• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Uma boa caminhada na guia e em família deve ser a primeira atividade do novo cão, antes mesmo do início da socialização entre os animais. Clique na imagem para ler a coluna.

    Coluna de hoje: Tem cachorro novo na área? Aprenda a apresentar cães evitando brigas.

    A Emmanuelle Moraes fez mais um “post utilidade” bem legal no blog dela, daqueles que me obrigo a dividir com vocês, mas que também me levou a querer dar uma palavrinha sobre o assunto “petiscos”. Sim, petiscos são importantes (por vezes fundamentais) na arte de educar um cão, mas também podem trazer sérios prejuízos para a saúde quando dados de maneira indiscriminada. Muitas vezes a pessoa engorda o animal justamente com petiscos, achando que apenas as refeições “formais” teriam este poder. Ela até oferece a alimentação na medida correta, mas exagera nos petiscos, mesmo nos naturais. É aquela coisa… a diferença entre o veneno e o remédio é apenas a dose. Então… Prefira sempre petiscos naturais, principalmente se o animal já come ração seca. O petisco deve ter um tamanho pequeno a ponto de ser engolido rapidamente sem problemas, para que o cão mantenha a atenção e você (e não que pare tudo para ficar mastigando o que quer que seja). Não use petiscos para aplacar a necessidade de carinho, atenção e/ou distração do seu cão! Use-os para adestramento. Para todo o resto, use carinho, atenção ou distração! Bote o cachorro na guia e vá passear na rua, leve-o para brincar, jogue a bolinha etc. Leia também: Ensinar autocontrole na hora da refeição Receitas de petiscos que você mesmo(a) pode fazer em casa: Bolachinhas de Atum Bolacinha de Gengibre Biscoitos de Linhaça Biscoitinhos de Sardinha do Tiby Várias receitas Exemplos de petiscos saudáveis: Pedacinhos de cenoura crua Pedacinhos de frutas que seu cão ame (confira os alimentos proibidos para cães) Tirinhas de fígado assado em casa Tirinhas de carnes assadas em casa (peito de frango, carne bovina etc.) Pedacinhos de queijo branco Pedacinhos de ovo desidratado no microondas (receita no fim do texto!) Alimentos PROIBIDOS para cães: clique aqui. Abaixo, alguns […]

    Qual o melhor petisco para educar um cão? + Receitas de petiscos caninos saudáveis!

    31 de julho de 2013Adestramento, Alimentação

    Participe do Outlet do Bem e doe castrações ao comprar roupas e acessórios de grifes famosas! Clique na imagem para ler a coluna, ou acesse o link http://cachor.ro/wja.

    Coluna de hoje: Cães e gatos podem e devem ser amigos. Com um treino simples e paciência você consegue a proeza.

    Este e-mail foi postado em 2011, mas quero chamar a atenção de todos não só para o assunto, mas principalmente para os links indicados ao fim, pois distrair nossos cães enquanto eles ficam sozinhos em casa é fundamental para a saúde física e mental deles, assim como para evitar 90% das reclamações que recebo das pessoas sobre comportamento de seus animais. A leitora Aime deixou a seguinte dúvida nos comentários aqui do blog. Até respondi com algumas dicas, mas depois fiquei pensando que isso valia um post, então pedi pra Emmanuelle, do blog Educadora Canina, escrever algo pra nós sobre o assunto. Olá!!!!! Tenho dois cães que tem 11 meses. E não sei mais o que fazer, não há nada que eu coloque na casinha deles que se mantenha lá!!!! Eles são hiperativos (existe ultrativos?!rs). O que acontece é que seja cobertorzinho, toalha, jornal…. TUDO o que for que se coloque lá, quando começa a amanhecer o dia eles arrancam de lá de dentro e usam pra brincar. Resultado? O que quer que seja, é picado em pedacinhos e não há como usar novamente (além de ficar cheio de xixi e coco). Existe alguma sugestão que você conheça pra me ajudar?! EXCLUSIVO: Oi, Aime! Faltam muitos detalhes sobre os seus cães, informações que são importantes para uma melhor definição da fase em que eles se encontram, como sexo, raça e porte. De qualquer forma, você está com uma “dupla animada” na sua casa! É como ter dois adolescentes carregados de muita energia. Infelizmente, não existe nenhuma “receita milagrosa” para o “probleminha” pelo qual você está passando, algo mágico que vá resolver a situação de uma hora para outra com pouca dedicação da sua parte. Mas existe um conjunto de medidas que, realizadas, irão suprir as necessidades dos seus peludos e canalizar […]

    Dúvida do leitor: Como evitar que filhotes destruam coisas?

    Quando minha amada Moira ainda era viva, costumava caminhar com ela toda exibida. Afinal, uma jamanta negra e imensa sempre chama atenção e eu caía fácil no meu papinho pró-adoção – “Pois é, adotei quase adulta, linda, né? Você pode adotar um também” – e daí pra falar castração e outros assuntos da guarda responsável era um pulinho que eu dava sem esforços, hehe. Ao pensar em um cão de porte gigante e aparência imponente, medo não é exatamente um assunto que venha a nossa mente. Pois bem… Uma vez estávamos caminhando no calçadão de uma avenida movimentada à beira mar e a Moira, que seguia junto a mim pelo lado de dentro da calçada levou o susto com um simples saco plástico que voou inesperadamente a nossa frente e, assustada, deu um pulo tão grande, mas tão grande, que foi parar do meu lado esquerdo, ficando então entre a avenida movimentada e eu. A partir de então, passei a usar o episódio para ilustrar a necessidade de levarmos nossos cães sempre na guia para evitar acidentes, mas ao ler o post “Medo” do blog “O mundo do seu pet“, impossível não lembrar da situação toda. Queria então sugerir que vocês assistissem ao vídeo abaixo para depois ler o post já citado acima sobre medo, o que você faz clicando aqui. (post de novembro de 2010)

    Medo: fique de olho neste sentimento!

    Este e-mail foi postado em 2010, mas quero chamar a atenção de todos não só para o assunto, mas principalmente para os links indicados ao fim, sobre enriquecimento ambiental, pois distrair nossos cães enquanto eles ficam sozinhos em casa é fundamental para a saúde física e mental deles, assim como para evitar 90% das reclamações que recebo das pessoas sobre comportamento de seus animais. Continuarei a usar algumas das dúvidas que leitores me enviam via e-mail ou através mensagens de Twitter/Facebook/Orkut para fazer perguntas a alguns educadores caninos que desenvolvem trabalhos que considero interessantes. Quem responde hoje é a querida Sara Favinha, da Tudo de Cão. Sara, muito obrigada por aceitar participar! Vamos logo ao que interessa? A pergunta é: “Como faço para que meus cães que moram no quintal parem de latir quando eu pedir? Gosto que eles façam alarme, mas queria que parassem de latir sob comando. Tenho medo de que os vizinhos fiquem com raiva de tanto que eles latem em certas ocasiões, como vinda do carteiro e até urubus nas árvores. Trabalho em casa e tenho como pedir que parem de latir na maior parte da vezes. Obrigada.” A resposta da especialista: EXCLUSIVO: “Primeiramente é importante lembramos que os latidos sempre têm uma causa. Existe uma Lei de Comportamento que diz que ‘todo comportamento que é recompensado aumenta em intensidade e quantidade’. Partindo deste princípio, é importante que você consiga visualizar quais são as recompensas envolvidas para que seus cães latam tanto. Pelo que você escreveu já consegui identificar duas: Presença de outros animais (presas) e presença de pessoas estranhas. No caso dos carteiros, lixeiros, entregadores, a maioria dos cães que têm visão da rua acabam aprendendo a latir e mostrar agressividade. Isto ocorre pois cada vez que a pessoa vai embora depois que o cão […]

    Dúvida do leitor: Parar de latir sob comando, é possível?

    10 de junho de 2013Adestramento, Latidos

    Esse post do Blog Bigodes eu já tinha linkado em outro texto meu, mas acho que ele merece post próprio, pois o assunto é importante e o texto está bem didático. Abaixo um trecho, o texto inteiro vocês leem clicando aqui. Fazendo uma social Apesar do nome sério, socialização nada mais é do que acostumar um animal a certas situações. Na natureza os animais, por instinto, se mantêm afastados e então se aproximam com muita cautela de algo diferente, porque o desconhecido pode ser algo muito ruim, então preferem se manter longe por precaução. Se formos pensar o mesmo ocorre conosco. Por exemplo: Não vemos nada de errado quando um estranho fica colado na gente em um elevador cheio, mas se só você e o estranho estiverem no elevador e ele continuar muito perto, com certeza vai estranhar. Humanos, como qualquer animal, estranham serem tocados por pessoas que não conhecem. Na Teoria No reino animal excesso de curiosidade pode levar a exposição ao perigo e consequentemente a lesões e morte, por isso é mais sensato sair correndo quando algo inesperado acontece, mesmo que possa vir a ser inofensivo, do que se aproximar correr o risco de ser algo perigoso. Mas como os animais não podem passar suas vidas se assustando com qualquer pedra ou árvore que encontrem pelo caminho, eles vêm ao mundo com um mecanismo que permite que se habituem ao ambiente em que vivem. Este é o período de socialização, um período em que os filhotes são muito mais curiosos, destemidos e se aventuram com mais facilidade. Nos cães este período termina entre 3 e 5 meses de idade, é possível habituar um cão mais velho a coisas novas mas demorará muito mais tempo. Após este período eles vão provavelmente atacar, se distanciar ou fugir de qualquer coisa […]

    Mais um texto sobre socialização.

    29 de abril de 2013Adestramento, Socialização

    É preciso ter cuidados especiais com animais recém-adotados, mas as dicas também servem para os fujões natos, que querem explorar o mundo. Clique na imagem para ler a coluna ou aqui.

    Coluna de hoje: Muitos cães fogem pouco tempo depois da adoção. Entenda o motivo e como minimizar as fugas.

    Recebi a dúvida abaixo e a repassei à Emmanuelle Moraes, mas na época ela estava em viagem e só conseguiu me responder depois, mas agora não lembro por onde a pessoa me pediu ajuda (se pelo Facebook, e-mail ou blog). Então posto tudo na esperança não só dela ler, mas de ajudar outras pessoas e animais em situação parecida. A dúvida: adotei um pitbul em pele de poodle, ele passou por várias casas e foi expulso de todas ate que “simpatizou” comigo; só que tenho mais dois cães, um macho e uma fêmea. e o “pit bul” é meio de lua, tem horas que do nada ele avança em qualquer coisa que se move,ou tem ataque de fúria dentro da casinha dele com o cobertor. se a gente faz carinho ele aceita e fica todo mansinho, deita de patas pra cima balançando,parece um verdadeiro poodle. ai do nada ele começa a rosnar e se nao tirar a mão imediatamente e se afastar ele crava os dentes na gente;;;é loco loco.pra dar banho precisa de focinheira.tudo tem de ser do jeito que ele quer.quero impor limites mas não sei como; ele pede carinho, a gente da e ele morde! não entendo!outro dia cheguei do serviço e ele veio com a bolinha na boca pra brincar; quando fui pegar a bolinha da boca dele; ele soltou a bolinha e rosnou; mas achei que a gente já tava amigos e não liguei; continuei pedindo a bolinha ;e ele me avançou. não mordeu porque consegui me esquivar e fechar a porta. depois ele vem andando tortinho balançando aquele cotoco, com uma cara de quem aprontou feio. todo dia é a mesma coisa! alguém sabe o que fazer? não tenho como pagar para adestrar. algumas dicas iriam me ajudar muito! A resposta da especialista: Olá! […]

    Dúvida do leitor: Como lidar com um cão que morde!

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados