• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Papo de Mãe: Artigos de couro vegetal em lojas convencionais.

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 5 de março de 2013

    Esse é pra quem vai além do amor aos cães e gatos! Post da Carol Daemon. Pedacinho pra nós abaixo, texto inteiro lá no site dela. Os frigoríficos são apontados como os grandes vilões do desmatamento da Amazônia, mas os curtumes e madeireiras também têm sua parcela considerável de responsabilidade direta nesse problema. Leia mais sobre o assunto no relatório do Greenpeace em Farra do Boi na Floresta Amazônica. A maioria das pessoas, pensa que esses sapatos são mais caros, ortopédicos ou de fabricação exclusiva de meia dúzia de fabricantes. Não são, sapatos em "couro vegetal" são mais comuns do que a gente imagina, até pelo custo do couro tradicional (de origem animal). As minha botas em couro vegetal, postadas "Verde é sexy" e "Verde é muito sexy", são um bom exemplo, ambos os pares foram comprados em sapatarias populares. As pretas, na rede Di Santinni, e as marrons em uma sapataria mínima e local do antigo bairro em que morava. A Beira Rio, produz sapatos em material alternativo como a Picadilly e podem ser igualmente encontrados em qualquer sapataria. Outra sapataria bastante popular é a Paquetá, que trabalha com diversos fornecedores e, apesar de etiquetar seus calçados, oferece muitas alternativas em couro vegetal, basta perguntar aos vendedores. Uma recepcionista do meu trabalho vende produtos Avon e deixou o catálogo comigo por algumas horas, qual não foi minha supresa ao ver que a Avon* revende sapatos, inclusive sandálias de salto alto para festa, em couro vegetal dos seguintes fabricantes: Via Scarpa, Giorgio Almeida e Frisina. Se você quer dar uma chance aos cosméticos que não testam em animais, a Avon*, apesar de não-biodegradável, pode ser uma opção. Leia mais em Cosméticos Verdes[Leia a atualização no fim do texto] Lojas mais sofisticadas, como a Uncle K, Alicedisse, Mr.Cat e Victor Hugo fabricam a maior parte de suas coleções em material alternativo, o mesmo bom senso da sapataria popular, aplica-se à butique: pergunte aos vendedores o que não é em couro, ele vai mostrar simpaticamente. As lojas de grife podem não divulgar que fabricam calçados e bolsas em couro vegetal, até por terem que defender a qualidade de seus produtos exclusivos, mas o fazem e não enganam o cliente quando o mesmo pede para ver a diferença entre os "alternativos" e convencionais. *Atualização: Lamentavelmente a Avon voltou a testar e comprar de fornecedores que testam depois de 20 anos de boas práticas. Veja no Vista-se: http://vista-se.com.br/redesocial/apos-20-anos-avon-volta-a-testar-em-animais/ Na dúvida sobre cosméticos, sempre consulte a PEA (ou PETA)http://www.pea.org.br/crueldade/testes/lista.htm#Cosméticos.
    Categoria: Carol Daemon, Papo de Mãe
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    3 Comentários:

    1. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      11 de abril de 2013 às 23:44

      Renata, a Carol respondeu por e-mail, segue:

      “Olá, fico feliz que seja uma leitora atenta e acompanhe o caso da Avon.
      O artigo em meu blog é de julho de 2010, na época a Avon não comprava desses fornecedores.
      http://vista-se.com.br/redesocial/apos-20-anos-avon-volta-a-testar-em-animais/
      Já o Boticário e a Risqué testavam e não são sugeridos no artigo mencionado sobre cosméticos verdes. E, para nossa felicidade (nossa e dos animais, afinal somos todos terráqueos), ambas hoje não testam mais e constam da lista da PEA.
      http://www.pea.org.br/crueldade/testes/lista.htm#Cosméticos.
      Nada impede que uma empresa volte a testar (ou comprar de quem testa) depois de 20 anos, como lamentavelmente fez a Avon e o oposto (deixar de testar) felizmente também ocorre.
      Sobre alguns produtos levarem mel e não serem veganos, é uma verdade até na mais ambientalmente correta das empresas de cosméticos, a Lush (inglesa), que nunca testou e sempre foi certificadíssima, mas que oferece alguns produtos com mel e até iogurte orgânicos – mas sempre informa se o produto é vegan ou não, para dar ao consumidor o direito de exercer seu livre arbítreo.
      O fato de um produto ser vegan não quer dizer que ele não seja testado, como o sabão em pó da Unilever, que testa. E o fato de um produto não ser testado e até da empresa colaborar com o Greenpeace, não quer dizer que ele seja vegano, como o sabonete de iogurte com banana da Lush.
      http://www.lush.com/

      Espero ter esclarecido as dúvidas, estamos todos na mesma busca.

      Um abraço fraterno,
      Carol Daemon”

    2. Renata Solon disse:

      11 de abril de 2013 às 01:37

      Olá Ana Corina, sou vegetariana e corrigindo uma informação, mas a Avon faz teste em animais sim! Ela não faz os testes no Brasil, mas compra os testes no exterior para aprovação da sua marca nos países que exigem e por isto no Brasil, ela vende produtos aceitos, testados em animais lá fora!E para quem é vegano, além dos testes, produtos da Avon , carregam mel e outros derivados de animais!

      http://consciencia.blog.br/2011/11/avon-financia-testes-em-animais-na-china.html#.UWY8Wlfbn4E

      http://saintgermanchamavioleta.blogspot.com.br/2012/06/avon-confirma-testar-cosmeticos-em.html

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados