• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Quando a saudade é demais…

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 18 de maio de 2012

    Neste último mês minha querida amiga Mariana Siebert perdeu dois de seus filhos peludos, o Jet, nosso conhecido de alguns posts aqui no blog, e o Gato. E ontem ela postou no Facebook um trecho desse meu post de 4 de maio de 2010, de uma saudade tão grande que ainda hoje está simplesmente igual há dois anos, quando foi expressa em palavras. Fico feliz pelo texto ter sido relembrado pela Mari, então o reposto, pois ele pode trazer um segundinho de consolo a outras mães e suas saudades…

    “Parcele a saudade. Ela é insuportável quando deixamos para lembrar tudo num só dia.” Fabrício Carpinejar
    Hoje li e repassei a frase acima e embora pudesse ser mais um repasse de algo que eu havia achado legal ou interesse e que desejasse compartilhar com meus leitores, algo havia mudado.
    Passei o dia repensando este sentimento que simplesmente desde muito cedo em minha vida se faz tão presente. Pequenas coisas aconteceram ao longo dos últimos dias, a descoberta do belo trabalho Vira-Latas e toda a memória do Tóto que me acometeu, a proximidade do dia das mães, a frase do Carpinejar no meu Twitter hoje etc. E de repente me dou conta de que conheci o que é sentir saudade quando meus pais se separaram e minha mãe voltou pra Floripa me trazendo junto e tudo que eu mais queria era saber se o meu amado Tóto estava bem e meus dias eram cheios de lembranças do meu melhor amigo, do meu irmão de patas. E então minha mãe cruzou a ponte do arco-íris, se é que os humanos têm esta honra, e voltei a morar com meu Tóto tão amado e de lá para cá minha vida tem sido um sem fim de saudades enquanto assisto pessoas e animais que amei, e que ainda amo, fazendo A Travessia.
    E dói. E não sou daquelas pessoas que se agarram na dor e que sentem prazer em ser vítimas do mundo e das circunstâncias, mas por mais forte que se seja, por mais que se tente racionalizar tudo, erguer a cabeça e seguir adiante, há dias em que simplesmente só a saudade faz sentido. Eu sinto saudade do que foi. E também do que nunca conheci e do que poderia ter sido. Eu sinto saudade do meu Tóto, da minha Moira, do meu Sushi e de todos os outros que cruzaram meu caminhar e que ficaram comigo por um tempo tão pequeno, mas tão intenso que ao mesmo tempo em que sou grata, imensamente grata, por tê-los conhecido, não consigo deixar de lamentar e pensar: Por que tão pouco tempo juntos? Por quê? E e eu tenho um coração de mãe que sangra. E outro de filha. E mais um de amiga. E todos eles juntos às vezes ficam tão pequenos que mal fariam um inteiro…
    Por mais que eu tenha parcelado minha saudade, por mais que há anos eu a venha administrando em doses homeopáticas quando possível, há dias e momentos, como hoje e agora, em que simplesmente não dá. E eu a sinto inteira e tão grande…
    Categoria: Mãe de Cachorro, Ponte do arco-íris
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    13 Comentários:

    1. luciana barbosa disse:

      17 de fevereiro de 2014 às 00:29

      no dia 15 de fevereiro um vizinho muito mal matou o meu sanção botou veneno no meu portão e o meu sansão comeu .foi horrivel foi a maior crueldade que eu já vi em toda a minha vida estou sofrendo muito não sei qual o sentimemto que estou sentindo por esse cara se é nojo seé odio não sei .mais ele conseguiu tirar de mim e da minha familia o nosso amor o nosso lindo sansão .estamos sofrendo.ass.luciana

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        17 de fevereiro de 2014 às 12:33

        Luciana, façam boletim de ocorrência, pois envenenar animais é crime federal e ele pode até ser preso.

        • luciana barbosa disse:

          21 de fevereiro de 2014 às 11:03

          Hoje quando eu abrir o portão da mimha casa senti a falta do meu sansão chorei chorei como á pessoas crueís nesse mundo estou sofrendo …como eu queria meu branco de volta

    2. marco disse:

      15 de setembro de 2012 às 01:45

      Sah..li sua mensagem.. oque quer falar sobre o Neto?

    3. Sah disse:

      13 de setembro de 2012 às 14:28

      Eu queria que o Marco pudesse ter algum contato. Queria falar com ele sobre o Neto. Marco, se vc ler, por favor, me manda e-mail: sah-lady@hotmail.com

    4. marco disse:

      22 de junho de 2012 às 01:53

      Olá, estou aqui procurando conforto para minha dor…com 38 anos mais pareço uma criança aos prantos…soluçando…procurando resposta para a partida do meu querido NETO..um basset hound maravilhoso de 12 anos…morreu em meus braços, não sem antes latir e me chamar, como alguem que pede socorro…a saudade se mistura a culpa…culpa essa de não ter acreditado que ele morreria um dia e assim ter vividos todos os dias como se fosse o ultimo…estou inconsolável, não sei se acredito que ele está melhor, pois o melhor mesmo era estarmos juntos , eu com meus cuidados e ele retribuindo com carinho e confiança…pago aqui a primeira prestação da minha saudade…essa sim uma dívida eterna com meu amigo….obrigado NETO por você ter nos escolhido…Te amo

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        22 de junho de 2012 às 11:09

        Oi Marco,

        sinto MUITO pela tua dor, mas procure lembrar que teu cão viveu longos 12 anos (a maioria morre bem antes disso e a média no Brasil é de apenas TRÊS anos de vida, estatística só de cães com donos, não é nem puxada pra baixo pelos cães de rua!). Foque nos bons momentos e, se tens alguma culpa, procure compensá-la com teu próximo peludo.

    5. Ana Corina disse:

      1 de outubro de 2010 às 03:09

      Vanessa, Luciana, Milene e Fabiane,

      obrigadíssima pelo carinho e desculpe a demora em responder.

      Beijo!

    6. Anonymous disse:

      12 de setembro de 2010 às 22:56

      OLá Ana. Muito lindo o texto, na minha vida tb ja passaram varios aumigos,e a menos de um menos, perdi mais uma amiguinha, a Lisa, ela não estava doente e nem era idosa, simplismente foi envenenada. A minha tristeza e revolta foi tão grande, que esta sendo muito dificil pra mim, não acredito ainda que ela se foi de uma maneira tão brutal. Mas, como no video sobre a ponte do arco-iris, com certeza nós iremos nos encontrar um dia.
      Adorei o seu blog, continue fazendo este belo trabalho.
      Abraços
      Vanessa – Itaquaquecetuba – SP
      csi2007@ig.com.br

    7. Anonymous disse:

      4 de maio de 2010 às 17:05

      Ana, já tem tempo que eu quero te recomendar um livro, não sei se vc conhece ou ouviu falar.O autor é Marcel Benedeti, ele era um veterinário e espirita, as obras dele são lindas. Tem três livros em especial que são demais:"Todos os animais merecem o céu"; "Todos os animais são nossos irmãos" e "Errar é Humano… Perdoar é canino!". Muito bom, dá uma pesquisada na net, tenho certeza que vc vai gostar! Abraços! Luciana, Ituiutaba, MG. lucianapedrega@hotmail.com

    8. Milene disse:

      4 de maio de 2010 às 16:46

      Lindo post. Senti saudade até dos que ainda não foram hehe.
      Beijos!

    9. Anonymous disse:

      4 de maio de 2010 às 14:58

      É Ana…
      Tem momentos que ficamos assim, frágeis, sentimentais, e nesse momento parece que a saudade vem com toda força e nos arrasta para o tempo que essas pessoas e peludos estavam proximos fisicamente.
      Eles nunca estarão distantes na verdade, só ficaram fora do nosso alcance visual……Mas nunca longe do coração.
      Força amiga, procure só trazer as lembranças dos momentos bons, com isso transmitimos para eles que eles deixaram em nossos corações boas lembranças e bons sentimentos…
      Bjs
      da amiga Fabiane
      fabianefrancisco@bauru.sp.gov.br

    10. gilvas disse:

      4 de maio de 2010 às 10:30

      lendo teu texto eu penso em colocar pyramid song para rolar, e ficar muito triste mesmo com todos os que se foram: preta, tomba, filó, e estes são apenas os que me marcaram mais.

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados