• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Qual a maneira correta de alimentar seu bichano? Dicas de manejo dietético para gatos!

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 23 de Maio de 2012

    Este post faz parte da série

    Texto gentilmente escrito com exclusividade para o Mãe de Cachorro pela médica veterinária, editora do site Cachorro Verde, Sylvia Angélico.

    • EXCLUSIVO: Prefira comedouros e bebedouros de inox ou de vidro. Os de alumínio podem liberar esse metal na comida ao longo do tempo, o que é potencialmente prejudicial à saúde. E os de plástico estão associados à acne na face dos felinos.
    • Distribua pontos de água fresca (se possível, filtrada, para redução da ingestão de metais pesados), pela casa para estimular a ingestão hídrica. Bebedouros do tipo “fonte”, que circulam a água sem parar, costumam atrair os bichanos.
    • Se optar por oferecer ração seca, prefira pacotes menores aos maiores. Sim, a economia é considerável comprando sacos grandes, mas o abre-e-fecha constante causa oxidação das gorduras que foram borrifadas nos grânulos, os expõe à luz (o que degrada substâncias) e favorece a proliferação de bactérias e fungos.
    • Pior ainda é conservar a ração seca em recipientes transparentes, por conta da constante exposição à luz. Mantenha a ração na embalagem (elas são projetadas para conservar melhor o produto), bem lacradas, sem ar e usando vários prendedores de roupa para fechá-la.
    • Não deixe ração seca à vontade. Procure estabelecer horários, se for possível. Comer à vontade leva os gatos ao sobrepeso e contamina a ração com saliva, além de atrair formigas.
    • Não compre ração à granel, por todos os motivos citados acima (exposição contínua ao ar, à luz, às mãos das pessoas…).
    • Não alimente seu gato com ração para cães. Em geral, elas não apresentam o elevado teor protéico que o organismo felino requer, muitas não contêm taurina em quantidade suficiente e podem ser pobres em arginina, niacina, vitamina A, ácido araquidônico e ômegas-3 de origem animal.
    • Evite oferecer “porcarias” ao seu bichano, como pedaços de pão branco, de doces, bolos, borda de pizza, bolacha. Isso só tornará a preferência gustativa dele mais seletiva, o predisporá a males dentários, além de obesidade e outros problemas metabólicos.
    • Petiscos industrializados também merecem ser analisados. Evite produtos com corantes, com os conservadores citados no post “Como escolher a melhor ração para o meu gato? – Parte 1”, com ingredientes majoritariamente vegetais e muito calóricos. Na verdade, o ideal seria não oferecer petiscos comerciais, uma vez que são dispensáveis econtribuem pouco nutricionalmente, quando não fazem mal.

    Mais observações pertinentes:

    • Há pessoas que se queixam da consistência e odores das fezes dos gatos que passam a receber ração em lata. É verdade que nem todo gato se adapta a esse tipo de alimentação. Cada organismo é único. Portanto, além de todas essas dicas e orientações gerais, é importante pestar atenção à reação do seu gato à dieta. Qual tipo/marca de ração reduz mais a queda de pelos? Deixa-os mais brilhantes? Engorda mais? Deixa as fezes mais bem formadas? E o xixi menos concentrado? Os dentes mais limpos? E por aí vai. Vou citar o exemplo da “ovelha negra” de minha família, meu Persa, o Arthur, que é um comedor de ração (todos os demais bichos da casa comem Alimentação Natural caseira). Arthur comia ração de categoria Super Premium e estava bem, mas vivia com secreções escuras ao redor dos olhos. Com a introdução da Alimentação Natural caseira, essas manchas sumiram e pelagem ficou enorme e de coloração vibrante. Mas, cerca de 1 ano e meio depois, passou a rejeitar a dieta crua, o que me fez introduzir ração úmida de lata. Ele adorava e a saúde não declinou muito. Caíam mais pelos e a pelagem adquiriu um tom menos vibrante. Só. Depois de alguns meses, o bendito não queria mais saber da ração em lata. Aí não teve jeito, parti para uma ração Super Premium seca. De início, comia avidamente, agora já parece ter começado a enjoar. Mas ainda come. Está um pouco magro, seus olhos voltaram a lacrimejar bastante (a ponto de formar uma crosta marrom-escura), o pelo cai bastante, a pelagem reduziu de volume, os ouvidos vira e mexe apresentam um pouco de cerúmen e ele se tornou muito mais sensível à infestação de pulgas. Mas as fezes estão ótimas. Então, a experiência toda é muito pessoal…
    • Não podemos esquecer que o sucesso de um novo alimento está diretamente relacionado a uma adaptação bem gradativa. Do contrário, o aparelho gastrintestinal pode se revoltar e provocar vômitos, diarreia, gases etc.
    • Você tem um filhote de gato? Aproveite e ofereça a ele vários alimentos naturais! É nessa breve fase que os gatos adquirem hábitos alimentares que via de regra os acompanham por toda a sua longa vida. Depois de adultos, é muito mais difícil fazer com que aceitem alimentos diferentes, dietas caseiras – que podem ser benéficas para o controle de quadros de saúde. Ofereça carnes cruas, vísceras, peixes, vegetais crus ou cozidos pobres em amido picadinhos ou triturados, folhas verde-escuras bem picadinhas, lombo suíno, um pouquinho de levedo de cerveja em pó, um pouco de batata cozida com casca amassadinha, um pouco de arroz integral cozido bem molinho, iogurte natural, pescoço de frango cru moído ou cortado em rodelas, ovos crus e cozidos, pés e cabeças (sem bico) de frango crus (ossos de frango só são seguros quando crus) para ele roerocasionalmente – e assim limpar os próprios dentes. Se empolgue oferecendo junto à ração alimentos saudáveis e você terá um bichano que aceitará facilmente uma dieta caseira balanceada (aqui um exemplo da cruahttp://www.cachorroverde.com.br/an_guia_gatos.pdf e das cozidas: http://www.cachorroverde.com.br/gatocozida.php) ou, no mínimo, terá a lucrar com a adição de um pouco de alimentos naturais à sua ração seca ou úmida.
    • “E se eu quiser misturar ração seca e ração de lata”? Se seu gato estiver saudável (consulte o veterinário) e aceitar bem o mix, não vejo mal algum em princípio. Afinal, ambas são consideradas completas e balanceadas. Acredito até (minha opinião) que assim será mais saudável do que oferecer exclusivamente a ração seca. E poderá melhorar a consistência das fezes, caso seu gato faça cocô amolecido comendo só dieta úmida. Só não se esqueça de realizar uma transição beeeeem gradativa, para evitar revertérios.
    • Finalmente, fique de olho nas novidades que têm surgido no mercado de petfood brasileiro. Em breve, haverá porções de dieta cozida congelada para gatos e também rações secas destituídas de grãos, com formulação mais carnívora do que onívora.

    Texto gentilmente escrito com exclusividade para o Mãe de Cachorro pela médica veterinária, editora do site Cachorro Verde, Sylvia Angélico.

    Categoria: Alimentação, Gatos, Ração
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    7 Comentários:

    1. daniele disse:

      28 de Maio de 2012 às 11:29

      boa dia me chamo daniele
      tenho uma gatinha de 6 meses a (sofia )
      ela come a raçao da triquetes ,mas oq ela come mas e o chace da wiskas teria como coprtar isso dela …como faço pra que ela so come a raçao ,pq ela nao quer comer a raçao sozinha so botar sachier da wiskas junto

    2. waleska disse:

      6 de Maio de 2012 às 20:36

      o meu come purina só de peixe e frutos do mar pq ela ñ é tão colorida como whiskas e dou de manhã e á noite ração em lata ,para os 3 ñ cai pelo nem nada são muitos sadios de vez em quando ele come mamão e yorgut natural ele adora.

    3. Caroline disse:

      30 de novembro de 2011 às 08:21

      Olá Ana!
      Nossa, me identifiquei muito com a história da Isabella. Há pouco tempo resgatei quatro filhotes de gato e levei pra minha casa, tds com temperamento distinto…
      É muito gratificante conseguir a confiança desses anjinhos!
      Desculpe perguntar, mas qual a cidade da Isabella?
      Um abraço,
      Carol – Piracicaba/SP

    4. Luciana disse:

      27 de novembro de 2011 às 00:20

      Linda sua historia de amor pelos seus gatinhos, um dia conto a minha tbm! Alias minha Hanna e bem parecida fisicamente com a Cookie, até deitadinha pedindo carinho…rsrs adoro!!!! Beijus.

    5. Solange Rizzi disse:

      23 de novembro de 2011 às 16:35

      Adoraria fazer parte desta pagina belíssima!!!

    6. Sylvia Angélico disse:

      9 de novembro de 2011 às 15:40

      Ficou muito bacana, Ana!
      Valeu ;))

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados