• Instagram do Mãe de Cachorro

    Instagram
  • Receba os posts por e-mail:

    Dúvida do leitor: Eu chego, eles saem. Como evitar fugas ao chegar/sair de casa?

    Mãe de Cachorro - Ana Corina | 16 de dezembro de 2010
    Duas pessoas me escreveram há pouco com o mesmo problema: ao sair ou chegar em casa e precisar abrir o portão para passar com o carro, a cachorrada se manda!

    Uma delas tem três cães e comentava que enquanto me escrevia estava no trabalho, mas saindo para ir até sua casa colocar os 3 fujões de volta pra dentro do quintal porque haviam fugido quando ela saiu para trabalhar. São cães que não vão embora, ficam pelas redondezas e logo estão de volta ao portão, mas ainda assim é uma situação que realmente não devemos deixar acontecer. Os perigos para os peludos são vários: brigas, atropelamentos, envenenamentos, surras e até mesmo captura por alguém que pode achar que estão abandonados ou perdidos. Fora que terminam contribuindo para antipatia de quem já não gosta de cães e que tem um prato cheio para reclamar…

    Respondi a elas o que me veio em mente: que deveriam jogar pra dentro do quintal, o mais longe possível do portão, petiscos, ração ou qualquer outra comida gostosa. Assim o instinto da gula seria maior do que o da fuga e eles estariam mais preocupados em comer do que em fugir. Mas como foi algo que inventei, falei que procuraria um profissional para pedir um aconselhamento correto. Promessa feita, promessa cumprida!
    Escrevi ao educador canino Gustavo Campelo e aí está a resposta dele. Espero que seja útil, bem mais do que a minha “dica caseira”, hehe.
    EXCLUSIVO: Ana, sua sugestão é válida para o curto prazo. A única contra-indicação para essa técnica é se os cães brigam por comida.
    Ainda pensando no curto prazo, sugiro que nossa amiga não deixe que os cães saiam para passear por meia hora. Se eles conseguirem passar por você no portão, eles devem ser resgatados imediatamente. Quanto mais eles fugirem e ganharem passeios como recompensas, mais eles são reforçados a fugir.
    Agora, sinceramente, vamos pensar quais são as razões prováveis para que esses três cães queiram tanto fugir de casa? Será que eles se exercitam pouco? Ou seja, não passeiam ou passeiam pouco? Será que eles querem sair para fazer suas necessidades? Acredito que essas duas hipóteses são prováveis. Portanto, sugiro também o aumento de atividade física (passeios) com os três cães. Em pouco tempo eles não vão mais querer fugir, porque eles já sabem que vão ter um momento para passear e é mais gostoso ficar com os donos.
    Desejo a vocês um ótimo treino e bons passeios!
    Categoria: Adestramento
    Atenção!
    Plágio é crime federal previsto na Lei 9.610/98.
    Conheça a Licença de Uso do blog e saiba o que você pode fazer ou não com os posts do Mãe de Cachorro!

    4 Comentários:

    1. Anonymous disse:

      17 de dezembro de 2010 às 23:12

      Fiz um cercadinho no fundo do quintal e meus três foram se acostumando a entrar dentro dele quando eu chamo. Então, antes de abrir o portão para entrar com o carro, entro pelo portão social, levo-os ao cercadinho, abro o portão da garagem para entrar e só depois os solto.Dá trabalho, mas a rua é tranquila e pelo menos é garantido que não vão fugir. Maria Carmem

    2. Fúlvia, Suzie e Letícia disse:

      16 de dezembro de 2010 às 23:51

      Sabe que a Suzie, ANTES do passeio, fica mais espertinha pra querer sair na rua mesmo? Agora morando numa casa que percebo isso.

      Mas, depois do passeio (longo, diga-se de passagem), ela fica mais predisposta a obedecer ao "espera" enquanto abro o portão da frente.

      Quando é pra abrir o portão da garagem, prefiro deixá-la dentro de casa mesmo. Melhor prevenir que remediar.

      Beijão!

    3. Ana Fairy disse:

      16 de dezembro de 2010 às 11:49

      pior era minha gata, a Sofia, que ficava na espreita prá fugir…e a gente chamava ela de houdini, pq quando a gente menos esperava ela conseguia passar por algum lugar e dar as escapadas dela. Resultado: ela foi atropelada e hj não está mais conosco. E detalhe q ela era castrada…mas gostava de uma rua – a danada. Bom, hj eu tenho só a Clarinha a outra gatinha, que é um amor e super obediente. Essa num chega ne perto da porta.
      Os gatos são mais independentes, mas a gente precisa impor limites pro próprio bem deles. Eles não são capazes de entender o porquê, mas é o jeito né? Bjos

    4. Ms. Siebert disse:

      16 de dezembro de 2010 às 05:22

      Ana, aprendi uns comandos pra eles nao fugirem. No começo leva tempo, tem q ser em duas pessoas nesse inicio – uma pra tirar ou colocar o carro, outra pra mante-los em posicao.

      Fique de costas para o portao, mande eles ficarem (nem q use a guia no começo, mas tente nao usar) e bloqueie qq movimento com o seu corpo… o movimento será como se vc fosse um portao, um porta. então o ideal é coloca-los num corredor, se tiver, pra evitar fugas pelo lado…

      entao, mande sentar, ou ficar (depende do q o cao ja sabe). pode incentivar com petiscos. do mesmo comando de fica, colocar a mao espalmada (como um PARE) na frente do rosto do cao e falar FICA. enquanto isso a outra pessoa vai tirando o carro….

      vai bloqueando com seu corpo qq passagem, qq tentativa de fuga, firmando a palavra FICA (ou qq outra) normalmente eles recuam…

      com o tempo, essa pessoa q impede, vai se afastando e pedindo pro "manobrista" dar os comandos… no fim do portao fechado, carinho, palavras de incentivo e/ou petiscos…

      Aqui em casa funcionou… 😉 São 3 no quintal tb!

      A questao do petisco só funcionaria com a gorda da pupi, os outros preferem a rua heheh

      Bjos

    Os comentários estão fechados.

  • Arquivo por data

  • Páginas

  • counter for wordpress
  • Assuntos

    Mãe de cachorro também é mãe!

    Todos os direitos reservados