• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Cães e humanos: minhas neuras, suas neuras!

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 18 de outubro de 2012

    parecidos

    A querida Rejane Sagaz mandou uma sugestão de post que de cara concordei em compartilhar com vocês. Mas, cá entre nós, precisa ser cientista e fazer pesquisas pra descobrir o óbvio? Nossos peludos nos imitam e são influenciados por nossos comportamentos e temperamentos. Da mesma maneira que também têm a capacidade de nos influenciar com o deles. Pena que o que peguem de nós sejam justamente as neuroses e outros quetais do nosso lado negro. Bora ler a matéria!

    Tal cão, tal dono

    Estudo aventa hipótese de seres humanos influenciarem comportamento de animais domésticos. Casos de depressão canina, por exemplo, podem estar associados à saúde mental de seus proprietários.

    Por: Guilherme de Souza / Especial para a CH On-line/ PR

    Doenças renais crônicas, obesidade, depressão… Décadas atrás, era impensável a ideia de que tais enfermidades pudessem atingir cães, gatos e outros animais. Hoje, porém, a medicina veterinária enfrenta casos antes considerados tipicamente ‘humanos’. Mais que uma evolução dos métodos de diagnóstico, a mudança pode ser reflexo da influência dos donos sobre a saúde de seus animais domésticos.

    A constatação é do antropólogo Jean Segata, que observou o dia a dia de uma clínica veterinária no município catarinense de Rio do Sul. Com base nessa experiência, ele desenvolveu sua tese de doutorado, ‘Nós e os outros humanos, os animais de estimação’, defendida recentemente na Universidade Federal de Santa Catarina.

    Se os sintomas de depressão são os mesmos em cães e humanos, há semelhança também no tratamento da doença, com uso de psicotrópicos e psicoterapia

    Entre os diversos casos que acompanhou na clínica, Segata destaca a depressão canina. Embora sua ocorrência não seja uma unanimidade no meio acadêmico, a doença tem preocupado veterinários e, também, donos de animais.

    Em humanos, a possibilidade de expressar sentimentos e angústias por meio da fala facilita o diagnóstico da depressão. Em cães, entretanto, é preciso ficar atento ao comportamento do animal. Apatia, perda de apetite e busca de isolamento são sinais de que o animal pode estar deprimido. Como acontece com seres humanos.

    Se os sintomas de depressão são os mesmos em cães e humanos, há semelhança também no tratamento da doença, com uso de psicotrópicos e psicoterapia. No caso dos animais, os donos são instruídos a mudar algumas atitudes em relação a eles, como passar mais tempo em sua companhia, levá-los para passear, melhorar sua alimentação, permitir a convivência com outros cães.

    Continue a ler clicando aqui.

    Categoria: Comportamento
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    6 Comentários:

    1. Karina disse:

      24 de outubro de 2012 às 11:40

      Nossa achei mto interessante esta materia pq minha filhinha peluda nao tem depressao mas ela é mto tranquila, mansinha, independente! Qdo sente que estou triste com algum problema ela fique quietinha enfim triste tbm…acredito mto que os bichinhos sao mto parecidos com os donos e podem sentir o que sentimos msm! Ter animalzinho de estimaçao é mto bom pq eles tbm nos ajudam a sentirmos melhor, menos tristes qdo sabemos que eles podem sentir tudo que estamos sentindo!
      Bjusss

    2. Marcia disse:

      24 de outubro de 2012 às 11:04

      Ana, quando vc diz NENHUMA é NENHUMA MESMO, é isso? Nossa, como essa doença é séria! Passamos dias difíceis (eu, ele e minha mãe) no início do tratamento. Eram noites em claro tendo que verificar o soro que estava tomando na veia, comprimidos (vitaminas, corticóides, suplementos, etc) que precisavam ser dados numa média de 8 a 10 por dia. Mas, valeu nosso esforço, graças a Deus ele respondeu rapidamente ao tratamento. O protocolo feito para ele era de 9 sessões de quimio e só foram necessárias 3. Com a ajuda de Deus e o início imediato do tratamento, podemos dar a ele uma perspectiva de vida maior. Pois, se ainda estivesse nas ruas, talvez hoje já fosse uma estrelinha. Ele (Guinho)e o Ruffus, são realmente a minha vida, eu os amo DEMAIS. Qualquer hora dessas mando foto deles, inclusive posso relatar a história do Guinho no “Finais Felizes”, pois tem tudo a ver com ele. Obrigada pela atenção Ana. Fica com Deus.

    3. Marcia disse:

      19 de outubro de 2012 às 09:58

      Ai Ana, vc me deixou os meio preocupada. Meu filhinho mais novo está com os sintomas citados acima mas, será que pode ser depressão mesmo?! É que ele teve câncer, esteve em tratamento de quimioterapia por alguns meses e graças a Deus está praticamente curado, quando eu o resgatei das ruas fiz uns exames nele e foi constatado três tumores, nos quais um deles fizemos uma biópsia para ter “certeza” do que era. Mas de imediato, já fomos tratando os demais com medicamentos, ele apresentou um resultado muito positivo, os tumores desapareceram, mas tadinho ele ficava muito debilitado tendo que tomar tanta coisa. Á medida que ele foi melhorando, o vet foi desmamando alguns medicamentos, e hoje ele só está tomando cálcio e vitaminas. Porém, como te disse: ele fica meio sem querer comer nada, tudo que eu ofereço a ele paraçe está estragado, pois faz uma cara horrível (rsrsrs), quer ficar deitadinho quase que o tempo todo em cima da minha cama, ou seja, nossa cama, só levanta se for prá passearmos ou fazer suas necessidades. Será que isso pode está relacionado a depressão ou é devido a doença?! O meu filhinho mais velho, é totalmente o contrário, é ligado 24hs, tem uma energia tremenda. São os amores da minha vida, na verdade, eles são a minha vida. Beijo grande Ana.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        19 de outubro de 2012 às 11:21

        Querida, antes de qualquer coisa: este cão não pode receber vacina NENHUMA, nunca mais, viu?

        Olha, que tal passar a alimentação dele pra algo mais natural e palatável? Dá uma olhada no http://www.cachorroverde.com.br e tenta. Tem também alguns alimentos que podem ser dados com ração sem prejuízo pra saúde, dá uma lida: http://www.maedecachorro.com.br/2011/03/suplementos-naturais-para-enriquecer-a-dieta-de-caes-e-gatos-que-se-alimentam-de-racoes.html

        Eu daria a ele probiótico/prebiótico para elevar a imunidade ainda mais. E daria também cúrcuma (açafrão da terra) para o resto da vida (polvilhado um pouco sobre a comida), pq é ótimo contra câncer.

        Dê um tempo para ele melhorar totalmente. É muita coisa… E talvez ele seja só mais quietinho mesmo. Dia desses estava conversando com uma veterinária holística e ela estava comentando o quanto a quimioterapia pode ser fatal, preferindo tratar tumores com homeopatia/alimentação/fitoterapia. Claro que cada caso é um caso, mas a quimio para cães ainda está muito primitiva…

        Beijão!

    4. Andreia disse:

      18 de outubro de 2012 às 16:59

      Oi Ana,

      Excelente post! {como sempre}.
      Mas como você disse, precisava cientista pra dizer isso!?…hehe
      Beijo,

      Deia

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados