• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Finais Felizes: Guinho, o guerreiro que venceu o câncer!

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 21 de agosto de 2013

    JesusMariaJosé, a Márcia Santos mandou a história em dezembro passado e só a achei na bagunça dos e-mails agora! Ô pecado! Leiam e sorriam!

    —– Mensagem encaminhada —–
    De: Marcia Santos
    Para: ana corina mãe de cachorro <anacorina@maedecachorro.com.br>
    Enviadas: Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2012 10:56
    Assunto: História p/ a seção "Finais Felizes".

    Assunto: Seção Finais Felizes

    Oi Ana, Bom Dia!

    Quero dividir com vocês a história emocionante do Guinho, meu filhinho de quatro patas mais novo que Papai do Céu escolheu a dedos e me deu. A história é bem longa maaaas, vou TENTAR resumir. É a seguinte: todos às noites quando voltava do trabalho eu saía pelo bairro onde moro (João Pessoa/PB), para encontrar os cãezinhos das ruas e colocar ração em alguns pontos para alimentá-los, hoje não tenho feito mais isso devido à falta de segurança do bairro, então passei a colocar em frente a minha casa juntamente com água.

    Bom, ano passado, não me recordo bem se em novembro ou dezembro, numa dessas idas encontro dois cachorrinhos, coloco a ração e como sempre logo faço amizade com eles. Um deles acaba se destacando por querer me abraçar, dar beijinhos, latir bastante, parecia estar pedindo alguma coisa, e estava. Ele era muuuito magrinho, então passei a chamá-lo de Maguinho. E foi assim por alguns dias, até que da última vez ele seguiu-me até minha casa e passou a ficar lá na frente todos os dias.

    Eu já estava tão acostumada com ele por ali que certa noite quando cheguei em casa e não o vi, deu um aperto no coração, logo, fui ao local onde eu o vi pela primeira vez. E lá estava ele, próximo a um poste totalmente encolhido, parecia estar morto. Daí, comecei colocar comida dentro da boca dele e como não tinha levado água, pedi a um pessoal que estava ali perto. As pessoas ficaram fazendo pouco de mim e diziam: moça deixa ele ai, é menos um, ele está morto. Até que com a graça de Deus ele conseguiu se levantar, e todos ficaram surpresos.

    Então, ele foi comigo novamente e daí fiz uma casinha para ele no portão da minha casa (me chamavam de ridícula, diziam que eu estava tirando a “estética da casa”), mas eu precisava protegê-lo do frio e da chuva, já que minha mãe na época não queria outro porque tínhamos o Ruffus e ele é muito arisco, não iria dar certo os dois juntos. Por ele estar ali todos os dias, minha mãe já tinha um certo carinho por ele. Daí, continuei a insistitir em ficarmos com ele. Um certo dia, uma vizinha pediu pra cuidar dele na casa dela, eu não queria mas, tinha de pensar no bem estar dele então, deixei. Na nova casa, logo na primeira noite ele fugiu e voltou pra minha casa, ou seja, a dele (risos). Mas, de volta a rua, volta e meia ele não vinha para dormir e eu já chorava e entrava em pânico: onde ele está, por que não veio, será que alguém o pegou, e assim por diante.

    Mas, no dia seguinte, graças à Deus, quando eu abria o portão para sair para o trabalho encontrava ele, com aquela disposição cheio de sorrisos, afagos (choro só de lembrar). Da última vez ele saiu e ficou fora por três dias, eu fiquei desesperada, procurei por todo o bairro, ofereci recompensa, falei que iria denunciar por alguém tê-lo pego, mas que apesar de ele estar em frente a minha casa ele era "meu". Pedi tanto a Deus prá que ele voltasse, Deus me atendeu. No dia 19/02/2012, ele voltou, quando eu tava abrindo o portão, dei de cara com ele, todo machucado e mais magrinho do que antes, muito assustado, parecia que alguém tinha maltratado muito ele.

    Chorei de felicidade, então peguei-o no colo e levei-o para dentro. Minha mãe abriu aquele sorriso e deixou que ficasse com ele. Bom, levei-o ao vet fizemos exames e tudo mais, daí foi constatado que ele estava com câncer. Comecei a tratar imediatamente, precisou fazer cirurgia, biópsia, raios x, ultrasom, tomar soro, fazer quimio, etc., foram dias exaustivos, fase muito difícil em nossas vidas (dele, minha e de minha mãe). Ele é um guerreiro, conseguiu superar tudo isso e hoje está bem, graças a Deus.

    O Ruffus no início não gostou muito do novo integrante da família, mas hoje são amigos (de vez em quando brigam um pouquinho kkkkk). Sou grata a Deus por ter me dado de presente essas criaturinhas maravilhosas. Tenho um amor imenso pelos dois, eles são a minha vida. Minha mãe os ama muito também. Todos os dias ele me agradece por tê-lo tirado daquele sofrimento (rua). Hoje ele é o meu Guinho e minha maior recompensa É O AMOR que ele sente por mim. Agora, temos outra batalha a vencer: a insuficiência renal que foi constatado nesse último exame. Tenho fé em Deus que juntos conseguiremos vencer mais uma, rogo a Deus que ele continue sendo forte para superar tudo isso. Estaremos com ele sempre! Valeu Ana! Beijos.

    P.S.: Ana, sei que o texto é muito extenso, por isso se vc quiser pode resumí-lo. Qualquer dúvida, me contate. Ah, tenho outra história de adoção prá te enviar depois, ok.

    Categoria: Finais Felizes
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    10 Comentários:

    1. Camila disse:

      3 de outubro de 2013 às 19:16

      Achei linda a história do Guinho e realmente a família é maravilhosa por ter constatado a doença e ter lutado ao lado dele sem pensar nos gastos que teriam. Ele só lutou por que sabia desse amor incondicional e por ter escolhido vocês.
      Se puder depois postar novidades sobre a saúde dele….Ficarei imensamente grata porque acho muito linda essas adoções “especiais”. Desejo melhoras quanto a insuficiencia renal pois tem cura mas se mal cuidada e dependendo da idade do bichinho….Mas Guinho é gerreiro mesmo (venceu a pior das doenças então com certeza ficará bem).

      Beijos a família maravilhosa e desejo tudo do bom e do melhor em dobro pelo que fizeram e estão fazendo pelo Guinho

    2. Ana Lúcia disse:

      25 de agosto de 2013 às 22:11

      Que história MAGNÍFICA! A Angela Rocha disse tudo; você é um anjo iluminado por Deus para fazer o Bem na terra. Que Deus te abençôe grandemente por sua atitude de bondade e amor. Que muitas coisas boas aconteçam na vida de pessoas assim como você. Deus abençôe o Maguinho, que ele sare desse problema renal. Amém.Parabéns Gaarootaa…

    3. Eliane disse:

      22 de agosto de 2013 às 14:07

      (Chorei lendo a matéria)Tenho um boxer de 8 anos que amo de paixão mas sempre que posso ajudo outros cachorros na rua. Ando com ração dentro do carro e quando vejo um cachorrinho de rua paro para alimentá-lo. Tenho muita dó desses bichinhos, a maioria muito dócil e alegre mesmo com a vida difícil que levam. Fico impressionada com algumas criaturas(porque não considero seres humanos)que além de não ajudar, ainda maltratam os pobres bichinhos, é muita maldade. Aqui onde moro eu “amadrinhei” uma cadelinha que coloquei o nome de Pretinha. Ela vive por aqui e parece ter dono mas sempre que me vê se aproxima e aceita meus carinhos e ração. Gostaria de ter mais recursos para ajudar mas no momento estou desempregada e só tenho compaixão a oferecer.

    4. Cristina Neves disse:

      22 de agosto de 2013 às 12:45

      Por favor, vc sabe me dizer como se descarta areia de gato suja. Vinha jogando no lixo orgânico, agora os lixeiros não querem mais levar. Sei que não tem a ver com a matéria publicada mas foi o jeito que encontrei p/ entrar em contato, Ana Corina. Muito obrigada. Cristina.

    5. Luiza Piazza disse:

      21 de agosto de 2013 às 22:30

      Fiquei muito emocionada e quero parabenizá-la pelo seu gesto de amor!Que Deus continue dando muita Luz para vc, e que ele vença mais essa etapa! Abraços p/ vc e muits bjks no Maguelo!!!

    6. angela rocha disse:

      21 de agosto de 2013 às 20:00

      parabéns,vc não é gente,vc é um verdadeiro ser humano,anjo passeando na terra!!!!

    7. Fátimma Américo disse:

      21 de agosto de 2013 às 14:08

      Muito linda e emocionante está historia.

    8. Renata disse:

      21 de agosto de 2013 às 14:01

      Nossa meninas, história linda…
      eu to passando por algo meio parecido…
      Minha filhinha Lilika, de 16 anos, pinscher 1, teve ano passado cancer de mama, o tumor estava enorme… fizemos exames, os veterinários ficaram surpresos com a saude dela, deram parabens e tudo!!! Constatamos que ela poderia fazer a cirurgia… mas devido a idade, talvez não suportasse… graças a Deus ela suportou, saiu da sala de cirurgia toda inquieta, tomou a anestesia Raqui e mesmo assim, queria pq queria levantar e andar…rs
      pronto, ficou ótima… mas n fizeram a biopsia…
      Esse ano, a 2 meses percebi um novo tumor… no local onde era o ultimo ponto da cirurgia anterior…e, é CA dnovo… além de um caroço na coxa, que não tenho nem idéia do que seja… marquei consulta pra ela… espero q ela vença mais essa…
      Lilika é super guerreira também, desde nova ela passa por provações e vence sorrindo a todas… a gente aqui brinca dizendo que ela é uma gata…tem 7 vidas…rs
      quando pariu pela 1ªvez ela expulsou o útero e quase arrancaram achando que era um filhote, por sorte, não conseguiram..(eu ainda era uma criança..12 anos)
      em outra ela saiu correndo p atravessar a rua e foi atropelada por uma moto e n teve nada, de outra, foi “estuprada” por um poodle, emprenhou e pra parir, teve q passar por cesaria pois eram 2 filhotes enormes… ja engasgou com osso…
      uma vez passeando por essas ruas imundas de minha cidade com ela, ela pegou uma bacteria na pele…aff…abriu rombos na pele, dava pra ver os ossos, não saia da casinha, não queria comer, mijava na propria caminha, não levantava mais…todos achamos que teriamos que sacrificá-la… mas graças a Deus, o veterinário identificou na hora o que era e passou apenas uma pomada pra cicatrização…e ela ja voltou do veterinario sorrindo, kerendo andar…
      Como disse, minha filhota velhinha é super forte, mt amada e muito bem cuidada, tem, na verdade, mais de 7 vidas…
      é o amor de minha vida… hj sofro mt com medo que a hora dela esteja chegando… afinal, 16 anos n é pra qualquer um… mas sei que ela vencerá… o pai dela morreu com 18 anos, ceguinho, mas muito feliz. se não me engano, morreu dormindo…(ele era de uma prima, por isso n tenho mt ctz!)
      Eu espero que lilika passe dele…mas com SAÚDE!!!
      Deus a de iluminar minha baby pra que continue com saúde!!! Sendo e me fazendo muito feliz!!!
      Renata Leite, Itabuna/BA.

    9. Solange Carvalho disse:

      21 de agosto de 2013 às 13:46

      Chorei lendo essa história, pois tenho uma história parecida. Meu Tarzan tbm me escolheu como dona dele, coberto por sarna e muito magro e todos da rua maltratava ele, e por incrível que pareça ele tinha dono que mora na minha rua, hoje ele vive comigo é bem tratado, gordo parece uma mortadela! rsr
      Parabéns pelo seu ato de amor!!!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados