• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças Mãe de Cachorro: Lulu da Pomerânia.

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 15 de agosto de 2017

    Lulu: adotar ou não?

    Eles são uma das raças queridinhas do momento. Particularmente, amo seu aspecto de raposa miniatura e já tive oportunidade adotar alguns! Sim gente, no plural! Como toda raça que ganha fama, o Lulu está sendo reproduzido por fabricantes de filhotes, ‘consumido’ em larga escala e, consequentemente, abandonado ou doado sem critério.

    Um Lulu é lindo, fofo, inteligente e pequeno mas… Não se engane com seu pouoc tamanho e aspecto frágil, pois um Lulu da Pomerânia agradável de se conviver e emocionalmente saudável é um cão para quem quer estudar muito comportamento canino e com paciência de sobra.

    Raça de hoje: Lulu da Pomerânia, uma raça para poucos.

    Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.

    Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles*

    O padrão do Kennel Clube Americano (AKC) para a raça diz que o Lulu, também conhecido como Spitz Anão, é um cão é “ativo, destemido, curioso e com uma personalidade fiel às características da raça”. E ele é mesmo tudo isso. Animado e espirituoso, corajoso e impertinente, o Lulu típico ‘se acha’.

    Esses cãezinhos adoráveis adoram verificar bem cada nova situação, barulho e atividade e amam nos contar o que acham de tudo isso. Eles são deliciosamente ativos e sempre atentos a tudo o que acontece em seu redor. Ou seja… Quando não são devidamente educados, são cães barulhentos e que tendem a latir em excesso. Alô você que é sossegado, sem tempo, sem paciência e que passa muito tempo fora de casa: esta raça não será feliz participando da sua vida e muito menos passando horas sozinha!!!
    Extremamente alertas ao se aproximar de estranhos, o Lulu é um excelente cão de alarme. Está ficando mais claro agora por que já há Lulus para doação apesar de serem cães vendidos por preços altos?
    Por tudo isso, e também por ser muitomuitomuito inteligente, o Lulu precisa ser socializado desde bem cedo para que não fique… INSUPORTÁVEL de tão estridente. A maioria dos Lulus se dá bem com outros pets. Em geral até os machos costumam brincar com outros cães sem brigar. Alguns deles, entretanto, podem ser mandões e tentarão ‘caçar’ outros cães independentemente do seu tamanho. Eles ‘se acham’, lembra?

     

    O Lulu característico é bastante esperto e olhará diretamente para você, revirando a cabeça ao prestar atenção (ui, fofos!). Apesar disso… a raça não é muito chega a receber ordens de ninguém que ele considere não tão importante. Assim, procure estudar bastante para ensinar seu Lulu a obedecer e a se submeter. Como? Por exemplo, não deixando que ele haja com possessividade em relação a comida, brinquedos e pessoas e controle seus latidos desde o primeiro dia em casa!

    Outro detalhe importante: o Lulu é um cão para adultos!!! Nem pensar em presentear crianças com ele… Na verdade, a maioria das raças de porte pequeno e muito inteligentes é mais indicada para adultos.

    Se você quer um cão que…

    • Seja bem pequeno, da família dos spitz, com carinha de raposa, uma pelagem densa e cauda curvada para cima;
    • Seja ativo, destemido, curioso e com uma personalidade fiel às características da raça;
    • Seja um ótimo cão de alarme e que geralmente se dê bem com outros pets.

     Um Lulu da Pomerânia pode ser bom para você.

    Se você NÃO quer um cão que…

    • Possua a fragilidade física das raças toy
    • Seja muito desconfiado de tudo e de todos quando não for bem socializado;
    • Seja teimoso, não goste de obedecer e exija muita leitura sobre comportamento canino para que seja bem educado por você;
    • Tenha tendência a latir em excesso;
    • Precise de escovação frequente;
    • Solte bastante pelo.

    Um Lulu da Pomerânia pode NÃO ser bom para você.

    Tenha em mente que herdar características temperamentais é muito menos previsível do que herdar características físicas como tamanho ou troca de pelagem. Temperamento e comportamento também podem ser desenvolvidos e melhorados com treinamento. Assim, você pode evitar traços negativos da raça ao adotar cães adultos!!

    Se você insiste em comprar, boa sorte! Encontrar um verdadeiro criador é mais difícil do que achar agulha em palheiro.

    Mais traços e características do Lulu da Pomerânia

    – Temperamento instável: o Lulu virou uma raça popular (no mundo! Hello, não pense apenas no Brasil), o que signifca que muitas pessoas a procriam de modo irresponsável e sem conhecimentos/preocupações de um verdadeiro criador. O resultado são vários Lulus com desvios comportamentais.

    – Fragilidade: muita gente adota/compra cães de raças pequenas sem entender exatamente os cuidados necessários com suas estruturas frágeis. Um Lulu pode ser morto ou ficar bastante machucado inclusive dentro de casa, seja por pessoas ou animais maiores. Filhotes da raça jamais deveriam ficar sozinhos com crianças, não importa o quão educadas/comportadas elas sejam. Lulus adultos costumam não ficar à vontade perto de barulhos altos e de movimentos rápidos e a raça tende a não tolerar brincadeiras infantis, além de terem um cuidado instintivo com sua própria proteção.

    – Desconfiança: alguns Lulus são bastante amigáveis, mas a maioria tende a não gostar de estranhos. Se não forem socializados corretamente desde muito jovens, sua tendência natural é desenvolver desconfiança a ponto de não conseguir conviver bem sequer com visitas.

    – Temperamento forte: a maioria dos Lulus não é submissa e nem vive para agradar aos humanos e suas demandas. São cães que tendem a ser muito inteligentes, mas também muitomuitomuito idependentes e manipuladores.

    – Latidos excessivos: a raça é rápida ao dar alarme ao menor sinal. Você deve ser mais rápido ainda para ensiná-lo a ser silencioso, principalmente se tiver vizinhos próximos (quem não tem, nos dias de hoje?) e passar longas horas fora de casa. Pelo mesmo motivo (latir até para o vento, excessivamente), não é bom que fiquem soltos no quintal sem supervisão. Para piorar, seu latido tende a ser bastante desagradável.

    – Treino do banheiro: as raças pequenas são em geral as mais difíceis de assimilar o treino do banheiro, até mesmo por ser bem fácil se enfiar em qualquer canto para fazer aquele xixi ou cocô gostoso, o que faz com que muitas vezes os achemos tempos depois de serem feitos. Xixi/cocô fora do lugar não visto a tempo torna o treino do banheiro muito mais demorado…

    – Manutenção da pelagem: para manter sua pelagem livre de nós, o Lulu exige escovações frequentes e tosas ocasionais.

    – Perda de pelo: a raça solta muito pelo. Eu disse muito.

    Adote um Lulu adulto!

    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Lulus adultos que já provaram não ter (ou ter poucas) características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!

    Salve uma vida. Adote um cão.

    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence. Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.

    Categoria: Guia de Raças

    [aviso titulo=‘ATENÇÃO!’ altura=‘640′ largura=‘480′]

    [/aviso]

    Categoria: Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    Nenhum Comentário:

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados