• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Listas de veterinários

  • Receba os posts por e-mail:

    Seu cachorro te consola quando você chora?

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 31 de julho de 2012

    Achei este post da médica veterinária Karen Becker super legal e resolvi traduzir para nós! Boa leitura e deixe seu comentário, tenho certeza de que todos nós temos experiências de cães – ou gatos – nos consolando em momentos de tristeza! Boa leitura.

    Texto: Karen Becker. Tradução e adaptação: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução parcial ou total é expressamente proibida.

    Se seu cachorro parece estar preocupado quando você chora, existe a possibilidade de você não estar imaginando coisas. Novas pesquisas indicam que cães na verdade respondem de maneira específica ao choro de pessoas.

    Pesquisadores da Universidade de Londres descobriram que cães são mais aptos a se aproximar de uma pessoa chorando do que de uma pessoa falando ou murmurando. E mais interessante ainda é o fato de que os cachorros pesquisados demonstraram comportamentos submissos com pessoas chorando.

    Os pesquisadores usaram pessoas murmurando por que é um comportamento relativamente único para o qual os cães provavelmente não tivessem sido expostos ainda. Seria, então, algo curioso o suficiente para despertar sua atenção. De acordo com Deborah Custance, pesquisadora e psicóloga, “o fato dos cães diferenciarem choro de murmúrio indica que sua resposta ao choro não era puramente movida por curiosidade. Ao invés disso, o choro demonstrou um significado emocional maior para os cachorros e provocou uma resposta por parte de todos muito mais forte do que o murmúrio ou fala.”

    Seu cão pode estar tentando consolar você!

    Custance e Jennifer Mayer, pesquisadoras da Universidade de Londres, recrutaram 18 cães e seus tutores para a experiência. Os cães eram Labradores, Golden Retrievers, alguns outros, de outras raças populares ou mestiços.

    Os experientos foram conduzidos na sala de estar das casas dos próprios cachorros. A pesquisadora Mayer visitava cada casa e ignorava o cachorro de maneira a ele rapidamente perder o interesse nela. Depois, então, ela começava a interagir com o tutor do cachorro, com as duas pessoas conversando, fingindo chorar ou murmurando, uma de cada vez.

    Dos 18 cães participantes, 15 deles se aproximaram de seus tutores ou da pesquisadora enquanto os humanos estavam fingindo chorar. Apenas 6 cães se aproximaram enquanto elas murmuravam. Os resultados sugerem que foi a emoção do choro, não curiosidade, que fez com que os cães respondessem ao comportamento das pessoas.

    O mais fascinante é que os cães sempre se aproximaram da pessoa que estava chorando, não da que estava quieta. Isto parece sugerir que os cães estavam tentando confortá-la e não apenas procurando o barulho“

    "Os cães se aproximaram de quem estava chorando não importando quem era a pessoa, se a pesquisadora ou seu tutor. Desta maneira, eles estavam respondendo à emoção da pessoa, não a seus próprios interesses (o que os faria ir para perto do tutor), o que sugere um comportamento movido por empatia e oferta de consolo”, concluiu Mayer.

    Seu cão está demonstrando empatia?

    13 dos 15 cachorros que se aproximaram da pessoa chorando demonstraram comportamento submisso através da linguagem corporal, botando suas caudas para dentro ou abaixando suas cabeças. Os outros 2 cães mostram-se alertas ou dispostos a brincar.

    Submissão é um outro comportamento consistente com a empatia. Entretanto, o time de pesquisadores da Universidade de Londres teve o cuidado em reforçar que o estudo não oferece respostas definitivas para a questão de que cães possam realmente sentir empatia ou não. Ao mesmo tempo, eles acham que o experimento facilita o surgimento de mais estudos sobre a vida emocional dos cachorros.

    Vejam que amor o cachorrinho dando o biscoito para o bebê chorão!

    Categoria: Inteligência canina
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    13 Comentários:

    1. Pâmela disse:

      22 de agosto de 2013 às 17:53

      Eu tenho 11 anos e AMO cachorros. Quero cuidar, amar, proteger, dar um lar a todos que vejo na rua mas AINDA não posso e por enquanto não estou com nenhum cachorro.
      Dia 29/07 morreu meu Boby, lindo, só tinha 6 meses, era vira-lata e o primeiro cãozinho que eu me apeguei tanto, acho que foi Paravirose.
      Dia 15/08 se foi pra junto dele o seu pai Shawlin, envenenado por alguém sem sentimentos, sem coração, esse tinha uns 10 ou 11 anos, deve ter chegado aqui mais ou menos com uns 5, esse era o mais calminho, acho que pela idade, incrivelmente sempre que eu chorava eu ía procurar eles, o Shaw ficava quietinho, esperando a sessão cafuné acabar, acho que como se dissesse ‘vc não tá encomodando’ daí saía de fininho, o Boby era um muleque, sapeca, brincalhão, pulava, fazia festa foi injusto ele ter ído tão cedo, mas eu vou os amar pra sempre!

    2. disse:

      2 de agosto de 2012 às 01:42

      Tenho um labrador de 4 anos de idade. Há uns 2 anos, acredito, passei pela fase mais complicada de uma doença com a qual convivo ja há uns três anos, apesar de agora não estar curada ainda, mas em estado de manutenção. Sofro de depressão e tentei me matar duas vezes, o meu cão viu as duas vezes que aconteceram. Durante uma crise de depressão, eu corri pra me esconder e chorar, para que ninguém em casa percebesse, qdo escutei o meu cão se aporximando do outro lado da porta e chorando junto comigo. Não sei explicar o que senti…pelo primeira vez eu sentia que , apesar de toda a ajuda da familia e amigos próximos, alguem entendia o que eu estava passando, que sofria junto comigo. O meu cao dorme no meu quarto…ele fica rodando entre a cama dela, a minha cama, de baixo da cama…mas sempre entres esses lugares. Das vezes que eu tentei me matar eu estava acordada, de amdrugada e so ele como companhia, já que todos estavam dormindo…eu via os olhos dele…nao sei explicar o que era aquilo, mas a impressão que eu tinha e que ee sabia o que eu estava fazendo…depois disso ele passou a dormir na porta do quarto…pois sempre que eu levantava pra sair, eu teria que mexer nele e ele acordaria…ele passou várias semanas dormindo nesse lugar especial, hoje não mais. Além do mais, ele que me segue pra todos os luagares, simplesmente se afastou de mim durante uma semana após a minha segunda tentativa…eu o chamava ou tentava fazer carinho nele e ele me ignorava, coisas que ele jamais fez antes ou depois…com se tivesse magoado comigo. Basicamente ele salvou a minha vida…depois dessas duas vezes eu pensei em tentar novamente, mas foi a presença dele que me impediu…pois sempre me disseram que se ele ficasse long de mim ele morreria…e foi só desconfiar disso que, nos meus momentos mais terriveis de crise, evitou que eu tentasse mais uma vez. Hoje estou infinitamente melhor e em grade parte, por cuasa dele. Jamais terei como agradecer tudo o que ele fez por mim, o amor, a presença constante e certa.

    3. Dani Dorico disse:

      2 de agosto de 2012 às 00:00

      Mas muito! Annie sempre me consola. Ja teve vezes de ela estar dormindo no quarto e vir correndo para onde eu estava no minuto que me ouviu começar a chorar para enxugar as minhas lagrimas. Tem situações em que ela fica me encarando, esperando ver minha reação. Se começo a chorar ela pula em cima de mim para enxugar as lagrimas. E só para a hora que eu paro de chorar.

    4. Cristiane disse:

      1 de agosto de 2012 às 14:28

      Oi mamães e papais, nossa até enchi os olhos de lágrima lendo a matéria, os depoimentos e lembrando da minha filha. Sempre tive filhos peludos e sempre amei demais todos… mas a minha atual filhinha Clarinha eu amo tanto que parece que nem cabe em mim…
      Ela também fica do meu lado quando estou triste, me lambe e fica passando a cabeça na minha mão pra me adular, ahh e ela inventa que me dá colo, deita com a barriga pra cima abre os bracinhos e fica esperando eu deitar na barriga dela, quando deito ela passa a mãozinha no meu rosto bem leve e as vezes lambe. Sempre que fico triste ela me dá colo, aliás todo dia quando chego do trabalho é a primeira coisa que ela faz é me dar colo.

      Outra coisa que ela faz é quando estou passando mal, ela fica colada em mim e não deixa ninguém se aproximar. Tenho terríveis crises de enxaqueca e ela já conhece no meu semblante quando estou mal, ela já começa a tentar afastar todo mundo de mim vai pro quarto comigo, deita coladinha em mim e aí de quem entrar no meu quarto ou fizer barulho ela fica enlouquecida….

      Nossa é tanta coisa linda, tanta demonstração de amor que só mãe e pais sabem como é….

    5. Solange disse:

      1 de agosto de 2012 às 10:06

      Olá Ana!
      Fui mãe de uma gatinha dengosa que conviveu comigo por 12 anos,cada vez que eu estava triste e chorando ela lambia as minha lágrimas e não descia do meu colo até eu parar de chorar, quando ela se foi para o andar de cima a minha tristeza foi imensa e chorei muito a minha cachorrinha pinscher que só tinha 2 meses que a dotei ela veio ao meu colo e lambia as minhas lágrimas parecendo que estava falando comigo com o olhar mamãe você não está sozinha eu estou aqui.
      Ana se não fosse essa cachorrinha teria entrando numa depressão, graças a ela que fui me conformando aos poucos.
      Você está de parabéns pelo site!

      Sol

    6. Jaeder Oliveira disse:

      31 de julho de 2012 às 19:44

      Boa noite,
      Deixarei meu testemunho; Desde que o adotei, ha 12 anos venho acompanhando o comportamento do meu Yorkie mix. Um dos mais interessantes e que qdo choro( Homem tambem chora!), ele lambe minhas lagrimas e se correm rapido ele acelera ainda mais para seca las! Se nao ha lagrimas, nao havera tristeza, imagino que e o que pensa! Aprendo muito com meu Ceejae, nao gosto de pensar que a idade dele esta avancando, e’ o meu suporte emocional!

    7. Patricia Fernanda disse:

      31 de julho de 2012 às 19:09

      É lindo e super informativo teu site, amei!
      Sou mãe de dois cães. Os dois são srd e foram adotados numa Ong. O Chico não está nem aí pra nada e nem pra mim, o que importa pra ele é brincar e fazer arte. Mas o Guri… É filho, amigo, carinhoso e sinto muito o ‘amor’ dele por mim. Realmente acredito que alguns cães demonstram carinho e atenção por seus ‘donos’.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        31 de julho de 2012 às 22:34

        Obrigada, querida. Você os adotou adultos? Se sim, mande os relatos de adoção e fotos pra eu botar na seção Finais Felizes. Beijim.

    8. Adriana disse:

      31 de julho de 2012 às 16:33

      Olá!!! ja aconteceu comigo.. Tenho 4 cães,2 machos e duas fêmeas. Minha cadela Luna havia dado à luz à 8 cãezinhos,eu cuidei deles até encontrar bons donos (e graças à Deus consegui!) Só q num certo dia, houve uma tragédia aqui em casa… meu marido foi dar a ré no carro, e atropelou um deles,o Toniho, q ja tinha dono… foi fatal, infelizmente!!!! Nossa, eu quase morri de tanta tristeza, chorei muito, e meu marido tb ficou muito chateado, pq jamais ele faria algo assim de propósito, é q o Toninho, saiu de traz de uma planta, e foi direto pra traz do carro!!! então eu me agachei e comecei a chorar, e nesse exato momento, meu cãozinho Bob(SRD) veio até mim, e se colocou entre minhas pernas e começou a lamber meu rosto, secando minhas lágrimas, e me olhava fixamente com carinha de preocupação!!!! aí q eu chorei mais ainda, de emoção, pois ele sabia q eu estava triste e sofrendo!!!!! eu os amo incondicionalmente, não imagino mais minha vida sem eles junto à mim!!!!!!!!

    9. Carla Regina disse:

      31 de julho de 2012 às 15:47

      Oi Ana!
      Nó menina,tenho as mais incríveis experiências quando choro perto dos meus peludos,sou mãe de 5 poodles e um mix de poodle com cocker,e cada um reage de um jeito totalmente diferente do outro. A mais velha treme todinha,e se comporta como tivesse feito alguma coisa errada, se achando culpada do meu choro,da minha tristeza. Um dos machos começa a pular em cima de mim e me lamber,os outros dois começam a latir e fazer gracinhas,e a outra fêmea,que é a mais apegada comigo,na hora do choro,ela me despreza totalmente,vê se pode! Já o mix, pula e faz a maior festa 🙂
      Na verdade,o que realmente importa pra mim, é eles estarem junto comigo,são a minha vida,e a maneira com que cada um reage me faz esquecer a tristeza,e acabo trocando o choro pelas risadas,aí rolamos juntos pelo chão e fazemos a maior farra 🙂
      Beijokas!

    10. Maria Inês Camargo disse:

      31 de julho de 2012 às 14:44

      Tenho dois cães: Jodie Foster, 10 anos, SRD e o Nicolau, 3 anos, SRD também. Digamos que estou passando por uma fase onde meus dias alternam em dias tranquilos e alegres e dias meio tristes. No último domingo consegui colocar pra fora uma angústia que sentia e chorei, chorei mesmo. Meus dois “filhos” caninos ficaram do meu lado. Jodie ficou em pá, apoiada na minha perna me olhando com um olhar que dizia: “não chora, tudo vai ficar bem”. Nicolau deitou com a cabeça na minha perna e chorou, e me olhava também com um olhar de amor e carinho. Não é a primeira vez, sempre que eles sentem que estou triste eles não saem do meu lado de jeito nenhum. Ultimamente são somente eles que se preocupam e me entendem… Agora vou ser avó, eles terão mais alguém para “cuidar”. Me sinto cuidada pelos meus filhos caninos. Os cães amam da forma mais literal do amor. E eu amo meus dois filhos. Claro, amo a minha filha, Beatriz, que em fevereiro vai trazer ao mundo um alguém para eu amar também.

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados