa e frequenta o Mãe de Cachorro, é ler os posts da Série Filhotes, pois muita coisa é respondida só com o material que já tem lá (assim como o Guia de Raças, a Série Filhotes ainda está longe de terminar, então eventualmente há post novo, fiquem sempre de olho!). Para ajudar a Taiane e sua Lisa, pedi à querida amiga e adestradora Fúlvia Andrade, do blog Canto dos Bichos para dar uma mão. Eu adotei a Lisa faz quase um mês, a veterinária disse que ela tinha aproximadamente dois meses. ela foi jogada no pátio de uma casa e o dono então deixou ela num pet. como todo filhote ela adora bagunçar, não destrói muitos objetos ainda, mas ela não pode ver um pé ou uma mão que já morde. o que me preocupa é que ela é muito agressiva quando está brincando. se eu tiro algo dela e […]

    Dúvida do leitor: meu filhote só quer saber de morder, e agora?

    EXCLUSIVO – A leitora Thamy, mãe de um American filhotão, mandou a seguinte dúvida: "Oi, tenho um American muito dócil de 8 meses, mas ele fica louco quando chega alguém em casa. Pula, mordisca, sobe em cima, quer brincar, mas fica louco demais. Acaba me atacando de tanto amor, morde meus pés etc. Estou usando um spray com água para borrifar nele e acalmá-lo, mas queria saber como conseguir de maneira definitiva e sem que eu precise ter algo nas mãos." Pedi então à amiga e educadora canina Cassia Santos, do blog Cão Amor, para responder a questão e nos passar algumas dicas. Confiram a resposta: “Você tem um filhotão delicioso em casa! Nesta idade, eles ainda não conseguem controlar bem a excitação ao ver pessoas queridas chegando, e tampouco tem noção de seu tamanhão… A primeira providência seria começar a treiná-lo nos comandos básicos de obediência (SENTA, DEITA, FICA, VEM, JUNTO). O mais fácil e que se costuma ensinar primeiro, é o SENTA, que será bastante útil na situação que você narrou. Para ensinar, pegue um petisco, mostre para ele e direcione a cabeça dele para trás: a consequência natural será sentar. Neste exato momento, diga MUITO BEM e dê o petisco. Após algumas repetições, ele começará a se sentar automaticamente. Então, comece a introduzir o comando verbal SENTA. Este comando será bastante útil nos momentos em que ele ficar muito agitado e ansioso por interação, pois você poderá dar o comando SENTA e, aí sim, ele ganhará atenção e carinhos. Mas será preciso paciência e consistência nas atitudes, pois você não deverá fazer nenhum tipo de contato (nem visual), quando ele estiver pulando ou mordiscando: simplesmente vire-se e não interaja com ele. Aos poucos, ele irá perceber que a única forma de receber a tão desejada atenção é […]

    Dúvida do leitor: Como acalmar um filhote agitado que pula nas visitas?

    1 de agosto de 2012Adestramento
  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados