• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Viagem pra São pAU-AUlo – Dias 3 e parte do dia 4

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 7 de dezembro de 2010

    Oie! Finalmente cheguei onde queria! Meu dia mais cheio de programas caninos em Sampa City, o 4º! Mas não vai ter como contar tudo em post só, sinto muito… Este já está imenso e só cobre o primeiro dos passeios do dia!

    Sobre o 3º dia na terra da garoa acabei já falando faz tempo, porque vocês pediram para eu contar logo como havia sido o seminário sobre leishmaniose visceral do projeto Focinhos Gelados. Tirando a “parte técnica” que tomou praticamente o dia inteiro, a parte legal do dia conhecer pessoalmente várias pessoas queridas com quem já me relacionava via Twitter, Facebook, e-mail etc., mas o ponto alto foi eu ir dormir na casa “do Cachorro Verde”, sem dúvida alguma! Mas sobre isto vocês já leram um pouco nos posts “A quantas anda Sampa…” e “Agora de tarde…” e outra hora conto mais até porque a Camilli Chamone também andou por lá na semana seguinte e tem muito chão pela frente nesse tema.

    É que na verdade quero chegar logo no dia 4 da viagem pra Sampaaaaa!!!

    No sábado estava acertado para eu dormir na casa da Luli amada, do calendário Celebridade Vira-Lata, mas ela só estaria livre pra ficar comigo mais para o fim da tarde e não estaria em casa de manhã quando eu fosse deixar a mala lá, ou seja, maior suspense até eu finalmente conhecê-la pessoalmente! Como eu havia comprado um chip de celular em Sampa e divulgado pra todo mundo, as queridas Débora (com o Zé Magrelo!) e Érika Leonardo (com o Caro e o Drake!) me ligaram e combinamos de ir no espaço Matilha Cultural no meio da tarde. Nisso a Marli Delucca, mãe e protetora independente de ferrets (que mostrou um outro lado da proteção animal que eu desconhecia, depois tem post sobre o trabalha dela também!), ofereceu para me levar no evento de adoção do Projeto CEL, entidade que eu conhecia porque a Luisa Mell falou dele quando estivemos juntas aqui em Floripa. Programação feita, foi só divulgar o percurso no Twitter e no Facebook e encaixar as pessoas queridas que ligaram pra me encontrar.

    Resumindo bastante porque é muita coisa pra contar:

    A Vanessa e a Sylvia me deixaram na casa da Marli, onde eu fazia questão de ir para conhecer os peludinhos dela, cinco ferrets queridos. Sobre a visita e os amadicos, falarei melhor em outro post, porque vai interessar bastante a quem, como eu, os acha fofos e já fez a loucura de cogitar comprar um.

    Ó, gente… Todas as outras pessoas amadas que ficaram de carro pra cima e pra baixo comigo em Sampa que me perdoem, a Marli dá um banho de senso de localização e tem um GPS que nasceu com ela, hahaha. Nossa visita ao evento de adoção do Projeto CEL só não foi melhor porque 1) o tempo era curto, 2) não gostei do estabelecimento onde o evento acontece e fiquei bastante incomodada com a venda de animais, não só cães e gatos, mas várias outras espécies e até um macaquinho… Mas conversar com a Eliete, presidente do Projeto, e constatar com meus próprios olhos que os filhotes já são doados castrados e que as entrevistas são super criteriosas, foi muito melhor do que o esperado.

    E aqui aproveito para repassar alguns links que a super Marli se preocupou em mandar sobre o trabalho do CEL:

    Reportagem de 24.09.10: http://www.youtube.com/watch?v=uTzK_Tii05o / Reportagem de 2007: http://www.youtube.com/watch?v=OOJa06Feob8 / Vídeo feito por estudantes de uma Faculdade para o Projeto CEL: http://www.youtube.com/watch?v=t5-EOXXOeoM

    Lá no evento mesmo, quem estava me esperando era uma pessoa muito especial com sua pequena peluda, alguém que eu tinha uma vontade  grande de poder dar um abração pessoalmente por 3 motivos: é uma das leitoras mais carinhosas que tenho, há pouco passou por um trauma familiar muito grande que me deixou profundamente comovida e sua pequena me lembra tanto meu amado Sushi que muitas vezes me deixa às lágrimas quando visito seu blog. Estou falando da carinhosíssima e super querida Gi Colombini e de sua Lola. Nosso encontro foi breve, o tempo como já falei era curto e ela estava só me esperando chegar para ir embora porque tinha um compromisso. Mas poder estar com elas pessoalmente me emocionou bastante e a Gi sabe disso. Foi uma viagem de muitos abraços apertados, de muitas pessoas do bem e que moram no meu coração para conhecer ao vivo, mas este encontro em especial foi emocionante. Gi e Lolinha, muito obrigada pelo carinho de vocês, sempre tão presentes mesmo quando a vida nos prega peça inimagináveis e dolorosas.

    Santiago do CEL (de boné) e família que adotou as peludinhas que cito no post.

    Voltando ao pessoal do CEL e à minha super guia Marli Delucca… Duas coisas me chamaram bastante a atenção: uma família estava adotando duas cadelinhas filhotes, mas só levava para casa uma delas, já castrada e vacinada. A outra ficava no evento porque havia sido abandonada naquele dia, então com um prazer imenso ouvi bem na minha a Eliete explicando aos adotantes que ela só seria entregue a eles depois que estivesse castrada e vacinada. Pode parecer algo banal para quem trabalha da mesma maneira, mas infelizmente tanto critério e zelo não é uma prática comum a todos que se dizem protetores de animais e que, inclusive, estão sempre pedindo dinheiro e mais dinheiro de doação, sem esquecer de fechar a torneira onde ele mais vaza: a doação de animais não castrados!

    O outro fato que me marcou foi ver que as entrevistas dos candidatos a adotantes são feitas por voluntários que não são os responsáveis pelos animais que talvez sejam adotados. Assim, evita-se que um protetor que esteja desesperado para doar faça vistas grossas e não seja criterioso. Palmas pra eles mais uma vez! O lado não tão bom da visita foi mesmo o local, mas por tudo que vi, parece ser praticamente impossível realizar eventos de adoção em São Paulo sem ser em pet shops e estabelecimentos do gênero, e por lá todos os que visitei vendem animais, inclusive desobedecendo a lei 14.483, de julho de 2007, que proíbe a venda e a doação de animais que não estejam castrados.

    Sabem a máxima popular que diz “se não pode vencê-los, junte-se a eles“? Ao menos a realização de eventos de adoção nestes espaços tem servido para educar o público presente para as questões da superporpulação de animais de rua e para ajudar os realizadores dos eventos a arrecadar doações de produtos, já que muita gente doa alimentos e medicamentos na saída das compras. Sei que é muito fácil eu sentar e criticar morando em uma cidade onde temos a benção do pessoal da Diretoria de Bem-Estar Animal ter conseguido parar com essa farra da venda de filhotes em petshops, feiras de filhotes e clínicas. Tenho que lembrar que estava visitando outra cidade, com uma realidade completamente diferente e que as ONGs de lá precisam se adequar a ela. Mas para quem já está há alguns meses sem ver filhotes expostos à venda, vou dizer… Dá um nervoso misturado com raiva, viu? Tanto que fiquei tão irritada que mal visitei a loja inteira, imensa com seus vários andares, lotada de fregueses e seus cachorros lindos e fofos. (Marli querida, sabes que não foi falta de interesse no que querias mostrar e sim nervosismo, né?)

    Ah, achei legal também o Projeto CEL cobrar R$50,00 de taxa de adoção, dinheiro usado para pagar a castração do animal e que também serve como uma espécie de seleção do adotante, afinal, quem não tem R$50,00 para adotar um cão ou gato não tem condições financeiras de o manter de maneira digna, sejamos francos. Mesmo que cuidemos de nossos peludos sem frescuras e luxos, eles geram gastos e muitas vezes quando não estamos esperando, hehe. Registro aqui também meu super beijo de obrigada para a Sylvia e a Vanessa que me receberam maravilhosamente bem em sua casa, para a Marli e seus ferrets resgatados e meus parabéns a todos do Projeto CEL!

    Quer ver mais fotos da viagem (com novidades porque adicionei fotos que a Marli bateu)? Clique aqui ou abaixo.

    Viagem pra São pAU-AUlo – Dia 1

    Viagem pra São pAU-AUlo – Dia 2

    E no próximo post… Cachorros, cachorros, cachorros!

    Categoria: Adoção, Calendário Celebridade Vira-Lata, Viagens
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    Nenhum Comentário:

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados