• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Notícias da situação dos animais assistidos pela RESA nas chuvas em Santa Catarina

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 27 de janeiro de 2011

    RESA

    “Dia 22.1.2011, uma equipe composta por representantes do Instituto Ecosul e GR3VA-Grupo de Valorização da Vida Animal de SP, circularam pela litoral e parte do Vale do Itajaí, avaliando a situação pós tragédia de 2008/2009 e levantando dados para a elaboração de uma cartilha com orientações básicas aos moradores e representantes públicos, de como proceder com os animais em caso de catástrofes.
    Infelizmente, a incursão coincidiu com o inicio de mais uma enchente na região, por enquanto de proporções menores do que aquelas de 2008 e por recomendações da Polícia Rodoviária Federal e Bombeiros Voluntários de Navegantes não subimos a pé até o Alto Baú como estava planejado, nos limitando a ir até onde os veículos puderam chegar.
    A equipe saiu de Florianópolis passando por Tijucas, Itapema, Balneário Camboriú, Itajaí e Navegantes e a chuva incessante já começava a causar danos e desalojar famílias em todas as localidades. A programação previa uma visita a Joinville e Jaraguá do Sul, inclusive para uma avaliação dos abrigos de animais das entidades, pois somente o Abrigo Animal de Joinville conta com aproximadamente 1.500 cães e gatos, mas uma queda de barreira na BR- 101 não permitiu.
    Em Navegantes, o grupo se reuniu no QG dos Bombeiros Voluntários onde a equipe que havia estado na região serrana do RJ ajudando no socorro às vítimas havia retornado na véspera. O comandante Ricardo relatou a experiência, o quadro de horror encontrado e a participação do grupo nas operações, mostrando o registro fotográfico das ações.  O Comandante ressaltou que a catástrofe da região serrana do RJ é imensamente maior em todos os sentidos do que aquela ocorrida no Vale do Itajaí em 2008.
    Conjuntamente com os Bombeiros, foi feita uma avaliação da situação na região do Vale do Itajaí, as perspectivas de problemas maiores nos próximos dias e reforçada a parceria da corporação para a elaboração da cartilha das orientações às pessoas.
    Na região de Ilhota, foi constatado que as águas já começavam a invadir propriedades e haviam interrompido a estrada de ligação ao Alto Baú.
    No retorno, foi feita uma visita ao abrigo da Viva Bicho, com em torno de 650 cães e gatos, onde a situação era de relativa normalidade, a não ser o terreno encharcado e com pontos de alagamento. Mas os canis, gatis, escritório, ambulatório veterinário e depósito de alimentos encontrava-se a salvo.
    No próximo informativo estaremos anexando fotos dos locais visitados nesta incursão.
    Neste inicio de semana, as chuvas deram uma trégua em todo o estado, diminuindo a possibilidade, pelo menos momentânea de uma tragédia maior, mas a situação é de alerta máximo.
    Situação de abrigos de animais e ongs:
    Por enquanto, as informações que recebemos são de que os danos maiores foram nos abrigos temporários da AJAPRA-Assoc. Jaraguaense de Proteção Animal de Jaraguá do Sul, cidade bastante castigada pelas chuvas.
    Certamente, outras organizações e ativistas independentes foram atingidos e encontram-se com dificuldades de manter e assistir seus animais.
    Estamos aguardando informações recentes e o endereço para onde devem ser enviados donativos para a AJAPRA para que possamos divulgar.
    A RESA não tem hoje recursos e estrutura para centralização de donativos, transporte e perspectiva de doadores e arrecadação do nível daquelas obtidas na mobilização de 2008/2009, mas sua coordenação está atenta e pronta para auxiliar a todos com a experiência adquirida anteriormente para minimizar o impacto das intempéries na vida de animais humanos e não humanos.
    Recomendações e sugestões:
    Que os ativistas e entidades se organizem a partir de suas próprias regiões para socorro aos animais, o que facilita a agiliza o recebimento e distribuição da ajuda.
    Que todas as arrecadações até então obtidas no estado ou que venham a ser,  destinadas á outras regiões do Brasil sejam direcionadas às entidades locais comprovadamente socorrendo ou com animais em dificuldades.
    Da mesma forma com donativos para seres humanos.
    Que as entidades comprovadamente socorrendo ou com animais em dificuldades, enviem seus dados para divulgação de arrecadação de donativos. Eventualmente, a RESA poderá solicitar a uma organização ou ativista parceiro da região, uma avaliação e parecer sobre e real situação antes de divulgar os dados recebidos.”
    Halem Guerra Nery
    Coordenador da RESA-Rede Catarinense de Solidariedade aos Animais
    Instituto Ambiental Ecosul
    Fone: 48-9934.0880
    LOGOecosulFINALHORIZ6 
    Endereço da AJAPRA:
    A/c LECIMAR – Tayse 
    Av. Prefeito Waldemar Grubba, número 3097
    Bairro: Vila Lalau
    Cep: 89256-501
    Jaraguá do Sul, Santa
    Catarina
    Categoria: RESA
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    Nenhum Comentário:

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados