• Receba os posts por e-mail:

    Guia de Raças no Mãe de Cachorro: Bull Terrier

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 8 de dezembro de 2010
    –> Quer conhecer o verdadeiro temperamento de outras raças disponíveis para adoção?  Confira o Guia de Raças Mãe de Cachorro clicando aqui.
    Raça de hoje: Bull Terrier
    Texto: Michele Welton Tradução: Ana Corina – Todos os direitos reservados. A reprodução é expressamente proibida.
    Temperamento – O que é bom e o que é ruim sobre eles
    O Bull Terrier tem um temperamento doce, ainda que bagunceiro e palhaço, cheio de energia e determinação. Este cão musculoso, forte e vigoroso fica melhor vivendo com famílias ativas, porque tem um alto nível de energia que manifesta-se de maneiras inesperadas e repentinas. Ele precisa de caminhadas frequentes e estimulantes, jogos de bola vigorosos e ocasionais e de total imersão no ambiente familiar, leia-se MUITA companhia e interação com sessões de brincadeiras. Se ignorados, os Bull Terriers ficarão entediados e os estragos feitos por travessuras serão questão de tempo… Os mais jovens que são ignorados e largados sozinhos podem ser especialmente destruidores, devorando sua mobília com alegria, cavando grandes túneis no quintal e rodando em círculos obsessivamente ao caçar seus rabos.
    A maior parte dos Bullies (apelido do Bull Terrier) cumprimenta estranho com saltos entusiasmados (geralmente derrubando a visita) e com “lambeijocas” no rosto. Entretanto, agressividade e timidez estão presentes em algumas linhagens e a socialização correta e precoce é importante para desenvolver um cão emocionalmente estável.
    Um Bull Terrier não deve ser mantido com outro cão do mesmo sexo. A raça pode ser bastante possessiva com comida, não permita que outro pet ou uma criança aproxime-se enquanto um Bull Terrier estiver se alimentando. A um certa altura, caso não tenha sido propriamente educado e criado, o cão desta raça muito provavelmente testará sua habilidade para controlar suas ações. Tais episódios de dominância devem ser tratados com calma e positividade. Mantenha as sessões de treinamento breves e use comida como motivação.
    Alguns Bull Terries são “tagarelas” entusiasmados, resmungando e conversando com seus próprios botões (fofos!).

    Se você quer um cão que…

    • Tenha um porte médio e um corpo musculoso
    • Tenha uma aparência bastante diferente, com uma cabeça em formato de ovo, largas orelhas pontiagudas e olhos triangulares que parecem afundados na cabeça
    • Tenha uma pelagem curta e fácil de cuidar
    • Seja bagunceiro e brincalhão, cheio de energia
    • Precise de muito exercício e jogos vigorosos
    • Pareça imponente, fazendo uma boa guarda só por impressão, mas que geralmente não seja agressivo com estranhos

    Um Bull Terrier pode ser bom para você.

    Se você não quer lidar com…

    • Brutalidade, pulos exuberantes e tendência a brincar com força
    • Propensão para destruir coisas ao sentir tédio ou solidão
    • Agressividade ou medo direcionados a pessoas (presentes em algumas linhagens ou quando não socializados propriamente)
    • Agressividade com outros cães e gatos
    • Temperamento determinado que requer um tutor experiente e confiante
    • Queda de pelo (muita!)
    • Problemas sérios de saúde
    • Responsabilidades legais (possibilidade de processos, leis de banimento da raça, problemas com seguros etc.)

    Um Bull Terrier pode NÃO ser bom para você.

    Se você está pensando em adotar um Bull Terrier… Considere as questões abaixo seriamente.
    1. Providencie exercícios físicos e estimulação mental suficientes. Bull Terriers, sejam de porte Standard ou Miniatura, são cães ativos que precisam ter oportunidades regulares para gastar sua alta energia e para usar manter sua mente ocupada com coisas interessantes. Caso contrário, serão cães barulhentos, violentos e entediados, o que geralmente expressam destruindo e mastigando coisas. Bull Terriers entediados são famosos por roer até paredes, destruir sofás e transformar seu quintal em uma paisagem de crateras lunares…
    2. Pulos. Bull Terriers jovens (até três anos de vida) podem ser como touros em uma loja de porcelana. Quando eles brincam e pulam, o fazem com tanto vigor que coisas podem sair voando, pessoas inclusive. Se você tem crianças pequenas ou se você ou alguém que more na mesma residência seja idoso ou enfermo, eu não recomendo que você adote um filhote da raça. A tentação para brincar de maneira brusca é muito grande em muitos Bull Terriers jovens.
    3. Providencie socialização suficiente. Muitos Bull Terriers amam todo mundo, mas alguns têm instintos de guarda contra estranhos e precisam de intensa socialização para que possam aprender a reconhecer o comportamento normal das pessoas “do bem”. Então eles poderão reconhecer a diferença no comportamento de alguém que não esteja agindo como o esperado. Sem uma socialização cuidadosa os cães desta raça tendem a suspeitar de todo mundo, o que pode levar a ataques. Alguns vão na direção oposta quando não são socializados corretamente e tornam-se medrosos, o que também pode levar a ataques por medo (defesa).
    4. Agressividade com outros animais. Muitos Bull Terries não toleram outros cães do mesmo sexo. Alguns não conseguem conviver nem com cães do sexo oposto. Muitos têm fortes instintos de perseguição e caça, o que pode ser um problema com gatos e outros animais que fujam correndo. Se alguma coisa der errado na procriação, socialização, treinamento e manejo desta raça, o cão será capaz de ferir seriamente ou matar outros animais.
    5. Temperamento forte. Bull Terriers não são Golden Retrievers, têm uma mente independente e não são fáceis de criar e treinar. Podem ser manipuladores e muitos são teimosos, obstinados e dominantes (querem ser o líder) e farão você provar que pode mandar. Você precisa mostrar a eles através da mais absoluta constância, que você realmente quer o que está pedindo.
    6. Queda de pelo. Bull Terriers soltam mais pelo do que você imagina. Seus pelos curtos saem em suas mãos quando você os acaricia e grudam firmemente em suas roupas, mobília e tapetes. Pessoas com peles sensíveis podem ter reações às “espetadas” de seus pelos.
    7. Sérios problemas de saúde. De problemas no coração e rins a doenças oculares e surdez, Bull Terries são arriscados quando o assunto é saúde.
    8. Responsabilidades legais. Bull Terries não são Pit Bull Terriers, mas são bastante confundidos e sofrem com os ataques da mídia contra cães “potencialmente perigosos”. Já são alvo de políticas de banimento em algumas regiões/países. Algumas seguradoras de casa recusam ou cancelam contratos se descobrem que o proprietário possui um Buldogue Americano. Seus amigos e vizinhos poderão ficar desconfortáveis com seu cão por perto. Nos tempos atuais as responsabilidades legais de manter qualquer raça que pareça intimidante e que tenha um histórico como cão de guarda ou caçador sério deve ser considerada com cuidado. Pessoas são rápidas em processar se um cão como este faz qualquer coisa remotamente questionável.
    9. Francamente, Bull Terriers, tanto Standards quanto Miniaturas, são “cães demais” para a maior parte dos tutores e famílias. Poucos possuem o conhecimento e habilidade necessários para lidar com esta raça cheia de energia ou para providenciar as atividades físicas e mentais de que precisam.

    Adote um Bull Terrier adulto!
    Quando você adota um filhote, você está adquirindo potencial do que ele um dia pode se tornar.  Mas quando você adota um cão adulto, você está adquirindo o que ele já é e pode decidir se é o melhor cão para você baseado em sua rotina e realidade. Há vários Bull Terriers adultos que já provaram não ter as características negativas típicas da raça. Se você encontrar um cão assim, não deixe que elas preocupem você. Fique feliz que você encontrou um indivíduo atípico e aproveite!
    Salve uma vida. Adote um cão.

     *Lembrando: Estou traduzindo as descrições de temperamento das raças (que já vi disponíveis para adoção) apresentadas pela autora norte-americana Michele Welton, que obviamente leva em conta que a maior parte de seus leitores mora nos EUA e sempre tendo em mente cães dentro do padrão comportamental de cada raça. Não adianta um cão ter “cara” de uma raça, isso nem é tão difícil, um cão realmente “de raça definida” tem, mais do que qualquer outra coisa, a personalidade, o comportamento e os instintos da raça a que pertence.
    Sobre a autora: Michele Welton tem mais de 35 anos de experiência como educadora canina e tem mais de 17 livros publicados, sendo 15 deles sobre cães.
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    17 Comentários:

    1. jorge tavares disse:

      4 de março de 2014 às 19:58

      Oi pessoal.
      Ganhei um bull terrier comdois anos e ele veio para minha companhia muito machucado
      por haver brigado com cinco cães do ex dono. Trouxe-o para minha casa, estou tratando
      suas feridas e percebo nele um cão muito dócil e carinhoso com as pessoas, o único problema que vejo nele é com outros animais, principalmente cães e gatos. Eu tenho mais quatro cães de várias raças e não posso deixá-los junto a ele. Alguém saberia me dizer como fazer para socializá-lo com meus outros cães. Doá-lo não é uma opção pois ele me conquistou incondicionalmente. Obrigado a todos.

    2. Sylvan Muniz disse:

      22 de fevereiro de 2014 às 10:32

      A descrição da raça ficou perfeita. Eu tenho um de 4 meses (o Ruffos) e ele é bastante agitado, mas, como gosto de correr de manhã sempre levo ele comigo, o problema é que minha esposa tem um chow chow macho de 2 anos e eles ficam se estranhado de vez. As vezes algum sai machucado, mas, nada demais, da pra controlar.

    3. Haila lucena disse:

      9 de fevereiro de 2014 às 11:20

      Doacao de bull terrier adulta
      Encontrei uma mocinha linda no inicio desse ano, ela tem aproximadamente 2 anos, e é exatamente como a descricao, muito ativa, brincalhona e inteligente. Muito docil, estou doando pois ja tenho muitos outros animais resgatados em casa, e acho que esssa merece uma atencao especial, alguem que tenha tempo para passeios, brincadeiras…
      Sou medica veterinaria, e me comprometo a dar toda assistencia caso ela venha a ter algum problema.
      Interessados entrar em contato
      97011.5516
      [email protected]

    4. Adriana disse:

      28 de dezembro de 2013 às 11:57

      Essa raça e muito levada mas e apaixonante, tenho uma femea ela hoje tem um ano, muito bagagunceira ja comeu tudo que se pode imaginar mas tenho muita paciencia e amor suficiente para ela. Tem que ter tempo para lidar com essa raça pois sao muito ligados no movimento e adoram sempre se esconder dentro de casa , e muito engraçado, mas sao excelentes cao de guarda. Sou apaixonada com minha cadela.

    5. Anderson disse:

      23 de novembro de 2013 às 11:04

      Olá.
      Gostei muito destas informações, as mais precisa e informativas que já li até hoje…tenho uma Bull com deficiência auditiva ( mais nem parasse sabe!?) A Mylayd é tudo isso que li e mais um pouco. Ela é do tipo que quando prendo ela em algum gancho ela é capaz ( sempre consegue)tirar a corda do gancho e me faz sair correndo que nem doido atras dela…amo minha Bull!!!

    6. Carolina disse:

      28 de agosto de 2013 às 09:47

      Ganhei uma fêmea do meu marido!! Ela tem apenas 3 meses e já percebi a teimosia da criatura rs, mas pra falar a verdade, estou apaixonada por ela!! Ela é muito companheira e em todo lugar que eu estou em casa, ela está junto!! Estou muito feliz =)

    7. Karina disse:

      16 de maio de 2013 às 11:19

      Gente, esta raça é simplemente apaixonante.

      Não troco minha Radija por nada neste mundo mesmo sendo um tropeço, derrubando tudo dentro de casa, soltando pelo como uma louca sou verdadeiramente apaixonada pela minha cachorra.

      Já tive outras raças, mas nada se compara a você chegar em casa e me vem aquela carona branca latindo e resmungando… ela e seus 27 kilos pedindo colo rsrs isso é o máximo!!!

    8. celso disse:

      2 de julho de 2012 às 17:22

      por favor moro em apertamento por isto procuro uma cachorrinha para adoçao de porte pp ate no max 3kg e meio pelo curto chiuaua,pintcher…mto obrigado minha familia e eu aguardamos ansiosos…

    9. patricia silva disse:

      26 de junho de 2012 às 13:43

      preciso de ajuda, a minha bull tem 06 meses e está com queda de pelo em algumas partes do corpo, como ela é branca, fica com a parte rosada da pele aparente e o veterinario não acertou direito com medicamento nenhum…alguem já passou por isso?

      • José Roberto disse:

        15 de janeiro de 2014 às 13:55

        olá, tenho um bull de 8 meses, que tembem teve este problema, curei passando uma mistura de dersani com enxofre.
        obs: os dois são comprados na fármacia.

    10. Ana Corina disse:

      3 de janeiro de 2011 às 23:11

      Oi Dennis,

      quando o assunto é criança, todo cuidado é pouco sempre, mesmo se o cão for de porte pequeno!
      Parabéns pela adoção!

    11. Dennis Pereira Neves disse:

      3 de janeiro de 2011 às 22:11

      parabens pela postagem, a raça é exatamente isso que esta postado.
      Adotei um de 4 anos, o unico problema do bull e não só dele mas de todas as raças é que se vc não cria-lo com criança ele pode ficar enciumado com o dono e querer avançar na criança menor de 9 anos, digo isso por experiencia propria eu tenho 2 filhos,um menino de 9 anos e uma de 1 e 7 meses, e ele brinca com o meu mais velho porem a menor ele estranha pois ficamos um bom tempo com ela no colo brincando.
      então se vc vai adotar um adulto ele sera muito leal aos donos, cuide bem dele e observe a reação com crianças, ha só para saber ele não chegou a pular em minha filha pois obedece aos comandos.

    12. Anonymous disse:

      8 de dezembro de 2010 às 20:02

      Pois é, acabei de receber a minha menininha, Valentina, adorei ler as orientações, ela é adulta e vou observar o seu comportamento…

    13. Anonymous disse:

      8 de dezembro de 2010 às 17:28

      Amei essa. A minha Lola é exatamente assim, mas é muito mais fácil de lidar do que parece, eu aconselho quem quiser adotar um não perca a chance é realmente um animal surpreendente.Danik

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados