• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Como reconhecer sinais de estresse no seu peludo!

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 15 de abril de 2011

    O texto abaixo foi escrito para o blog Canto dos Bichos pela minha queridíssima amiga Fúlvia. Quando a avisei sobre a minha ausência temporária, pedi que me indicasse alguns textos dela para eu deixar programados para vocês. Este é um deles!

    ps: Este texto já foi recomendado no post Estresse não é exclusividade humana!

    Sinais de estresse

    Estou lendo um livro muito legal da Pat Miller e resolvi que algumas coisa são muito importantes para que fiquem só comigo: é bom compartilhar com vocês todos. Pelo bem de nossos cães e da gente também!

    Sinais de Estresse

    Aprenda a reconhecer os sinais de estresse em seu cão

    Donos conscientes estão sempre prestando atenção aos possíveis sinais de estresse em seu cão, aliviando a tensão quando estes ocorrerem. Aqueles cujos cães se estressam facilmente geralmente se tornam super vigilantes, prestando atenção aos mínimos sinais que antecipam os comportamentos relacionados ao estresse mais óbvios para impedir reações desagradáveis.

    Se mais donos se conscientizassem dos sinais sutis de estresse, menos cães morderiam. Isso seria ótimo.

    Porque desestressar ajuda

    Existem muitas razões que tornam importante o fato de procurar por sinais de estresse, incluindo:

    • O estresse é a principal causa universal de agressão.

    • O estresse pode ter um impacto negativo na saúde do cão.

    • A habilidade do cão de aprender é prejudicada quando ele está estressado.

    • O cão responde mal aos comandos quando estressado.

    • Condicionamento negativo clássico pode ocorrer como resultado de estresse.

    Por todas estas razões, e outras mais, vale a pena verificar se seu cão demonstra algum sinal de estresse e fazer o melhor para tornar-lhe a vida mais fácil.

    Abaixo estão listados alguns comportamentos que indicam estresse, mas que muitos deixam passar. Em cada um deles, o curso de ação imediata e apropriada é identificar o causador do estresse e descobrir como diminuir a intensidade deste estímulo. Em muitos casos basta aumentar a distância entre seu cão e o causador de estresse – seja uma criança, outro cão, barulho muito alto, pessoas de uniforme, homens de barba…

    Se possível, remova o que causa estresse do ambiente. Se ele se estressa quando você grita com ele, com coleiras que dão choque ou com o barulho dos carros de corrida na televisão, simplesmente pare de expô-lo a estas coisas. Para todos aqueles que não podem ser removidos, um programa de contracondicionamento e dessensibilização pode mudar a associação do cão com o que lhe causa estresse de negativo para positivo.

    Sinais de estresse

    Anorexia

    O estresse causa a perda do apetite. Um cão que não aceita petiscos, mesmo os mais gostosos para ele, pode estar só distraído ou sem fome, mas geralmente é um indicador de estresse.

    Sinais para acalmar ou de submissão

    Nem sempre indicam estresse. Sinais para acalmar e que mostram submissão são ferramentas de comunicação importantes no dia a dia para manter a paz na hierarquia social e geralmente são oferecidas pelo cão em interações calmas e sem estresse.

    Geralmente são oferecidas pelo cão que tem um lugar mais baixo para outro que tenha um posto mais alto no grupo social para promover a tranquilidade do grupo e a segurança dos cães mais subordinados. Quando oferecidos juntamente com outros comportamentos, podem ser indicadores de estresse. Estes sinais incluem:

    • Se mover lentamente: Os cães mais subordinados parecem se mover em câmera lenta.

    • Lamber os lábios: Os cães mais subordinados lambem os lábios dos cães com posto mais alto na matilha.

    • Sentar / Deitar / Deitar de barriga pra cima: Os cães mais subordinados mostram submissão ao “diminuir” o tamanho do seu corpo, além de expor suas partes vulneráveis.

    • Virar a cabeça / Desviar os olhos: Os cães subordinados evitam contato com os olhos e expõe o pescoço.

    Prevenção

    O cão se vira; fica parado; evita contato com o dono; evita os petiscos.

    Expressão assustada

    Aparecem rugas na testa e em volta dos olhos do cão.

    Problemas digestivos

    Vômitos e diarreia podem ser sinais de doença ou de estresse; o sistema digestivo reage bastante ao estresse. Enjoos no carro geralmente são uma reação de estresse.

    Comportamentos de substituição

    São comportamentos executados no esforço de resolver um conflito estressante para o cão, não relacionado à hierarquia. Podem ser observados em um cão que está estressado e isolado (por exemplo, um cão deixado sozinho na sala de exame do veterinário), diferenciando-os de comportamentos relacionados à hierarquia.

    Estes comportamentos incluem:

    • Piscar: Os cães piscam mais rápido que o normal.

    • Lamber o nariz: Lambem o nariz repetidamente, muitas vezes.

    • Ranger os dentes.

    • Se coçar.

    • Se chacoalhar. Se o cão está molhado, é normal. Se ele estiver seco, não.

    • Bocejar.

    Babar

    Pode ser um indicador de estresse – ou uma resposta à presença de comida ou pode indicar um machucado na boca.

    Se limpar excessivamente

    O cão lambe ou mordisca as patas, flanco, cauda e genitais, podendo chegar ao ponto de automutilação.

    Hiperatividade

    Comportamento desvairado, andar sem descanso, algumas vezes mal interprateado como “ignorar” o dono.

    Problemas do Sistema Imune

    Ficar estressado por muito tempo enfraquece o sistema imunológico. Os problemas relacionados ao sistema imune melhora quando os níveis de estresse do cão diminuem.

    Falta de atenção

    O cérebro tem dificuldade de processar informações quando estressado.

    Ficar encostado / “grudado” em alguém

    O cão estressado procura contato humano para se tranquilizar.

    Abaixar o corpo

    Se esgueirar, agir como culpado ou afastar-se sorrateiramente (todas má interpretações da linguagem corporal canina) podem ser indicadores de estresse.

    Beliscar / mordiscar

    Usar a boca na nossa pele – pode ser um filhote explorando ou maus modos de um cão adulto, mas também podem ser expressões de estresse, variando de uma gentil mordiscada (como se estivesse nos coçando), morder nossos dedos quando pega um petisco até mordidas mais dolorosas e sérias.

    Transtornos Obssessivo-Compulsivos

    Incluem caçar moscas imaginárias, perseguir luzes e sombras, perseguir a cauda, comer objetos, “mamar” os flancos, automutilação e outros. Embora estes transtornos possam ser de origem genética, o comportamento em si geralmente é causado pelo estresse.

    Ofegar

    Respiração rápida, superficial ou pesada sem o cão estar aquecido ou ter acabado de se exercitar.

    Movimentos rígidos

    A tensão pode causar um endurecimento dos movimentos das patas, cauda e corpo.

    Espreguiçar-se

    Para relaxar os músculos tensos devido ao estresse, muitos cães se espreguiçam (pode ocorrer depois de acordar ou de ficar muito tempo no mesmo lugar).

    Patas molhadas / suadas

    O cão deixa pegadas de suor no chão, mesa de exame ou tapetes.

    Tremer

    Devido ao estresse (ou frio!).

    Chorar

    Uma vocalização aguda, que irrita a maioria dos humanos, é um indicador de estresse. Embora algumas pessoas a interpretem como excitação, um cão que está excitado a ponto de choramingar também está estressado.

    Bocejar

    Principalmente quando o cão não parece estar fatigado.

    Mesmo nós, humanos, temos uma necessidade biológica de usar a linguagem corporal para expressar e aliviar o estresse.

    Sem Provocação

    Quase todo título “Cão Machuca Criança” é seguido por um artigo que inclui, entre outras coisas, estas duas frases:

    1. “O cão sempre foi bom com crianças” e;

    2. “Ele mordeu sem nenhum motivo”.

    A maioria das pessoas que pensa que seu cão é “bom com crianças” não percebem que muitos apenas as toleram – na verdade os cães ficam estressados na presença delas, pelo menos em algum grau. Estes cães geralmente mostram baixos sinais de estresse, que poderiam avisar um dono mais atento, de que eles não acham os pequenos humanos tão legais assim. Cães que realmente são “bons com crianças” as adoram; não apenas as toleram. Ficam felizes ao vê-las e, como se dançassem, abanam o rabo, “sorriem” com olhos, mal podem esperar para ficar junto delas. Qualquer coisa menos que esta resposta alegre é mera tolerância.

    Com a rara exceção da agressão idiopática aquela que não há uma causa real – toda mordida é provocada do ponto de vista do cão. Nós, como humanos, podemos achar que a mordida não tinha justificativa, mas para o cão tinha algum motivo sim. Em muitos casos a provocação está bem aparente nos artigos: o cão era mantido preso numa corrente ou canil pequeno; era uma cadela com filhotes; a criança ficou sozinha com o cão (que estava comendo). Em cada caso, o cão estava tão estressado que não conseguiu se controlar.

    Melhore sua percepção de sinais de estresse. Examine as notícias sobre ataques de cães e veja se você consegue descobrir o agente causador do estresse e qual foi a provocação em cada incidente. Então proteja seu cão destas circunstâncias que podem levar com que ele morda alguém.

    Fonte: clique aqui

    Categoria: Mordidas, Saúde
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    26 Comentários:

    1. Layane disse:

      16 de dezembro de 2013 às 11:32

      Olá, levei minha cachorrinha para tomar banho no petshop e eles me entregaram ela com o olho machucado, tinha uma bola de sangue no olho, a lingua tambem estava com sangue, e um corte na boca. Fui até lá para saber o que aconteceu e eles disseram que ela ficou muito agitada e o globo ocular dela saiu. Mas eu não acreditei nessa historia.
      Sera que agrediram ela?!

    2. flávia disse:

      27 de agosto de 2013 às 20:35

      tenho um podyee ele tem 3 meses esses dias vi ele batendo os dentes o que sera isso não e sempre que ele bate os dentes obrigado…

    3. cidalia moreira disse:

      2 de agosto de 2013 às 08:02

      Ola,tenho um pastor alemão de um ano, a uns tempo pra ca, ele ladra,ladra e ladra por tudo e por nada,mas nao morde,come bem,bebe bem a água.mas acho eu que seje estresse,mas é algo muito desconfortavel,fasso carinho passeio com ele,assim que chega em casa,continua e doi-me ver o meu bb assim, oque que eu fasso…

    4. carolina disse:

      2 de julho de 2013 às 15:11

      A minha Lhasa ficca sozinha durante o dia, quando chego em casa e ela me vê, fica alguns minutos tremendo, mesmo eu pegando ela no colo e brincando, será que é stress. Tem algo que possa fazer?

    5. Gabriela disse:

      8 de junho de 2013 às 15:17

      Ola ! tenho um Poodle toy, ele tem 7 meses apenas, e eu notei que a dois dias ele range os dentes como se ele estivesse mastigando algo, esta comendo normalmente, brinca e etc…só que estou muito preocupada com o seu ranger de dentes, Li algumas coisas no google que me deixou mais preocupada ainda, sobre a doença Cinomose, que deixa o cão com espasmos musculares, mas meu Poodle apesar de frequentar pet shop, ele é vacinado contra Cinomose, então o que poderia ser esse ranger de dentes. Estou muito preocupada pois amo meu cachorro. Aguardo uma resposta. Obrigada e meus Parabéns pelo site e pela matéria. Beijos

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        17 de junho de 2013 às 11:39

        Oi Gabriela,
        o ideal seria você procurar um veterinário acupunturista ou homeopata, pois se for cinomose ele saberão dizer e, se não for, geralmente estes especialistas sabem mais sobre problemas específicos assim e não os tratam com mil remédios que muitas vezes ajudam de um lado e atrapalham de outro.

        Beijo e boa sorte, querida.

    6. Carla disse:

      31 de maio de 2013 às 19:25

      Eu estou bem preocupada com meu cachorro, na verdade tenho dois da raça maltês. Com diferença de 10 dias um do outro. Meu Mickey sempre foi alegre, brincalhão, quando eu dava aquele ossinho dingo, não importasse o quanto o Bob (meu outro cachorro) tentasse roubar ele não deixava. Percebo que hoje se ele rouba o Mickey não faz nada, então vou lá tomo e devolvo ao Mickey. Isso tudo aconteceu depois que precisei me ausentar por 3 dias, minha mãe falou que ele não parava de chorar. Eu voltei e percebo que ele continua chorando, passou a fazer xixi em todos os lugares errados. Eu vou na rua duas vezes ao dia com eles e me parece que é a única alegria que ele tem. Nesse momento estou de férias, ou seja, ele está passando mais tempo comigo e não para de chorar. Ele se coça, se lambe desde sempre, mas atualmente passou a se chacoalhar sem estar molhado umas cinco vezes ao dia. O ouvido dele não está com cheiro ruim, nem me parece que ele tenha pulgas ou carrapatos, pois a pele está bem saudável com o pêlo sedoso. Mesmo assim dei o revolution tem uns 10 dias, bem como o drontal. Mas acho ele desanimado, ele come porque eu insisto e fico em cima fazendo festa, mas se não fizesse isso acho que nem comeria. Ele sobe na minha cama e ao perceber que vou comer alguma coisa fica choramingando pedindo, sendo que antes ele descia e vinha pedir. Fico pensando se eu não reforcei esse comportamento nele conforme ele não tinha atitude eu fazia por ele, pegava da boca do outro cachorro, ou mesmo quando ele não vinha pegar o bifinho eu ia até ele e dava. Mas também tenho medo que seja dor, como saber? Tem duas semanas que levei no veterinário os dois e estava tudo bem. Desculpa o tamanho do texto, mas a preocupação é grande. Obrigada pelos posts, as mães de primeira viagem como eu agradecem. Um beijo, Carla.

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        4 de junho de 2013 às 00:11

        Querida Carla,
        você não deve desobedecer a hierarquia que eles estabelecem. Se um toma o brinquedo e o outro deixa, por favor, deixe assim, ok? Eles ficarão confusos se você alterar essa ordem. Como eles já foram examinados e está tudo aparentemente bem, creio que seja mesmo algo mais psicológico que você está reforçando no afã de acertar e fazer o melhor pra eles. Não fique triste, a gente erra por amar demais. O melhor que podes fazer agora é procurar ajuda profissional. A Emmanuelle, do http://www.educadoracanina.com.br oferece consultoria via Skype, se julgar que poderá realmente ajudar mesmo à distância. Escreve pra ela! Beijo e pergunte sempre que precisar.

    7. silvia disse:

      22 de maio de 2013 às 11:22

      ola, meu cao shnauzer tem 3 anos, e um doce, mas quando coloco a coleira para tentar sair para passear muda totalmente. Começa morder a guia emitir latidos e sons agudos qua acredito ser choro. Sai de casa louco, estressado, latindo para todos e tudo e se arrastando e a mim tambem pelas ruas. Mas ssei que ele gosta de passear e não quero perder o hábito que abandonei pois fico muito triste quando vejo ele nessa situação. Por favor, me ajude ou me indique alguem que possa fazê-lo,amo meu caozinho e quero muito que ele possa sair feliz de casa e conviver socialmente com outras pessoas e animais. Obrigada!!!

    8. Tânia Maria disse:

      15 de maio de 2013 às 13:51

      Boa tarde! Tenho uma Poodle Toy branca de 2 anos e meio e, venho percebendo uma mudança no comportamento dela.
      Layla sempre foi brincalhona e atrevida, agora anda assustada e se recolhendo com medo.
      Meu vizinho está reformando a casa a um ano.
      Todos os dias é um quebra quebra que não tem fim.
      É um baulho insuportavel. Minha irmã que mora nos fundos da minha casa, ficou preocupada com a ausencia da Layla hoje. N˜åo sai de dentro de casa como sempre faz. Então, minha irmã resolveu ficar com ela na minha casa. Fez festa, brincou e comeu. Quando os pedreiros voltaram do almoço e o barulho continuou, a Layla se acuou novamente. O que devo fazer? Penso que a Layla está se estressando com barulho.

      Grata,

      Tânia Maria

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        18 de maio de 2013 às 22:57

        Tânia, poodles são MUITO inteligentes e igualmente sensíveis a barulhos, brigas, discussões. São cães que precisam de PAZ de espírito, paz mental, paz no ambiente. Sofro só em pensar em quantos não têm essas condições em suas vidas, em quantos são dados pra crianças e pessoas barulhentas. Talvez fosse bom sua pequena passar uns tempos na casa da “tia”, sabia? Leia> http://www.maedecachorro.com.br/2011/09/guia-de-racas-poodle-miniatura.html

        Não tem a menor chance de alguém estar batendo nela?

    9. ana lucia filgueiras disse:

      20 de março de 2013 às 17:26

      me considero mãe das minhas duas cadelinhas tenho a Mel com 4 anos, e a Be com 7 meses e acho que estão stressadas pois hoje tenho pouco tempo para elas devido a doença da minha mãe que teve um AVC e não conhece ninguem e não anda, mas mesmo assim procuro dar carinho a elas, elas acompanham cada passo meu, a bel dorme com minha filha e a mel dorme comigo e meu marido que adora como a uma filha, mas a bel começou a arrancar o pelo pensei que tivesse pego sarna no prt shop ,as a veterinaria me garantiu ser stress, me diga como devo agir. obrigada!

    10. sumaya disse:

      30 de janeiro de 2013 às 10:47

      tenho um cao da raça chow chow e ele ultimamente anda chorando, se coçando muito e se mutilando,acho q anda estressado, ja que moro em apartamento, gostaria de saber s ehá algum tratamento para isso, e cmo posso fazer para ajuda-lo, desde ja agradeço.

    11. maria jose vieira disse:

      13 de dezembro de 2012 às 21:01

      preciso de um esclarecimento
      tenho uma cachorrinha pintcher ela tem mais de dois anos,é pretinha, agora ela esta com umas falhas de pelos pelo corpo tenho medo que seje alguma doença,sera que pode ser estresse?
      me ajudem por favor.ja me falaram até que pode ser sarna ,mais eu cuido muito bem dela
      me ajudem e desde ja obrigada

      • Mãe de Cachorro – Ana Corina disse:

        14 de dezembro de 2012 às 08:54

        Maria, pode ser muita coisa diferente… estresse, fungo, sarna demodécica, alergia… Só um veterinário bom pra diagnosticar. Problemas de pele são bem chatinhos. Recomendo castração sempre, pra manter a imunidade o mais estável possível.

    12. Giselle disse:

      28 de novembro de 2012 às 23:03

      Minha cadela é muito peluda, e de uns tempos pra cá começou a chorar muito, ficava agoniada não parava quieta em lugar nenhum observei e percebi alguns nós em seu pelo então comecei a seção escovação e cortei alguns nós muito rente a pele sem me preocupar muito com a estética pois achei que esses nós estavam causando dor nela…. por incrível que pareça ela ficou quietinha enquanto eu cuidava dela e quando terminei ela começou me lamber e pular brincando muito deitou e dormiu… eu não sei se ela estava estressada precisando de um momento de carinho ou se realmente os nós a estavam incomodando, mas graças a Deus deu certo!!!

    13. Rafael disse:

      28 de agosto de 2012 às 19:57

      Vi também uma técnica super interessante, pra fazer aromaterapia em casa mesmo, com coisas que a gente tem em casa ou acha em qualquer lugar http://revistameupet.com.br/saude/aromaterapia-com-caes-e-gatos-pode-acalmar-ou-animar-seu-pet/125/

    14. Monica disse:

      3 de julho de 2012 às 11:46

      Gostei muito, com certeza ajudou a diagnosticar stress na minha cachorrinha.

      • mirian franca silva disse:

        3 de janeiro de 2014 às 19:33

        goste muito me ajudou bastante no que eu pocurava

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados