• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Relações de gatos e seus humanos de estimação: ainda mais próximas do que imaginávamos ;-D (DELÍCIA de texto!)

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 2 de março de 2011
    Recebi o texto da querida amiga Lígia Fascioni e traduzi pra nós. Enquanto lia e traduzia o texto da Discovery News lembrei de tantos amigas e amigos queridos e mães e pais declarados de gatos, que confesso que dá até vontade de aumentar a família ;-D Vamos ao texto, boa leitura!
    Gatos unem-se a humanos, e particularmente a mulheres, como parceiros sociais e não apenas para obter alimento.
    O interessante
    • Relacionamentos entre gatos e seus humanos de estimação imitam laços de relações humanas, especialmente quando uma mulher está envolvida;
    • Gatos exercem um certo controle sobre quando são alimentados e tratados, agindo de maneira bastante similar a crianças humanas em alguns lares;
    • Enquanto a idade, o sexo e a personalidade dos tutores afeta estes relacionamentos, o sexo dos gatos parece não importar.
    Um novo estudo sugere que o laço entre gatos e seus tutores acaba sendo muito mais intenso do que o imaginado, especialmente para mulheres fãs de gatos e seus felinos reciprocamente afetivos.
    Gatos unem-se a humanos, e particularmente a mulheres, como parceiros sociais e não apenas para obter alimento, de acordo com a nova pesquisa, que foi aceita para publicação no jornal Behavioural Processes. O estudo é o primeiro a mostrar em detalhes que as dinâmicas envolvendo os relacionamentos gatos-humanos são praticamente idênticas aos laços formados em relações exclusivamente entre humanos, com os gatos inclusive tornando-se às vezes a “criança peluda” em lares amorosos.
    Comida geralmente é usada como uma compensação de afeto, e as maneiras como gatos e humanos se relacionam com ela são similares às interações entre o humano e uma criança que ainda não fala da qual ele cuide”, disse o co-autor do estudo, Jon Day, um pesquisador do Waltham Centre for Pet Nutrition, à Discovery News. “Tanto bebês humanos quanto felinos estão, ao menos em parte, em controle de quando e do quê são alimentados!”.
    Para o estudo, liderado por Kurt Kotrschal, da Konrad Lorenz Research Station, da Universidade de Vienna, os pesquisadores filmaram e depois analisaram as interações entre 41 gatos e seus tutores por períodos dividos em quatro partes. Cada um dos comportamentos tanto dos humanos quanto dos gatos foi anotado e analisado. As personalidades dos dois também foram avaliadas em um teste separado. Para as avaliações dos felinos, os autores usaram um brinquedo imitando uma coruja de pelúcia com grandes olhos de vidro deixada no chão para que os gatos a encontrassem sem querer.
    Os pesquisadores constataram que os gatos e seus tutores são fortemente influenciados uns pelos outros, a tal ponto que um chega a controlar o comportamento do outro. Mulheres extrovertidas com gatos jovens e ativos compartilharam a maior sincronicidade, com os gatos destes relacionamentos precisando usar apenas dicas sutis, como um único movimento de cauda, para sinalizar seus desejos de contato amigável.
    Enquantos os gatos têm vários admiradores do sexo masculino, e vice-versa, este estudo e outros revelam que as mulheres tendem a interagir com seus gatos – sejam eles machos ou fêmeas – mais do que os homens. “Em resposta, os gatos aproximam-se mais das tutoras mulheres e iniciam contato com elas mais frequentemente (como ao pular em seus colos) do que fazem com tutores homens”, contou à Discovery News a co-autora Manuela Wedl da Universidade de Vienna, acrescentando que “tutoras mulheres têm relacionamentos mais intensos com seus gatos do que os tutores masculinos”.
    Os gatos também parecem lembrar de gentilezas e retornar os favores mais tarde. Se um tutor cede aos desejos de interação do seu gato, então ele geralmente cederá aos desejos do tutor de interagir em outros momentos. O gato também parece “ter uma vantagem nessa negociação”, uma vez que os humanos já estão geralmente predispostos a estabelecer contatos sociais.
    Embora existam exemplos isolados de laços entre animais não humanos, como gorilas, relacionando-se com outras espécies, parece que é um traço majoritariamente humano interagir socialmente com outros animais. E neste caso, com os gatos, é por um boa razão. Gatos podem muito bem ser o melhor amigo do homem – e da mulher!
    Um relacionamento entre um gato e um humano pode incluir atração mútua, compatibilidade de personalidade, naturalidade de interação, divertimento e apoio emocional e social”, a co-autora Dorothy Gracey, da Universidade de Vienna, explicou. “Um humano e um gato desenvolvem mutuamente interações ritualizadas e complexas que demonstram mútuo entendimento das inclinações e preferências do outro”.
    Dennis Turner, um comportamentalista animal da University of Zurich-Irchel, disse à Discovery News que está “muito impressionado com este estudo sobre relações entre gatos e humanos, que elevou nossos conhecimentos prévios a um novo passo, usando técnicas de análise mais modernas para entender como as personalidades de humanos e gatos interagem”. Turner, que também é editor chefe da publicação The Domestic Cat: The Biology of Its Behaviour (O gato doméstico: A biologia do seu comportamento), da Cambridge University Press, acrescentou que ele e seus colegas “agora têm uma nova dimensão que os ajuda a entender como estes relacionamentos funcionam”.
    A equipe de Kotrschal’s está no momento envolvida em um estudo de longo termo sobre outro animal muito conhecido como o melhor amigo do homem: o cão.
    Vem aí:
     Caneca Eu Amo Gatos, na Loja Virtual Mãe de Cachorro
    Categoria: Animais e nós, Gatos
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    10 Comentários:

    1. Roberto disse:

      15 de janeiro de 2013 às 10:48

      Adorei este artigo, mas estou ainda muito intrigado com um fato que acontece aqui em casa e peço uma luz, pra ver se alguém me explica essa coisa estranhíssima que está acontecendo: meu gato (macho castrado, de 1 ano de idade), o tempo todo tenta fazer sexo com a minha perna! kkkk, rir pra não chorar, mas é isso mesmo. Ele sobe na minha canela e começa com miados estranhos, morde o meu joelho e começa a fazer aqueles movimentos típicos e mostra o pipizinho. Detalhe: ele só faz isso comigo, e não com a minha esposa. Que diabos seria isso? Ele tem algum problema ou isso acontece com frequência em outros lares? È a primeira vez que eu tenho um gato, por isso não tenho muita experiência. De fato eu sou muito carinhoso com o gato, apegado mesmo a ele, bem mais do que a minha esposa. Eu o mimo muito, com petiscos, carinho, colo, brincadeiras com ratinho de pano ligado em varinha de pescar, etc. MAs só pelo fato de eu brincar muito com ele e fazer bastante carinho isso é suficiente pra ele achar que eu sou uma “gata”?? Eu tento desincentivar isso, mas toda hora ele vem querer pegar a minha perna, muito patético, hahaha. Ou meu gato tem algum distúrbio psiquiátrico, ou excesso de testosterona (mesmo tendo sido castrado quando tinha poucos meses de idade), ou eu tenho cheiro de gata no cio, hahahahahaha Por favor, me deem alguma dica, pois eu nunca vi isso, a não ser com cães, que são “safadinhos” por natureza, adoram subir na perna de pessoas, mas gatos… eu contei esse fato até para duas veterinárias, e elas disseram que nunca viram isso na vida!

    2. polishmepink disse:

      7 de março de 2011 às 05:27

      Excelente texto, adorei!
      Quem acha que gato só fala com a gente quando quer comida com certeza nunca teve um gato!
      E adorei sua idéia Ana, aumentar a família virando mãe de cachorro e gato 😉

    3. da Priscila Cavalcanti disse:

      5 de março de 2011 às 15:12

      amei. tenho tido gatos desde os 5 anos e são amigos queridos, ajudam minha vida a ser mais suave. ver os dois aqui de casa brincando é um cineminha para meus filhos e eu. dormem com meu filho de 8 anos e não nos procuram só para pedir comida – ao contrário, muitas vezes nos confundimos e eles deixam claro que querem carinho e brincadeiras…

    4. Anonymous disse:

      4 de março de 2011 às 14:16

      Oi, Ana,

      Tomei a liberdade de imprimir o seu texto para meus amigos gateiros.
      Com cinco em casa, acho que consigo decifrar bem essas relações dos felinos com humamos…

      Sou fã do blog, você arrasa!

      LamBeijos!

      Aline

    5. Eliane disse:

      4 de março de 2011 às 02:30

      Olá Ana!
      Este é o melhor texto que li até hoje sobre interação humano-gato.
      Vivo com eles desde meu aniversario de 1 ano, Qd minha mãe desiludida por ouvir as primeiras palavras de sua filhinha amada, que ao invés de falar mamãe… falou GATO. E formulou sua primeira frase " compra um gato pra mim". Desilusão de mãe a parte, a pediatra autorizou e ela fez naquele dia a ADOÇÃO de Mimi, meu primeiro bichano.
      Nunca conseguir ficar longe deles, entendo um breve olhar, o que cada miado está dizendo, o q eles estão pensando a como irão agir. Faço questão de não me verem colocando alimento, simplesmente tem alimento o dia todo e não me procuram por alimento, mas sim para companhia e amor.
      Fica muito claro que me tratam como gata. Otto é meu guarda costas, averigua tudo, controla, me dá sua caça (sim ele caça lagartixa, louva-deus) e a Cuca me considera sua filha, tenta me dar banho, lambe desesperadamente minhas lágrimas, fica acordada o tempo que eu ficar…isso pq tenho insônia!
      Eu tenho rinite, ela também, eu tenho gastrite nervosa, ela também.
      Este estudo finalmente será um alerta para aqueles que estão perdendo precioso tempo de vida longe desses amigos facinantes.
      Obrigada!!!
      Bj

    6. Rô! – @robertarez disse:

      2 de março de 2011 às 18:04

      Adorei a pesquisa! rs… Quem sabe tira um pouco do preconceito com nossos bebês. Engraçado que o Tolstói (o macho peludo de casa) não gosta muito de mulheres, se dá melhor com meu namorado e meu primo. Segundo meu namorado, isso acontece porque ele é castrado ¬¬… Já a Katrina, se dá bem com todo mundo (rs), e direto procura o colo do meu namorado (na verdade, ela fica vagando até achar o mais colo mais gostoso do momento).

    7. gilvas disse:

      2 de março de 2011 às 16:33

      mentiiiiiira!

      haha, não é, é bem assim mesmo que as coisas funcionam lá em casa.

    8. Rogéria Thompson disse:

      2 de março de 2011 às 16:17

      Adorei.Ainda mais q estamos in love com a nossa Lady Cat,lindinha, q fica caçando a todos pela casa,agora dorme no meu sofá…pena de tirar ela de lá…Bjs!!

    9. Emmanuelle disse:

      2 de março de 2011 às 14:43

      Adorei!
      Gato é tudo de bom!

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados