• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Guia de raças no Mãe de Cachorro – Cocker Spaniel Inglês

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 18 de Maio de 2011

    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção? Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.
    Raça de hoje: Cocker Spaniel Inglês, o carente!*
    Texto: Michele Welton- Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.
    O padrão da raça descrito pelo American Kennel Club diz que o “o entusiasmo no campo e a atividade incessante de sua cauda indicam o quanto o Cocker Spaniel gosta da caça para qual a raça foi desenvolvida”. Com mais instintos de caça do que o Cocker Spaniel Americano, o vívido Cocker Spaniel Inglês gosta e precisa de muito mais exercício físico. Quando bem socializado, o Cocker tem uma natureza doce e gentil com todos, sempre abanando a cauda. Alguns até são mais reservados e pode haver timidez e um excesso de submissão em algumas linhagens.
    Este cão é responde bem a um treinamento de obediência persuasivo que inclua bastante elogio e petiscos como recompensa. A menos que sejam ensinados a ser independentes, alguns Cockers são tão emocionalmente ligados aos humanos que podem ficar “pegajosos”, sempre pedindo atenção.
    Se você quer um cão que…
    • Tenha um tamanho conveniente e que seja atlético
    • Tenha uma pelagem vistosa que existe em diversas cores
    • Seja brincalhão e alegre, com uma natureza amigável
    • Seja geralmente educado com todo mundo
    • Seja pacífico com outros pets
    O Cocker Spaniel Inglês pode ser bom para você!
    Se você NÃO quer um cão que…
    • Sofra de ansiedade de separação ao ser deixado sozinho por muito tempo, o que pode levá-lo a latir em excesso e a destruir coisas
    • Precise de tosas e escovações frequentes
    • Solte bastante pelo
    • Tenha potencial para latir em excesso
    • Urine ao ficar nervoso/excitado/feliz ou para demonstrar submissão
    O Cocker Spaniel Inglês pode NÃO ser bom para você!
    Se você está pensando em adotar um Cocker Spaniel Inglês… Considere as questões abaixo seriamente.
    1. Providencie exercício físico regular e suficiente – O Cocker Spaniel Inglês típico é um cão de caça que precisa de mais exercício do que você pode estar imaginando. Só porque ele é pequeno não significa que ficará feliz ao morar em um apartamento ou com algumas voltinhas pela quadra. Esta raça precisa de espaço externo (e bem cercado!) para que possa exercitar-se, correr e brincar.
    2. Ansiedade de separação – Mais do que muitas outras raças, o Cocker Spaniel Inglês típico precisa de muita companhia e não gosta de ser deixado sozinho mais do que por poucas horas. Eles tendem a expressar sua infelicidade e tédio destruindo o que for possível. Se você trabalha fora o dia inteiro, este talvez não seja o melhor cão para você.
    3. Cuidados com a pelagem – Para manter sua pelagem bonita, saudável e livre de nós, o Cocker Spaniel Inglês precisa de escovação regular e também de tosas a cada dois meses, mais ou menos.
    4. Troca de pelo – O Cocker Spaniel Inglês solta bastante pelo.
    5. Latidos excessivos – O Cocker Spaniel Inglês típico geralmente é rápido para soar o alarmente quando há algo novo ou errado. Você terá que ser igualmente rápido e eficiente para impedir que ele vire um cão que lata excessivamente e por qualquer mínimo motivo.
    Adote um Cocker Spaniel Inglês adulto!

    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Cockers adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!

    Salve uma vida. Adote um cão.

     *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.
    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.
    Categoria: Ansiedade por separação, Guia de Raças
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    20 Comentários:

    1. Jeane disse:

      2 de Fevereiro de 2014 às 19:37

      Tenho uma Cocker toda especial chamada Pepper, Os criadores andavam fazendo cruzamento entre irmãos ela tem uma série de deficiências como surdez, albinismo, mas nunca vi criatura mais querida. Amorosa, educada, brincalhona a gente sai por 5 minutos quando volta ela faz a maior festa. Pra mim não existe raça mais companheira.

    2. Lucian disse:

      14 de setembro de 2013 às 19:02

      IMPORTANTE!!!

      Nesta madrugada encontramos um Cocker Spaniel Inglês, bicolor, na porta da minha casa (em frente ao crematório da Vila Alpina – Vila Prudente). De manhã nós mandamos para o pet shop para tomar banho e fazer a tosa higiênica.

      Ele é lindo, aparenta ter uns 2 ou 3 anos no máximo. É bem cuidado, pois tinha sinais de tosa higiênica anterior. Nós acreditamos que ele tenha fugido.

      Peço que ajudem a compartilhar esta postagem com o maior número de amigos possíveis, e se não encontrarmos o dono, vou ter que doá-lo, pois não posso ficar com um macho adulto aqui em casa, já que tenho as minhas meninas sem castrar.

      Agradeço a colaboração de todos.

    3. Gisele disse:

      27 de junho de 2013 às 22:31

      Olá,tenho uma Cocker de 1 ano e 2 meses de vida,ela entrou a primeira vez no cio em marcço deste ano,apos isso teve gravidez psicologica(ficava agressiva,mordia por qlqr coisa) ,e agora castrei a faz dois dias e ela continua agressiva,só de olhar ela ja rosna e vem para atacar(só desiste pq a gente acaba saindo de perto e ela esta debilitada),nao sei oq faço pq nao consigo limpar o ponto da cirurgia,tivemos a infelicidade de achar que a roupinha de castraçao era mais confortavel para ela do que o colar e agora nao temos como colocar a mao nela,estamos super preocupados(eu e meu namorado) e tensos com essa situaçao.O que fazemos neste caso?

    4. Ribelle Costi Storti disse:

      12 de junho de 2013 às 01:05

      Tenho 2 cocker spaniel, uma preta de 9 anos e outra caramelo de 2 anos, elas sao incriveis, e por incrivel que pareca a mais velha faz muito mais bagunca do que a mais nova. Adoruu animais, nao qria mais cachorros mas como tive uma filha e ela tbm adora cachorros (animais) acabei comprando a mais nova.

    5. Marcos Cesar disse:

      9 de Abril de 2013 às 15:39

      Senhores(as), boa tarde!

      Solicito vossa ajuda, pois tenho uma cadelinha cocker com 12 anos de idade, que a cerca de dois meses não quer mais comer ração. Já levei no veterinário, fizemos exame de sangue e nada foi constatado no resultado; passou-se medicamento preventivo e vitaminas, mas até o presente momento nada mudou. Já comprei sache da pedigre, água de coco e soro vetrinário para hidratar e tentei mudar ração e nada mudou.

      Tudo começou quando eu e minha esposa nos ausentamos por uns dias em detrimento de nossas férias, mas nossos filhos cuidaram direitinho; e por isso constatamos uma certa depressão, que culminou neste estágio e já dura cerca de dois meses.

      Outrossim, informo-vos que as vacinas estão todas elas em dia.

      No aguardo de sua preciosa resposta e orientação.

      Att.

      Marcos Cesar.

    6. Karynne Marinho disse:

      12 de Fevereiro de 2013 às 19:07

      Meu BOB descrito a cima…
      Ele já tinha quase 3 aninhos quando o adotamos e se adaptou muito rápido. Agora, com dois anos conosco estamos sem saber o que fazer… Iremos mudar para um apt e sei que ele não vai ficar bem; não queremos que ele vá para outra família mas não sabemos mesmo mais o que fazer…

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        13 de Fevereiro de 2013 às 23:21

        Karynne, mas o Bob é um Cocker, certo? E POR NÃO levá-lo para o apartamento?

      • jade disse:

        27 de Março de 2014 às 17:38

        tenho uma cocker tb, e aconteceu o mesmo com a minha. mas n pensei em hipotese alguma em me separar dela. resultado, está aqui comigo, feliz como sempre, porém necessita de passear nem q seja de forma rapida ao menos uma vez por dia. leve-a, ela ficará muito mais feliz ao seu lado

    7. Noemi disse:

      31 de outubro de 2012 às 15:16

      Oi meninas, ganhei um anjinho que está com 70 dias. Mas o problema aqui em casa está sendo a minha pessoa. Eu que estou com ansiedade da separação. kkkkkkkk! Eu tive um poodle e ele teve a ansiedade da separação em um grau máximo, absurdo. Ele sofreu muito e eu acabei sofrendo MUITO mais que ele. Então, toda vez que eu preciso sair de casa eu ja começo a chorar por pensar em deixar ela só. Aí peço p meu marido deixar ela na casa da minha sogra. Só que agora minha sogra não vai mais poder ficar com ela e não sei o que fazer pra acostumá-la a ficar só. Sendo que eu só fico fora umas 4,5h no máximo! Meninas, vocês tem algumas dicas?

    8. Debora disse:

      15 de agosto de 2011 às 04:29

      Só acrescentar que quem planeja adotar um cocker é bom fazer estoque de remédios contra otite, porque devido às orelhas caídas, longas e bem peludas, eles tem o ouvido bem abafado e úmido, com alta propensão à otites.

    9. Debora disse:

      15 de agosto de 2011 às 04:27

      Tenho uma Cocker de 15 anos, a Laika e ela se encaixa em tudo da raça, menos em relação a latidos, nesse ponto ela é "quase muda", só late um pouco quando a gente chega em casa.

      É super amigável com pessoas e outros animais, bem fácil de lidar, alegre e muito mansa. E no caso dela realmente tem excesso de submissão desde filhote, até a gata que adotei depois manda e desmanda nela completamente.

      Estou aguardando a descrição do Pastor Alemão, o último filho que adotei, que à propósito dá de 10X0 na minha cocker no quesito "grude" e carência.

    10. Anonymous disse:

      31 de julho de 2011 às 03:31

      Nadia

      Sempre tive cães grande,mas um dia um homem encontrou uma cocker na rua e tentou vende-la mas seu estado era horrivel e ele a soltou em uma avenida sem se preocupar com ela e eu a pegue ,estou apaixonada foi um anjo que entrou em minha vida

    11. Lia disse:

      9 de junho de 2011 às 01:14

      Tenho uma filhinha de 5 aninhos, a Bellinha, e acrescentaria nas informações acima a seborréia típica da raça. É uma ótima companheira, e super carinhosa…

    12. Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

      20 de Maio de 2011 às 22:46

      hahaha Nem me fala, o Shoyo é yorkie também. E o pior é que foquei tanto no 'em orde alfabética' que nem li a raça dele mesmo assim, haha. Beijo!

    13. Deia Dutra disse:

      20 de Maio de 2011 às 22:37

      Descrição exata da minha querida Nina! Carente que só, mas muuuuito carinhosa. Agora estou aguardando ansiosa um post sobre a raça do irmãozinho dela, o Chico, que é um Yorkshire. Mas acho que vai demorar né? Bjs!!!

    14. Aymée, a Terrorista do Rabicó disse:

      19 de Maio de 2011 às 02:06

      Pra crise de ansiedade por separação eu tenho uma dica que dá certo cãomigo.
      Cãodo minhas aúmanas vão sair eu vou pra cãozinha cão a prima Olivia e a canis fica auvindo música. A canis nem late…
      Aúgora se só uma sair, eu fico aúlhando na janela auté ela voltar!
      Lambjs
      Aymée, a Terrorista do Rabicó

    15. Rosana disse:

      18 de Maio de 2011 às 20:21

      tenho duas cockers e elas são maravilhosas!!!!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados