• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Listas de veterinários

  • Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças Mãe de Cachorro: Lhasa Apso

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 23 de janeiro de 2013

    Ao fazer a tradução de hoje, mais uma vez vejo como a procriação desenfreada de raças que entram na moda faz com que nós sequer conheçamos um verdadeiro exemplar da raça em questão. Aposto que a maioria das pessoas que comentará este post dirá “Mas meu Lhasa é um amor”. Ok, ótimo para vocês dois, mas sou obrigada a lembrar a todos de que simplesmente não se trata de um temperamento 100% característico do verdadeiro Lhasa Apso. Sinceramente? Por mim acho até melhor, já que cães de temperamento forte costumam sofrer muito mais de maus-tratos e abandono.

    Raça de hoje: Lhasa Apso, o pequeno leão.

    Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.

    Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles*

    Muitos adotam ou compram um Lhasa Apso baseados na sua carinha travessa e um tanto cômica, esperando que ele será um cachorrinho fofinho de colo. Na verdade, o Lhasa Apso adulto é uma das raças de porte pequeno mais resistentes, fortes e de temperamento difícil. Existe um ditado que diz que “quando um Lhasa Apso se olha no espelho, enxerga um leão”.

    Embora ele certamente possa ser brincalhão, o Lhasa adulto carrega uma dignidade “real”. Um tanto calmo e ponderado por natureza, ele será um cão de casa bem educado SE você conseguir estabelecer uma relação de respeito mútuo. Por exemplo, admirando seu temperamento independente enquanto reforça consistentemente as regras da casa, para que ele respeite você tanto quando você o respeita.

    O padrão o American Kennel Club, sendo bastante contido, diz que o Lhasa Apso é “cauteloso com estranho”. E realmente ele é. Com seus sentidos apurados, suas habilidades aguçadas de observação e sua natural desconfiança a tudo que é novo ou diferente, os Lhasas levam suas responsabilidades de cães de alarme muito a sério. Alguns Lhasas preferem morder a latir, inclusive. Assim, a raça precisa de socialização desde muito cedo, com pessoas que possam garantir que sua natureza não fique muito forte.

    Com outros animais, o Lhasa pode ser mandão e ciumento. Muito esperto, mas também dominante e manipulador, o Lhasa Apso é um desafio para os treinadores. Eles não podem ser forçados a fazer algo, nem aceitarão ser tratados com aspereza e provocações. Métodos de treinamento que usem petiscos e recompensas funcionarão muito melhor e trarão cooperação por parte do Lhasa. O treino do banheiro pode demorar um pouco até ser completamente aprendido.

    Se você quer um cão que…

    • Seja pequeno, mas encorpado e resistente;
    • Tenha uma pelagem longa (que pode ser tosada curta, caso desejado) que existe em várias cores e padrões;
    • Tenha um dos temperamentos mais fortes entre todas as raças de porte pequeno;
    • Pode ser brincalhão, mas que ainda assim porte-se com dignidade e que seja calmo e ponderado por natureza;
    • Seja um cão de família cortês;
    • Não precise de muito exercício físico;
    • Seja muito leal à própria família e um ótimo cão de alarme.

    Um Lhasa Apso pode ser bom para você.

    Se você NÃO quer um cão que…

    • Seja desconfiado com estranhos;
    • Tenha um temperamento forte e teimoso, o que requer um tutor que saiba lidar com isso e tomar o comando da relação;
    • Precise de muita escovação e cuidados quando a pelagem não está tosada;
    • Precise de tosas regulares;
    • Demore um pouco a aprender a fazer xixi/cocô no “banheiro”
    • Responda com retaliações a tratamentos muito firmes ou incomodações/importunações

    Um Lhasa Apso pode NÃO ser bom para você.

    Se você está pensando em adotar um Lhasa Apso (filhote ou adulto) considere as questões abaixo seriamente:

    1. Desconfiança – Sem uma socialização cuidadosa o Lhasa pode virar um cão desconfiado de tudo e todos, o que pode gerar mordidas.
    2. Temperamento forte – Lhasas têm um temperamento independente e costumam pensar por si próprios. Não são, definitivamente, cães que você manipula/engana facilmente e muitos são voluntariosos, obstinados e dominantes. Os cães com estas características farão você provar que merecem que eles o obedeçam. Você deve mostrar a eles, através da mais absoluta consistência, que realmente quer que façam algo.
    3. Reflexos defensivos – Se você interagir com um Lhasa de maneira que ele considere violenta ou provocativa, mais do que muitas outras raças, ele tenderá a reagir com rosnados ou até mordidas. Muitos cães sofrem punições de maneira submissa, o Lhasa não é um deles. Nota da autora: “Não recomendo Lhasa Apsos para conviver com crianças pequenas. Muitos Lhasas não toleram nenhum tipo de brincadeiras de crianças ou pets, seres que eles possam, literalmente, considerar ‘inferiores’ a eles. Muitos reagem muito rápido – o que pode acontecer na forma de mordidas – a provocações comuns em crianças pequenas, como puxões de orelhas e rabos ou pisadas acidentais nas patas. Muitos Lhasas também são possessivos com sua comida e brinquedos e os ‘defenderão’ de quem quer que seja, inclusive crianças.”
    4. Cuidados com a pelagem – Sem escovação frequente, a longa pelagem dos Lhasas pode virar um tapete de nós. Se você não irá se comprometer com tosas regulares ou escovações frequentes, esqueça a raça.
    5. Treino do banheiro – Espere pelo menos de 4 a 6 meses de treinamento consistente de banheiro (inclusive usando o crate) antes de ver algum resultado. Contando com mais os meses de vida que seu cãozinho tinha ao ser adotado, isso pode dar quase um ano de idade até aprender.

    Para aprender como treinar um cão a usar o banheiro (seja adulto ou filhote), leia:

    Adote um Lhasa Apso adulto!

    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Lhasas adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!

    Salve uma vida. Adote um cão.

    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.

    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.

    Categoria: Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    87 Comentários:

    1. Luciana disse:

      23 de março de 2014 às 10:48

      A moça do pet shop costuma dizer que meu Lhasa deveria ter nascido um Shitzu.
      Ele é super brincalhão, inclusive com estranhos. Com duas semanas já usava o banheiro direitinho e não pode ver criança que sai correndo querendo brincar.
      A única característica de Lhasa que ele mantém é o temperamento. Vai ser genioso assim lá longe.

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados