• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Série Filhotes: Escolhendo o filhote ideal

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 5 de junho de 2012

    Toda hora recebo e-mail sobre alguém que não está adaptado ao filhote de cachorro que escolheu. Eventualmente, o cãozinho foi um presente e a pessoa no fim das contas nem teve como optar por este ou aquele animal. Resultado? Estresse, insatisfação e sofrimento, sempre em maior quantidade para o cão, que termina não recebendo o que necessita, seja em termos de atenção, espaço ou exercício físico. Para evitar este problema, segue mais um post da Série Filhotes. Para conferir o índice com todos os textos da Série, clique aqui.

    Ao ler este post e responder o questionário com sinceridade você estará mais perto de fazer uma escolha que possibilitará um futuro com qualidade de vida junto do seu cão. Infelizmente, ainda são minoria as pessoas que têm 100% comprometimento com a vida de seus animais de estimação. Lembre-se de que o cachorro de pelúcia ainda é a melhor opção para quem não considera seu peludo como alguém da família que nunca ficará para trás. Seja honesto ao decidir e prefira cuidar dos cães de amigos ou de abrigos e protetores caso sua vida não possa unir-se a de um cachorro (ou gato!) com toda responsabilidade que isto exige até o fim dos dias do animal.

    O abandono e os maus-tratos que incontáveis animais sofrem não passam de falta de responsabilidade na decisão de ter um peludo. Manter cães esquecidos em quintais e sacadas também é uma forma de maus-tratos. Mandar sacrificar por qualquer desculpa, inclusive por que o cão ficou idoso, é outra. E todas são muito comuns, temos exemplos diários delas. Pense nisso! E para ajudar ainda mais, consulte a seção Guia de Raças do Mãe de Cachorro para conhecer a personalidade das raças disponíveis para adoção no Brasil. O Guia está em permanente construção e sempre tem raças novas.

    Protetoras: as séries Filhotes e Guia de Raças podem ser uma ótima ajuda nas adoções de cães, pois farão com que as chances de devolução dos mesmos sejam menores, já que uma pessoa bem informada fará melhores escolhas. Estudem as duas séries e repassem para os candidatos à adoção!

    Pessoas todas: CONSIDEREM com carinho a adoção de animais adultos, idosos ou adultos jovens! Eles dão MUITO menos trabalho, já não crescem mais, geralmente já não roem mais nada, aprendem facilmente e são muito devotados. Para conferir vários casos de adoção de adultos de sucesso conheça a série Finais Felizes!

    Importante: estes textos são traduzidos do livro Puppies for Dummies, transformado aqui no blog na Série Filhotes, mas tanto eu quanto a Fúlvia (minha amiga que ajuda com as traduções) recomendamos firmemente que qualquer pessoa desejando um melhor convívio com seu cão leia diversos materiais sobre técnicas de educação e psicologia canina, principalmente sobre métodos positivistas, que não utilizam castigos/punições.

    Texto: Sarah Hodgson – Puppies for Dummies – 2nd Edition
    Tradução e adaptação:
    Fúlvia AndradeTodos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.

    O que abordaremos nesta parte da Série Filhotes é como escolher aquele cãozinho bebê que será ideal para seu estilo de vida tanto enquanto filhote, quanto depois de adulto. Será o mais agitado ou o mais calmo? O mais reservado ou o mais sociável com estranhos? Pequeno, médio ou grande? Aquele que precisa de muito exercício (físico e mental) ou um mais preguiçoso?

    Veremos também que mesmo filhotes mestiços podem ter características comportamentais das raças que formam sua mestiçagem, fazendo com que ele seja parecido com elas não apenas física, mas comportamentalmente. Por exemplo: um mestiço de border collie será um cão mais agitado, que precisa de um dono mais experiente e que dedique muito de seu tempo educando-o e exercitando-o mais do que se fosse um cãozinho mestiço de shih-tzu. Mesmo com cães sem raça definida (SRD) é possível ter noção do comportamento a partir da observação dos filhotes. 

    Lembre-se: pegar um filhote não pode ser algo impulsivo. Você se tornará responsável pela educação dele, pelos cuidados, pelos exercícios, pelo resto da vida DELE. E um cão pode viver 15 anos ou mais. Pense bem antes de adotar um!

    Mas, antes de pesquisar a descrição das raças que você acha lindas, veja como é o seu estilo de vida (e seja honesto!). Mesmo que você tenha um estilo de vida ativo ou goste de um cão de porte gigante, adotar um filhote é um compromisso importante. Pense primeiro em como você é, depois combine esta informação com a descrição da raça/mestiçagem/comportamento que mais se adeque a você.

    Como interpretar as respostas do questionário abaixo?

    Veja que, baseado nas respostas que você assinalar, terá alguma ideia do tipo de cão que se adequa ao seu estilo de vida. Tenha em mente também como seria seu cão ideal. Pequeno, médio ou grande? Nível de energia alto ou que se contentaria em dar apenas alguns passeios diários?

    O questionário

    Aparência

    1. Qual o tamanho do cão?

    • Gigante
    • Grande e pesado
    • Grande e ágil
    • Médio e pesado
    • Médio e ágil
    • Pequeno e pesado
    • Pequeno e ágil
    • Muito pequeno

    2. Pelagem

    • Pelo curto
    • Pelo longo
    • Pelagem “emplumada”
    • Não solte pelo
    • Pelo duro (precisa de cuidados profissionais)
    • Pelo duro (precisa de cuidados em casa)
    • Encaracolado

    3. Prefiro um cão com as orelhas…

    • Caídas
    • Com a pontinha dobrada
    • Eretas

    4. Gosto da cauda…

    • Enrolada
    • Com uma ligeira curva
    • Naturalmente curta
    • Reta

    5. Com relação ao rosto, você gosta de…

    • Focinho longo
    • Focinho quadrado
    • Focinho retangular
    • Focinho achatado (cães assim precisam de cuidados específicos, leia aqui)

    Comportamento no dia-a-dia

    6. Qual a personalidade que mais te atrai?

    • Interativo
    • Dependente
    • Independente

    7. Quanto de atenção você pode (ou quer) dar ao cão?

    • Constante
    • Ocasional
    • Pouca

    8. Quanto de exercício você proporcionará ao cão?

    • Bastante exercício vigoroso
    • Algum, incluindo saídas diárias
    • Alguns passeios semanais
    • Brincar com outros cães
    • Deixar solto no quintal
    • Pouco exercício

    9. Você quer que seu cão participe da sua vida sempre que possível?

    • Sim
    • Não

    10. O cão dormirá no quarto ou perto dele?

    • Sim
    • Não

    11. Você quer que o cão durma na cama?

    • Sim
    • Não

    12. Você planeja delimitar a área de circulação do cão em casa?

    • Sim
    • Não

    13. Como você quer que seu cão reaja às visitas?

    • Receptivo
    • Aceite-as
    • Ficar em guarda

    14. Em relação às crianças, você quer um cão que:

    • Seja confiável
    • Brincalhão
    • Aceite-as, mas mantendo-se distante

    15. Quanto você quer que seu cão lata?

    • Nada ou pouco
    • Quando ouvir um barulho
    • Alto e de modo protetor quando ouvir um barulho

    16. Em relação à educação, quanto tempo você dedicará?

    • Muito e será um hobby para mim
    • O necessário, não mais nem menos
    • Muito pouco e quero um cão que não precise muito disso

    17. Quanto tempo você dedicará aos cuidados com a pelagem?

    • Todo dia
    • Duas vezes na semana
    • Ocasional
    • Nenhum

    18. Quais os passatempos favoritos você costuma ter (pode ser mais de um)? Como o cão se encaixará nesta rotina?

    • Corrida
    • Caminhada
    • Passeio
    • Jardinagem
    • Atividades aquáticas
    • Atividades ao ar livre
    • Eventos esportivos
    • Assistir TV
    • Jogar computador
    • Ler
    • Fazer tricô
    • Ficar sentado na cafeteria
    • Cozinhar Cuidar de idosos (TAA)
    • Trabalho voluntário
    • Visitar os amigos

    19.Você tem outros animais em casa?

    • Cães
    • Cavalos
    • Gatos
    • Roedores
    • Anfíbios
    • Aves

    20. Alguma outra consideração? Assinale ou escreva se houver outras.

    • Arrumações especiais na casa
    • Gravidez
    • Outros

    E quanto a você?

    21. Já teve um cão antes?

    • Sim
    • Não

    22. Já educou um cão antes?

    • Sim
    • Não

    23. Teve sucesso educando-o?

    • Sim
    • Não

    24. Qual o tamanho da sua casa?

    • Pequena
    • Média
    • Grande

    25. Tem quintal?

    • Sim
    • Não

    Ele é cercado/fechado?

    • Sim
    • Não

    26. O quão comprometido você é em reorganizar sua vida com relação às necessidades de um filhote?

    • Bastante
    • Um pouco
    • Não quero reorganizar nada

    27. Qual adjetivo melhor descreve sua personalidade e estilo?

    • Organizado/planejado
    • Descontraído
    • Caótico

    27. Quando perto de uma criança você se sente:

    • Inquieto
    • Desconfortável
    • Relaxado
    • No controle

    28. O pensamento de estar em um grupo de crianças para você é:

    • Assustador
    • Desagradável
    • Tolerável
    • Divertido

    29. Quando sua casa está bagunçada você se sente:

    • Fora de controle
    • Estressado
    • Quer limpar
    • Não liga

    30. Quando no controle de alguma tarefa ou jogo você é:

    • Rígido
    • Estruturado
    • Democrático
    • Pacificador

    Questões de 1 a 5

    A aparência não deve ser o carro chefe na seleção de um cão, mas é importante, pois envolve gastos financeiros. Estas perguntas ajudam na decisão.

    Você verá que os custos estão associados aos cuidados e manutenção de muitas raças. Por exemplo: cães de pelo longo, duro ou encaracolado precisam de cuidados regulares feitos por profissionais, o que custa dinheiro, e precisam ser feitos a cada 3 a 6 semanas. Cães de focinho achatado são mais propensos a problemas respiratórios, que podem precisar de cuidados médicos. Complicações no desenvolvimento, como displasia coxo-femoral, problemas crônicos de pele e ouvidos, problemas de coração e má-formações na pálpebra também são vistas em algumas raças. Todos estes cuidados e manutenção custam dinheiro – você está preparado para gastar com isso?

    Questões 6 a 20

    Chegamos na parte principal! Estas questões tratam de compromisso a longo prazo. Claro, escolher um cão ativo o encorajará a correr e se exercitar mais, mas se isto for apenas algo passageiro (ou seja, logo você encarará isso como obrigação, e não prazer), você continuará proporcionando a atividade que o cão precisa?

    Questões 6 e 7: Estas perguntas mostram a essência da personalidade do cão. Algumas raças são animadas e independentes. Outras prestam bastante atenção nos donos e parecem não saber tomar uma decisão sem saber a opinião dos mesmos. E existem também aquelas que ficam no meio-termo, que lhe seguem pela casa, mas não destroem tudo se você sai para trabalhar. O que lhe agrada: um cão que precisa desesperadamente de você ou um cão que não liga se ficar um tempo sozinho?

    Questão 8: A quantidade de exercício que você é capaz de proporcionar ao cão é um fator decisivo na escolha dele. Se você for honesto, esta questão lhe ajudará a descobrir qual nível de energia é compatível com você. Mesmo que uma raça ativa pareça um sonho, se você não lhe exercitar adequedamente pelos próximos dez a quinze anos, risque-a da lista. Um Golden Retriever é um ótimo cão de família, mas precisa de muita atenção e exercício – mantê-lo preso/confinado ou isolado pode fazer com que ele destrua a casa ou se torne carente e impulsivo. Com certeza estes comportamentos serão frustrantes para você e sua família.

    Questões 9 a 11: O quão envolvido em sua vida o cão será? Se socializá-lo é prioridade para você, escolha uma raça que goste de gente (retrievers e pastores, por exemplo). Mesmo que todos os cães gostem de ficar perto de você toda hora, algumas raças foram desenvolvidas para trabalhar independentemente do homem (como os Huskies Siberianos, Terriers e cães de guarda) e são mais bem adaptados a ficar sozinhos parte do dia.

    Questões 12 a 14: Estas perguntas detalham o motivo por você querer um cão. A imagem de um cão protetor lhe agrada? Quer que o cão lhe alerte para barulhos estranhos ou quer um companheiro que curta a vida lá fora? Se prefere um companheiro de brincadeiras para as crianças, os retrievers ou spaniels podem ser a escolha ideal.

    Questões 15 a 16: Estas perguntas vão fundo no “problema” tempo-compromisso. Ensinar um cão a latir para as coisas “certas” é algo a ser feito para todas as raças no primeiro ano de vida. A quantidade de tempo que você precisa se comprometer é determinada tanto pela raça quanto pela personalidade de cada filhote. Filhotes fortes, independentes e dominantes, como boxers ou bull terriers, precisam de mais estrutura e disciplina do que filhotes mais passivos, dependentes e amigáveis.

    Questão 17: Cuidados com a pelagem é uma fator a levar em consideração. Todos os cães precisam ser escovados, mas os de pelagem longa, dura, encaracolada ou emplumada (como os Golden Retrievers, Pastores ou Shih Tzus) precisam de mais comprometimento (escovação diária) e cuidados profissionais periódicos, o que custa dinheiro.

    Questão 18: Passar um tempo com o filhote é um jeito saudável de estabelecer uma bela amizade. Leve em conta qual o seu passatempo favorito e escolha uma raça/mestiçagem/comportamento de cão que goste do mesmo. Por exemplo, se você gosta de frisbee, você pode querer um cão que adore brincar com eles ou um que não ligue para eles (para você poder brincar somente com outros humanos sem interferência do peludo!).

    Questão 19: Levar um filhote para sua casa se ela já tem outros animais pode ser difícil. Se você tem coelhos, por exemplo, evite raças que foram criadas para matá-los (como os Terriers). Se você tem outro cão, escolha uma raça/mestiçagem/comportamento  que se adeque à característica e personalidade dele.

    Questão 20: Se você tem outras considerações, escreva-as e pense nelas no futuro. Por exemplo, digamos que você planeja ter filhos nos próximos anos. Isso significa que você quer um cão de guarda ou um cão alegre que recepcione com alegria seu filho na porta? Sua casa é própria ou alugada? É possível que nos próximos anos você vá morar em um apartamento? Você viaja muito? Você tem amigos e família que ajudarão a cuidar do animal em suas ausências? Existe a possibilidade de você mudar de cidade/Estado/País nos próximos anos?

    Questões 21 a 30

    Estas perguntas mostram como é você e o seu estilo de vida. Adotar um filhote é como se apaixonar: a linha entre compromisso e suas necessidades nem sempre são claras. Agora você pode até falar que irá cuidar da pelagem do seu Shih Tzu ou viralatinha peludo todos os dias, mas o que aconteceria se você esquecesse de escová-lo um dia e percebesse a maçaroca de nós que se formou? Você pode pagar um banho e tosa? Você realmente se compromete com essa tarefa diária? Você também precisa considerar como lida com o estresse. Os filhotes podem ser impulsivos e dispersos. Você precisará de remédios para passar por essa fase ou irá curti-la? Se você é maníaco por limpeza, escolha um cão com perfil mais dependente e comportada por natureza: as chances dele respeitar seus desejos serão maiores ou considere seriamente a adoção de um cão adulto, com comportamento já bem definido!

    Categoria: Série Filhotes
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    4 Comentários:

    1. Cristina disse:

      21 de agosto de 2013 às 10:10

      Parabéns pelo excelente trabalho neste site. Serei mãe de primeira viagem de um cãozinho e preciso aprender bastante. Após estudar há já algum tempo sobre o temperamento de alguns cães para apartamento, vi que minha rotina e meu jeito de ser se afinam mais com o temperamento do Lhasa Apso. Tenho lido em sites especializados que ele se adapta bem à solidão (trabalho o dia todo), não faz questão de atividades físicas constantes, é higiênico, late pouco e apegado ao dono. Confere?? Alguém aqui cria um Lhasa? Agradeço se puderem me dar algum retorno. Abraços!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        21 de agosto de 2013 às 11:47

        Querida Cristina,
        não queres considerar um gato?
        Cães até ficam o dia inteiro sozinhos, mas não é o melhor pra eles, sabe? Para este perfil, sugiro que adotes um cão já adulto e bem calmo, um que a protetora já vai poder garantir que gosta muito de sossego. Posso te ajudar a pensar, a escolher, mas considere que o bichinho vai ficar horas e horas sozinho e que nos fins de semana e de noite muitas vezes vc terá compromissos. Sei que temos o desejo e a boa vontade etc., mas a vida real é outra coisa. Falo por experiência própria, tenho um casal, moramos em casa onde eles podem correr atrás de passarinho, roer ossos etc., mas mesmo assim muitas vezes ainda os deixo na casa do meu pai justamente pra terem mais distração e companhia.
        Se adotares um adulto calma, não importará a raça e daí você pode escolher também por outros fatores (pelo longo, pelo curto etc.).
        Te ajudo, tá? Pode voltar aqui e vamos conversando. Beijo!

    2. Mey Pedroso disse:

      6 de junho de 2012 às 18:18

      Oi! Parabéns pelo seu excelente blog! Tenho 07 cães e também sou uma apaixonada por nossos amigos. Tenho um vídeo com umas 50 montagens de meu labrador retriever chamado Foos, no Youtube (http://www.youtube.com/watch?v=Z2XBtdcJF1c). Dê uma olhada. Posso mandar a imagem de qualquer montagem se vc/ quiser publicar em seu blog. Seria legal para alegrar seus leitores. Obrigada!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados