• Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Dachshund, Teckel ou simplesmente Salsicha!

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 23 de agosto de 2011
    Como o Brasil está cada vez mais parecido sob alguns aspectos com as culturas norte-americana e europeia, temos visto surgir por aqui uma série de novidades que por aqueles lados são antigas, entre elas a crescente presença de diversas raças de cães e gatos que antes só apareciam por aqui em livros, jornais e revistas.
    Embora o cão “salsicha” seja velho conhecido dos brasileiros, as variedades da raça, com suas cores e pelagens diferentes, são novidade para a maioria de nós. São simplesmente nove “variedades” da raça, com três pelagens diferentes (curta, dura/arame e longa) tendo três tamanhos cada uma (mini/toy, anão e standard)! Na Alemanha, país de origem dos Dachshunds, e em outros países com tradição de criação séria, a reprodução entre as diferentes pelagens e os diferentes tamanhos é proibida! Ou seja, nada de cruzar Dachshund Anão de pelo curto com Dachshund Mini de pelo duro (arame), por exemplo. OU SEJA, ABRAM SEUS OLHOS caso alguém queira lhes vender INVENÇÕES. Já basta para este pobres cães o excesso de cruzamento para conseguir cores “novas”, o que tem provocado diversas doenças congênitas. Se ao ler a descrição do temperamento dos Dachshunds você desejar conviver com um, ADOTE! Há inúmeros precisando de um lar, um exemplo é a Vick, uma das estrelas do último post Finais Felizes, encontrada nas ruas!!
    –>Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.
    Raça de hoje: Dachshund, Teckel ou simplesmente Salsicha!
    Texto: Michele Welton- Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.
    Curioso, cheio de vida, charmoso e corajoso, o Dachshund é similar a um terrier com sua necessidade de participar de tudo. Este cãozinho adora brincar e tem um ótimo senso de humor. O Dachshund é um cão leal, muito apegado à família e que acredita firmemente que dormir entre as cobertas é um Direito Adquirido dos Dachshunds. =o)
    Os Dachshunds conquistam admiradores devotos, que nunca mais cogitarão conviver com outros cães. Na verdade, eles são muito vistos aos pares, o que é bem aceito por parte deles, já que parece que eles reconhecem e até preferem estar junto a outros “salsichas”. Eles geralmente convivem bem com outros animais de estimação, embora possam ser ciumentos quando querem atenção e possessivos com seus brinquedos. Você precisa ser firme e cortar tais comportamentos aos primeiros sinais de ciúmes ou possessividade para que não se transformem em hábitos. Embora o Dachshund seja um ótimo cão para viver dentro de casa ou em apartamentos, ele precisa de caminhadas diárias – sempre na guia, já que é um caçador por natureza – e de muita companhia. Solidão leva os Dachshunds a latir em excesso! Você também ouvirá seu latido distinto e persistente quando pessoas se aproximarem, porque Dachshunds são ótimos cães de alerta que não gostam de estranhos entrando em seus domínios. Novamente, você deve por um fim a comportamentos que façam do seu Dachshund um cão desconfiado ou até mesmo traiçoeiro.
    Embora inteligentes e espertos, Dachshunds gostam de fazer as coisas a sua maneira. Em outras palavras, eles são teimosos! Recompesas estimulantes e petiscos devem ser oferecidos, já que Dachshunds não respondem bem a treinamentos à força e eles ficarão irritados e podem rosnar e até atacar e morder se forem incomodados ou tratados com violência. Outros problemas comportamentais? Bem, os instintos de caça e de se enfiar em tocas para caçar podem levar a um jardim cheio de buracos. O treino de banheiro também pode ser um pouco lento, já que muitos Dachshunds não gostam de se expor em dias frios ou chuvosos (isso para cães que urinem/defequem na rua/quintal e não dentro de casa). Um “banheiro coberto” (para quem mora em casa) é altamente recomendado, se possível.

    Em geral, os Dachshunds menores (mini e anão) são mais ativos do que o standard. Comparando as três variedades de pelagem:

    • Os Dachshunds de pelo duro (também chamado de arame) tendem a ser os mais enérgicos, os mais travessos e os mais obstinados (um traço provavelmente herdado de sua forte ascendência terrier);
    • Os Dachshunds de pelo longo tendem a ser os mais calmos e mais doces (um traço provavelmente herdado de sua ascendência spaniel);
    • Os Dachshunds de pelo curto são os mais aptos a se apegar a uma pessoa só da família e são geralmente os mais arredios com estranhos.

    Mas lembrem-se, estas são apenas generalizações!
    Se você quer um cão que…

    • Exista em vários tamanhos – todos pequenos –, pelagens e cores
    • Seja brincalhão e interativo
    • Seja fiel à família
    • Precise de exercício moderado
    • Seja um bom cão de alarme
    • Seja tranquilo com outros animais de estimação, especialmente outros Dachshunds
    • Geralmente viva bastante
    Um Dachshund pode ser bom para você!

    Se você NÃO quer um cão que…

    • Seja teimoso
    • Seja briguento/agressivo com cães estranho, especialmente se forem maiores
    • Tenha fortes instintos de caça e perseguição (que podem ser usados com pássaros, gatos etc.)
    • Possa ter dificuldade para aprender a usar o banheiro
    • Tenha potencial para latir em excesso
    • Tenha potencial para cavar buracos
    • Tenha uma desconfiança excessiva com estranhos caso não seja socializado corretamente
    • Tenha sérios problemas de coluna (que acometem 1 em cada 4 Dachshund e que podem resultar em paralisia)
    Um Dachshund pode NÃO ser bom para você!
    Se você está pensando em adotar um Dachshund… Considere as questões abaixo seriamente.
    1. Latidos excessivos. Dachshunds são muito alertas e geralmente rápidos para soar o alarme ao menos sinal de um barulho diferente ou novidade. Você deve ser igualmente rápido para ensiná-los a parar. Este não é um cão “de quintal” que possa ser deixado para fora de casa sem supervisão humana.
    2. Agressividade com cães estranhos. Dachshunds podem ser exageradamente mal-humorados com cães estranhos, o que pode ser perigoso já que são pequenos. Felizmente, eles geralmente convivem bem com outros animais da família, especialmente se forem outros Dachshunds!
    3. Treino do banheiro. Um treino consistente é essencial. Uma portinha canina que ligue a casa ao quintal ou um banheiro coberto podem ser muito úteis para convencer seu Dachshund a ir até o quintal fazer suas necessidades em um tempo chuvoso ou frio. (ATENÇÃO: a autora mora nos EUA, país onde as pessoas podem se dar ao luxo de ter portas para cães sem o perigo de ladrões a usarem e onde a maior parte da população mora em casas… Se você mora em casa, é melhor acostumar seu Dachshund a usar o banheiro dentro e fora de casa para evitar acidentes em dias chuvosos ou frios. Leia o Treino de Banheiro da série Filhotes – posts 16 a 19 – para aprender como!).
    4. Pensador independente. Dachshunds são livre pensadores! A mesma obstinação que faz deles excelente caçadores pode ser frustrante quando você tenta ensinar-lhes algo. Eles podem ser manipuladores e alguns são especialmente teimosos. Em pequenas doses, tal comportamente pode ser até divertido e inofensivo, mas você precisa mostrar a seu pequeno teimoso, através da mais absoluta consistência, que você realmente deseja ser obedecido. Entretanto, você também precisa ser cuidadoso ao corrigir/repreender Dachshunds. Se você for além do que ELES consideram como uma punição justa, esta raça é, na minha experiência de educadora canina*, a mais provável de rosnar ou morder. Ou seja…
    5. Você deve ensinar seu Dachshund a respeitar você. Um cão que respeita você fará tudo que você pedir e parará  o que estiver fazendo quando ouvir um “Não”. Ele olhará quando você fala com ele e o obedecerá, não apenas quando estiver com fome ou querendo um petisco/recompensa, mas sempre. Por que ele respeita você!
    6. Cuidados com a pelagem. Dachshunds de pelo longo precisam de escovação para prevenir nós e fios embaraçados e também de pequenas tosas. Dachshunds de pelagem dura (arame) precisam de tosa especial com regularidade.
    7. Queda de pelo e “cheiro de cachorro”. Todas as três variedades de pelagem do Dachshund soltam pelos, embora o Dachshund de pelagem dura (arame) solte bem menos pelo do que o de pelagem longa e o de pelagem curta. Mas Dachshunds não são cães “anti-alérgicos” em absoluto e vários deles possuem um “cheiro de cachorro” bem característico. Se você acha que seu cão está soltando pelo demais, considere mudar sua dieta para a alimentação natural ou para uma alimentação industrializada com mais proteína do que grãos/carboidratos (algo praticamente inexistente no Brasil…).
    8. Problemas de saúde. Muitos Dachshunds vivem um vida longa e feliz, mas infelizmente um em cada quatro ficará aleijado ou paralítico na metade da vida por problemas de coluna. As vértebras em sua longa coluna foram deformadas pelo trabalho de “seleção” do homem até o limite e são geneticamente fracas. Dachshunds também podem sofrer de epilepsia, doenças oculares (cada vez mais comuns!), doenças urinárias, doenças cardíacas, alergias de pele e muito mais. Para ajudar a raça a não mais sofrer com estes absurdos causados principalmente pelo cruzamento mal-feito, NÃO CRUZE seu Dachshund e NÃO COMPRE Dachshunds. As chances de você encontrar um verdadeiro criador da raça são mínimas, enquanto que as chances de você dar seu dinheiro para um criador-comerciante de fundo de quintal são IMENSAS. Você quer financiar tanto sofrimento?
    Adote um Dachshund adulto!
    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Dachshunds adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!
    Salve uma vida. Adote um cão.


    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.

    Sobre a autora:Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.

    Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    222 Comentários:

    1. Tatiana Salgado disse:

      3 de março de 2014 às 19:34

      Como minha irma ja comentou…tivemos um que viveu 16 anos,mordia,nao ficava em casa sozinho de forma alguma.Agora meu sobrinho inventou de arrumar outro da mesma raça…So jesuis na causa para aturar esse cao; ele late q nem doido,corre q nem maluco,morde minha outra cachorra(uma labradora),nao me deixa dormir,querendo brincar 24 horas do dia,nao aprende a fazer xixi e nem coco no lugar certo,nao aprende que o nome dele é VITOR,teimoso demais,nao ouve ninguem.Ai diz todo mundo que conheço..Ahh mais ele e filhote(pois vitor tem apenas 5 meses),quando ele fizer 1 ano ele muda..Agora me pergunto….SERA Q muda??? Espero que sim,pois to a ponto de enlouquecer.Espero ter ajudado.
      Minha irma comentou tb Rosa Salgado.
      Já minha labradora é uma MARAVILHA!!!

    2. angela disse:

      2 de março de 2014 às 07:41

      O meu é de pelo curto. O seu texto o descreveu muito bem. Até mesmo com relação ao xixi e quanto a maneira que ele se comporta ao apanhar de alguém da família. O meu só respeita um rodo e mesmo assim se for eu quem tiver pego esse rodo. Amei.

    3. Esther disse:

      17 de fevereiro de 2014 às 22:12

      Oi pessoal!! adorei o site!! tem dicas ótima pra mim que sou “mãe” de cachorro de primeira viagem kkkk Bem, tenho uma dachs, se chama Winnie, é uma espoletinha kkk mt esperta! confesso que me surpreendi com a raça, pois achei que fossem mais tranquilos! por enquanto ela ainda não destruiu nada, tenho procurado dar muita atenção pra ela não se tornar agressiva nem depressiva, mas como trabalho fora, passo em média 7 horas fora de casa, confesso que estou com o coração na mão de deixa-la sozinha… o que eu faço? não tenho com quem deixar e moro só… por favor, ajudem essa pobre “mãe” aflita! rsrs

    4. cristina disse:

      8 de fevereiro de 2014 às 01:06

      Ana mandou ela fazer coco na rua e ela não faz só urinou uma vez na rua, mais coco ela faz dentro de casa em qualquer luga, mostro a ela o local desde pequena mais não adianta só obedece uma vez depois faz tudo ao contrario novamente. Já rasgou cinco sapatos tomadas de ferro, 2 teclado de computador, lençol, blusas, caça baratas, rasga cama, brigo com ela mostro a ela que não pode fazer isso mais não adianta, meiga ela é calma, só traquina, prejuizo nem conto que ela já me dá, e desconfiada, faz alegria, assim as vezes muda de humor mais ela é muito fofa bricalhona, comilona. Em fim mais late que só.

    5. cristina disse:

      8 de fevereiro de 2014 às 00:57

      Oi Ana, eu tenho uma cadela da raça Dachshund e tem 1 ano e quatro mês do legitimo, dizem que o numero um o mais baixinho, quando ela teve o primeiro cio com uns 9 meses ela teve problemas de gravides psicologica, ela teve leite nas mamas.E fazia ninho como tivesse cuidando dos filhotes levei para o veterinário e ele explico a situação e passou remédios para não infeccionar as mamas, e depois secou, então ele falou para que eu operasse ou cruzasse. Mas só encontrei cofape diferente dela maior, mais alto, no caso dela é daquela baixinha, se cruzar causar algum problemas a raça fica misturado? porque o médico dela falou que não mas outra hora diz que a raça dela tem que ser igual do tamanho por causa da na hora de gerar é risco dentro do uterino dela e ai? que faço? Falam que tem o numero um dela o dois e o três, no caso dela é um, é verdade?

    6. Felipe disse:

      31 de janeiro de 2014 às 01:34

      Tenho um Dachshund de aproximadamente um ano, Hank, muito dócil, atencioso e atrapalhado! De uns tempos para cá, ele tem frequentado muito o interior da casa e, na hora que vamos retirá-lo, ao encostar nele, ele rosna insistentemente… o que poderia ser feito para isso parar? Eu li nesse texto que eles tem muita vontade própria e talvez ele não acredite ser certo ser retirado. O que poderiam me dizer sobre? Obrigado! :)

    7. Adriana disse:

      17 de janeiro de 2014 às 15:35

      Tenho dois Dachshund, o Café e o Cappuccino (são irmãos, nascidos na mesma ninhada). Eles são muito inteligentes, companheiros e bonzinhos.
      Em que pese serem irmãos, possuem personalidades muito diferentes. O Cappuccino, por exemplo, é super sociável. Já o Café é um pouco resmungão, não brinca com qualquer pessoa e gosta de latir para os outros cães. Nunca morderam ninguém, não deram nenhum trabalho para fazerem as necessidades no local certo e se amam incondicionalmente.

    8. Sandra disse:

      2 de janeiro de 2014 às 23:54

      Olá Ana, minha dach de 11 meses late muito quando recebo visitas,neste final de ano foi muito difícil, cada pessoa que chegava ela latia e tentava se esconder, pode ser medo? no meu colo as vezes não late.Não estou conseguindo passear na rua com ela tem um cão muito agressivo que escapa do dono e morde os outros cachorros tenho medo que a machuque, quando levo ate o portão mesmo no colo ela treme muito.Minha cunhada tem uma Pug se adoram, mas fico chateada porque comparam as duas, falam que a minha late demais, o que posso fazer para melhorar o comportamento? Muito Obrigada

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        3 de janeiro de 2014 às 18:44

        Oi Sandra,
        Há alguns textos sobre latidos em excesso no blog http://www.maedecachorro.com.br/category/latidos Leia os comentários também.
        Se você a pegar no colo quando estiver latindo, isso será um reforço positivo pra ela continuar a latir…
        Se ela não foi socializada, não estará acostumada a lidar com visitas etc. Seria melhor uma consultoria específica, assim por cima fica difícil…
        Por favor procure um profissional. A http://www.educadoracanina.com.br dá consultoria paga pela Skype se o caso permitir. Abraço.

    9. Maria Luiza disse:

      29 de dezembro de 2013 às 11:42

      Tenho uma linda danchus chamada LISA, também um boxer chamado ASLAN.
      Convivem super bem, apesar da baixinha invocada (Lisa) ás vezes brigar com o grandão quando estou com os dois (acredito por ciumes). Ela vai morde ele devagar para tira-lo de perto de mim. Acreditam?

    10. Maria Luiza disse:

      29 de dezembro de 2013 às 11:37

      Ganhamos uma danchus lindinha chamada LISA (8 meses). o antigo dono não queria ela mais, pois era uma cadelinha levada. Como moramos em uma casa grande, aceitamos o presente com carinho…Ciumenta, já devorou vários sapatos meus, quando saímos e ela ficava para trás…(Só os meus!!!) Agarrada comigo, aonde vou ela vai atrás.

      Resolvemos ter um cão de alerta grande,então veio o ASLAN(boxer) eles convivem muito bem… Um grandão e uma salsichinha. Baixinha invocada (Lisa) ás vezes morde devargar a boca do Aslan (boxer) para não ficar perto de mim. Ou seja, morre de ciúme.

      Adorooo

      PS: Eu não gostava de cães, tive toxoplasmose na gravidez e tomei traumas de bicho.
      Após 15 anos do ocorrido, eles me conquistaram.

      Abraços

    11. Kelly Vox disse:

      27 de dezembro de 2013 às 15:33

      Boa tarde.
      Amei o texto!
      Ganhamos um filhote de Dachshund há alguns dias para ser o cão do nosso filho de sete anos. Ele está com dois meses. Estou muito preocupada pois ele não come direito. Joga a ração pra fora da boca e não sei se é porque ele não consegue engolir ou se ele realmente não gosta da ração. Estou tentando marcar uma consulta com um veterinário, mas não sei quanto tempo vai demorar.
      Fora isso ele está se adaptando bem. Os choros a noite estão diminuindo e ele parou mais de morder. Mas não quer dormir na “caminha” que fizemos pra ele. Ele foge dela e vai dormir no meio da roupa suja e não quer sair de lá O.o.
      Compramos um brinquedinho pra ele, mas prefere os sapatos e qualquer saco plástico que encontre pelo caminho rs.
      É bem manhoso, mas estamos impondo limites e parece que está dando certo!
      Está sendo uma experiência incrível! Já é o nosso xodó rs. Só espero que ele não fique agressivo com as visitas nem com os cães da vizinhança.

    12. monica cavalcante disse:

      16 de dezembro de 2013 às 14:16

      Ganhei do meu filho essa cachorrinha Basset, tinha uma poodle, que era super boazinha, mas essa cachorrinha, ela até aprendeu a fazer xixi e cocô no jornal, mas quando está sozinha ela pega o cocô e leva para a sala, e o pior, ela come, já estou dando remédio, mudei de ração, mas está difícil, já ouvi dizer que é uma caracteristica dessa raça.O que posso fazer?

    13. Katia Huescar disse:

      11 de dezembro de 2013 às 16:41

      Boa tarde!Eu tenho muita sorte com os meus lindos,o Elvis e a Brenda.Eles são carinhosos e super limpinhos.As bagunças são as normais,um latido aqui outro ali,mas são chicletinhos o tempo inteiro comigo,somos só nós tres no apto.Então eles me obedecem numa boa,sem que eu os tenha adestrado.Devo castrar a Brenda até janeiro ela já tem 5 meses.E como vem o verão vou contratar o passeador para eles.Não tenho o que reclamar…até o cheirinho é bom!Muito graças a Ana Corina.Um beijo e um ótimo Natal!!Com um 2014 cheios de lambeijokas de nossos amigo!

    14. Raquel disse:

      11 de dezembro de 2013 às 11:19

      Olá! Gostaria de dizer a todos futuros pretendentes a adotar um salsicha, que prestem MUITA ATENÇÃO AOS PONTOS NEGATIVOS porque são verdadeiros! Eu adotei uma e foi minha pior experiência. Usei TODAS a técnicas recomendadas de adestramento, mas ela era uma cadela teimosa, agressiva, obstinada… mordeu muito minha filha de 4 anos. Cavou a parede embolsada, fez 4 buracos!!! Destruiu muitas coisas, tênis chinelos… aquele momento que você esquece e volta lá no quintal para pegar… bem, esses 1 ou 2 minutos j´s eram suficientes… comandos treinados de senta, fica, deita… só eram obedecidos com muita teimosia… terrível companhia, detestava carinho… desisti depois de 5 meses de sofrimento e tristeza. Agora adotei uma vira-lata muito amiga, adora carinho e mesmo tendo 2 meses obedece vários comandos. Tive 3 cães maravilhosos, mas essa teckel acabou comigo, fiquei muito triste! Ainda nem que encontrei minha filhotinha que trouxe esperanças muito boas.

    15. Sandra disse:

      10 de dezembro de 2013 às 22:56

      Olá Ana, eu tenho uma dach pelo longo,a Vick, o pelo está caindo bastante, ela está com 10 meses, pode ser da ração? Tive uma pelo curto a Lilica viveu 14 anos, estava ótima de saúde más apareceu um tumor no focinho e ela não aguentou.a vick late muito quando ouve barulho ou vê estranhos, o que posso fazer para amenizar? Obrigada

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        11 de dezembro de 2013 às 08:30

        Oi Sandra, pode ser da alimentação, sim. Mas pode ser apenas a troca anual de pelagem. Geralmente cães de pelagem longa soltam bem menos pelo do que os de pelagem curta, e quando o fazem, é em ‘tufinhos’, o que facilita nossa vida, né? hehe Que tal dar uma olhada na alimentação natural e fazer esta pequena viver mais ainda do que a Lilica? http://www.cachorroverde.com.br e http://www.tendenciasnaturebaspets.com.br Também estude sobre excesso de vacinação: http://www.maedecachorro.com.br/category/vacinacao

        Sobre latidos, leia textos e comentários do link http://www.maedecachorro.com.br/category/latidos

        • Sandra disse:

          12 de dezembro de 2013 às 11:00

          Bom dia Ana, adorei as dicas, muito obrigada!!Li alguns comentários, é uma pena que tem pessoas insatisfeitas com seu teckel, é a minha segunda filha, amo de paixão, e acho que qualquer raça tem problemas de comportamento, com carinho e amor dá para diminuir os casos.

          • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

            12 de dezembro de 2013 às 12:29

            Sim, o importante é que as pessoas precisam refletir MUITO antes de botar um cão em suas vidas e conhecer bem as raças caso optem por um animal de raça definida, ou de mestiçagem óbvia, né? Bjo!

    16. Claudia disse:

      7 de dezembro de 2013 às 22:52

      Oi tudo bem?
      Quero um cachorro para minha unica Filha de 6 anos, so que Moro em apartamento.
      Esta raca , late muito e tem cheiro? Tenho medo que ele possa morder ela, seria melhor ter outra raca pequeno?
      Obrigado

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        10 de dezembro de 2013 às 17:32

        Cláudia, TODO cachorro tem cheiro. Eu tenho cheiro, você tem cheiro, sua filha com certeza tem cheiro. E falando em cheiros, os nossos são muito mais insuportáveis para o olfato apurado dos cães. Se você quer um cachorro sem cheiro, melhor não ter um vivo, ok? Vá de pelúcia, espere morar numa casa, deixe sua filha crescer, morar sozinha e decidir se quer conviver com o cheiro de um cachorro ou não. Dachshund é a raça que mais morde NO MUNDO. Latir muito ou pouco vai depender da educação, estímulos, atenção, exercício físico etc. Cães são como crianças: não há receita, não há dois iguais. Há generalizações que nos ajudam, mas cada indivíduo é único e poderá surpreender positiva ou negativamente. O importante é saber como VOCÊ reagirá. Queres um cão por vc ou só pela filha? Pq não se iluda, o cachorro será TEU. E terá cheiros, doenças, fará xixi, cocô, vomitará blábláblá. Não dá pra querer ter os benefícios do convívio com um cão e não participar dessa parte mais “técnica” e, para alguns, chata. Então, dependendo de como VOCÊ for, do TEU temperamento, o melhor será ter cachorro NENHUM… Mesmo eu, por exemplo, que não me importo de limpar 200 xixis/cocôs/vômitos ou de gastar todo dinheiro que for preciso pra salvar um cachorro meu, NÃO teria um cachorro filhote ou ativo, por exemplo. E não há nada de errado com isso. Nem há nada de errado com você :D Cogite um gato, eles sim não têm cheiro e raramente mordem ;)

    17. MARIA INES MENDES ALMEIDA disse:

      7 de dezembro de 2013 às 17:35

      MEU SALSICHA DOG E´ O JOHN MARAVILHOSO IGUAL AO DA FOTO E TEM TODAS AS CARACTERISTICAS ENUNCIADAS POR VOCês.NAO IMAGINO A FAMILIA SEM JOHN – CAÇADOR/INTELIGENTE/LINDO;COM SEU BUMBUM QUE PARECE UM FRANGO ASSADO/ELE E O CAO NAO UM CAO.MY BEAUTIFUL SAUSE DOG.SAVE,JOHN.I LOVE,YOUUUUUUUUUU,AUAUAUAUAUAUAUAUAUAU.

    18. Roseane disse:

      27 de novembro de 2013 às 13:21

      Tenho duas salsichinhas. No último domingo ganhei mais uma pretinha. Nunca tinha pensado em ter cachorrinhos dessa raça, até que ganhei a primeira. Foi uma paixão arrebatadora. São fofíssimos, bonzinhos, meio teimosos, muito meigos. Tudo que li no artigo faz jus à personalidade desses pequenos valentes. São cachorrinhos ótimos e só não tenho problemas com latidos porque tenho mais de uma e elas são muito unidas e estão sempre juntas. Recomendo!

    19. Josyele disse:

      8 de outubro de 2013 às 01:50

      Olá,tudo que esta escrito ai é a mais pura verdade,eu tenho uma dachshund e ela se chama Mel,ela é o xodó da casa,e ela é bastante mimada,pois sabe que nao consigo gritar com ela,pq quando digo não ela vem com aquelas orelhinhas caida e os olhinhos tristes que me da dó,mas no mais ela me respeita, ela tem os momentos carinhosos,tanto que ela dorme comigo abraçadinha,e a minha maior preocupação é ela ter problema na coluna,por isso evito de ela ficar pulando,e nao dou nada em exagero,pois ela pode vir a ficar obesa. O que queria dizer a quem pretende adotar,que não se importe com raça, e sim o amor que dará a esse ser tao lindo,e saiba que ele dependerá de ti a vida toda e que tu que for adotar não o abandone depois que estiver velho,fique com ele até o fim,será o momento em que ele mais precisará de ti. E o mais importante nunca pegue um cão para maltratar,eles são seres mais humanos do que nós.
      Abraços!

    20. Evania Aparecida Salina Bonfá disse:

      3 de outubro de 2013 às 19:30

      Tenho uma femea Basset,nome (Mel,4 anos)inteligente, carinhosa e brincalhona, mas estou tento problemas com ela, me ajuda com uma dica por favor, se estou em casa ela fica super bem, não dá trabalho, mas se eu saio, ela vira um monstro: como porta, faz xixi no sofá e cocô, distroi tudo no quintal, enfim ela está acabando com a minha casa e já estou arrependida de querer criar um cachorro, o que eu faço?

    21. Raquel disse:

      30 de setembro de 2013 às 11:11

      Minha Dachshund de 5 meses tenha mania feia de bater na porta toda vez que quer alguma coisa, seja comida, arrumar o cobertor ou atenção… isso me irrita pq o barulho da porta acorda minha filha pequena. Gostaria de ensinar ou repreender da maneira certa para que ela se conforme em esperar junto a porta mas sem bater. Você pode me dar uma dica? Abs.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        2 de outubro de 2013 às 09:58

        Raquel,
        mas COMO ASSIM bater na porta? hehehe Com o corpo? Com as patas? Bom, o melhor a fazer é IGNORAR. Mas IGNORAR MESMO! E tens que ver por q ela está tão mimada, ué. Ela é muito nova pra mandar tanto, hehe. Sobre a tua filha, é um barulho assim tão grande? Bom, espero que ela (a bebê) aprenda a ter um sono mais pesado, ou tua vida vai ficar complicada, pq existem outros barulhos pra acordá-la, né? ;) Dica: nunca tenha dois bebês ao mesmo tempo, mesmo que de espécies diferentes… Abraço e boa sorte.

    22. Maria Cristina Machado disse:

      15 de setembro de 2013 às 15:13

      Ana, boa tarde.Tenho uma Dachshund de sete anos,linda se chama Docinho, tudo que disse sobre essa raça concordo totalmente. Ela dorme embaixo de muitas cobertas muiiiiiito feliz.Só que tenho um problema ela come ração ligth com pelo menos uma colher de comida, está pesando 15Kg,não gosta de passear e dorme o dia inteiro, muitas vezês penso que esta doente mas não esta.Gostaria de andar muito com ela, que ela corresse mas não tem jeito. O que posso fazer para que ela emagreç? Fico com dó se ela não come só ração, não quer andar eu a carrego.Por favor me responda, Beijosss Cristina

    23. Juliana disse:

      9 de setembro de 2013 às 12:49

      Olá, estou numa dúvida cruel e peço a ajuda de vcs…estou adquirindo um salsichinha pro meu filho de 10 anos, levei um macho e uma fêmea pra casa para escolhermos, trabalho o dia todo e ele seria a maior companhia pro meu filho. Não sei o que escolher macho ou fêmea ? Peço ajuda pra o que será mais indicado pro meu filho…

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        17 de setembro de 2013 às 00:16

        Juliana, não tem como saber. Não é uma questão do sexo, é uma questão do temperamento do animal e do teu filho. Eles ficarão sozinhos juntos durante o dia, é isso? 10 anos é uma ótima idade, ele já não vai machucar o cão com brincadeiras etc. Mas só vcs poderão escolher. Castre o cão, qualquer que seja a escolha do sexo, ok?

    24. Isabel da Silveira de Lara disse:

      8 de setembro de 2013 às 22:42

      olá Corina!Tenho uma dashchunds,é preocupante ela não apoia as patas traseiras no chão, é grave? Obrigado

    25. Diego disse:

      17 de agosto de 2013 às 12:40

      Obrigado,estou deixando os 2 juntos,o pequenino ainda morde muito forte,minha mão ja esta toda machucada e quando ele vai no maior pra brincar ele da umas mordidas nele pra ele parar,mas como é filhotinho ele não entende ainda.Mas está dando tudo certo,já estou com as vacinas em dia e o vermifugo tambem.Em breve irei voltar pra falar como eles estão.Abraço!

    26. Diego disse:

      13 de agosto de 2013 às 13:12

      Agradeço sobre as dicas para apresentar um ao outro,normalmente a primeira impressao é a que fica então acho que não vai ter problema,eles ja estao ate melhores agora,so as vezes que o pequenininho vai brincar com o maior e ai eu fico de olho mesmo,pq o filhote n tem noção ainda de que ele pode machucar o outro.Ele ta chorando as vezes e pulando pra subir no sofá,isso é normal?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        16 de agosto de 2013 às 13:40

        Deixe que eles se entendam. Cães deveriam ser separados da mãe e irmãos apenas com 12 semanas de vida (8 semanas no mínimo dos mínimos), pois neste período aprendem a não morder forte demais etc. Eles mesmos vão se policiando/adestrando. Cuidado com subidas em sofás, camas etc., pois a coluna destes cães costuma ser mais frágil. Mantenha-os sempre magrinhos e abuse da acupuntura ;)

    27. Diego disse:

      13 de agosto de 2013 às 10:33

      Olá mais uma vez,acabei de adotar um Dachshund filhote de +- 2 meses,eu fui na casa do rapaz que não poderia cuidar deles e ele falou que estava dando os filhotes,porem dei uma olhada no pai dele e ele é bem troncudinho,comprido,com focinho longo e orelhas bem longas,o rapaz me falou que esse era o puro,mas ele não se parece com o Dachshund que já tenho em casa com 10 anos,q eh menorzinho.Tenho medo de que o meu cachorro seja uma mistura de basset com dachshund,apesar de que ele é igualzinho a um filhote comum da raça,tenho medo de ser misturado.Voce saberia me informar se tem alguma variação que possa fazer o Dachshund ficar um pouco diferente que esse na foto acima do texto?O meu de 10 anos é igualzinho o da foto.E sobre o comportamento deles,o meu mais velho fica toda hora cheirando ele e o pequeno fica querendo morder o rosto dele,posso deixar eles brincarem ou devo ficar de olho?Tenho medo do maior não gostar e morder,apesar de que até agora eles estão muito bem!Agradeço!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        13 de agosto de 2013 às 12:11

        Oi Diego,

        Não entendi tua preocupação em ele ser puro ou não. Vais gostar menos dele se for mestiço?
        Meus pais são baixos e eu sou alta. Como prever esse tipo de coisa? Existe um padrão esperado, mas não há como garantir. Daí a importância ABSURDA de NINGUÉM CRUZAR SEUS CÃES além de verdadeiros criadores e estudiosos, pessoas sérias que CASTRAM animais fora do padrão SAUDÁVEL da raça. Castração não é só saúde e nossa briga contra falsos criadores (99,99% dos que se dizem criadores) não é por chatice.

        Nos textos e comentários do link http://www.maedecachorro.com.br/category/brigas-2 você encontrará várias informações sobre como melhor socializar os dois cães.

        • Diego disse:

          13 de agosto de 2013 às 12:57

          Ola,minha preocupaçao quanto ser misturado ou não é sobre as chances dele desenvolver doenças entende?Não ligo se ele for misturado,é apenas uma duvida que tive sobre essa genetica.Segundo o rapaz,o macho era de um criador mesmo,ele tava vendendo um lá por um preço muito alto,mas o problema desses falsos criadores é que eles não sabem cruzar,é isso?Agradeço!

          • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

            16 de agosto de 2013 às 13:38

            Oi, Diego! Desculpe a demora, o blog teve problemas e ficou fora do ar.
            Então… tem mais chances dele ser doente por ser ‘puro’ e mal cruzado do que por ser mestiço.
            Estive em NY em 2011 e havia dachshunds por todos os lados, eles estavam muito na moda por lá. Conversei com um casal que tinha um com uma pelagem bem diferente (tipo um arlequino, só que marrom, lindo!) e eles contaram que a criação desenfreada está produzindo cães MUITO doentes, inclusive cegos e surdos. É sempre assim… toda raça que entra ‘na moda’ logo sofre as consequências tristes das fábricas de filhotes.

    28. Ivone Embrizi Watzel disse:

      30 de julho de 2013 às 21:52

      Quando li “acredita firmemente que dormir entre as cobertas é um Direito Adquirido dos Dachshunds. =o)” eu ri muito, pois minha linda Polly acredita que minha cama na verdade é dela.
      O que posso dizer dessa raça. são de personalidade forte então é preciso saber educar mas em compensação são carinhosos demais, a minha pelo menos é.

    29. ivany medeiros disse:

      29 de julho de 2013 às 23:34

      tive o meu primeiro dachshund aos 2 anos e o último morreu há 3, aos 17 anos. Digo o último porque depois do Billy não consigo pensar em ter outro. Quem tem um dachshund se apaixona para sempre! Quanto ao problema na coluna faltou colocar no artigo que é preciso cuidar para que eles não “forcem ” a coluna subindo escadas, pulando em sofás, andando em chão escorregadio (isto serve para a maioria das raças).Esta foi uma recomendação da acupunturista que o atendeu no final.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        30 de julho de 2013 às 11:07

        Oi Ivany, é que o artigo é traduzido… Mas vou ver se encaixo mais infos no texto deixando claro que são observações minhas. Também é preciso mantê-los MAGROS! Beijo.

    30. Iris disse:

      23 de julho de 2013 às 13:45

      Ola!! tenho uma Dachshund pelo curto, seu nome é Duda e esta com três meses. Ela é muito levada e parece estar ligada no 220 rsrs. Porém há algo que nos preocupa, todas as vezes que chegamos em casa e ela fica muito feliz ou ansiosa ela faz xixi ou mesmo quando fazemos carinho. Será que isso é normal? Bjs e obrigada sua pagina é ótima.

    31. Katia Huescar disse:

      20 de julho de 2013 às 17:20

      Boa tarde!
      Ana é só pra dizer que meu Elvis esta cada dia mais lindo.Sempre segui seus conselhos,desde os 3 meses dele e todos sempre deram certo.Ele é uma paixão,e tudo que vc falou dele é verdade”livre pensador” otima definição,adora minhas cobertas…é meu companheirinho mesmo!!!Nunca achei que este amor existisse de verdade.Bjus pra vc querida!Obrigada por tudo!

    32. Marta Eliziario da Silva disse:

      5 de julho de 2013 às 11:41

      Eu tenho 3 Dachshund:2 machos e 1 uma fêmea, que atendem pelos nomes de Costelinha,Coragem e Melzinha. Amo demais meus bebês eles são tudo na minha vida.

    33. claire lira disse:

      5 de julho de 2013 às 09:17

      olá!
      Tenho um daschund pelo curto está caindo muito o pelo, escovo ele , já mudei a ração , não sei mais o que fazer. Adoraria outras dicas. Grata, Claire.

    34. mell disse:

      21 de junho de 2013 às 19:03

      tenho uma linguicinha a maioria das coisas desse site está certo.obrigado a me ajudar para um trabalho da escola

    35. vivian disse:

      19 de junho de 2013 às 23:00

      ola ana quero muito um cao e como minha casa e pequena quero um filhote de cofap basset eu ja vi para comprar pois onde moro n achei para adocao infelizmente mas minha mae ja foi mordida por um cao quando crianca entao ela sente medo e minha tia tinha um cofap que me mordeu pois era muitoooo ciumenta o que vc me aconselha para minha futura cachorrinha n ser mal educada e brava

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        21 de junho de 2013 às 16:22

        Casa muito pequena? Qto tempo este animal ficará sozinho? Qto terá de exercício diário? Sinceramente, talvez seja melhor esperar um pouco e ter um cão mais pra frente. Parte do amor e do respeito aos cães é saber quando optar em NÃO tê-los. Bjo.

        • Anne disse:

          19 de agosto de 2013 às 12:41

          AA que mania dessa protetoras! Tenho um daush em apartamento pequeno, e trabalho normalmente! Que mania que vocês acham que para ter cachorro tem que ter uma fazenda! Só dar os passeios necessários, atenção quando estiver em casa e pronto! A minha é super feliz!

      • Rosa salgado disse:

        22 de novembro de 2013 às 21:07

        Tive um que morreu com dezesseis anos.Ele mordia e não fica em casa sozinho ,chorava,latia e uivava.Ele era louco por mim .
        Meu filho ontem comprou um mini ,tem 2 meses ele é muito chato

        • Josiane disse:

          28 de dezembro de 2013 às 21:00

          Ana, estou extremamente deprimida e com uma dor quase q insuportável, no dia 23/12 meu cofap com 10 anos acabou morrendo em meus braço com uma parada cardíaca, pois ele tinha sopro no coração, além da falta dele me sinto culpada, pois não notei nada de diferente nele. No momento não estou preparada para comprar ou adotar outro cofap. Por favor me de algum conselho, pois parece que o meu coração vai estourar de saudade, choro constantemente. Nosso amor e carinho era incondicional. Grata – Moro em Curitiba/Pr.

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados