• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Fio dental natural: conheça uma alternativa saudável para limpar os dentes do seu gato (ou cão de pequeno porte)!

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 18 de julho de 2011
    Ossos crus ajudam a manter os dentes e gengivas de gatos e cães, mas é importante escolher o tipo certo de osso. Pescoços crus de frango são a melhor opção – entenda o por quê.
    A saúde bucal de cães e gatos tem um grande impacto em sua saúde geral, então é importante ter certeza de que dentes e gengivas estão em boas condições. Uma maneira de garantir uma boca saudável é oferecer aos peludos ossos crus para que possam mastigar e roer. Mas não vale qualquer tipo de osso.
    No pescoço
    Pescoços de frango crus são os melhores ossos para o gatos e têmpodem ter um grande papel em sua higiene bucal. Pescoços são feitos de cartilagens, ligamentos e tendões que agem como um fio dental natural para gatos e cães de boca pequena, mantendo os dentes limpos. O processo de morder, quebrar e moer a cartilagem massageia os dentes e gengiva dos pequenos, levando junto possíveis restos de comida de outras refeições e promovendo atrito suficiente para eliminar o desenvolvimento do tártaro. Isso tudo, por sua vez, previne a formação de placas, mau hálito, cavidades nos dentes e gengivite.
    Pescoços de frango são feitos de cartilagem, não de ossos, então são esponjosos e macios. Pescoços maiores podem ser cortados em pedaços menores, para gatos e cães filhotes ou que estejam aprendendo a comê-los crus. Se você optar em cortá-los, preste atenção para não fazer pedaços muito pequenos para que não sejam engolidos inteiros – o que não traz nenhum dos benefícios da mastigação. Lembre-se: é o processo de mastigar que promoverá toda a limpeza bucal.
    Ensinando a comer
    Enquanto alguns gatos e cães sairão comendo pescoços crus como se não tivessem feito nada diferente a vida inteira, outros precisarão aprender aos poucos. Se você tem filhotes, comece desde cedo a oferecer pescoços de galinha crus para que suas bocas estejam sempre saudáveis.
    Pode ser um pouco difícil fazer animais adultos – principalmente gatos – comerem ossos crus, especialmente se não estão acostumados com alimentação natural ou se já estiverem com a boca muito comprometida ou algum problema bucal mais sério (o que causa dor e desconforto).
    Quando adotei a Java, ela já estava com a boca em situação tão crítica que precisou fazer uma limpeza no veterinário, pois não havia possibilidade de repetir com ela o que fiz com o Shoyo, uma limpeza natural de tártaro, apenas oferecendo ossos carnudos crus e pescoços de frango. Se o seu peludo mostrar algum tipo de desconforto ao mastigar (seja o que for), leve-o ao veterinário para um exame completo. Quando cães e gatos estão com muito tártaro e a gengiva retraída, não é uma má ideia fazer a limpeza com um veterinário especializado para só depois fazer a manutenção da saúde bucal com os ossos crus.
    Para os difícieis
    Existe alguns truques para levar seu felino a aprender a comer pescoços de frango crus: derrame por cima caldinho de outra carne, como aquele que vem nas latas de atum ou sardinha conversavados em água; polvilhe catnip por cima (a “erva dos gatos” – fácil de achar em petshops e agropecuárias); asse fígado de frango no forno e depois esfarele por cima dos pescoço; passe os pescoços em alimentos úmidos (de latas ou sachês) que o seu gato já costuma comer – e adorar! Enfim, tente de tudo, mas não desista de acostumar seu filho felino a este hábito saudável que pode, inclusive, salvar sua vida.
    Osso cozido, não!
    Nunca cozinhe ou coloque ossos no microondas. Os benefícios de comer ossos ficarão grandemente reduzidos ao cozinhá-los e o cozimento pode até gerar riscos à saúde dos peludos. Pescoços crus de frango são seguros porque são feitos de cartilagem esponjosa, cozinhá-los pode torná-los mais duros ou quebradiços, o que significa que quebrarão em pedaços maiores ao serem mastigados. E engolir pedaços maiores inteiros pode dificultar a digestão. O cozimento também modifica o cálcio natural, tornando-o quase indisponível para absorção do organismo, jogando fora esta importante fonte mineral.
    Botar ossos no microondas é ainda pior: destrói as proteínas e enzimas naturais e também torna o cálcio inacessível para o corpo do seu pequeno carnívoro.
    Post escrito e adaptado a partir do texto da médica veterinária Deva Khalsa.
    Gostou do assunto e quer ler mais? Tente estes ótimos posts do site Cachorro Verde:
    Categoria: Gatos, Saúde
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    14 Comentários:

    1. Kika disse:

      22 de fevereiro de 2014 às 15:33

      Oi Ana, tudo bom?
      tenho o Joca, meu York com 13 aninhos… fiz apenas uma limpeza de tártaro nele até hoje (aos 9 anos).
      Tentei usar escova, mas é difícil, ele não aceitou. Tentei diversas vezes.. Passei a limpar a boquinha dele com ‘gase’. Enrolo a gase no dedo e passo em toda a boquinha. Ele tem um pouco de tártaro, mas ao menos não tem inflamações.
      Queria evitar ter que passar por uma nova anestesia 🙁 Também, como sou vegetariana, não consigo introduzir ossos, etc. É um dilema.. beijos!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        27 de fevereiro de 2014 às 12:06

        Oi Kika, tártaro só sai com atrito físico. A gaze é muito suave. Ele precisa roer… Ou então precisa de uma dieta que não fermente na boca dele, o que nenhuma ração ou dieta vegetariana pode fazer. Nós temos a opção, mas nossos cães são carnívoros… Pensa nisso. Beijos.

    2. ISABELE disse:

      22 de janeiro de 2014 às 08:45

      Olá, tenho uma Lhasa Apso de 4 meses, ela infelizmente ainda come ração. Posso oferecer pescoço de frango como osso recreativo e para limpeza dos dentes? Ou outra opção seria melhor já que o pescoço de frango também é considerado um osso carnudo? Obrigada.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        22 de janeiro de 2014 às 20:54

        Oi Isabele, não só pode como deve! Ossos carnudos e crus são usados para alimentação, mas também não deixam de ser ossos recreativos, pois os animais ficam entretidos. O pescoço de frango é o melhor “fio dental natural” para gatos e cães de porte pequeno por conta do formato dos ossos. Ele também é o único osso carnudo que pode ser oferecido cozido sem riscos.

    3. Patricia disse:

      18 de julho de 2013 às 14:25

      Oi, boa tarde! Tenho um pet, mistura de maltês com poodle, de um ano e 4 meses. Posso dar a ele o pescoço inteiro? Ele esta com umas “sujeirinhas” nos dentes, nada muito grave, isso ajuda a limpar? De quanto em quanto tempo posso dar a ele o pescoço de frango? Obrigada

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        23 de julho de 2013 às 15:32

        Patrícia, é pra dar inteiro, sim, quanto maior, melhor ele vai lidar. Pode dar umas 2x por semana e no dia não dê mais comida nenhuma, já será bastante coisa pra ele digerir. Cru, ok?

    4. Gabriela disse:

      14 de dezembro de 2012 às 16:47

      Oi Ana, tudo bem?

      Eu estou precisando mudar o meu fornecedor de pescoço de frango, pois da última vez q comprei o frango veio com um cheiro muito forte e estranho. O meu gato nem quis comer, e ele adora pescoço.

      Você conhece algum local pra me indicar em Florianópolis? Eu moro no norte da Ilha. Abraços e obrigada

    5. Shanna Capell disse:

      19 de outubro de 2012 às 14:39

      Gostaria de saber se eles podem engasgar e qual o cuidado com a carne já que está crua. É preciso congelar antes de oferecer? Podem comer gelada?
      Grata.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        20 de outubro de 2012 às 09:11

        Oi Shannna, eles quem? Gatos ou cães? O pescoço de frango é dos ossos mais seguros que existem, até mesmo pq é redondo. Se o pet for um gato, você pode cortar ou triturar pq a boca dos gatos nem abre tanto quanto a dos cães. Se for cachorro, pode dar o pescoço inteiro. Os meus dois cães são pequenos e se viram bem com pescoços inteiros, o que acontece é que eu acabo tendo que cortar pela metade pra não ser muita comida. Ultimamente tenho comprado pescoço num açougue que retira de frango pra assar, então tem vindo uns pedaços bem pequenos (3cm, mais ou menos) e outros maiores e não há problemas. Quando o assunto é osso a regra é “quanto maior o cão, maior o osso e SEMPRE OFERECER CRU”. Se for um cão médio/grande, mas que come de maneira mais calma, não tem perigo de engasgar.
        SEMPRE congele ao menos 3 dias antes de dar qualquer animal cru (carne, ossos, vísceras etc.). Se for naqueles congeladores mais simples dentro da geladeira (não freezer), deixe no mínimo 5 DIAS, ok?
        Eu dou peças congeladas para os meus sem problemas, principalmente no verão, pq eles ficam mais tempo comendo e adoram. O próprio calor da boca vai descongelando. De qualquer maneira, SEMPRE descongele dentro da geladeira, não sobre a pia etc., ok?

    6. EDNA disse:

      12 de junho de 2012 às 21:04

      Ótima dica, vou por em pratica!!!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados