• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças no Mãe de Cachorro: Buldogue Francês

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 8 de junho de 2011
    Antes de tudo, peço a todos que, por favor, leiam com atenção todas as RAZÕES PARA NÃO TER UM bulldogue francês, muito bem lembradas e explicadas pela Camilli Chamone, criadora justamente de… bulldogues franceses!
    Cada vez mais populares, o número de frenchies para adoção já está ficando significativo, principalmente por um motivo simples, totalmente ignorado por quem jura amar e querer tanto um exemplar da raça: eles não são cães fáceis de manter e, caso seus responsáveis não fiquem muito atentos à alimentação e cuidados específicos e adequados, a saúde dos bulldogues franceses exigirá constante atenção. Digo mais, são poucos os veterinários realmente aptos a lidar com a raça, bem como com outros com os mesmos problemas por conta das pregas e dos focinhos achatados.
    Leia também: Cuidados com cães de focinho curto/encurtado/achatado.
    Leitura obrigatória para todo mundo que quer ter ou que já tem um Frenchie: http://www.seubuldoguefrances.com.br/

    –>Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro* clicando aqui.

    Raça de hoje: Bulldogue francês, Frenchie para os íntimos!
    Texto: Michele Welton- Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.
    Apesar de sua expressão carrancuda, o bulldogue francês é um cãozinho cômico, amigável, dependente do afeto humano e divertido. Podendo viver tão confortável em um apartamento quanto em uma fazenda, ele tem mais vida e disposição do que você pode supor ao julgar sua aparência troncuda e corpulenta. Os filhotes do bulldogue francês são especialmente brincalhões e ativos e correr atrás de bolas é uma de suas paixões. Os adultos podem até ser mais tranquilos e adorar um sofá, mas também amam brincar e fazer caminhadas no tempo mais frio. Muitos Frenchies são amigáveis com todo mundo, enquanto alguns são educadamente reservados. O bulldogue francês latirá para anunciar a aproximação de alguém, mas em geral são cães quietos.
    Geralmente pacíficos com outros pets (embora alguns gostem de caçar pequenos roedores), os machos podem brigar e disputar com outros machos. O bulldogue francês é um tanto teimoso e pode ser um desafio para ser treinado, mas ainda assim é surpreendentemente sensitivo, lembrando de tudo que aprende e respondendo bem ao treinamento iniciado cedo, de maneira paciente e persistente, com o uso de petiscos como recompensa.
    Roncar, soltar gases e fungar são hábitos comuns em raças de focinho curto e achatado. Pessoas que possuam piscinas em casa devem ter cuidado redobrado porque muitos Frenchies, por conta de seus corpinhos curtos, não sabem nadar e provavelmente morrerão afogados se cairem na piscina.

    Se você quer um cão que…

    • Seja pequeno, mas bastante robusto, sem ser um cão de colo delicado
    • Tenha olhos grandes e expressivos
    • Tenha uma pelagem macia e lustrosa, fácil de ser cuidada e que existe em várias cores
    • Seja geralmente educado com todos, inclusive com outros pets
    • Ame brincadeiras e jogos com bolas
    • Não precise de muito exercício físico
    • Não lata muito
    Um bulldogue francês pode ser bom para você!
    Se você NÃO quer um cão que…
    • Ronque, fungue, bufe, seja ofegante e ainda babe (um pouco)
    • Solte gases (tendência à flatulência, mas que é bastante minimizada se o cão come alimentação natural e não ração)
    • Seja teimoso e um pouco mais difícil de ensinar a usar o banheiro
    • Tenha tendência a alguns problemas de saúde em virtude de seu focinho tão curto
    • Tenha uma manutenção cara
    Um bulldogue francês pode NÃO ser bom para você!

    Se você está pensando em adotar um bulldogue francês… Considere as questões abaixo seriamente.

    1 – Minimize os problemas que podem ser causados pelo focinho curto e achatado. Estude os problemas de saúde dos bulldogues franceses e tenha certeza de que você está disposto a tomar algumas medidas para cuidar do seu Frenchie:
    • O sistema respiratório do bulldogue francês é comprometido (em função do focinho curto), então você não deve fumar perto dele, não deve usar produtos de limpeza químicos (fique no vinagre de álcool, no sabão de côco etc.) e mantenha seu frenchie longe de pólen e grama recém cortada.
    • Tenha certeza de que, caso ele precise de anestesia, o veterinário seja experiente no uso de anestésicos modernos e insista no uso de um monitor de pressão sanguínea e de batimentos cardíacos. Muitos veterinários não são cuidadosos ou sequer sabem como anestesiar proriamente cães e gatos de focinhos curtos e achatados (o que pode matá-los!).
    • Se o tempo estiver quente e/ou úmido (Brasil!!!), reduza as atividades externas do seu frenchie e o mantenha no ar-condicionado. Cães com focinhos curtos têm um grande risco de sofrer paradas cardíacas porque não conseguem ofegar de maneira correta e suficiente para manter suas temperaturas corporais adequadas.
    • Use peitorais em formato de Y, que se ajustam ao redor do peito, não do pescoço. O uso de coleiras faz pressão na traqueia e pode dificultar ainda mais a respiração do bulldogue francês.
    • Lave e seque as dobras na pele do rosto do bulldogue francês após cada refeição.
    2 – Teimosia. Bulldogues franceses não são Golden Retrievers. Muitos frenchies são bastante teimosos e podem ser manipuladores. Você precisa mostrar ao seu, através da mais absoluta consistência, que realmente deseja que ele obedeça o que quer que esteja sendo pedido a ele. Recompensas com comida são um grande motivador para o bulldogue francês, mas se você oferecê-las demais, sempre providenciar o exercício físico correspondente para queimar estas calorias extras, você terminará com um bulldogue francês fora do peso ideal e nada saudável.
    3 – Uso do banheiro. Espere de quatro a seis meses de treino consistente usando caixas de transporte (crates). Leia o post “Aprenda a usar o crate“, da Camilli.
    4 – Barulhos característicos dos Frenchies. Por conta de suas faces curtas e achatadas, a maioria dos bulldogues franceses funga, bufa e ronca alto. Tais sons podem ser música para os ouvidos de algumas pessoas, mas irritantes para outras.
    5 – Baba. Alguns bulldogues franceses, especialmente os com mandíbula solta, salivam ao beber água. Alguns também babam após comer e beber.
    6 – Flatulência (gases). Todos os cães com focinho curto e achatado engolem ar quando comem e este ar precisa sair de alguma maneira…
    7 – Problemas de saúde. Em virtude dos cruzamentos sem estudos e sem critérios e também por seus focinhos curtos, os Frenchies acabam sofrendo de diversos problemas de saúde, especialmente doenças nas articulações, na coluna, nos olhos, no coração e outras mais.
    Adote um Bulldogue Francês adulto!
    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários frenchies adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!
    Salve uma vida. Adote um cão.



    *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.
    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.

    Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

    Categoria: Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    32 Comentários:

    1. alexandrina disse:

      29 de dezembro de 2013 às 13:06

      olá boa tarde ainda não comprei um bulldog francês mas gostaria muito só que tenho uma duvida:

      Podemos dar comida caseira ao cachorro ou temos que dar ração Royal canin?
      A comida caseira pode fazer mal ao cachorrinho?
      Se poderem responder agradecia.Obrigado.

    2. Ale disse:

      22 de junho de 2013 às 23:49

      Bom dia, eu estou pesquisando muito sobre um cachorro para adotar, adorei esse bulldog, me adequei a todos os requisitos para ter um, o unico que nao tenho é que fico fora das 08:00 as 19:00, quando chego tenho tempo para dar atenção como ja faço com minha calopsita, ouvi uma vetirinaria dizer que ele se acostuma, porem vi muitos sites falando o contrario.
      gostaria de saber se é adequado ter um? se ele vai se acostumar com meu estilo de vida?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        24 de junho de 2013 às 16:43

        Ale, não recomendo. E é um cão com MUITOS problemas de saúde. Para ficar tanto tempo sozinho, melhor um gato ou adotar um cão já adulto e bemmmmm pacato. Filhote, nem pensar.

      • siléah disse:

        18 de julho de 2013 às 16:52

        Nossa,se tivesse visto esse blog,c certeza não teria comprado minha frenchie Nina Belle!!!como que são cães doentes,e tta coisa que tá aí??
        Ela está c 2 anos,pesa 12kg,super ativa,super saudável,não é flatulenta,come ração Royal Canin própria p raça,e vacinas são os únicos gastos que tive c ela até hoje.Claro que não são cães pra vc sair correndo c eles,deve sim ter o cuidado c o calor e exercita-los demais,mas isso nada tem a ver c doença!!
        Adora brincar,gosta de passear,carinhosa e estabanada,aprendeu a usar o tapetinho,como qqr outro cão que já tive,adoram pessoas e crianças,deve-se ter cuidado c as muito pequenas,pq os frenchies,embora pequenos,são musculosos e qdo pulam c as duas patas,podem até derruba-las,só não se dão bem c outros cachorros SE NÂO FOREM ACOSTUMADOS C ELES DESDE CEDO,isso pode ser personalidade de qqr raça.Adquiri a Nina do canil Du Massif,no E.S.pela internet!!mandaram por avião,pq moramos em são Paulo e enviaram o “pedigree” pelo correio,tudo certinho.Moramos em ap e somos uma família muito feliz,frenchies fazem sucesso por onde passam e são mto engraçados!!

    3. Alexandra disse:

      18 de junho de 2013 às 13:32

      Tenho um Bulldogue Francês de 3 anos. Realmente é um companheiro para todas as horas (todas mesmo). Ele se sente muito só, não é do tipo que encara bem a ausência dos donos. Lá em casa temos duas gatas, e eles se relacionam muito bem, sendo os três castrados. Meu dog foi se chegando aos poucos e conseguiu até convencer meu marido de que realmente nossa cama era o lugar mais adequado para ele dormir, imaginem o quanto é mimado.
      Em relação à saúde, realmente é uma raça muito frágil. Devo alertar a quem deseja “ganhar” um bulldog francês que o preço (3.000 a 5.000 reais) não é NADA comparado aos gastos que o animal da raça demanda. O meu mesmo já teve úlcera de córnea, problemas digestivos (mesmo com a dieta do cachorro verde que seguimos), entre outros, que custaram bem mais do que o valor que pagamos pelo cão.
      Já minha gatas (que achei na rua), só tem mesmos os gastos de consulta de rotina, vacinas, etc.
      Por isso, pra quem tem amor para dar e orçamento curto, nada como um SDR.
      Digo isso porque sempre tive SDRs e todos foram muito amados e amáveis.

    4. Bruno disse:

      5 de Maio de 2013 às 01:20

      Olá Ana.
      Moro em São Paulo e quero um buldog francês, já estudei as características da raça, e continuou a ver como o ideal para mim, porém vejo que todo mundo fala de problemas de saúde e que é caro, gostaria que me passasses a media de valor de veterinário e se existe algum especialista da raça que possa tratar da longa vida de meu novo amiguinho. É necessário saber os valores para ver se posso ou não ter um agora.
      sei que vocês não é fã de filhotes mas sabe como escolher um, tendo em consideração os problemas de saúde?
      Obrigado, abraço

    5. marcos cabral da silva disse:

      16 de Abril de 2013 às 15:45

      qual a media de filhotes que uma buldog frances tem?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        17 de Abril de 2013 às 10:05

        Não sei, Marcos. Deixo a reprodução a cargo dos RARÍSSIMOS criadores de verdade (tá mais fácil achar cabeça de bacalhau!) e recomendo a castração para todo o resto das pessoas que têm cães/gatos. Este guia de raças fala do temperamento/comportamento, não das características físicas etc.

    6. Juliane disse:

      15 de Abril de 2013 às 17:05

      Qual o problema da garota ter perguntado o que fazer sobre o cachorro colocar a pata na água?
      Tenho uma cocker de 3 meses super agitada que de vez em quando, mesmo em dias super frios aqui de Curitiba ela bate as patinhas na água, eu acredito que seja pra brincar, não sei, também gostaria de saber.
      Li e pesquisei muito sobre a raça e nenhum lugar dizia que ela colocaria as patas na água e acho normal, tem características marcantes da raça, e tem características que pode ser de qualquer filhote.
      Acredito que a moça que vcs citaram não vai abandonar o cachorro dela só por causa disso, ela só fez uma pergunta para esclarecer uma dúvida que eu também tenho.
      Tenho um terreno de quase 500m2 pra ela correr, vive cavando, correndo atrás de pássaros, na minha cidade faz frio e ela mesmo assim insiste em enfiar as patinhas na água, como eu disse, acho que é para brincar, mas se tem uma outra razão gostaria de saber.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        16 de Abril de 2013 às 11:00

        O problema é ela achar ruim a coitada da cachorro botar as patas na água, ué. Como vc mesmo fala, sua cadela bota as patas na água e isso não te incomoda. E o comentário só tem sentido no contexto, lendo-se o comentário anterior. Não sei a razão da cadela botar as patas na água, o que me deixa passada é o tipo de preocupação das pessoas, que não deixam os cães serem o que são: cachorros.

    7. Lara disse:

      20 de Março de 2013 às 08:46

      Bom dia

      Comprar um cão é meio que fora dos meus principios pessoais. Por isso gostaria de adotar um.
      O bulldog frances seria perfeito pra mim, considerando que em um ano eu vou me mudar para um apartamento e ele não costuma latir muito nem precisa de muito exercicio fisico.
      Mas embora já tenha procurado MUITO, eu não encontro para adoção.
      Você poderia me indicar um local em São Paulo – Capital que eu possa adotar?
      No aguardo

      Obrigada
      Lara

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        20 de Março de 2013 às 23:55

        Oi Lara, procure com protetores e ONGs. Como a raça está muito na moda e é super doente, já há vários sendo abandonados.

    8. sonia disse:

      21 de Fevereiro de 2013 às 12:19

      O meu “GISMO” é o cão mais lindo e amao do mundo! É um bichinho danado, rsrsr roe tudo o que pode, rsrsr e não adianta me mandar comprar brinquedos, pois ele tem de todos os tipos,rsrsr, mas o bichinho sapeca já destruiu minha cama, a borracha do pedal de uma overloque, as pontas de minha spiner,é uma coisa de louco!… Mas me apeguei tanto a ele que já não posso imaginar minha vida sem ele… É bem seletivo na alimentação,eu dou pra ele a ração para Bulldog da CIBAU, pois tem 31% de proteínas, mas pensa que ele como pura? NEGATIVO! Pela manhã ele só como 75g misturada com nestogeno, ao meio dia come com legumes e pedacinhos de carne ou frango e à noite com arroz e legumes. Adora sorvete de creme,mamão, adora banana e depois de seu desjejum, tem que comer um pedacinho de torrada com uma pontinha de margarina… É muito saudável e com 6 meses pesa 15 kg de puro músculo… EU AMO MEU GISMO! LIIIIIIIIIINDO! E MUIIIIIITO BAGUNCEIRO, rsrsrs

    9. Andrea disse:

      8 de Janeiro de 2013 às 13:33

      Boa tarde!
      Minha filha está louca por um buldog frances, mas eu moro no RJ e o valor dele é de 3.000 a 4.000 reais e eu não tenho todo esse valor. Gostaria de um bem filhotinho, pq tenho um york que não se dá com nenhum cachorro adulto. Vcs indicam alguém q venda por um preço melhor ou doe. Muito obrigada!

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        9 de Janeiro de 2013 às 02:11

        Andrea,
        NÃO recomendo o buldogue francês para conviver com um yorkshire encrenqueiro, a menos que você queira ver sangue. Explique para sua filha que agora simplesmente não é o momento, que não basta querer um filhote, que esta raça tem MUITOS problemas de saúde e uma manutenção BEM cara e que o melhor é esperar um outro momento da vida ou, sinceramente, não ter um frenchie nunca. Eu não teria um nem de graça, com troco em ouro.

    10. ricardo disse:

      18 de agosto de 2012 às 10:02

      Ola bom dia tenho um frances de 4 anos e gostaria de dar uma raçao boa pra ele fiz uma pesquisa de mercado e vi que a ( his ) e uma das melhores gostaria mesmo de dar a melhor para meu cao mas pra isso queria receber uma indicaçao de quem entende de verdae pq nas lojas que vendem cada um fala um coisa dai ficamos totalmente confusos com isso se possivel vc puder me dar uma dica nao sei qual seria a melhor. aguardo retorno muito obrigado e parabens pelas informaçao elas sao muito ricas pra nos que temos esses lindos filhotes como parte de nossas familias.
      abraços
      ricardo

    11. Flavia disse:

      29 de julho de 2012 às 22:40

      Oi Ana,
      Obrigada pela rapida resposta.
      Moro no Rio de Janeiro, tijuca.
      Por coincidencia havia escrito mais cedo para a Camilli, pois vi no blog dela comentario sobre adocoes tbm.
      Mantemos contato, ate mais.
      Flavia.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        30 de julho de 2012 às 14:57

        Vai ficar fácil de vocês se acertarem então. Ela recebe muitos contatos de pessoas doando Frenchies (pra não dizer “se livrando”…). Boa sorte.

    12. Flavia disse:

      29 de julho de 2012 às 19:18

      Oi Ana,
      sou estudante de veterinária, dona de 2 cães (um york 15 anos e uma frenchie de 5 anos), recentemente perdi uma frenchie que tinha graves problemas respiratórios (havia sido adotada já adulta após abandono em uma clinica).
      Tenho interesse em adotar outro frenchie, minha frenchie está sentindo falta de compania(o york devido a idade virou quase um gato, e as duas frenchies eram inseparaveis, relação de simbiose). Não me importa idade ou sexo, sou adepta da castração, adestramento, boa alimentaçao e tenho boa noção das necessidades da epécie e raça. Estou disponivel para conversar, dar maiores informações a respeito da minha familia/ matilha.
      Atenciosamente, Flavia

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        29 de julho de 2012 às 21:51

        Oi Flávia, copiei teu comentário e e-mail e repassei pra Camilli Chamone, do blog Ville Chamonix. Ela tem contatos com pessoas do Brasil inteiro doando frenchies. Faltou vc dizer onde mora… Se a Camilli não te escrever, escreva pra mim novamente, ok?

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        29 de julho de 2012 às 21:59

        Flávia, a Camilli já me respondeu que vai te escrever, fique de olho nos seus e-mails e na caixa de Spam, ok?

    13. Vânia Borelli disse:

      5 de Março de 2012 às 20:48

      achei ótimas as colocações, mesmo que tendendo ao negativo. Só uma ressalva, a manutenção do bichinho é tão cara quanto a de qualquer outro animal bem cuidado. O importanto é aprender bastante sobre a raça e compreender como deve ser tratada.

    14. Ana Fairy disse:

      29 de junho de 2011 às 15:35

      Oi Aninhaa….tá faltando colocar os shih-tzus…rsrsrs …antes de eu adotar a Wendy, eu já estava pesquisando sobre a raça, exatamente por isso…e tudo o que dizem dos shihs é muito verdadeiro….tanto as qualidades quanto os defeitos…eles são muito amigáveis com qualquer um…e quando eu digo qualquer um, é qualquer um MEESMO… se tiver um rotwailer na rua a Wendy chora, prá poder fazer amizade…completamente sem noção….hahahaha…o defeito deles é a coprofagia(hábito de comer cocô – blérgh)…e no caso da Wendy, ela gostava de ir na caixinha de areia das gatas…eu resolvi o problema colocando um portãozinho separando a caixa de areia com o ambiente comun delas…fora isso, ela tem mais qualidades do que defeitos…é muito amada…por todos, e nem tem como ser diferente – ela é alegre, brincalhona e super simpática. Assim como os donos…hahahaha…bj Aninhaa

    15. Lara disse:

      9 de junho de 2011 às 23:17

      Sempre leio o blog e hoje preciso comentar 😉
      Sou mãe de uma bulldoguinha de 7 meses e você a descreveu em várias situações rs
      Antes de comprá-la, li os posts da Camilli sobre as razões para não ter um frenchie e decidi que seriam pequenas para mim. E são. O amor pela minha orelhuda está acima dos meus móveis da cozinha roídos (frenchie decor, segundo Camilli), da casa que nunca mais ficou limpa devido aos pelos no chão, dos ronquinhos, puns e as vezes, babas pelo chão da casa rs
      Agora com 7 meses é que ela aprendeu a usar o jornal e de vez em quando, ainda acontece uma escapada! Apesar de tudo, bulldogs franceses são amáveis, carinhosos apesar de brutos rs e tem um carisma que ainda não encontrei em outra raça! Difícil olhar aquela carinha e não querer pegar no colo!
      E como mais uma razão para não ter um frenchie descrita pela Camilli, é "impossível ter um só". E é mesmo uma coisa difícil, apesar de toda bagunça, já me pego olhando fotos de filhotinhos querendo mais um!
      Se não fosse o lado financeiro, pois manter um cãozinho com tudo que ele precisa é caro, eu teria mais com certeza!
      Parabéns pelo post e pelo blog!
      Beijos,
      Lara, mãe da Lola 😉

    16. Camilli Chamone disse:

      9 de junho de 2011 às 22:39

      Queridíssima Ana,

      vi todos meus frenchies em seu post!

      É verdade quem nem todos os bulldogues franceses apresentam todas essas características de comportamento. Entretanto, um humano de estimação que queira adquirir um frenchie deve estar atento que seu cão poderá apresentar qualquer uma delas – ou até, muitassss elas!

      Frenchies não são cães para qualquer pessoa.
      São cães de companhia porque ELES PRECISAM de companhia.

      Quem tem um frenchie nunca estará sozinho. Mas, lhe deve o mesmo em retribuição a tanta devoção.

      Parabéns pela tradução e obrigada pela honra em me citar em seu SUPER blog!
      🙂

    17. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      9 de junho de 2011 às 03:57

      Para ilustrar o que falei antes… Vejam o que acabaram de deixar comentado em outro post

      "Alguem me ajuda?? tenho uma westie de 5 meses super agitada..agora ela começou a enfiar as patas no pote de agua..o que faço??"

      Se a pessoa tivesse
      1)Estudado a raça
      2)Adotado um adulto
      não estaria em crise só porque a coitada da filhote mete as patas na água…

      Westies têm temperamento forte, são cães terrier (com tudo de agitação, teimosia etc. que isto implica) e de país de origem com inverno rigoroso. Vai saber se essa coitada não está apenas com calor? Ou morrendo de tédio porque não está tendo exercício físico e estímulos mentais à altura do que sua raça precisa?

      Fala sério!

    18. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      9 de junho de 2011 às 03:17

      Anônimo
      Você tem ideia de QUANTOS cães são abandonados, dados de qualquer maneira, espancados, largados em sacadas, em quintais, em correntes etc. só porque as pessoas que os compraram/adotaram insistiram em não ver o "lado negativo" da sua raça ou comportamento?

      Concordo com você de que é um absurdo ter preconceito contra cães e gatos de raça definida e inclusive já postei sobre essa palhaçada, mas é ingenuidade achar que as características das raças (ou o temperamento dos cães de raça não definida) não influencia na vida que levarão em suas casas com os humanos.

      É burrice e maldade querer um cão só porque ele é bonito, ou porque está na moda, ou porque estava sendo doado, sem estudar seu temperamento. É assim que muitos cães terminam vivendo uma vida miserável ao lado de gente que não se deu ao trabalho de estudar o que seria conviver com eles e suas necessidades.

      Do mesmo jeito que existem raças e isto é ótimo, elas todas têm características definidas e isto também é ótimo. Assim, uma pessoa que não gosta de fazer exercícios físicos, por exemplo, pode optar por um cão mais calmo, ao invés de adotar ou comprar um cão super agitado só porque o achava lindo.

      Amar é respeitar a natureza do cão/gato e saber que talvez ela não combine com sua vida/rotina/hábitos etc.

      Não tem ninguém aqui falando mal de cachorro nenhum, o Guia de Raças serve justamente para que as pessoas levem em consideração não só suas limitações para dar o melhor para aquele tipo de cão, mas também para que conheçam os 'poréns' de escolher esta ou aquela raça. Isto não é crueldade, é respeito, é amor, é consideração.

    19. Anonymous disse:

      9 de junho de 2011 às 01:33

      Acho que ninguém deveria achar certo ou errado cachorro de raça ou não… os de raça são CACHORROS e os que não são de raça são CACHORROS tambem, com ou sem manias, razões para não se ter nenhum isso já é demais… São animais como qualquer um… Minha opinião é que não é certo ficar falando as coisas ruins de qualquer tipo de animal! Seja ele de raça aou não!!! Isso é cruel!!!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados